NCE/16/00136 — Decis£o de apresenta§£o de pronncia - Novo ... Economia Monetria e Financeira

  • View
    214

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of NCE/16/00136 — Decis£o de apresenta§£o de pronncia - Novo ......

  • NCE/16/00136 Deciso de apresentao de pronncia - Novo ciclo de estudos

    NCE/16/00136 Deciso de apresentao depronncia - Novo ciclo de estudosDeciso de Apresentao de Pronncia ao Relatrio daComisso de Avaliao Externa1. Tendo recebido o Relatrio de Avaliao/Acreditao elaborado pela Comisso de AvaliaoExterna relativamente ao novo ciclo de estudos Licenciatura em Gesto2. conferente do grau de Licenciado3. a ser lecionado na(s) Unidade(s) Orgnica(s) (faculdade, escola, instituto, etc.)Escola Superior De Tecnologia E Gesto De Oliveira Do Hospital4. a(s) Instituio(es) de Ensino Superior / Entidade(s) Instituidora(s)Instituto Politcnico De Coimbra5. decide: Apresentar pronncia6. Pronncia (Portugus):Exmos SenhoresJunto se anexa deciso de pronuncia relativa ao NCE/16/00136.7. Pronncia (Portugus e Ingls, PDF, mx. 150kB): (impresso na pgina seguinte)

    pg. 1 de 1

  • Anexos

  • Pronncia ao relatrio preliminar elaborado pela Comisso de Avaliao Externa

    Processo n. NCE/ 16/ 00136 | Licenciatura em Gesto

    A Comisso de Avaliao Externa (CAE) recomendou que o ciclo de estudos conducente ao grau de licenciado

    em Gesto, proposto pela Escola Superior de Tecnologia e Gesto de Oliveira do Hospital, deve ser acreditado

    condicionalmente, devendo ser resolvidas no imediato as seguintes debilidades:

    1. A est rutura curricular e plano de estudos existem, mas no so adequados.

    2. Na est rutura das UCs, uma grande parte possui as referncias desatualizadas

    3. Nos contedos das UCs verificam-se algumas sobreposies, como por exemplo entre as UCs de Economia

    da Empresa e M icroeconomia e,

    4. A UC de Comportamento Organizacional e Gesto de Recursos Humanos est desequilibrada quanto aos

    contedos apresentados (no so apresentados contedos de Comportamento Organizacional).

    Tendo em vista a resoluo das debilidades acima ident ificadas, prope-se o seguinte:

    1. Alterao da est rutura curricular e plano de estudos, eliminando as 2 variantes inicialmente previstas (cf.

    anexo 1);

    2. Atualizao da bibliografia das unidades curriculares, a qual agora const ituda por 90% (206 em 230) de

    referncias com menos de 5 anos (cf. anexo 2);

    3. Eliminao da sobreposio dos contedos das UCs de Economia da Empresa e de M icroeconomia (cf.

    anexo 3);

    4. Reformulao dos contedos da UC de Comportamento Organizacional e Gesto de Recursos Humanos,

    incluindo contedos de Comportamento Organizacional (cf. anexo 4).

    A CAE fundamentou tambm a sua recomendao nas seguintes debilidades:

    5. As publicaes cient ficas do pessoal docente afeto ao NCE, na rea predominante, em revistas

    internacionais com reviso por pares nos lt imos cinco anos, escassa (26) e encontra-se concentrada num

    nmero limitado de docentes

    6. Ausncia de at ividades cient ficas, tecnolgicas, culturais e art st icas desenvolvidas na rea do NCE e

    integradas em projetos e/ ou parcerias nacionais e internacionais

    7. Ausncia de at ividades de desenvolvimento tecnolgico, prestao de servios comunidade e formao

    avanada.

    Em relao aos pontos anteriores, importante referir que no se t ratam de requisitos essenciais para que

    um estabelecimento de ensino possa at ribuir o grau de licenciado. De facto, o n. 2 do art igo 6. do Decreto-

    Lei n. 107/ 2008, estabelece que O grau de licenciado numa determinada rea de formao s pode ser

    conferido pelos estabelecimentos de ensino superior que: a) Disponham de um corpo docente prprio,

    qualificado na rea em causa e adequado em nmero, cuja maioria seja const ituda por t itulares do grau de

    doutor ou especialistas de reconhecida experincia e competncia profissional; b) Disponham dos recursos

    humanos e materiais indispensveis a garant ir o nvel e a qualidade da formao adquirida . Ora, como

    reconhecido no relatrio preliminar da CAE, estes requisitos so cumpridos na proposta de criao do novo

    ciclo de estudos em anlise.

    Adicionalmente aos requisitos at rs referidos, o art igo 16. do mesmo diploma estabelece que o grau de

    mestre numa determinada especialidade s pode ser at ribudo pelos estabelecimentos de ensino superior

  • que, nas reas cient ficas integrantes da formao a ele conducente Desenvolvam act ividade reconhecida

    de formao e invest igao ou de desenvolvimento de natureza profissional de alto nvel . precisamente a

    estas at ividades que se referem os pontos 5 a 7 do relatrio da CAE.

