Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Nº 73 - 15/01/2016

Embed Size (px)

Text of Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Nº 73 - 15/01/2016

  • Campanha exclusiva para associados das cooperativas filiadas ao Sicoob Central Crediminas.

    Use o seu Sicoobcard e concorra a: 9 Etios Hatch, 9 TVs 40 de LED e 5 S10.

    Consulte as cooperativas participantes e o regulamento no site cartaopremiadosicoobcard.com.br .

    CrediprataParticipao de 1/12/2015 a 29/2/2016 para pessoas maiores de 18 anos e pessoas jurdicas, associadas a uma das cooperativas das nove regies filiadas ao Sicoob Central Crediminas, portadoras de carto Sicoobcard participante. Sorteios: 20/1/16 - nove Etios Hatch X, um por regio; 16/3/16 - nove TVs 40 de LED, uma por regio; 30/3/16 - cinco S10 LT entre os ganhadores das TVs. Consulte cooperativas participantes, demais condies, descrio e distribuio dos prmios no regulamento no site www.cartaopremiadosicoob.com.br. Imagens meramente ilustrativas. Certificado de Autorizao SEAE/MF n 04/0442/2015.

    CULTURA Pg. 11Livro da Acadelp lanado em Mostra Cultural

    COTIDIANO Pg. 12Novos conselheiros tutelares tomam posse em LP

    Lagoa da Prata Sexta-feira, 15/Janeiro/2016 Edio Semanal - Ano III - N 73 Jornal de Distribuio Gratuita - Venda Proibida

    Pginas 04 a 09

    Os bandidos vieram de Bom Despacho e foram presos com ajuda do dono de um estabelecimento comercial

    OCORRNCIAS Pg. 13

    Polcia Militar captura assaltantes de relojoaria

    Jornal Cidadeentrevistavereadores

  • SEXTA-FEIRA, 15/JAN/20164 OPINIO

    Carta do Editor Juliano Rossijuliano@jornalcidademg.com.br

    Com o objetivo de mos-trar ao leitor o resultado obtido pelos vereado-res de Lagoa da Prata nos trs primeiros anos da atual legisla-tura, o Jornal Cidade protocolou na secretaria da Cmara Muni-cipal, no dia 23 de novembro, uma solicitao de entrevis-ta individual com cada um dos nove parlamentares. A propos-ta era gravar em udio e vdeo as entrevistas (que voc pode conferir em breve, na ntegra, no site www.jornalcidademg.com.br) para que o leitor pos-sa avaliar se o desempenho dos vereadores est satisfatrio. A reportagem do Jornal Ci-dade estipulou o prazo para que as entrevistas fossem realiza-das entre os dias 27 de novem-bro a 4 de dezembro. Em razo do pedido de dois vereadores,

    o prazo foi estendido at o dia 14 do ms passado. Dos 9 vereadores de Lagoa da Prata, 5 aceitaram gravar a entrevista nos moldes acerta-dos e dentro do prazo estabe-lecido. Nesta edio voc po-der ler o que tem a dizer os parlamentares Adriano Mora-es, Adriano Moreira, Di-Gianne Nunes, Edmar Nunes e Paulo Pereira. A sequncia das en-trevistas est publicada em or-dem alfabtica, a partir da p-gina 5. Os vereadores Natinho, Cida Marcelino e Quelli mani-festaram interesse em gravar a entrevista, porm, aps o pra-zo acordado com a reportagem do Jornal Cidade e aps o in-cio do recesso de fim de ano da equipe do semanrio. E por considerao aos demais vere-adores que se disponibilizaram

    A partir de fevereiro, o Jor-nal Cidade far algumas mudanas em sua linha editorial e na identidade visual. O objetivo estar ainda mais sintonizado ao que o leitor es-pera ler no semanrio. Estamos implantando um departamen-to comercial, que ser coorde-nado por Juliana Figueiredo, e seremos os responsveis pela produo das quatro edies anuais da Lagoa Em Revista, publicao que j est em sua quinta edio. O que no muda o com-promisso de levar ao leitor uma notcia isenta, produzida com qualidade e riqueza de conte-do. Para os anunciantes, re-novamos o nosso compromis-so de produzir o jornal com o maior alcance da cidade, dis-tribudo gratuitamente em mais de 50 comrcios, localizados em todos (TODOS) os bairros de Lagoa da Prata, e distribu-do tambm nos semforos da Avenida Brasil. O Jornal Cidade possui a maior tiragem (so 4.000 exemplares em cada edio) e o maior alcance comprova-

    do de todos os jornais que cir-culam na regio. A comprova-o da tiragem pode ser feita

    por qualquer empresa, profis-sional liberal ou leitor, sem bu-rocracia.

    a prestar conta do seu trabalho conforme os termos estabele-cidos previamente, as entrevis-tas de Natinho, Cida Marcelino e Quelli (alm de Nego da Sa-de) no foram realizadas. O Jornal Cidade disponibili-zou uma pgina para que cada vereador falasse de seu traba-lho ou de seus posicionamen-tos. Uma mesma pergunta foi feita para todos os parlamen-tares: Qual o benefcio direto que o seu trabalho como vere-ador trouxe para a populao de Lagoa da Prata? Se no hou-ve interesse por parte do vere-ador que no quis prestar es-te esclarecimento aos leitores, eleitores e cidados, ou se o ve-reador no tem nada de concre-to para mostrar que resultado de seu trabalho, pacincia! As eleies esto a.

