Cadeia de Sobrevivncia afogamento - .(afogamento + hipotermia + trauma + crian§as) = ABC Afogamento

  • View
    230

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Cadeia de Sobrevivncia afogamento - .(afogamento + hipotermia + trauma + crian§as) = ABC...

  • Hospital M. Miguel Couto CTI Chefe

    Mdico RR do Corpo de Bombeiros

    Sociedade Bras. Salvamento Aqutico SOBRASA Diretor

    International Lifesaving Federation Medical Commission

    Cadeia de Sobrevivncia

    afogamento

  • SOBRASA Sociedade Brasileira de Salvamento Aqutico SOBRASA Sociedade Brasileira de Salvamento Aqutico

    Como ns vemos o problema?

  • Como a minoria dos

    guarda-vidas vem o problema?

    SOBRASA Sociedade Brasileira de Salvamento Aqutico SOBRASA Sociedade Brasileira de Salvamento Aqutico

  • SOBRASA Sociedade Brasileira de Salvamento Aqutico SOBRASA Sociedade Brasileira de Salvamento Aqutico

    Como a populao v o problema?

  • campanha PISCINA+SEGURA SOBRASA Sociedade Brasileira de Salvamento Aqutico campanha PISCINA+SEGURA SOBRASA Sociedade Brasileira de Salvamento Aqutico

  • campanha PISCINA+SEGURA SOBRASA Sociedade Brasileira de Salvamento Aqutico campanha PISCINA+SEGURA SOBRASA Sociedade Brasileira de Salvamento Aqutico

    MEDIDAS DE PREVENO

    1. Ateno 100% no seu filho(a) a distncia de um brao mesmo que

    saiba nadar ou na presena de um guarda-vidas.(*)

    2. Procure piscinas onde exista a segurana de guarda-vidas ou professor

    de natao.

    3. Restrinja o acesso a piscinas com grades (transparncia) no escalvel

    e tranca automtica da porta em altura no acessvel a crianas.

    4. Evite a suco de cabelo e partes do corpo. Oriente seu filho a ficar

    longe dos ralos e exija o uso de ralo(s) anti-aprisionamento e precaues

    de aspirao (mais de 1 ralo instalado) e ainda o desligamento

    automtico da bomba na piscina.

    5. Aprenda natao, medidas de segurana na gua e primeiros socorros.

    (*)Lei Federal 8069 dispe sobre a proteo integral a crianas e adolescentes e a

    responsabilidade de crianas menores de 10 anos estarem acompanhadas por seus

    responsveis em diverses.

  • campanha PISCINA+SEGURA SOBRASA Sociedade Brasileira de Salvamento Aqutico campanha PISCINA+SEGURA SOBRASA Sociedade Brasileira de Salvamento Aqutico

    AO IDENTIFICAR ALGUM EM PERIGO NA GUA

    1. Reconhea os sinais de um afogamento. Vtimas geralmente no acenam ou pedem por socorro. Geralmente

    um banhista incapaz de deslocar-se ou em posio vertical na gua com natao errtica.

    2. Pea a algum que chame por socorro profissional ligando 193.

    3. Observe ou pea a algum que vigie a vitima dentro da gua enquanto tenta ajudar.

    4. Pare o afogamento - Fornea um flutuador (isopor, bola, prancha ou outro flutuador).

    5. Tente ajudar sem entrar na gua - mantenha sua segurana. Fornea a vtima instruo de como sair da gua

    sozinho.

    6. Use a vara de alumnio da piscina para catar folhas, para retirar o afogado.

    7. S entre na gua para socorrer se for seguro a voc. O risco alto e muitas pessoas morrem nesta tentativa.

    Neste caso leve algum material flutuante e entregue a vitima antes de deixa-la se aproximar.

    Para sua prpria ajuda, se voc estiver se afogando

    1. Tente no entrar em panico e acene por socorro o quanto antes e flutue.

    Muitas pessoas deixam para chamar por socorro tarde demais.

