of 16 /16
ARCADISMO / NEOCLASSICISM O

Arcadismo em portugal

Embed Size (px)

Text of Arcadismo em portugal

Apresentao do PowerPoint

ARCADISMO / NEOCLASSICISMO

PORTUGAL

INICIO: 1756 Fundao da Arcdia Lusitana

TRMINO: 1825 Incio do Romantismo

ARCADISMO

Movimento de rebeldia contra os exageros do Barroco; Se contrape ao Barroco, movimento literrio ligado ao conflito, a confuso, ao choque; O Arcadismo busca uma vida mais simples amena, ao natural, campestre;

ARCADISMO

O NOME ARCADISMO, UMA REFERNCIA ARCDIA, REGIO CAMPESTRE DO PELOPONESO, NA GRCIA ANTIGA, TIDA COMO IDEAL NA INSPIRAO POTICA.

CONTEXTO HISTRICO(MUNDO)

ILUMISNISMO (SC. DAS LUZES) REVOLUO FRANCESA (1789) REVOLUO INDUSTRIAL INDEPENDNCIA AMERICANA (1776)

O ILUMISNISMO O Iluminismo determinado pela revoluo intelectual ocasionada por volta dos sculos XVII e XVIII, o qual trazia como lema: liberdade, igualdade e fraternidade, o que influenciou os pensamentos artsticos da poca na Europa, e principalmente, a Revoluo Francesa, a independncia das colnias inglesas da Amrica, e no Brasil, a Inconfidncia Mineira.

PENSAMENTOS DA POCA Iluminismo prope o uso da razo como meio para satisfazer as necessidades do homem. Laicismo Estado e Igreja devem ser independentes, e as funes do Estado, como a poltica, a economia, a educao, exercidas por leigos. Empirismo corrente filosfica que atribui experincia sensvel a origem de todo conhecimento humano. Liberalismo ideologia poltica que defende os sistemas representativos, os direitos civis e a igualdade de oportunidades para os cidados.

CONTEXTO HISTRICO(Portugal) Primeira metade do sculo O reinado de D. Joo V vive as grandes riquezas do ciclo do ouro de Minas Gerais; Desperdcio, obras monumentais; Manuteno da Inquisio; Influncia aristocrtica e clerical; Monarquia absolutista;A partir de 1750Marqus de Pombal, expulsa os jesutas dos domnios portugueses. O que acelera a marginalizao do clero, e estabelece o fim da influncia e do ensino jesutico;

CARACTERSTICAS DO ARCADISMO Busca da Simplicidade; Imitao da Natureza; Imitao dos Clssicos; Ausncia de Subjetividade; Amor Galante; Bucolismo; Pastoralismo;

Expresses em LatimAlguns termos do latim aparecem, como: Locus amoenus: lugar agradvel, lugar ameno; Fugere urbem: fugir da cidade; Carpe Diem: aproveitar o dia, colher o dia; Aurea mediocritas: mediania de ouro, situao de equilbrio; Inutilia truncat: truncar o intil;

CARACTERSTICAS QUANTO A FORMA Vocabulrio Simples; Frases em ordem direta; Ausncia quase total das figuras de linguagem; Manuteno do verso decasslabo, do soneto e de outras formas clssicas;

princIpAl AutORMANUEL MARIA BARBOSA DU BOCAGE

BOCAGE

BOCAGEPseudnimo: Elmano Sadino Foi na lrica, em especial nos sonetos, que o autor atingiu o ponto alto de sua obra, embora tambm tenha se destacado como poeta satrico e ertico.

Bocage considerado o melhor escritor do sculo XVIII e, ao lado de Cames e de Antero de Quental, um dos maiores sonetistas da literatura portuguesa.

A obra de Bocage, em sua totalidade , no rcade nem romntica: uma obra de transio , que apresenta simultaneamente os dois movimentos literrios, por isso sua obra dividida em duas fases: Arcdica e Pr-romntica.

Arcdica poesia convencional, presa aos lugares-comuns do Arcadismo;

Pr-romntica poesia de tom confessional e extremamente pessimista;

TEMAS DA POESIA PR-ROMNTICA DE BOCAGE

O amor deixa de ser expresso pelos suaves idlios campestres; O desespero amoroso; Na ltima fase da sua vida, frequente, e quase obsessivo, o tema do arrependimento, chegando a renegar seus versos satricos e pornogrficos;

PROF: ANDRIA PEIXOTO LICENCIADA EM LETRAS VERNCULAS/PS-GRADUADA EM LITERATURA