Click here to load reader

Apontamentos Sobre Madeiras

  • View
    1.512

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Apontamentos Sobre Madeiras

Apontamentos sobre madeiras

MadeirasMadeira a matria fibrosa, de natureza celulsica, que constitui o tronco, os ramos e as razes das rvores, arbustos e demais tipos de plantas lenhosas. O tronco arbreo compe-se de duas pores fundamentais, uma viva e externa, o alburno, outra morta e interna, o cerne. Do ponto de vista prtico e comercial, porm, a madeira propriamente dita apenas o cerne, muito maisResinosas

procurado que o alburno, para os trabalhos de carpintaria e marcenaria, pela sua resistncia,

durabilidade e beleza. um material usado desde a Pr-Histria e proveniente das diferentes espcies de rvores das florestas e tambm das rvores de frutos. Pelas suasFolhosas

caractersticas de resistncia, durabilidade e pela facilidade em ser extrada e trabalhada, a madeira aplicada na construo civil, no fabrico de mobilirio, nos transportes, nas embalagens ou nos revestimentos e representa uma parcela importante na economia de alguns pases. De acordo com o clima e a natureza dos solos, assim existem rvores especficas de cada regio que nos fornecem madeiras diferentes e que podemos dividir em dois grandes grupos:

Resinosas ou conferas - so rvores que possuem resina e frutos em forma de cone ou pinha, so prprias dos climas frios e temperados, o seu fuste alto e as folhas compridas e estreitas, a madeira que nos fornecem caracterizada pela sua leveza e pela facilidade em serem

trabalhadas.

Autor: Ivo Jos Brilhante Cardoso

Pgina 1 de 14

Apontamentos sobre madeiras

Folhosas ou de folha caduca - so rvores prprias dos climas temperados e tropicais, atingem grande porte com tronco ovide, possuem folhas largas e nervuradas. Apresentam uma estrutura mais complexa do que as resinosas e fornecem-nos madeiras muito diversificadas, pois existem mais de mil e quinhentas variedades.

Constituio da rvore- Parte subterrnea ou raiz; - Parte exterior (compreende caule ou tronco, ramos, folhas e flores ou frutos) A rvore um ser vivo que precisa de respirar e captar, atravs da raiz, as substncias necessrias ao seu desenvolvimento em altura e em dimetro.

Estrutura da madeiraSe realizarmos um corte transversal num tronco de rvore, podemos facilmente observar que este formado por vrios anis circulares concntricos, que correspondem ao crescimento da rvore e que organizam a sua estrutura:

3 2.2 2.1 2 .

1. Casca - responsvel pela proteco do tronco, a sua parte exterior. 2. Lenho - a parte do tronco de onde se extrai a madeira, compreendida entre a casca e a medula, e divide-se em duas zonas: 2.1. Borne - a zona mais clara que transporta a seiva bruta das razes para as folhas. 2.2. Cerne - a parte mais escura da madeira e a que lhe d mais resistncia; 3. Medula - corresponde ao tecido mole e

Nota: No tronco da rvore podemos verificar que existem zonas circulares que se designam por anis de crescimento anual.

esponjoso na parte central do tronco.

Autor: Ivo Jos Brilhante Cardoso

Pgina 2 de 14

Apontamentos sobre madeiras

Corte das rvores ou abateO corte a operao que consiste em derrubar a rvore, sendo tambm designado por abate. O perodo mais favorvel ao corte das rvores entre os finais de Outubro e os finais de Janeiro. As madeiras so tratadas e transformadas em serraes, carpintarias e marcenarias e utilizam-se meios muito diversificados para o seu transporte, tais como, rios de corrente lenta, camionetas e barcos. O corte das rvores pode ser realizado manual ou mecanicamente. As ferramentas utilizadas no abate manual so o machado e a serra de arco ou o traador. No abate mecnico utilizada a moto-serra. Esta mquina porttil, muito utilizada, pode cortar com facilidade e rapidez troncos com mais de 1 metro de dimetro. Aps o derrube da rvore retiram-se os ramos e corta-se transversalmente o tronco em segmentos ou toros com 2,64 metros de comprimento Os toros com o dimetro inferior a 15 cm destinam-se indstria de aglomerados e ao fabrico da celulose. Os toros de dimetro superior a 15 cm so descascados e, com o auxlio de serras automticas, so serrados em tbuas, barrotes, ripas, etc., de acordo com o uso a que se destinam estes materiais.

O desfiamento dos toros

Autor: Ivo Jos Brilhante Cardoso

Pgina 3 de 14

Apontamentos sobre madeiras

SecagemA secagem da madeira consiste em extrair do seu interior o excesso de gua, de forma a poder ser utilizada nas suas diversas aplicaes. A evaporao da gua leva a madeira a contrair-se, isto , a diminuir de volume; a velocidade de secagem deve, portanto, ser adequada aos diferentes tipos de madeira, de forma a evitar danos prejudiciais, como a fendilhagem ou o empeno. Retraco - a madeira retrai quando seca. Entumecimento - a madeira incha quando absorve humidade.