    Jornal Cidadeentrevista vereadores

    Novidades noJornal Cidade

    www.pharlab.com.brfacebook.com/pharlab

    @Pharlab@pharlab_oficial@pharlab_oficial

    Anuncio Jornal Cidade Institucional.indd 1 12/01/16 15:47

    www.jornalcidademg.com.br

  • 5SEXTA-FEIRA, 15/JAN/2016 facebook.com/jornalcidademg POLTICA

    ENTREVISTA: VEREADOR ADRIANO MORAES

    De 2013 a 2015, Adriano Moraes apresentou 72 requerimentos,17 projetos de lei e 31 anteprojetos.

    A poltica o lado sujo que eu vivo e aqui eu sou

    obrigado a ser a pessoa que fica limpando a sujeira

    Eu sei que sou mal

    interpretado e isso natural.

    As pessoas levam tempo, a maioria leva anos para ser

    verdadeira com voc

    FOTO: JULIANO ROSSI

    DA REDAO contato@jornalcidademg.com.br

    Como voc avalia os trs pri-meiros anos desta sua legis-latura?Satisfatrio, principalmente neste mandato, onde a Administrao fa-voreceu os vereadores que querem desenvolver um bom trabalho. O que temos visto nessa gesto que a ci-dade virou um canteiro de obras, e a maioria do dinheiro para essas obras no veio do oramento municipal, e sim de verbas que partiram de depu-tados estaduais e federais que fize-ram todo esse movimento na cida-de. Outras cidades da regio esto em crise, e ns temos uma economia forte em Lagoa da Prata. A gente v que o dinheiro est sobrando para fa-zer os projetos sociais, que o mais importante.

    O que voc pode mostrar para o eleitor que fruto direto do seu trabalho e do seu empe-nho nesses trs anos da atual legislatura? Tenho diversos projetos em anda-mento, como cultura disponvel a to-das as pessoas, cultura nas escolas, por meio da distribuio de livros, etc. No mbito do Legislativo, tenho di-zer que a Cmara no funciona sem o Executivo, porque seno os proje-tos ficam s no papel. Todos os pro-jetos que estiveram em andamento nesses trs anos foram viabilizados atravs do Executivo. Tem que deixar isso bem claro, porque vereador no executa projeto. O melhor projeto que j passou aqui na casa de minha autoria, que probe o plantio de cana no permetro urbano. Outro, de rele-vncia, foi a melhoria da cesta bsi-ca e implantao da jornada de tra-balho de 6 horas para os funcion-rios pblicos.

    Alguns vereadores o criticam pelo fato de voc ter uma liga-o muito prxima com o pre-feito e a Administrao Munici-pal, e que muitos dos projetos so idealizados dentro da Pre-feitura, o que lhe beneficiaria politicamente. O que voc tem a dizer sobre esse assunto? Poltico tem que saber fazer poltica. Eu estou aqui para trabalhar para o povo. Eu queria que todo mundo fi-casse falando bem de mim, mas a poltica no funciona desse jeito. No meu outro mandato, onde o prefeito s sabia ouvir o Marlcio Meireles, que era o secretrio de governo de-le, eu no parei de tentar me comuni-car com o Divininho, como fao com o Paulo Teodoro. S que o Paulinho me escuta, o Divininho no me escu-tava. A diferena est s a.

    Recebemos muitas reclama-es de pessoas que ouvem a reunio da Cmara pelo rdio. Elas dizem que no se resolve nada. Como voc avalia a pro-dutividade do trabalho da C-mara?Nos projetos importantes minha pos-tura foi de oposio. A base do go-verno mais dura do que a oposio. No me considero uma pessoa boa, nem justa, mas tento manter o meu princpio de servir a populao, mes-mo que me doa, mesmo que fique al-guns pedaos da minha carne no ca-minho e que eu (e at minha famlia) sofra muito. Trabalhar para o outro uma caracterstica da minha fam-lia que tem assistente social, profes-sora e padre. Uma frase bblica resu-me: Eu e a minha casa serviremos ao Senhor.

    Voc um vereador conheci-do pelos discursos inflamados

    na tribuna, e tem uma perso-nalidade mais amena no mbi-to pessoal. Seriam dois Adria-nos, um que trabalha com poltica, e outro com traba-lhos de autoajuda? Como vo-c orienta as pessoas a enxer-garem essas personalidades?Eu no espero que elas enxerguem, seno, elas deveriam estar aqui, e no eu. Eu sei que sou mal interpre-tado e isso natural. As pessoas le-vam tempo, a maioria leva anos para ser verdadeira com voc. Estamos vivendo uma instabilidade nacional e eu estou pregando a paz interior. Ento eu sou incompreendido, pois eles no veem que h uma manipu-lao da mdia mundial para deses-truturar o cidado. E eu, como um re-presentante do cidado, estou pre-gando a amizade, amor, temperana, candura, o abrao e o acolhimento. E essas coisas para mim so impor-tantes porque eu sei que, como re-

    presentante do povo, eu tenho que direcion-los para o que bom e pa-ra o que belo. Acho que essa a minha funo.

    Falando do mandato de legis-lador, voc tem algum arre-pendimento de alguma pos-tura que voc tomou nesses trs anos?Eu sou o autor da denncia de nepo-tismo que causou a demisso do car-go da Lcia de secretria de gover-no. No s ela, mas do Juninho, ex--secretrio de cultura e sobrinho do Fortunato. Vou te dar o exemplo da Lcia, que eu causei a demisso de-la. Todos os pedidos da populao que eu levei, a Lucia conseguiu resol-ver. E eu vejo que no s isso no, tanto ela quanto o prefeito tiram di-nheiro do bolso para ajudar as pes-soas e as entidades. Eu senti muito por ter ferido pessoas que so com-petentes e boas.

    Uma proposta polmica que voc colocou em pauta foi a re-duo dos salrios