    Embora se t rate de requisitos no essenciais at ribuio do grau de licenciado, importante referir que:

    - Em relao ao ponto 5, a ESTGOH assume o compromisso de fomentar a produo cient fica dos docentes

    afetos ao NCE, em art iculao com a est ratgia de desenvolvimento cient fico do Inst ituto Politcnico de

    Coimbra, designadamente do seu Inst ituto de Invest igao Aplicada. Pelo volume de t rabalhos publicados

    em conferncias internacionais, possvel perspet ivar que, a mdio prazo, o nmero de publicaes em

    revistas internacionais venha a crescer significat ivamente;

    - Em relao ao ponto 6, o pedido de criao do NCE indica at ividades cient ficas, tecnolgicas, culturais e

    art st icas desenvolvidas na rea do NCE e integradas em projetos e/ ou parcerias nacionais e internacionais,

    das quais se podem destacar as desenvolvidas no mbito da BLC3, sediada em Oliveira do Hospital, e a

    part icipao nos projetos Erasmus+, Erasmus M undos, redes temt icas e na Prime-Networking;

    - Em relao ao ponto 7, o pedido de criao do NCE indica at ividades de desenvolvimento tecnolgico,

    prestao de servios comunidade e formao avanada, designadamente os projetos, estgios e

    dissertaes desenvolvidos pelos alunos da ESTGOH em colaborao com o tecido econmico, os projetos

    de desenvolvimento tecnolgico realizados em parceria com a BLC3, os projetos de invest igao aplicada

    desenvolvidos pelos seus docentes nos centros de invest igao em que part icipam e, ao nvel da formao

    avanada, a oferta de ps-graduaes em Finanas Empresariais e em Gesto da At ividade Imobiliria, de um

    programa de M BA e de mestrados em Gesto de Negcios, M arket ing e Comunicao e Comrcio Elet rnico.

    Acresce referir que, no ano let ivo anterior, a ESTGOH mereceu a acreditao (sem condies) do ciclo de

    estudos conducente ao grau de mestre em Gesto de Negcios, j em funcionamento no presente ano let ivo,

    no tendo os pontos anteriores merecido qualquer reparo por parte da respet iva CAE. No que respeita a

    at ividades de formao e de invest igao, assinalou a referida CAE que So indicados Centros de

    Invest igao (com a classificao de bom e excelente) - UNIDE, CIDM A e CEISUC. O nmero de publicaes do

    corpo docente superior a 30 referncias. A Inst ituio possui acordos de cooperao inter-inst itucional. de

    destacar a Plataforma para o Desenvolvimento da Regio Centro (BLC3), que uma rede com 55 ent idades

    de 9 pases. Adicionalmente a Inst ituio tem acordos de mobilidade Socrates/ Erasmus com inst ituies de

    ensino superior de 15 pases e part icipa, desde 2004, no Euroweek , tendo assinalado como pontos fortes

    Art iculao com a regio, nmero de publicaes e internacionalizao . Relat ivamente at ividades de

    desenvolvimento tecnolgico, prestao de servios comunidade e formao avanada, a referida CAE

    indicou que A Inst ituio tem experincia na ligao comunidade e part icipa no projecto Poliempreende.

    A Inst ituio tem experincia no desenvolvimento de vrios ciclos de estudos - CET, CTeSP, Ps-Graduao em

    Finanas Empresariais e Gesto da Act ividade Imobiliria. Tendo presente este quadro, o ciclo de estudo

    proposto visa assegurar a adequao de novos desafios do conhecimento, da inovao cient fica, do mercado

    de t rabalho e da gesto e administ rao de negcios .

    Face ao exposto, solicita-se que a recomendao da CAE seja a de que o ciclo de estudos deve ser acreditado.

  • LICENCIATURA EM GESTO

    rea cient fica predominante do ciclo de estudosCincias Econmicas e Empresariais

    340 - Cincias Empresariais

    Estrutura curricular

    Obrigatrios Optat ivos

    Cincias Econmicas e Empresariais /

    Economic and Business SciencesCEE / EBS 120 12 a 18

    M todos Quant itat ivos / Quant itat ive

    M ethodsM Q / QM 18

    Direito / Law D / L 12 0 a 6

    Cincias Informt icas / Computer Sciences CI / CS 12

    162 18

    Plano de estudos

    1. ano - 1. semest re

    Total Contacto

    Int roduo Contabilidade / Int roduct ion

    to Account ingCEE / EBS

    Semestral/

    Semiannual162 TP - 56 6

    Obrigatria /

    Compulsory

    Int roduo Gesto / Int roduct ion to

    M anagementCEE / EBS

    Semestral/

    Semiannual162 TP - 56 6

    Obrigatria /

    Compulsory

    M acroeconomia / M acroeconomics CEE / EBSSemestral/

    Semiannual162 TP - 56 6

    Obrigatria /

    Compulsory

    M atemt ica / M athemat ics M Q / QMSemestral/

    Semiannual162 TP - 56 6

    Obrigatria /

    Compulsory

    Tecnologias de Informao / Informat ion

    TechnologiesCI / CS

    Semestral/

    Semiannual162 TP - 56 6

    Obrigatria /

    Compulsory

    1. ano - 2. semest re

    Total Contacto

    Clculo e Inst rumentos Financeiros /

    Financial Calculus and Inst rumentsCEE / EBS

    Semestral/

    Semiannual162 TP - 56 6

    Obrigatria /

    Compulsory

    Contabilidade Financeira / Financial

    Account ingCEE / EBS

    Semestral/

    Semiannual162 TP - 56 6

    Obrigatria /

    Compulsory

    M arket ing I / M arket ing I CEE / EBSSemestral/

    Semiannual162 TP - 56 6

    Obrig