Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Nº 75 - 04/02/2016

  • Published on
    13-Apr-2017

  • View
    505

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

<ul><li><p>ELEIES 2016</p><p>Veja como est o cenrio poltico atual </p><p>de Lagoa da Prata </p><p>Campanha exclusiva para associados das cooperativas filiadas ao Sicoob Central Crediminas.</p><p>Use o seu Sicoobcard e concorra a: 9 Etios Hatch, 9 TVs 40 de LED e 5 S10.</p><p>Consulte as cooperativas participantes e o regulamento no site cartaopremiadosicoobcard.com.br .</p><p>CrediprataParticipao de 1/12/2015 a 29/2/2016 para pessoas maiores de 18 anos e pessoas jurdicas, associadas a uma das cooperativas das nove regies filiadas ao Sicoob Central Crediminas, portadoras de carto Sicoobcard participante. Sorteios: 20/1/16 - nove Etios Hatch X, um por regio; 16/3/16 - nove TVs 40 de LED, uma por regio; 30/3/16 - cinco S10 LT entre os ganhadores das TVs. Consulte cooperativas participantes, demais condies, descrio e distribuio dos prmios no regulamento no site www.cartaopremiadosicoob.com.br. Imagens meramente ilustrativas. Certificado de Autorizao SEAE/MF n 04/0442/2015.</p><p>www.jornalcidademg.com.br | Edio n 75 Ano III. Venda proibida. 4.000 ExemplaresLagoa da Prata, 04/FEV/2016</p><p>EDITORIAL l02</p><p>COTIDIANO l08</p><p>Prefeito veta reajuste dos salrios aprovado pelos vereadores</p><p>Lagopratense se cura de doena grave e incentiva a prtica de esportes</p><p>UPA de Lagoa da Prata ser inaugurada no prximo dia 20 </p><p>POLTICA l10 ARQUIVO / IMAGENS PBLICAS NA INTERNET</p><p>COTIDIANO l06</p><p>ELEIES 2016</p><p>Veja como est o cenrio poltico atual </p><p>de Lagoa da Prata </p></li><li><p>Lagoa da Prata,</p><p>04/02/20162 lEDITORIAL</p><p>O prefeito Paulo Csar Te-odoro vetou, integral-mente, a proposio de lei 001/2016, aprovada pelos ve-readores Cida Marcelino, Nego da Sade, Natinho e Edmar Nu-nes, que Revisa os valores dos subsdios dos agentes polticos de Lagoa da Prata. Na verdade, a proposta reajusta em 10,67% os salrios do prefeito, vice-prefei-to, secretrios e procuradores do Municpio. Teodoro argumentou que a reviso, na atual conjuntura, contrria ao interesse pblico. Em tempos de crise, ironica-mente, aumentam as demandas pelos servios pblicos mais b-sicos e primordiais, como sade, educao e assistncia social. O Municpio sofre com uma que-da de receita. A reviso dos sa-</p><p>lrios de carreira j foi realiza-da, trazendo um impacto na fo-lha, e que ser de difcil absor-o pelo Municpio. A reviso dos agentes polticos, com sal-rios mais elevados, porm, tam-bm merecidos, deve, nesse mo-mento, ser protelada at o mo-mento mais oportuno, em que as sequelas deixadas pela crise tenham sito pelo menos atenu-adas, argumentou o prefeito. O veto j foi apresentado Cmara Municipal. Os vereado-res devem decidir, nos prximos dias, se iro derrubar o veto e ga-rantir o reajuste aos agentes po-lticos, ou acatar a recomenda-o do prefeito e manter os sa-lrios percebidos at dezembro de 2015. A matria sobre o reajuste salarial dos agentes polticos vei-</p><p>culada na ltima edio do Jor-nal Cidade gerou uma enorme repercusso na cidade. Vereado-res usaram as redes sociais para questionar o termo Reajuste usado na reportagem. Eles argu-mentaram que houve apenas a reviso dos subsdios de acordo com o IPCA apurado em 2015. Ora! O que h de errado com a palavra Reajuste? is-so mesmo que os vereadores fi-zeram. Reajustaram o subsdio dos agentes polticos. Reajuste um substantivo feminino que significa ato ou efeito de rea-justar. Reajustar, por sua vez, um verbo que significa tornar a ajustar, o que, provavelmente, no estaria justo. Logo, os vere-adores estipularam como justo o reajuste de 10,67% sobre o sub-sdio. Simples e didtico. Polticos fazem parte de uma classe privilegiada que pode de-cidir quanto os seus empregado-res, o povo, ir pagar pelos seus salrios. Na atual situao eco-nmica do pas, se o trabalhador chegar ao patro e disser A par-tir do prximo ms voc ir me dar um reajuste de 10%, mais provvel que o trabalhador rece-ba o aumento de salrio ou seja demitido? Voc decide.