AGU BRASIL N 53

  • View
    223

  • Download
    3

Embed Size (px)

DESCRIPTION

O Informativo AGU Brasil é uma publicação digital semanal voltada para o público interno.

Text of AGU BRASIL N 53

  • Proteja o meio ambiente, acesse a verso digital: issuu.com/agubrasil

    09/05/2016 N 53

    Sistema Conta monitora contratos da AGU

    BRASIL

    Servidores administrativos, ad-vogados e procuradores tm a sua disposio uma ferramenta para gesto de contratos. O Sis-tema Conta, como chamado o programa de gerenciamento, oferece autonomia e e cincia queles que administram con-tratos, e pode ser acessado na intranet da Advocacia-Geral da Unio (AGU) por meio do endereo http://conta.agu.gov.br. O sistema possui 569 docu-mentos ativos, o que representa 100% dos contratos rmados pela AGU.

    O servidor administrativo Heles Resende, da Diretoria de Planejamento, Oramento e Finanas (DPOF), o desen-

    volvedor e administrador do sistema. Segundo Heles, a ideia para a implementao do Sis-tema Conta surgiu a partir da de cincia dos controles utili-zados pelas unidades gestoras executoras. Comeamos pela avaliao e anlise dos contro-les utilizados pelas unidades responsveis pela gesto dos contratos nas superintendncias de administrao no mbito da AGU, conta o servidor.

    O Sistema Conta com-posto pelo Mdulo Gesto de Contratos e pelo Mdulo Fis-calizao. A consulta dos do-cumentos pode ser feita por meio de uma pesquisa rpida, ou atravs de buscas mais ela-boradas. Uma das possibilida-des a utilizao do nome do responsvel por cada contra-to. H tambm o ambiente de ocorrncias, em que so feitas noti caes que podero al-terar o valor do contrato (por exemplo, uma glosa). Esta rea mantida no Mdulo Fiscali-

    zao pelos scais e gestores. O Mdulo Gesto de Con-

    tratos traz um calendrio em que possvel acompanhar, diariamente, a data de trmino de cada contrato. O ambiente tambm disponibiliza uma re-lao dos contratos vencidos nos ltimos 30 dias e os que esto prximos data de ven-cimento.

    Padronizao na gesto contratual e acompanhamento das necessidades de cada con-trato so apenas alguns dos be-nefcios decorrentes da criao do sistema. Heles destacou que at mesmo as questes nan-ceiras e oramentrias foram aprimoradas com a implanta-o do Sistema Conta. O servi-dor apontou, tambm, o maior controle contratual. Com as ferramentas de aviso de ven-cimento por meio de e-mails dirios e mensais, reduzimos a probabilidade de vencer o con-trato antes dos trmites para sua renovao, explica.

    A primeira verso do siste-ma foi desenvolvida em julho de 2013 e disponibilizada em setembro do mesmo ano. Atu-almente, a AGU conta com a verso 2.5 do Sistema Conta e aguarda a verso 3.0, que ser lanada com a implementao do Mdulo Execuo. Este novo mdulo disponibilizar a informao da execuo -nanceira e oramentria, feita no Sistema Integrado de Ad-ministrao Financeira do Go-verno Federal (Sia ), de forma automtica e atualizada diaria-mente. Os responsveis tero acesso aos pagamentos efe-tuados s empresas e podero acompanhar o saldo dos con-tratos para atestar as notas cor-retamente, completa Heles.

    O Sistema Conta utiliza-do em sua totalidade por todas as unidades gestoras executo-ras da AGU, e atende os usu-rios que tiverem necessidade de acesso de informaes rela-cionadas a contratos.

    O sistema cobre 100% dos contratos da AGU e traz e cincia na gesto dos documentos

    Informativo semanal da Advocacia-Geral da Unio

    Foto: Renato Menezes

    Heles desenvolvedor e administrador do sistema

    Mdulos Gesto de ContratosA pgina inicial deste mdulo traz duas tabe-las. A primeira um calendrio que mostra o trmino de cada contrato e pode ser organi-zada de forma mensal, semanal ou diria. J a segunda tabela mostra os contratos que ven-ceram nos ltimos 30 dias, e os que esto se aproximando da data de vencimento.Os usurios dos setores de contratos alimen-tam as informaes disponveis nesse mdulo.

    Mdulo FiscalizaoA pgina inicial deste mdulo permite o acom-panhamento e monitoramento do contrato que for de interesse do usurio. Nele, tambm so registradas as ocorrncias. Os responsveis pe-los contratos alimen-tam informaes dis-ponveis nesse m-dulo.

    Como o sistema via web, ele per-mite que qual-quer servidor cadastrado, de qualquer regio

    do pas, tenha acesso aos dados

    e documentos rela-tivos contratao, ou seja, uma excelente ferramenta para aplicao do princpio da transparncia nas contrata-es pblicasPaulo de Tarso Bello Chefe da Diviso de Contratos SAD-DF

    De forma prtica, a ferramenta foi fun-damental para que a Secreta-ria-Geral de Ad-ministrao, de maneira rpida e

    e caz, atendesse aos decretos que

    estabeleceram a racio-nalizao de gastos nas con-trataes pblicas. Os dados existentes no Conta foram transformados em planilhas gerenciais para reviso do ob-jeto e valores, agilizando o es-tudo e a tomada de decisoSidnei Borges FidalgoCoordenador da CLOG-SG (DF)

    Como funciona?

