Click here to load reader

Aprovar Ano06 Livro01 High

  • View
    43

  • Download
    12

Embed Size (px)

Text of Aprovar Ano06 Livro01 High

  • AprovarVI_01.qxp 9/10/2009 09:45 Page 1

  • 2PALAVRA DA REITORA

    Caro Estudante,

    com imenso prazer que me reporto a voc, neste incio de maisuma edio do nosso Aprovar, pr-vestibular gratuito oferecidopelo Governo do Estado por meio da UEA, um projeto formatadopara oportunizar aos concluintes do Ensino Mdio e aos que jo concluram a chance da to sonhada vaga no ensino superior.

    A exemplo do que vem ocorrendo com a prpria universidade, quese consolidada como uma poltica pblica de educao superior ede apoio ao desenvolvimento do Estado, tambm o Aprovar seconfigura como importante instrumento de incluso social na medi-da em que amplia seu pblico-alvo com iniciativas como o Aprovarna Empresa e se volta para as prprias demandas internas, con-templando a formao de turmas no mbito dos rgos governa-mentais.

    Dessa forma, ao adequar-se ao calendrio escolar das redespblica e privada, outra nova caracterstica do projeto, o Aprovarpermite a participao de seus alunos em outros concursos,quer seja de universidades pblicas ou privadas, quer seja deoutras instituies. A modernizao e a adequao do projetovo ao encontro de uma nova realidade que se apresenta aosjovens diante da dinmica do mercado de trabalho e, ainda, aoesforo da UEA em atender s demandas impulsionadas pelasvocaes regionais.

    Uma moderna plataforma tecnolgica, aliada a ferramentas peda-ggicas poderosas, como a Internet, faz que o Aprovar extrapoleas fronteiras do Estado. Dessa forma, o curso j ajudou aconcretizar o sonho de mais de 3,5 mil alunos, que ingressaramna UEA depois de estudarem pela tev, pela rdio ou pelasapostilas distribudas gratuitamente em toda a rede estadual deensino e nos Postos de Atendimento ao Cidado da capital.

    A qualidade desse projeto pedaggico assegurada pelaexperincia e pela competncia dos seus professores e peloempenho dos profissionais que tornam possvel transmitir asaulas aos mais longnquos municpios do nosso Amazonas.

    essa equipe valorosa que vai acompanh-lo nos prximosmeses rumo ao vestibular, rumo ao seu futuro. Assista s aulas,acompanhe pela rdio e no deixe de buscar sua apostila numaescola ou unidade do PAC mais prxima de voc.

    Acrescente a essa frmula vitoriosa do Aprovar dois ingredien-tes, estes sob sua responsabilidade: disciplina e perseverana.

    Boa sorte!Marilene Corra da Silva Freitas

    Reitora da UEA

    ndice

    PORTUGUSAcentuao Grfica ..................................... Pg. 03(aula 01)

    LITERATURA Parnasianismo ............................................ Pg. 05(aula 02)

    HISTRIARenascimento cultural e cientifico............. Pg. 07(aula 03)

    HISTRIAEconomia colonial (Sec. XVI XVIII) ......... Pg. 09(aula 04)

    GEOGRAFIAMeio ambiente da Amaznia...................... Pg. 11(aula 05)

    GEOGRAFIAHidrografia ................................................. Pg. 13(aula 06)

    BIOLOGIAClassificao vegetal ................................. Pg. 15(aula 07)

    BIOLOGIACitologia ...................................................... Pg. 17(aula 08)

    QUMICA Agua ............................................................ Pg. 19(aula 09)

    FSICAEletrosttica Fora eltrica e campo eletrico..................................................................... Pg. 21(aula 10)

    Programao Aprovar 2009 ...................... Pg. 23

    Referncias bibliogrficas ........................ Pg. 24

    AprovarVI_01.qxp 9/10/2009 09:45 Page 2

  • 3Texto

    CANOCeclia Meireles

    Pus o meu sonho num navioe o navio em cima do mar; depois abri o mar com as mospara o meu sonho naufragar.

    Minhas mos ainda esto molhadasdo azul das ondas entreabertas,e a cor que escorre dos meus dedoscolore as areias desertas.

    O vento vem vindo de longe,a noite se curva de frio,debaixo da gua vai morrendomeu sonho, dentro de um navio...

    Chorarei quanto for preciso,para fazer com que o mar cresa,e o meu navio chegue ao fundoe o meu sonho desaparea.

    Depois, tudo estar perfeito:praia lisa, guas ordenadas,meus olhos secos como pedrase as minhas duas mos quebradas.

    Perscrutando o texto

    01. Para a poetisa, o mar a que se refere simboliza:a) Inquietao psquica provocada pelo mundo moderno.b) Total desapego s coisas espirituais.c) Toda a sua carga sentimental, sua essncia, sua alma enfim.d) O equivalente terra onde vive e de onde no quer sair.e) O lugar para onde iria, caso pudesse viajar.

    RESPOSTA: CCOMENTRIO:

    Para a poetisa, o mar simboliza o cu. Ela confia seus sentimentos maisntimos, a essncia do seu ser, seu prprio esprito ao mar. Sobressai,nesse poema, a ligao do eu potico com a gua.

