Click here to load reader

Mais Preza - 03/08

  • View
    225

  • Download
    2

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Mais Preza do dia 03/08/12

Text of Mais Preza - 03/08

  • Nesta semana, vrios universit-rios (re)comearam a vida acadmica, no segundo semestre. Mas, ao mesmo tempo em que muita gente est salti-tante de felicidade por dar esse passo rumo vida profissional, outra parte no conseguiu a vaguinha preza que tanto queria para entrar na facul.

    Nessas idas e vindas (da bendi-ta prova), quase todos voltam para o mesmo lugar: o cursinho pr-vesti-bular pela primeira, segunda ou at terceira vez, como o caso de Daniele Kern, 18 anos. Ela j se prepara para passar h trs anos e est na mesma situao que grande parte da guriza-da que almeja um curso to concor-rido como o que ela sonha: Medicina.

    E no nada fcil a tenso de estar anos seguidos persistindo, afir-mam os vestibulandos. Ao mesmo tempo em que voc vai ficando mais cansado, mais estressado e a presso vai aumentando, a sua dedicao maior tambm, porque voc percebe que o esforo do ano anterior no foi suficiente, conta Daniele, que con-fessa que sempre se dedicou, mas s com o tempo foi aprendendo a se or-ganizar melhor. A cada rodada, ela sentia ganhar uma dose a mais de foco.

    Mas no assim com todo mundo. Para o professor de Biologia do Curso Pr-Universitrio, Lucas Klassmann, tudo depende da maneira como o pessoal encara esse novo ano de

    cursinho. Existem casos em que o aluno acaba cometendo os mesmos erros, como faltar aulas, no estudar em casa, no fazer exerccios e simu-lados, e no entende que comprome-timento com os estudos o que leva aprovao, avalia ele, que convive com essa gurizada h quase dez anos.

    Foi exatamente assim que acon-teceu com Iann Mller, 18 anos, que pretende cursar Cincias da Compu-tao e que demorou a tratar essa his-tria com responsabilidade. Depois de dois anos levando os estudos meio que na brincadeira, ele finalmente se focou e abriu mo de algumas coisas para levar o vestibular a srio. Antes, eu matava muita aula. Tive que dei-xar de sair com os amigos, abri mo de ir a festas, conta o garoto, que hoje tambm monitor de atendimen-to no curso. Realista e mais maduro, Iann representa o tpico aluno que j est familiarizado com o cursinho, como caracteriza o professor Lucas. O comportamento de quem esta h anos estudando bem diferente da-queles que esto se preparando pela primeira vez. Para eles, cada aula e cada explicao tem um valor enor-me. Os veteranos so visivelmente diferentes dos novatos, comenta ele,

    lembrando que, em geral, percebe quando h ex-alunos em sala de aula, quando j respondem s questes e s brin-cadeiras antes de todos os outros.

    Show da Tess no ComplexAmanh, no Complex (av. Protsio Alves, 3839), cedinho, s

    17h, rola um show esperto e de graa! da banda Tess. O grupo vai apresentar as 12 msicas de seu novo disco. Lembrando que no Complex tem pista de skate e ainda d pra emendar um happy no maior estilo mexicano, contemplando um baita pr do sol.

    Curumin em Porto AlegreEle a mais bombada revelao da nova gerao da MPB. O

    msico, cantor e compositor Curumin vem a Porto Alegre para mostrar aos gachos o que fez tanto sucesso na gringa. O show rola no Opinio, dia 4/10, com a abertura da banda Wannabe Jalva. Passa l no opiniao.com.br e j descola teu ingresso!

    Carta aos atletasAmigo atleta que est nos

    Jogos Olmpicos de Londres, vou ser breve e direto: eu quero ouro. No me venha com desculpas. At j sei o que voc vai me dizer, fiz inclusive uma lista, quer ver? L vai: primeiro, voc vai dizer que ningum d bola pro esporte, s pro futebol, e que quando che-ga nas Olimpadas, todo mundo quer medalha.

