Afogamento , crise convulsiva, overdose oficial

  • View
    204

  • Download
    13

Embed Size (px)

Text of Afogamento , crise convulsiva, overdose oficial

1. 2. Afogamento a asfixia gerada por aspirao de lquidos, vindo a inundar o aparelho respiratrio. Haver suspenso da troca de oxignio e gs carbnico. 3. Hipotermia Vomito Distenso abdominal Mal estar Nuseas Tremores Cefaleia Cansao Dores musculares Em casos mais graves: Apneia Parada crdio-respiratria 4. Bebes Criana Adultos 5. Objetivo: Promover menor nmero de complicaes. Meios: Suporte bsico de vida (SBV) Suporte cardaco avanado de vida (SCAV) O SOCORRISTA: Deve promover o resgate imediato e apropriado. 6. O resgate deve ser feito por fases consecutivas: Fases de observao: Implica na observao do acidente, o socorrista deve verificar a profundidade do local, o nmero de vtimas envolvidas, o material disponvel para o resgate. Fase de entrada na gua: O socorrista deve certificar-se que a vtima est visualizando-o. 7. Fase de abordagem: Ocorre em duas etapas distintas: Abordagem verbal; o socorrista vai identificar-se e tentar acalmar a vtima. Abordagem fsica; o socorrista deve oferecer algo em que a vtima possa se apoiar. Fase de reboque: O nado utilizado ser o "over arms" tambm conhecido como nado militar, ou nado de sapo. Fase de Atendimento: Os procedimentos de Primeiros Socorros devem adequar-se ao estado particular de cada vtima, no que se refere as complicaes existentes. 8. A nvel de Primeiros Socorros deve-se sempre: Outros procedimentos em casos particulares seriam: 9. Respirao artificial Reanimao Crdio Pulmonar 10. 11. O que Convulso? Uma convulso ocorre quando h uma atividade eltrica anormal do crebro. As convulses geralmente vm de repente e variam em durao e gravidade. Crises recorrentes caracterizam o diagnstico de epilepsia. 12. Existem vrios tipos de convulso. Crises generalizadas Crises de ausncia (pequeno mal): Tnico - clnicas (grande mal): Convulses focais As crises focais (ou parciais) so divididas em parciais simples, parciais complexas 13. TNICO CLNICAS 14. Febre (especialmente em crianas pequenas) Tumor cerebral Asfixia Abuso de drogas AVC Choque eltrico Hipoxemia perinatal (falta de oxignio aos recm nascidos em partos complicados); 15. Engajar-se em tcnicas de reduo de estresse pode ajudar a reduzir convulses. Voc tambm deve-se abster de tomar drogas ilegais. 16. E.E.G. T.A.C. Ressonncia magntica. 17. Proteja a pessoa de uma leso Tentar repousar a pessoa suavemente no cho, caso ela d sinais de que ir cair Tente afastar os mveis ou outros objetos que possam ferir a pessoa durante a convulso Se a pessoa que est tendo uma convulso j est no cho quando voc chegar, coloque algo macio sob sua cabea No force nada, incluindo os dedos, na boca da pessoa. Colocar algo na boca da pessoa pode causar ferimentos a ele ou ela, como dentes lascados ou uma mandbula fraturada. Voc tambm poderia ser mordido. 18. Vire a pessoa para o seu lado, com a boca para baixo, a menos que a pessoa resista a ser movida No tente soltar ou chacoalhar a pessoa Preste muita ateno ao que a pessoa est fazendo para que voc possa descrever a convulso para o resgate ou mdico: Que tipo de movimento do corpo ocorreu? Quanto tempo durou a convulso? Como a pessoa agiu imediatamente aps o ataque? 19. 20. 21. A overdose, o uso excessivo de alguma droga, sendo considerada uma emergncia mdica pois a gravidade dos seus sintomas pode levar a morte. Os sintomas apresentados por um indivduo com overdose podem variar, porque dependem do tipo e da quantidade da droga ingerida. 22. A metabolizao, ou seja, a eliminao da droga ingerida, geralmente feita pelo fgado, onde sero decompostas em subprodutos menos txicos. lcool Cocana Remdios 23. Sintomas comuns so: Problemas respiratrios e perda de conscincia. Dificuldade para respirar; Dificuldade para se movimentar; Dificuldade para falar (falar enrolado); Suores; Alucinaes; Pupilas dilatadas ou contradas; Paradas respiratrias e cardacas; Vmitos; 24. Deve-se sempre procurar servios mdico especializado, com profissionais preparados para esse tipo de atendimento, na rede hospitalar pblica ou privada. No se deve provocar vmito, o que em caso de overdose potencialmente prejudicial. 25. Se a vtima apresentar ausncia de respirao ou pulsao preciso aplicar imediatamente o processo de reanimao, desobstruindo a entrada e sada de ar, realizando a respirao artificial (boca a boca) e a massagem cardaca. 26. 27. AFOGAMENTO http://arquivo.rosana.unesp.br/docentes/vagner/atividades de ecoturismo/aulas - atividades de ecoturismo/primeiro socorros/pdf/afogamento.PDF CRISE CONVULSICA http://www.minhavida.com.br/saude/temas/convulsao http://pt.wikipedia.org/wiki/Convuls%C3%A3o http://www.saudeemmovimento.com.br/conteudos/conteudo_frame.asp?cod_noticia=494 OVERDOSE http://www.significados.com.br/overdose http://www.portaleducacao.com.br/enfermagem/artigos/49772/primeiros-socorros-overdose http://www.tuasaude.com/overdose/ 28. CINDI DARC ELEMIRIA ROCHA TAIANNY FATIMA GESKA MENDES PAULA FRANCIELE KATIA INCIO GSSICA SANTOS BRUNO CASSIMIRO 29.