A secagem da madeira pode ser:

Natural - permite secar a madeira sobrepondo as peas umas sobre as outras de modo a permitir um arejamento uniforme. Este processo moroso, exige grandes espaos e imobiliza grandes quantidades de madeira. A secagem natural permite secar a madeira at uma humidade mnima de 12%. Abaixo dos 20% de humidade a madeira resiste s podrides. Na secagem natural expe-se a madeira ao ar em recintos cobertos ou simplesmente a cu aberto. Esta colocada em pilhas bem acondicionadas de forma a permitirSecagem natural

uma boa ventilao.

Artificial - a secagem artificial, feita atravs de estufas prprias, permite aumentar a velocidade da secagem da madeira ao mesmo tempo que a protege dos fungos e insectos prejudiciais. Exige instalaes caras, torna a madeira menos flexvel e escurece o seu tom.

Secagem artificial

Autor: Ivo Jos Brilhante Cardoso

Pgina 4 de 14

Apontamentos sobre madeiras

A secagem artificial pode ser feita por vrios processos:

- Por ar condicionado (em estufa ou tnel); - Por raios infravermelhos; - Por vcuo.

A secagem por ar condicionado (a mais usada) pode ser feita em secadores de funcionamento contnuo, onde a madeira se desloca ao longo de um tnel, ou colocada em cmaras fechadas (estufas). Os processos artificiais proporcionam uma economia de custos em termos temporais em relao secagem natural.

Propriedades da madeiraA madeira um material muito heterogneo, isto , as suas propriedades variam muito de espcie para espcie. e tambm dentro da mesma espcie. No quadro seguinte podemos ver as propriedades fsicas mais importantes que caracterizam a madeira.

Autor: Ivo Jos Brilhante Cardoso

Pgina 5 de 14

Apontamentos sobre madeiras

Propriedades mecnicasPropriedades mecnicas so aquelas que nos fornecem indicaes sobre a resistncia das madeiras quando submetidas a foras.

Autor: Ivo Jos Brilhante Cardoso

Pgina 6 de 14

Apontamentos sobre madeiras

Tipo de madeiras

Autor: Ivo Jos Brilhante Cardoso

Pgina 7 de 14

Apontamentos sobre madeiras

Produtos derivados da madeiraO crescimento do mercado com a necessidade de aplicaes da madeira em situaes especficas, o aproveitamento de madeira e a rentabilidade de custos fizeram com que a indstria da madeira criasse alternativas produzindo derivados. Para alm das variadas espcies de madeiras fabricam-se vrios tipos de materiais que so produzidos a partir dos ramos e toros de pequeno dimetro, assim como dos desperdcios e aparas provenientes da madeira. Estes derivados da madeira pretendem satisfazer as exigncias colocadas pela fabricao de mobilirio e, ao mesmo tempo, reduzir os seus custos de produo.

Encontram-se hoje diferentes produtos derivados da madeira, dos quais destacamos: - aglomerados; - carto prensado; - contraplacados; - folheados.

a) Aglomerados

So fabricados a partir dos elementos fibrosos de desperdcio de madeira, de pequenas rvores e ramos provenientes de abates florestais, aparas de serrao, etc. Com a ajuda de mquinas desfibradoras, estes materiais so reduzidos a pequenas partculas, s quais eliminada toda a humidade atravs de secadores rotativos. Estes elementos so

posteriormente aglomerados entre si atravs de colas, resinas e produtos endurecedores e

seguidamente prensados a uma temperatura de 200C, a uma presso de duzentas toneladas, dandolhes resistncia e forma final. Estas placas podem ainda ser revestidas a folha de madeira. Dadas as suas qualidades de resistnciaAutor: Ivo Jos Brilhante Cardoso Pgina 8 de 14

Apontamentos sobre madeiras

e

durabilidade,

so

bastante

aplicadas

no

revestimento de tectos, paredes, divisrias e no fabrico de mobilirio. Existe ainda aglomerado de cortia fabricado com os desperdcios resultantes da indstria corticeira. Este aglomerado bastante utilizado para fins decorativos, palmilhas de sapatos, anilhas ou rolhas, isolantes trmicos ou acsticos. A cortia a casca do sobreiro, rvore que predomina no Sul do pas; um material de grande valor, sendo Portugal o maior produtor mundial.

b) Carto prensado (tipo pltex)

O carto prensado tambm um aglomerado, que resulta da ligao das fibras celulsicas, cujas propriedades adesivas e de empastelamento, com resinas sintticas, permitem uma boa ligao entre si. Existe no mercado em placas, normalmente de cor castanha, que possuem uma face lisa e outra rugosa, com variedades compactas ou perfuradas. Apesar da sua fraca durabilidade, aplicado em revestimentos ou em mobilirio econmico.

c) Contraplacados

So painis constitudos por diversas folhas de madeira natural, obtidas por desenrolamento, e coladas entre si em nmero mpar, sobrepostas umas s outras de forma alternada, com o fio cruzado e prensadas em prensas especiais. As placas de contraplacado caracterizam-se pela sua grande resistncia s deformaes ou aos empenos, devido disposio cruzada das fibras das suas diferentes camadas. Estas placas so fcei

Search related