    O Sistema Conta forma-do por dois mdulos (M-dulo Gesto de Contratos e Mdulo Fiscalizao) que armazenam todas as infor-maes relacionadas aos contratos. As informaes disponveis vo desde o incio at o m da vigncia do documento.

    O que voc achado Sistema Conta?

    De forma prtica, a ferramenta foi fun-damental para que a Secreta-

    ministrao, de maneira rpida e

    e caz, atendesse aos decretos que

    estabeleceram a racio-

    ADMINISTRAO

  • Qualidade dos alimentos, cri-se nanceira, sabor da comi-dinha caseira feita na prpria casa. Seja qual for o motivo, a verdade que muitas pessoas preferem preparar seu almoo e lev-lo para o trabalho a co-mer em restaurantes na rua. As marmitas esto em alta e so a escolha de vrios servidores da Advocacia-Geral da Unio (AGU).

    Esse o caso da advogada da Unio Keila Neri, da Pro-curadoria da Unio no estado do Cear (PU/CE). Para ela, a vantagem da comida feita em casa gira em torno do cuidado no preparo e na limpeza dos alimentos. Quando a comi-da feita em casa, o controle sobre o tipo e a quantidade de leo usado maior. Alm dis-so, voc se sente mais segura quanto procedncia e a higie-ne dos ingredientes, explica a advogada. Keila v, ainda, ou-tros benefcios com a escolha da marmita. Voc corre menos risco de sabotar a dieta levando

    uma fruta para comer depois da refeio, em vez de pedir aque-la sobremesa super calrica e difcil de resistir, exposta na vitrine do restaurante, a rma.

    A questo nanceira tam-bm pesa na hora de escolher entre a comida preparada em casa, e os almoos em restau-rantes. O servidor Helder fal-co, da Procuradoria-Regional Federal da 5 Regio (PRF5), buscou unir a alimentao mais saudvel com o oramento no m do ms. Comer fora est cando cada dia mais caro. Pre ro levar a comida de casa para o trabalho, pois posso equilibrar minha alimentao e economizar ao mesmo tempo,

    explica o servidor.A alimentao balanceada

    levada em conta pela tercei-rizada Amanda dos Santos, da Procuradoria Federal do Mato Grosso do Sul (PF/MS), que tem ajuda da me para preparar as refeies. Moro com meus pais e minha me me ajuda a cozinhar. Sempre estou va-riando o cardpio, mas o tra-dicional arroz com feijo no pode faltar. Busco comer pelo menos trs tipos de carnes dife-rentes na semana. Alm disso, a funcionria aproveita o mo-mento da refeio para intera-gir com os colegas no ambien-te de trabalho e se alimentar de maneira saudvel. Juntos,

    preparamos diversos tipos de saladas como acompanhamen-to, conta a funcionria.

    A terceirizada Jennifer Lorrane, que trabalha na Sede I (Distrito Federal), s v van-tagens na escolha da marmita. Para a funcionria, alm da economia, o sabor da comida caseira muito mais especial. Trago comida para o traba-lho quase todos os dias do ms. Alm do preo ter subido bastante, no como fora por enjoar rapidamente do modo de preparo e do tempero da comida nos estabelecimentos. Pre ro cozinhar em casa, pois adoro o gostinho de comida caseira, completa.

    Para a srie que homenageia o ms das mes, a AGU trata nesta semana das mes que tm trabalho e amor em dobro. Elas educam, do afeto e so vistas como referncia para lhos e netos. So companhei-ras e, indiretamente, mes. As avs so uma parte extensa e essencial em qualquer fam-lia. Zilda Rodrigues uma das avs da AGU que vive diaria-mente a rotina e a alegria de possuir este duplo papel.

    Especialista de nvel su-perior na biblioteca da Procu-radoria-Regional da Unio da 2 Regio (PRU2), Zilda tem 3 netos: Lorena (15), Daniel (8) e Giovanna, de apenas 3 me-ses. A servidora conta que ser av incrvel e que o incio dessa nova fase em sua vida, a princpio, foi um tanto quanto confuso. Sua lha mais nova tinha 14 anos quando teve a primognita Lorena. Para Zil-da, ver a primeira neta nascer foi uma sensao mpar. Parti-

    cipou de tudo desde o dia em que recebeu a notcia, das con-sultas e acompanhamentos at a sada da maternidade.

    Com duas lhas, Zilda sa-bia bem da vida como me, mas estava ansiosa para saber como era a vida no papel de av. Quando vi minha pri-meira neta quei estonteada. Fiquei fora do ar ao ver aque-la criana to pequenininha, e que precisaria muito de mim, revela. E assim aconteceu com Daniel e Giovanna. Pela se-

    gunda vez, ao saber que o neto da mesma lha seria menino, ela a rma que a sensao foi ainda melhor, pois viu a con-tinuidade da famlia, j que vi-vem no Brasil apenas ela, sua me e suas duas lhas.

    Agora, com a chegada da recm-nascida Giovanna, de sua lha mais velha, Zilda fala que a sensao foi de gratido. Sua lha havia perdido trs -lhos antes de Giovanna chegar. Para todos ns da famlia, isso foi uma grande vitria. No

    toa que minha pequena se cha-ma Giovanna Vitria, diz.

    A av participa da vida de seus netos constantemente. Leva Daniel na escola na maio-ria dos dias da semana e faz questo de cozinhar e almoar com eles aos sbados e domin-gos. Acompanha todo o desen-volver da recm-nascida. Com Daniel, participa das tarefas da escola e das brincadeiras edu-cativas. J com Lorena, a mais velha, gosta de conversar e dar conselhos de av para neta.

    Zilda e os