Click here to load reader

UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU Centro de Pesquisa · PDF fileHeidegger, como qualquer filósofo, foi homem de seu tempo; apesar, e por causa disso, o ensaio “A questão da técnica”

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU Centro de Pesquisa · PDF fileHeidegger, como qualquer...

  • UNIVERSIDADE SO JUDAS TADEU Centro de Pesquisa

    Programa Voluntrio de Iniciao Cientfica

    Roberto Assuno Motta da Rocha

    Tcnica e Ontologia em Heidegger: Caminhos de Pensamento

    So Paulo, 2008

  • 2

    UNIVERSIDADE SO JUDAS TADEU Centro de Pesquisa

    Programa Voluntrio de Iniciao Cientfica

    Roberto Assuno Motta da Rocha

    Tcnica e Ontologia em Heidegger: Caminhos de Pensamento

    So Paulo, 2008

    Relatrio final de pesquisa apresentado ao Programa Voluntrio de Iniciao Cientfica do Centro de Pesquisa da Universidade So Judas Tadeu. Orientadora: Professora Dra. Regina Andrs Rebollo

  • 3

    RESUMO

    Tendo por fio condutor o ensaio A questo da tcnica (HEIDEGGER, 2001) busco entender conceitos e categorias desvelados por Heidegger ao questionar a natureza da tcnica e como estes conceitos e categorias estariam presentes no debate filosfico contemporneo envolvendo propostas de controle tico sobre a tcnica moderna.

    ABSTRACT

    Using the essay The question concerning technology (HEIDEGGER, 2001), I try to understand how concepts and categories used by Heidegger can help us to question the essence of technique, and contribute to ethic philosophical debate concerning control of modern technique effects.

  • 4

    Agradecimentos

    UNIVERSIDADE SO JUDAS TADEU PELA BOLSA DE GRADUAO AO CENTRO DE PESQUISA DA PR-REITORIA DE PESQUISA E PS-GRADUAO PELA OPORTUNIDADE DE PARTICIPAR NO PROGRAMA VOLUNTRIO DE INICIAO CIENTFICA. AOS PROFESSORES DO CURSO DE FILOSOFIA, PELO EMPENHO, DEDICAO E COMPETNCIA, EM ESPECIAL PROFESSORA DRA. YOLANDA GLRIA GAMBOA MUNZ. TEREZINHA FERRARI E AOS AMIGOS DO GRUPO DE PESQUISA CIDADE, TRABALHO E TCNICA PELO CONVVIO FRUTFERO E AGRADVEL. PROFESSORA DRA. REGINA REBOLLO, PELA FIRMEZA E DELICADEZA DA ORIENTAO.

  • 5

    SUMRIO

    APRESENTAO 6 ESCOPO E OBJETIVOS . 6 POR QUE QUESTIONAR A TCNICA ? 8 POR QUE HEIDEGGER? 10 A CONFERNCIA A QUESTO DA TCNICA 12 CAMINHOS DE PENSAMENTO EM HEIDEGGER . 14

    A ESSNCIA DA TCNICA. 16 DETERMINAO INSTRUMENTAL E ANTROPOLGICA DA TCNICA 16 CRTICA DA DETERMINAO INSTRUMENTAL 18 TCNICA E CAUSALIDADE : AITION E CRTICA DA HEGEMONIA DA CAUSA EFICIENTE . 20 CAUSALIDADE , POIESIS, PRODUO E ALETHIA . 23 ESSNCIA DA TCNICA : TECHNE, DESENCOBRIMENTO E VERDADE . 24

    TCNICA MODERNA: PERIGOS E SOLUES 26 ESSNCIA DA TCNICA MODERNA 26 PERIGOS DA TCNICA MODERNA 31 ONDE MORA O PERIGO , CRESCE A SOLUO . 33 TCNICA E METAFSICA EM HEIDEGGER . 36 CONSUMAO DA METAFSICA : DESCARTES E NIETZSCHE . 38

    CONCLUSES 42 TICA NA OBRA DE HEIDEGGER 42 TICA E DETERMINAO INSTRUMENTAL DA TCNICA . 43 TICA E ENVIO DO SER. 45 SE A TCNICA NO FOR S UM INSTRUMENTO , COMO FICAM AS PROPOSTAS DE CONTROLE? 46 CONSIDERAES FINAIS 51

    REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS 52

  • 6

    APRESENTAO

    Escopo e Objetivos.

    A preocupao de Heidegger com a tcnica aparece bem cedo, mas, na ltima fase de

    sua obra, elaborada principalmente ps-Segunda Guerra Mundial, esta preocupao fica mais

    explcita e mais intensa. Segundo Loparic, se o trabalho artesanal marca o uso cotidiano dos

    objetos em Ser e Tempo, este panorama mudaria aps 1930, quando Heidegger comea a

    perceber que o que caracteriza a nossa poca no o cotidiano caseiro, analisado em Ser e

    Tempo, mas a tcnica, tal qual descrita por Ernst Jnger, em seu artigo A mobilizao total. A

    leitura de Jnger teria levado Heidegger a concluir que, por ser ingnua, sua fenomenologia

    da faticidade (do cotidiano) de 1927 /.../ no representa um ponto de partida adequado para

    formular a questo do ser nos dias de hoje. Ao invs disso, a tcnica moderna, pensada no

    horizonte da metafsica nietzschiana da vontade de poder, o sentido que prevalece /.../ e que,

    portanto, Nietzsche o pensador decisivo a ser consultado em qualquer tentativa de

    compreender e ultrapassar esse sentido do ser (cf. LOPARIC, 2002:218).