</p><p>Prefeito veta reajuste dos salriosaprovado pelos vereadores</p><p>CARTA DO EDITORJULIANO ROSSI</p><p>juliano@jornalcidademg.com.br</p></li><li><p>jornalcidademg.com.br</p><p>04/02/2016 3lEDITORIAL</p></li><li><p>Lagoa da Prata,</p><p>04/02/20164 lCOLUNISTAS</p><p>lO JORNAL CIDADE tambm pode ser encontrado na PADARIA PO DE MEL (Rua Sudrio Felizardo de Castro, 481- Chico Miran-da), na MERCEARIA DO ZIZICO (Rua Sete de Setembro, 1012 - Amrico Silva) e no O FRANGUINHO (Av. Bela Vista, 70 - Santa Hele-na). Os exemplares estaro disposio dos moradores e comercian-tes, todas as semanas, s quintas-feiras. O jornal poder ser retira-do gratuitamente. o nosso jornal fazendo parcerias inteligentes, le-vando informao sria e de credibilidade ao alcance de mais pesso-as. Boa leitura a todos!</p><p>ONDE RETIRO O MEU JORNAL CIDADE? SO MAIS DE 50 LOCAIS POR TODA A CIDADE!</p><p>PADARIA PO DE MEL</p><p>37 3261-6295</p><p>MERCEARIA DO ZIZICO</p><p>37 3261-5512</p><p>O FRANGUINHO</p><p>37 3261-5148</p><p>LUCIENE MORAIS BATISTA CRP 04-37799 | www.psicoharmonia.com.brConsultor e palestrante graduado em Comunicao Social e Ps-Graduado em Gesto Estratgica em Marketing</p><p>COMO POSICIONAR-SE NO FACEBOOK:O QUE NO FAZER.</p><p>DESAPEGO E LIBERDADE</p><p>c passe uma imagem de profis-sional e de pessoa bem sucedida, mas o excesso pode despertar a inveja e at fazer com que voc seja antipatizado por seu prprio pblico.</p><p>4No compartilhe tragdias. Infelizmente comum as pessoas se interessarem por no-tcias ruins, imagens fortes, fofo-cas e afins. Evite entrar nessa on-da. Seja portador de notcias bo-as e mensagens positivas.</p><p>5No publique fotos em que no est bem. A imagem muito importante, haja vista a quantidade de curtidas e com-partilhamento de mensagens que tem fotos, que muito supe-rior as que so apenas textos. Por isso, s publique fotos em que es-t bem e apresentvel.</p><p>6No marque pessoas sem cri-trio. Se for fazer marcaes nas suas postagens, s marque quem realmente interessa. Acre-dite, o fato de sair marcando todo mundo nos posts s para ter visu-alizaes e compartilhamentos no elegante.</p><p>7No repita postagens. Ao fa-zer uma postagem sobre de-terminado tema, tenha o cuida-do de verificar se j no o fez. Postagens seguidas sobre o mes-mo assunto pode fazer com que voc seja visto como uma chato.</p><p>8No convide pessoas para jogos. Enviar convites para jogos, eventos ou simplesmen-te adicionar uma pessoa a um Grupo que no tem nada a ver com ela certamente ir desagra-dar, portanto esquea.</p><p>9No transforme seu perfil em dirio. Existem outras Redes Sociais prprias para is-so, se que algumas coisas pre-cisam ser compartilhadas. O tal do vou almoar agora, se sen-tindo triste ou o que tem pra hoje, duro de aguentar. Con-tinue e perder amigos.</p><p> Portanto, pense bem antes de fazer a prxima postagem. A questo no s a vergonha alheia que ir causar, ou amigos que poder perder. Em uma des-sas uma boa oportunidade pro-fissional poder passar, e o pior, voc nem saber o motivo.</p><p> Visitando a casa deles pude presenciar o des-conforto que viviam diante da situao relatada acima. Na ocasio, minha amiga falou sobre seu desejo de doar o co para algum que cuidasse bem dele. Em seu olhar, era perceptvel o sofri-mento que tal deciso trazia consigo, todavia, em sua fala, ela demonstrava compreender que o ape-go ao co estava trazendo sofrimento para todos, inclusive para o prprio co. Neste momento lem-brei-me de outra amiga que havia me falado sobre seu desejo de conseguir um co de estimao e in-termediei o contato entre as duas para que combi-nassem o processo de doao do animal. Doao concluda e resultados positivos para todo mundo! Garotinha e cozinho felizes com o espao amplia-do para brincarem e casal com sensao de alvio! Claro, para o casal, restou a saudade do cozinho de estimao que os acompanhou por tanto tem-po. No entanto, a certeza de que todos esto me-lhor agora do que antes confirma o fato de que a deciso tomada foi acertada!