  • Use sempre que possvel um flutuador

    Retire a face da vtima de dentro

    da gua e ABRA AS VIAS AREAS

    RESPIRAO PRESENTE?

  • Cheque a resposta

    da vtima

    perguntando,

    Voc est me

    ouvindo?

    Coloque a vtima paralela a gua

    Szpilman D, Idris A & Cruz-Filho FES; Position of Drowning Resuscitation victim on Sloping

    Beaches; World Congress on Drowning, Amsterdam 26-28 June 2002, Book of Abstracts, pg 168.

  • Sinais de circulao ?

    Sim

    No

    Sim

    VERIFIQUE TOSSE e

    ESPUMA na BOCA/NARIZ

    GRANDE QUANTIDADE DE

    ESPUMA NA BOCA / NARIZ

    TEM PULSO

    RADIAL ?

    sim

    PEQUENA

    QUANTIDADE DE

    ESPUMA NA BOCA/

    NARIZ No

    Faa 5 ventilaes artificiais

    iniciais e cheque sinais de

    circulao/pulso carotideo

    Cheque a resposta do afogado - Voc est me ouvindo ?

    No sim

    RESPIRAO

    PRESENTE ? Ausente

    no

    Desobstrua as vias areas e veja, oua e sinta a respirao

    TOSSE SEM

    ESPUMA

    TRM ?

    GRAUS de AFOGAMENTO - CLASSIFICAO - BLS Baseado na avaliao de 1.831 casos - CHEST - Setembro 1997

    Na Areia ou Borda da Piscina Cabea da vtima no mesmo nvel do tronco - praias inclinadas na posio paralela a gua.

    No perca tempo tentando retirar

    gua do pulmo.

    Szpilman D. Near-drowning and Drowning classification: a proposal to stratify mortality based on the analysis of 1831 cases. Chest 1997;112; issue 3

  • PARADA CRDIO-RESPIRATRIA

    Mortalidade 93%

    1. RCP - 2 ventilaes + 15 compresses (2 socorristas)

    2. Mantenha a RCP at a temperatura Corporal > 340C.

    3. Use o desfibrilador automtico se houver.

    4. No dar soco no precrdio - retarda o incio das manobras.

    5. Aps o sucesso da RCP, acompanhe a vtima pois pode

    haver outra PCR nos primeiros 30 minutos, e trate como Grau 4.

    GRAUS de AFOGAMENTO - CLASSIFICAO - BLS Baseado na avaliao de 1.831 casos - CHEST - Setembro 1997

    Szpilman D. Near-drowning and Drowning classification: a proposal to stratify mortality based on the analysis of

    1831 cases. Chest 1997;112; issue 3

  • PARADA RESPIRATRIA ISOLADA

    Mortalidade - 44%

    1. Ventilao artificial 10/min at retorno da respirao e

    cheque sinais de circulao regularmente.

    2. Aps retorno da ventilao trate como Grau 4

    GRAUS de AFOGAMENTO - CLASSIFICAO - BLS Baseado na avaliao de 1.831 casos - CHEST - Setembro 1997

    Szpilman D. Near-drowning and Drowning classification: a proposal to stratify mortality based on

    the analysis of 1831 cases. Chest 1997;112; issue 3

  • CLASSIFICAO DE AFOGADOS

    S classifique o

    grau do afogamento

    aps ter certeza

    de que est vivo.