    A conferncia A questo da tcnica (HEIDEGGER, 2007), proferida em 1953 na

    Universidade Tcnica de Munique, ponto de partida, fio condutor e ponto de chegada desta

    pesquisa. Embora outras obras de Heidegger tenham sido consultadas, no h pretenso de

    tentar um estudo exaustivo dos escritos deste filsofo sobre o tema da tcnica devido no s s

    limitaes do escriba no idioma alemo, mas tambm por este trabalho ter sido produzido no

    contexto de uma pesquisa de iniciao cientfica com durao de 12 meses durante um curso

    de graduao em Filosofia. Segundo Heidegger, como teremos oportunidade de expor mais

  • 7

    adiante, a essncia da tcnica e a da tcnica moderna revela-se por caminhos de pensamento;

    desde j: caminhos de pensamento para este filsofo no so jogos de linguagem, percursos

    lgicos, silogismos ou seqncias de argumentos que nos levariam explicao do que est

    sendo questionado estas aes, pelo contrrio, simplesmente ocultariam os caminhos de

    pensamento pelos quais a essncia da tcnica chega at ns. Nas palavras de Heidegger, estes

    caminhos abrem nossa presena essncia da tcnica. Na companhia de Heidegger, usando

    como fio condutor sua conferncia A questo da tcnica, construiremos em caminhos de

    pensamento pelos quais a essncia da tcnica nos busca, mesmo quando supomos que ns a

    estamos buscando...

    Embora Heidegger tenha se referido tcnica em grande quantidade de textos ao longo

    de sua obra composta de alguns livros e muitos ensaios e conferncias, A questo da

    tcnica, que, repetimos, ponto de partida, fio condutor e ponto de chegada desta pesquisa,

    o mais extenso, o mais explcito e o mais denso escrito pelo qual nos chegam caminhos de

    pensamento do filsofo ao questionar a tcnica; nesta conferncia Heidegger pensa a natureza

    da tcnica e da tcnica moderna. Pensar, como vrias outras palavras, tem para Heidegger um

    significado pouco usual e mais originrio: pensar a atividade pela qual, atravs da

    linguagem, nos colocamos na clareira do ser. O pensar o ato de oferecer a linguagem para

    que o ser se revele; se abra nossa presena.

    Heidegger construiu uma das mais conhecidas e contundentes crticas tcnica

    moderna, porm, raramente derivou destas crticas alguma ilao referente tica; apesar, e

    por causa disso, busquei nos caminhos desvelados por ele em seus questionamentos da

    natureza da tcnica, possveis contribuies para os debates contemporneos que tratam de um

    controle tico aplicvel ao desenvolvimento e s aplicaes da tcnica moderna.

  • 8

    O caminho desta pesquisa foi, ento, utilizar o famoso ensaio A questo da tcnica

    como roteiro e mote inicial para visitar outras obras do autor que questionam a tcnica,

    buscando compreender o que se desvelou para ele como essncia da tcnica moderna;

    finalmente, de posse desta compreenso, e localizando alguns raros momentos em que

    Heidegger discorre sobre questes ticas ligadas tcnica, arrisco algumas especulaes.

    Nosso questionamento nesta pesquisa pode ser expresso indicando que buscamos as

    respostas heideggerianas, em algumas obras do Heidegger maduro, s perguntas: Qual a

    natureza da tcnica? Qual a natureza da tcnica moderna? Como e porque a tcnica

    moderna uma ameaa? Quais as possveis solues? Quais as possibilidades e possveis

    limites das propostas de controle tico sobre o desenvolvimento e aplicaes da tcnica

    moderna?

    Por que Questionar a Tcnica?

    Tcnica: um tema que me fascina e busco compreender desde o incio da dcada de 70

    do sculo passado por ocasio de uma graduao em Engenharia Eletrnica na PUC/RJ. Fora

    eu um heideggeriano convicto, o que estou, acredito, longe de ser, seria fcil desvelar o

    motivo do fascnio e do interesse permanentes nestes mais de 30 anos: embora correta, a

    afirmao de que busquei compreender a natureza da tcnica no revelaria a verdade. Para um

    heideggeriano, mais que buscar, eu teria sido buscado pelo tema; embora fosse

    rigorosamente correto dizer que eu escolhi questionar a natureza da tcnica, o rigor desta

    exatido no poderia ocultar a verdade de que a tcnica que teria me escolhido... e aberto

    caminhos de pensamento pelos quais sua essncia teria chegado at minha presena. Como

    nos ltimos trinta anos busquei entender a natureza da tcnica, ou fui por ela buscado,

    considerei natural, em minha graduao em Filosofia, escolher este tema ou fui escolhido?

  • 9

    Ao longo do sculo XX, direta ou indiretamente, discusses sobre a tcnica foram

    relevantes no debate filosfico tanto pelas ameaas de destruio do planeta por armas

    nucleares quanto pela maquinizao do homem, reduzido condio de apndice de

    mquinas, para usar uma expresso de Marx j no sculo XIX. No difcil apontar a

    importncia da categoria da tcnica nos debates filosficos do sculo passado. Benjamin,

    Adorno, Horkheimer, Marcuse e outros filsofos da Escola de Frankfurt bem como filsofos e

    pensadores to diversos quanto Spengler, Jnger, Pirandello, Jaspers, Ortega y Gasset, Sartre

    entre outros, pensaram as conseqncias para os seres humanos em geral dos

    desenvolvimentos da tcnica moderna, das tcnicas de produo em massa e dos artefatos

    mortferos das duas guerras mundiais.

    Se j no sculo passado o desenvolvimento e uso da tcnica moderna motivaram

    discusses ticas, o mbito filosfico contemporneo exige continuao e aprofundamento

    destas discusses, pois, neste incio de terceiro milnio no diminuiu a importncia da

    categoria da tcnica nos debates filosficos relacionados s perspectivas de destruio do

    planeta e alteraes na sociabilida

Search related