</p><p>Luciene Morais Batista Psicloga Clnica Espe-</p><p>cializada em Terapia Comportamental e Cogniti-</p><p>va pela PUC Minas Consultrio: Rua Professor Ja-</p><p>cinto Ribeiro n 32, Centro, Lagoa da Prata MG </p><p>Fones (37) 8842-4204 e 3262- 2132 Credenciada </p><p>para Atendimentos Online pelo site www.psico-</p><p>harmonia.com.br</p><p>As pessoas nunca esti-veram to expostas quanto agora. O ad-vento das Mdias Sociais fez com que as relaes passassem a ou-tro patamar. Houve uma mudan-a total de paradigma no aspecto da comunicao. Tanto empre-sas quanto pessoas esto usan-do, de acordo com o grau de in-teresse, essa ferramenta que tem um custo relativamente baixo. Importante ressaltar neste con-texto, que as informaes ficam muito mais acessveis. E mui-to comum empresas deixarem de contratar profissionais aps verem seus perfis no Facebook, da mesma forma que outros so demitidos pelo mesmo motivo. Mas quais so os critrios para um posicionamento que no compromete? Enumerei nove dicas a partir das minhas pr-prias observaes do mercado e das pessoas na rede, do que no aconselhvel.</p><p>1 No se posicione em nenhum tema polmico. Assuntos co-mo futebol, religio, poltica ou sexualidade, por exemplo, sem-pre envolve paixes. E quando voc abre o peito para emitir opinio em relao a esses te-mas, certamente est desagra-dando algum.</p><p>2No exponha sua intimida-de. Uma postagem ou outra de momentos especiais certa-mente chamaro a ateno dos seus amigos e tornar seu perfil mais humano, mas a vida nti-ma em detalhes e exposta diaria-mente no vai agregar em nada.</p><p>3No ostente em exagero. muito importante que vo-</p><p>Tive a oportunidade de intermediar uma situao interessante, na qual a experi-ncia de desapego trouxe tambm liber-dade para todas as partes da histria. Um casal de amigos meus, logo que se casaram adquiriram um co de estimao. Aps alguns anos, ela engravi-dou e tiveram uma filha. A partir de ento, a pos-sibilidade de convivncia entre o co e a garotinha tornou-se complicada, pois apesar de brincalho o animal era s vezes agressivo. Visando a seguran-a, os pais decidiram por bem que a filha no se aproximasse do co e vice-versa. Sendo assim, o co que antes tinha todo o es-pao da casa para brincar, estava agora com seu espao limitado a apenas uma parte do quintal. Se antes o tempo livre de seus donos eram dedicados em grande parte para ele, agora este tempo era li-mitado, pois precisavam dedicar cuidado tambm para a filha. provvel ainda que tais mudanas e limitaes favoreciam para aumentar o estresse e agressividade do co, o que piorava ainda mais a situao. Com um quintal relativamente peque-no, o fato de reservarem um espao para o co tra-zia prejuzos tambm para a filha, pois limitava o espao disponvel para ela brincar. Enfim, a de-ciso de manter o co em casa aps o nascimento da criana tinha uma inteno positiva, mas esta-va trazendo desconforto para todos: o co, a filha e o casal.</p><p>REGINALDO RODRIGUESreginaldorodrigues100@gmail.com</p></li><li><p>jornalcidademg.com.br</p><p>04/02/2016 5</p><p>M uita gente est se esquecendo de algumas regras b-sicas, ou nunca aprendeu na famlia, sobre etiqueta e boas maneiras para a adequada convivncia social. Te-nho notado que o ser humano est perdendo o importante hbito da educao, da elegncia, da cordialidade e do respeito ao prxi-mo. Parece que algo saiu da moda, mas confesso que est difcil me adaptar e acompanhar essa tal tendncia de estao! Seria um pro-blema de tempo ou os valores mudaram e eu no percebi? H algumas palavras mgicas que abrem portas, contudo, se voc pensou em puxe ou empurre, enganou-se. Esses verbos ape-nas sinalizam o que deve ser feito para que