    02. Na primeira estrofe, temos:a) A poetisa renunciando a tudo que se entende por material e

    prendendo-se exclusivamente ao mundo espiritual que, para ela, omar.

    b) Fuga do mundo dos vivos e mergulho no mundo da morte comosoluo para os problemas materiais.

    c) Descrena nas condies de vida delineadas na terra e mergulhodefinitivo na eternidade.

    d) Abnegao do mundo infantil e entrada completa no mundo dosadultos, que simboliza realidade.

    e) Renncia ao amor dos homens e incurso na vida celibatria.

    RESPOSTA: ACOMENTRIO: A maioria dos seres humanos confia seus anseios espirituais ao cu herana religiosa arraigada principalmente no mundo ocidental. Apoetisa troca o cu pelo mar, numa atitude que sugere retorno sorigens da vida.

    03. Na estrofe seguinte, sobressai qual figura de linguagem?Minhas mos ainda esto molhadasdo azul das ondas entreabertas,e a cor que escorre dos meus dedoscolore as areias desertas.

    a) hiprbato; b) hiprbole; c) anttese;d) metonmia; e) metfora.

    RESPOSTA: D

    COMENTRIO: Vamos rever a definio das figuras de linguagem listadas:a) hiprbato: inverso da ordem natural das palavras numa frase ou

    das oraes num perodo. Na literatura, o Barroco (movimento a quepertence Gregrio de Matos) famoso pelo uso abusivo dessa figurade linguagem.

    b) hiprbole: exagero ao expressar ideias.c) anttese: oposio de palavras ou de ideias. Mais uma figura comum

    na esttica barroca.d) metonmia: consiste em empregar uma palavra ou expresso para

    substituir outra palavra ou expresso, numa relao de troca(substituto e substitudo).Funo da metonmia uma das funes da metonmia encurtarum enunciado longo. Na prtica, ela economiza palavras e torna acomunicao mais direta. No poema, Ceclia Meireles troca a guapela cor da gua: Minhas mos ainda esto molhadas do azul dasondas entreabertas. Nos dois ltimos versos, tambm se notametonmia. Note que a autora troca novamente a gua pela cor dagua: E a cor que escorre dos meus dedos colore as areiasdesertas.

    e) metfora: consiste em empregar uma palavra fora do seu sentidonormal, estabelecendo uma comparao sutil entre duas coisas nemsempre afins. A frase no possui conjunes adverbiaiscomparativas (como, mais que, menos que, qual, etc), mas os seuselementos bsicos (o termo comparado e a expresso comparante)permitem uma comparao disfarada.

    04. Observe o primeiro verso da estrofe seguinte; note que a autoraescolhe palavras que se iniciam pela letra v: vento, vem,vindo. A essa sequncia de sons consonantais d-se o nomede:O vento vem vindo de longe,a noite se curva de frio,debaixo da gua vai morrendomeu sonho, dentro de um navio...

    a) sinestesia; b) catacrese; c) aliterao;d) metfora; e) anttese.

    RESPOSTA: CCOMENTRIO: A aliterao consiste em repetir, em sequncia, sons consonantais.Um dos poemas mais conhecidos pela presena de aliterao Violes que choram, do poeta simbolista Cruz e Sousa. Veja umaestrofe do poema:

    Vozes veladas, veludosas vozes,

    volpias dos violes, vozes veladas,

    vagam nos velhos vrtices velozes

    dos ventos, vivas, vs, vulcanizadas.

    05. Observe o segundo verso da estrofe seguinte; que figura delinguagem ele contm?O vento vem vindo de longe,a noite se curva de frio,debaixo da gua vai morrendomeu sonho, dentro de um navio...

    a) sinestesia; b) catacrese; c) aliterao;d) metfora; e) prosopopeia.

    RESPOSTA: ECOMENTRIO: A prosopopeia consiste em dar vida, ao, movimento e voz a coisasinanimadas. Sinnimos: personificao, metagoge, animismo.

    06. Observe a estrofe seguinte; note que a autora comea o terceiroe o quarto versos repetindo as palavras iniciais. Trata-se dafigura:Chorarei quanto for preciso,para fazer com que o mar cresa,e o meu navio chegue ao fundoe o meu sonho desaparea.

    a) anfora; b) catacrese; c) aliterao;d) metfora; e) prosopopeia.

    RESPOSTA: ACOMENTRIO: A anfora consiste na repetio de uma ou mais palavras no princpiode duas ou mais frases, de membros da mesma frase, ou de dois oumais versos. Sinnimo: epanfora.

    PortugusProfessor Joo BATISTA Gomes

    Aula 01

    AprovarVI_01.qxp 9/10/2009 09:45 Page 3

  • Acentuao grfica

    1. Para que serveA lngua escrita necessita, na prtica, de certos sinais auxiliares paraindicar a exata pronncia das palavras. Esses sinais acessrios da escritachamam-se notaes lxicas ou sinais diacrticos. Para o casoparticular de acentuao grfica, vamos dar valor especial ao acento(agudo e circunflexo).

    2. Sinais diacrticosa) Acento agudo (sado).b) Acento circunflexo (lvedo).c) Acento grave (quele).d) Til (ma).e) Apstrofo (Vozes dfrica).f) cedilha (exceo).g) hfen (sub-reitor).

    Ateno: o trema desapareceu com a Reforma Ortogrfica de 2009.

    3. Tipos de acentoA nossa lngua dispe de apenas trs acentos grficos:

    a) Acento agudo () Indica que a vogal tnica possui timbre aberto:

    rel sap refmharm alos am-labeij-la dvena gapeam-la-s beij-la-s lcali

    b) Acento circunflexo (^) Indica que a vogal tnica possui timbrefechado:

    mago azmola znitetxtil anm