Prova Geral 2012 Coreme

  • View
    47

  • Download
    2

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Prova Residência Médica Coreme

Text of Prova Geral 2012 Coreme

  • COREME - UNITAU 2012

    1

    Esta prova tem durao de 4 horas e constituda de 80 questes objetivas para as seguintes reas:

    Cirurgia Geral Clnica Mdica Obstetrcia e Ginecologia Pediatria Medicina Preventiva e Social

    Na folha de respostas dos testes, assinale apenas uma alternativa, usando lpis preto n 2 e preenchendo com cuidado o alvolo correspondente. No rasure ou amasse a folha de respostas nem a utilize para qualquer outra finalidade. Ser anulada a questo em que for assinalada mais de uma alternativa ou que estiver totalmente em branco.

    Utilize, para rascunhos, qualquer espao disponvel no caderno de questes.

    Aps o trmino da prova, devolva ao fiscal de sala todo o material que voc recebeu, devidamente identificado nos locais adequados.

    No ser permitido ao candidato retirar-se da sala antes de decorrida uma hora e meia do incio das provas, salvo em caso de extrema necessidade.

    Mantenha sua cdula de identidade sobre a carteira.

    Atenda s determinaes do fiscal de sala. BOA PROVA!

    Leia com ateno

    Cirurgia Geral

    Clnica Mdica

    Obstetrcia e Ginecologia

    Pediatria

    Medicina Preventiva e Social

    Concurso de Residncia Mdica - 2012

  • COREME - UNITAU 2012

    2

    1 A doena de Crohn (DC) e a Retocolite Ulcerativa (RCU) so as principais doenas inflamatrias intestinais. So causadas pela interao de fatores genticos, microbiota intestinal e imunorregulao da mucosa. Em relao abordagem cirrgica eletiva em pacientes que sofrem de RCU, so indicaes, EXCETO:

    a) atraso no crescimento em crianas. b) manifestaes intestinais (pioderma gangrenoso). c) presena de displasia de alto grau. d) presena de adenocarcinoma no segmento colorretal. e) megaclon txico.

    2 A doena hemorroidria baseada no plexo hemorroidrio acometido pode ser classificada em interna, externa e mista. Quando os sintomas so decorrentes de dilataes vasculares localizadas acima da linha pectnea, no plexo hemorroidrio superior, so denominadas de hemorridas internas. Quando apresentam prolapso durante o esforo evacuatrio, com ou sem sangramento, mas requerem reduo manual, so classificadas como:

    a) hemorridas de 1 grau. b) hemorridas de 2 grau. c) hemorridas de 3 grau. d) hemorridas de 4 grau. e) hemorridas mistas.

    3 O cncer colorretal hereditrio no polipoide (hereditary non-polypoid colorectal cncer HNPCC) uma das sndromes mais comuns de predisposio ao cncer (10 a 12% dos pacientes com cncer colorretal so portadores da sndrome). Assinale a afirmativa INCORRETA.

    a) Acometendo exclusivamente o clon e/ou reto, chamada de sndrome de Lynch 1. b) Associada a neoplasia extracolnica, como estmago, intestino delgado, endomtrio,

    pncreas, via urinria (principalmente tumor de clulas transicionais da pelve renal e ureter) e biliar, chamada de sndrome de Lynch 2.

    c) Os portadores da sndrome nascem com uma mutao germinativa em um dos alelos dos genes hMSH2, hMLH1, hPMS1 e hPMS2, gens responsveis pelo reparo do DNA.

    d) A doena espordica e pode ter transmisso autossmica recessiva. Os indivduos afetados apresentam maior risco de cncer, principalmente de clon ascendente.

    e) Apesar da ausncia de polipose, observam-se, em 20% dos indivduos portadores da sndrome de Lynch, adenomas colnicos, de localizao preferencial direita.

    Cirurgia Geral

  • COREME - UNITAU 2012

    3

    4 Os tumores estromais do aparelho digestrio (GIST) fazem parte de um grupo especfico de tumores de origem no epitelial, que tem origem na camada muscular da parede do trato gastrointestinal. Dentre as alternativas abaixo, assinale a INCORRETA.

    a) A origem desses tumores indiferenciados pode estar na clula intersticial de Cajal, conhecida como o marca-passo intestinal do plexo mioentrico, responsvel pela gerao do estmulo nervoso que controla a motilidade intestinal.

    b) Quando localizado no estmago, o stio de localizao mais frequente o tero mdio, seguido do proximal, e menos frequente no distal.

    c) A ecoendoscopia ou ultrassonografia endoscpica permite determinar a camada de origem da leso: leses originrias na camada muscular da mucosa (plexo mioentrico) do rgo acometido so altamente sugestivas de tumor estromal.

    d) O diagnstico definitivo do tumor estromal s pode ser definido por estudo histolgico e imuno-histoqumico, por meio de bipsias das leses ou do estudo das peas resultantes de resseco cirrgica.

    e) O CD117 ou c-Kit considerado o marcador mais importante para o estudo dos tumores estromais gastrointestinais.

    5 Qual o melhor parmetro para avaliao da eficincia da reposio volmica em um grande queimado?

    a) Presso venosa central (PVC). b) Frequncia cardaca. c) Dbito urinrio. d) Presso arterial. e) Nvel de conscincia.