no haja um desavisa-do batendo a cabea nos vidros da vida. Nota-se que pedir licena, introduzir uma pergunta com um por favor, dizer bom dia, agrade-cer com um obrigado, so costumes esquecidos. Todavia, acredito que esses detalhes so os atalhos que fazem a diferena quando se quer que o mundo esteja disponvel para os prprios desejos. Eles sim deixam o caminho livre para se conseguir tudo. A boa educao foi banalizada. E quem a pratica visto como um ET, que foi deixado no planeta errado. Interessante perceber quando o outro se assusta com os gestos educados praticados com sinceridade. Alguns no esperam que tal reao seja natural, pois, atualmente, o normal a rispidez causada pela urgncia do dia--a-dia. Em e-mails, por exemplo, custa-se a ler, aps a saudao boa tarde, fulano, um pedido de favor feito ao destinatrio. O remeten-te deseja que sua vontade seja feita, mas se esqueceu de que do la-do de l algum espera pelo menos um pouco de simpatia. Se fosse possvel ver o corao dos outros e entender os desa-fios que cada um enfrenta, os seres ditos humanos dotados de in-teligncia tratariam a todos com mais gentileza, tolerncia, paci-ncia e cuidado, porque a boa educao sempre est na moda, in-diferentemente da velocidade do tempo. E eu espero que ele seja o determinante das escolhas sbias para a melhor convivncia das diferenas entre os povos. Sorria mais. Agradea sempre. E jamais se esquea de que no verdade que as pessoas param de perse-guir os sonhos porque elas envelhecem. Elas envelhecem porque param de perseguir sonhos. E um sonho meu, e tambm na pers-pectiva do escritor Gabriel Garca Marques, que disse a frase acima, que o homem volte a viver sua plena humanidade. Espero que es-sa moda pegue!</p><p>Juliano Azevedo um sonhador que valoriza gestos simples. Jor-</p><p>nalista, Escritor, Chefe de Redao da TV Alterosa/SBT Minas, Mes-</p><p>trando em Estudos Culturais Contemporneos pela Universidade </p><p>FUMEC, Professor de Redao Publicitria na Faculdade INAP e Pa-</p><p>lestrante. Blogueiro no www.julianoazevedo.blogspot.com, twit-</p><p>teiro no perfil @julianoazevedo, fotgrafo no Instagram @juliano-</p><p>azevedo.</p><p>lCOLUNISTAS</p><p>Comear o dia com uma tarefa para realizar, um projeto para executar, um desafio para superar gra-tificante. O dia fica mais atraen-te, o trabalho mais atrativo e a vi-da mais interessante. Uma roti-na mais intensa e produtiva nos faz sentir mais importante e til para quem est ao nosso lado, se-ja na famlia ou seja no ambien-te de trabalho. Nossas aes no dia a dia so essenciais para com-pletar ciclos de realizaes, que podem ser relevantes ou no, mas, que so necessrias para o fluir da vida dentro de um con-texto desejado. Por isso, precisa-mos ficar ligados, pois, podemos assistir as coisas acontecerem e depois reclamar do resultado ou podemos fazer as coisas aconte-cerem e depois celebrar a con-quista. A escolha de cada um de ns. Os grandes vencedores no se permitem ficar dando descul-pas e arrumando culpados quan-do algo no sai da maneira como deveria, eles sempre esto com um plano alternativo na cabe-a, prontos para seguir adiante. No perdem tempo com lamen-taes e no permitem que o mal humor tomem conta. Esto sem-pre agradecendo pelos desafios que tem em suas vidas, em seus trabalhos. Pois, para quem sabe ver o mundo com bons olhos, os desafios so ddivas que nos ti-ram do lugar e que nos fazem sair da zona de conforto, nos tor-nando melhores. Os momentos complicados e as dificuldades que deparamos em nossos negcios e em nossas vidas nunca deixaro de existir. Eles fazem parte de um proces-so natural onde podemos entre-gar os pontos e nos darmos como vencidos, ou podemos acreditar que somos capazes e venc-los. No podemos desistir de algo por causa das situaes difceis e dos obstculos, e jamais podemos deixar de aprender com os nos-sos erros. Pois, os erros quando </p><p>do tudo exata...</p></li></ul>

Recommended

View more >