    Depois, voc vai vir com o papo do investimento, do apoio das empresas privadas e do go-verno, que, no Brasil, muito pouca gente coloca dinheiro para que voc possa competir e se prepa-rar. Talvez voc at venha com uma volta ao passado (e presen-te) falando mal das escolas pbli-cas do nosso pas, que no esto bem equipadas e no recebem ateno para o esporte. Chego a imaginar, caro atleta, voc recla-mando que os ministros e pol-ticos do esporte no esto com o foco totalmente correto. Ah, j sei, logo voc deve tambm se quei-xar da cobrana nas redes sociais, que o povo todo t exigindo me-dalha de ouro sempre e tal. J es-tou careca de saber tudo isso, mas eu quero ouro.

    Gosto tanto quando voc ganha ouro na sua modalidade (nem importa qual, t?). Todo mundo vai pro Twitter come-morar, os dirigentes dos clubes aparecem para colher sua parte dos louros e o mais genial: os po-lticos de grandes cargos recebem voc em Braslia ou na sua capi-tal, lhe abraam, do beijo, falam da importncia do esporte e de o quanto voc importante para o nosso pas. Eu mesmo, assistindo na televiso, dou pulos e chego a abrir a janela para gritar: BRASIL!

    Bem, no querendo cortar o clima, mas me permita lhe avisar: aproveite bem esse dia. Alguns dias depois, provavelmente, sua vida voltar ao normal e todas aquelas reclamaes ali de cima sero sua rotina novamente. En-to isso, preciso voltar ao meu trabalho, j perdi tempo demais parando na frente da televiso para ver uns colegas seus que passam quatro anos ralando e agora no ganham. Faa-me o favor. Voc tem obrigao de ga-nhar o ouro, afinal, tudo que es-crevi nessa carta mentira, e voc tem todo o suporte da nao para ser campeo.

    Um abrao,O Brasileiro.

    Esse texto foi originalmente publicado no blog de Guilherme Alf (guilhermealf.com.br) e o seu

    contedo de responsabilidade do autor.

    Guilherme [email protected]

    Editora: Susi [email protected]

    3 motivos para no desistir

    Se mais um ano de cursinho se passou, quer dizer que voc est cada vez mais perto da aprovao.

    Como voc j conhece o processo, vai saber lidar melhor emocionalmente com a situao da prova.

    P a u l o N u n e s

    Livros e mais livros: essa a rotina do Iann Mller, que vai encarar seu terceiro vestibular ano que vem, para Cincias da Computao

    no desisto nunca

    1 Juliana Pereira Barsante, 22 anos, prestou vestibular quatro vezes. Para ela, a experincia de estudo intensivo, mesmo que em alguns momentos tenha sido tensa, serviu, principalmente, para ajud-la a se acharAo mesmo tempo em que triste e complicado rodar tantas vezes, depois que a gente passa, v que todo o estudo serve como um baita complemento para a faculdade. Estudando como uma louca, acabei entrando em contato com assuntos que eu nunca havia visto nem na escola. Alm de tudo isso, um dos melhores presentes que o cursinho me deu foi a maturidade para descobrir a profisso que eu realmente queria para a minha vida. A cada ano que voltava para as salas de aula, estava mais madura e avaliava minhas escolhas. Foi nessas idas e vindas que troquei de opo de curso trs vezes at escolher o que eu realmente queria: fazer faculdade de Fsica. Hoje, no me vejo estudando outra coisa. bvio que, muitas vezes, eu me desesperava e chorava, mas a gente tem que entender que tudo so fases e, principalmente, aprender a no se preocupar com o que as pessoas falam e pensam.

    Quero a facul,

    23

    Me achei no cursinho

    Arq

    uivo

    Pes

    soal

    /CP

    T sentindo falta de alguma coisa aqui? Ento voa l pro blog, porque, a partir de agora, tudo o que no est no impresso, vai ganhar es-pao no on-line. Nossas promoes preza e colunas com a galera da redao continuam, alm de muito mais contedo por l: maispreza.com.br

    Voc j construiu uma base no ano anterior e o que o crebro aprende,

    no esquece!