    6 Assinale a alternativa INCORRETA.

    a) O diagnstico de obstruo intestinal no recm-nascido geralmente feito pela radiografia simples de abdome.

    b) A gastrosquise pode ser tratada conservadoramente, por no haver exposio das alas intestinais.

    c) O polidrmnio materno um dos sinais de suspeita de m formao do tubo digestivo do recm-nascido.

    d) O sinal da dupla bolha caracterstico de obstruo duodenal. e) Na doena de Hirschsprung, uma das possveis causas de obstruo intestinal no perodo

    neonatal.

  • COREME - UNITAU 2012

    4

    7 Paciente do sexo feminino, 65 anos, com ndulo na tireoide identificado em exame fsico, com 2,0 cm de dimetro, endurecido, em lobo esquerdo. Realizada ultras-sonografia da glndula tireoide, caracterizando ndulo slido de 2,0 cm em lobo esquerdo e ndulo de 1 cm no lobo direito, e com laudo final de "Bcio Multinodular". A melhor conduta seria:

    a) observao clnica. b) tratamento com tiroxina em doses supressivas. c) tomografia computadorizada para confirmar multinodularidade. d) exame citolgico de material obtido por puno bipsia aspirativa por agulha fina. e) radioiodoterapia.

    8 Homem de 40 anos com quadro agudo de dor sbita no epigstrio e irradiao para todo o abdome h seis horas, vmitos claros no incio e parada da eliminao de gases. No exame fsico, com contratura abdominal e com sinais de irritao peritoneal em todo o abdome. O exame complementar inicial a ser realizado ser:

    a) RX de trax e abdome. b) Hemograma completo. c) Urina. d) Ultrassonografia de abdome total. e) Tomografia computadorizada de abdome total.

    9 Na pancreatite aguda, qual a melhor conduta, em relao alimentao?

    a) Jejum por 72 horas. b) Dieta parenteral. c) Dieta por jejunostomia. d) Dieta por gastrostomia. e) Dieta enteral precoce.

    10 Na cirurgia baritrica tipo Fobi-Capella, vrios mecanismos esto envolvidos na resoluo do diabetes, EXCETO:

    a) restrio calrica. b) aumento da grelina. c) aumento de GLP1 (glucacon like peptdeo). d) melhora da sensibilidade insulina. e) reduo da gordura visceral.

  • COREME - UNITAU 2012

    5

    11 Paciente de 70 anos, fumante, com queixas de pirose epigstrica intermitente h 10 anos; diabtico e hipertenso. Endoscopia EED: leso de 5 mm, irregular no esfago distal com restante da mucosa esofgica normal, crdia incontinente e sem hrnia hiatal; pangastrite leve e H. pylori negativo. Antomo-patolgico da leso esofgica: carcinoma espinocelular superficial. Ecoendoscopia: leso restrita mucosa. Tomografia Computadorizada de Trax e Abdome normal. Conduta:

    a) Esofagectomia subtotal trans-hiatal e esofagastroplastia. b) Esofagectomia distal com anastomose esofagogstrica. c) Radioterapia. d) Esofagectomia subtotal em trs campos e esofagogastroplastia. e) Ablao endoscpica e confirmao anatomopatolgica.

    12 Paciente com 72 anos, internado na Unidade de Terapia Intensiva, em tratamento de broncopneumonia, sob ventilao mecnica. H 30 minutos foi submetido passagem de catter venoso central em veia subclvia direita. Evoluindo com hipotenso, turgncia jugular e com saturao de oxignio de 70%. Qual ser provavelmente a melhor conduta?

    a) Iniciar noradrenalina. b) Colher gasometria arterial para otimizar os parmetros ventilatrios. c) Realizar imediatamente radiografia do trax. d) Puncionar o hemitrax direito no segundo espao intercostal. e) Trocar a cnula de intubao.

    13 Mulher de 50 anos com dor epigstrica aguda e, depois, mantida na localizao de hipocndrio direito (HCD) e irradiao para regio toracolombar D h dois dias; alguns episdios de vmitos biliosos; sem febre. Ao exame fsico: bom estado geral; IMC-30; corada; anictrica; afebril; abdome levemente globoso por obesidade, defesa no HCD, DB negativo e sem visceromegalias. Ultrassonografia de abdome superior revelou: vescula biliar com parede espessa e delaminada, e um clculo de 1,5 cm fixo no infundbulo; hepatocoldoco com 4 mm. Sem comorbidades. O local do atendimento um hospital com boas condies de equipamentos e recursos humanos. A conduta mais adequada, nessas circunstncias, seria:

    a) internao hospitalar para tratamento clnico com antibitico, para esfriar o processo. b) tratamento domiciliar. c) indicao emergencial de colecistectomia por laparotomia. d) tratamento endoscpico. e) indicao de colecistectomia videolaparoscpica.

  • COREME - UNITAU 2012

    6

    14 Homem de 50 anos com quadro de pirose retroesternal e regurgitao leve h 10 anos, com perodos de sintomatologia irregulares e uso intermitente de IBP. H um ano houve agravamento do quadro clnico, com episdios de odinofagia e piora da pirose retroesternal. Na endoscopia EED de um ms, verificou-se: hrnia hiatal de 3 cm com eroses esparsas no tero distal do esfago e Barrett de 2 cm; BEG, corado, IMC-25 e sem comorbidades. Conduta:

    a) Trocar o IBP. b) Aumentar a dose do IBP e acrescentar um euci