  • GRANDE QUANTIDADE de ESPUMA na BOCA/NARIZ

    mortalidade - 5.2 a 19.4 %

    1. Oxignio via mscara facial a 15 litros/min.

    2. Posio lateral de segurana sob o lado direito

    3. Observe a respirao com ateno, pois pode ocorrer parada

    4. Acione a ambulncia com urgncia para levar ao hospital (CTI).

    GRAUS de AFOGAMENTO - CLASSIFICAO - BLS Baseado na avaliao de 1.831 casos - CHEST - Setembro 1997

    Szpilman D. Near-drowning and Drowning classification: a proposal to stratify mortality based on the

    analysis of 1831 cases. Chest 1997;112; issue 3

  • POUCA ESPUMA na BOCA/NARIZ

    Mortalidade - 0.6%

    1. Oxignio - 5 litros/min via cnula nasal.

    2. Repouso, aquecimento, e tranqilizar.

    3. Posio lateral de segurana sob o lado direito.

    4. Observao hospitalar/CRA por 6 a 48 h.

    GRAUS de AFOGAMENTO - CLASSIFICAO - BLS Baseado na avaliao de 1.831 casos - CHEST - Setembro 1997

    Szpilman D. Near-drowning and Drowning classification: a proposal to stratify mortality based on the

    analysis of 1831 cases. Chest 1997;112; issue 3

  • GRAUS de AFOGAMENTO - CLASSIFICAO - BLS Baseado na avaliao de 1.831 casos - CHEST - Setembro 1997

    TOSSE SEM ESPUMA NA BOCA/NARIZ

    Mortalidade - 0.0%

    Repouso, aquecimento, e tranqilizar.

    Usualmente no h necessidade de oxignio

    ou atendimento mdico.

    Szpilman D. Near-drowning and Drowning classification: a proposal to stratify

    mortality based on the analysis of 1831 cases. Chest 1997;112; issue 3

  • GRAUS de AFOGAMENTO - CLASSIFICAO - BLS Baseado na avaliao de 1.831 casos - CHEST - Setembro 1997

    SEM TOSSE ou ESPUMA NA BOCA/NARIZ

    Mortalidade - 0.0%

    Libere para casa do prprio local,

    sem atendimento mdico.

    Szpilman D. Near-drowning and Drowning classification: a proposal to stratify mortality

    based on the analysis of 1831 cases. Chest 1997;112; issue 3

  • Szpilman D, Morizot-Leite L, Vries W, Scarr J, Beerman S, Martinhos F, Smoris L, Lofgren B; First

    aid courses for the aquatic environment; Hand book of drowning - Nehterland - 2003, In edition.

    SUPORTE AVANADO DE

    VIDA

    no AFOGADO

  • Desfibrilador

    e Monitor

    Bolsa + TOT

    Equipo

    de soro

    Oxmetro

    Aspirador

    Medicao

    Prancha

    Via IV perifrica

    15 Compreses 2 Ventilaes X

  • QUANDO INICIAR AS MANOBRAS DE RCP ? Inicie a RCP em: 1. Todos com um tempo de submerso inferior a 1 hora. 2. Todos que no apresentem um dos sinais abaixos;

    Rigidez cadavrica Decomposio corporal Presena de livores

    QUANDO PARAR AS MANOBRAS DE RCP ? 10 - Se houver resposta a RCP, ou; 20 - Em caso de exausto do guarda-vidas, ou; 30 - Ao entregar o afogado a uma equipe mdica. Para o ACLS: S parar a RCP com a vtima em assistolia SEM hipotermia

    AFOGAMENTO

    SZPILMAN D, AMOEDO AR; MANUAL DE AFOGAMENTO e RCP, Editora Revinter - 1995

  • HOSPITAL

  • Novas recomendaes ILCOR 2010

    RCP conforme experincia do socorrista.

    1. Leigo com nenhuma experincia, recebendo instrues por telefone:

    Reconhecer a PCR (no responsivo) + Ativar o SEM(193/192)

    Iniciar compresso cardaca (sem ventilao)

    S utilizar o DEA se estiver prximo.

    S procede a ventilao em casos de asfixia (afogamento e outros).

    2. Leigo treinado em SBV

    Reconhecer PCR + Acionar servio de emergncia (193 / 192)

    Iniciar a RCP C-A-B (no palpa pulso)

    DEA se disponvel e re-checar a cada 2 minutos.

    3. Profissionais de Sade (analisa a situ