CARACTER£†STICAS ECOFISIOL£â€œGICAS E CRESCIMENTO DE ... Cristina Pires d¢  KAREN CRISTINA PIRES DA COSTA

  • View
    0

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of CARACTER£†STICAS ECOFISIOL£â€œGICAS E CRESCIMENTO DE ......

  • Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação - MCTI

    Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - INPA

    Programa de Pós-Graduação em Ciências de Florestas Tropicais - PPG-CFT

    CARACTERÍSTICAS ECOFISIOLÓGICAS E CRESCIMENTO

    DE Bertholletia excelsa Bonpl. EM PLANTIO FLORESTAL

    SUBMETIDO AO DESBASTE

    KAREN CRISTINA PIRES DA COSTA

    Manaus – AM

    Março, 2015

  • KAREN CRISTINA PIRES DA COSTA

    CARACTERÍSTICAS ECOFISIOLÓGICAS E CRESCIMENTO

    DE Bertholletia excelsa Bonpl. EM PLANTIO FLORESTAL

    SUBMETIDO AO DESBASTE

    Orientador: Dr. José Francisco de Carvalho Gonçalves

    Coorientador: Dr. Marciel José Ferreira

    Manaus – AM

    Março, 2015

    Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Ciências de Florestas Tropicais do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (MCTI-INPA) como parte dos requisitos para a obtenção do título de Mestre em Ciências de Florestas Tropicais, área de concentração Silvicultura Tropical.

  • C837 Costa, Karen Cristina Pires da

    Características ecofisiológicas e crescimento de Bertholletia excelsa Bonpl.

    em plantio florestal submetido ao desbaste / Karen Cristina Pires da Costa. ---

    Manaus: [sem editor.], 2018.

    99 f.: il.

    Dissertação (Mestrado) --- INPA, Manaus, 2018.

    Orientador: José Francisco de Carvalho Gonçalves.

    Coorientador: Marciel José Ferreira.

    Programa: Ciências de Florestas Tropicais.

    1.Silvicultura . 2. Castanheira-da-amazônia. 3. Fluorescência da

    clorofila a. I. Título.

    CDD 634.575

    Sinopse:

    Os efeitos do desbaste sobre o crescimento e as características ecofisiológicas de um

    plantio de Bertholletia excelsa Bonpl. foram estudados. Aspectos de crescimento, trocas

    gasosas, status nutricional, status hídrico e a fluorescência da clorofila a foram analisados.

    Palavras-chave: Amazônia, Castanheira-da-amazônia, Fotossíntese, Fluorescência da clorofila a,

    Tratamento silvicultural.

  • AGRADECIMENTOS

    A Deus.

    Ao INPA e ao Programa de Pós-Graduação em Ciências de Florestas Tropicais pela

    oportunidade.

    Ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq pela

    bolsa de mestrado concedida.

    À Empresa Agropecuária Aruanã S. A. pela área de estudo e apoio logístico.

    Ao Dr. José Francisco de Carvalho Gonçalves pela orientação, ensinamentos e

    oportunidade de execução desta pesquisa junto ao Laboratório de Fisiologia e Bioquímica

    Vegetal (INPA-LFBV).

    Ao Dr. Marciel José Ferreira pela coorientação, tolerância, amizade e, sobretudo,

    pela convivência com um pesquisador e professor exemplar.

    Ao Dr. Roberval Lima pela colaboração durante todas as fases de realização desta

    pesquisa.

    A todos os professores do Programa de Pós-Graduação em Ciências de Florestas

    Tropicais pelos ensinamentos.

    A minha amada mãe e ao meu querido padrasto pelo apoio e confiança e pela

    certeza de que aconteça o que acontecer eles estarão ao meu lado, e também pelos

    exemplos de humildade, zelo e dedicação.

    Aos meus amados avós pelo incentivo aos estudos e, sobretudo, pelos exemplos de

    disciplina, persistência e coragem.

    Ao meu irmão Kellvy Costa, às minhas tias Valbia Azevedo e Joelma Azevedo e ao

    meu tio Neilor Campos pelo apoio e incentivo.

    A toda equipe do Laboratório de Fisiologia e Bioquímica Vegetal (MCT-INPA) e em

    especial, Ana, Hellen Fernanda, Ulysses, Sabrina, Larissa, Aurora, Vinícius, Gleisson e

    Saine pelo apoio, amizade e convivência.

    A todos os colegas do programa de Pós-Graduação em Ciências de Florestas

    Tropicais pelo apoio, amizade e convivência.

    Enfim, a todos aqueles que direta ou indiretamente contribuíram para a realização

    deste trabalho:

    Obrigada!

  • SUMÁRIO

    LISTA DE TABELAS ............................................................................................................. IX

    LISTA DE FIGURAS ............................................................................................................. IX

    INTRODUÇÃO ..................................................................................................................... 11

    REFERENCIAL TEÓRICO................................................................................................... 13

    Bertholletia excelsa Bonpl. ................................................................................................... 13 Silvicultura de Bertholletia excelsa ....................................................................................... 13 Ecofisiologia de Bertholletia excelsa .................................................................................... 15 Desbastes florestais............................................................................................................. 16 Respostas ecofisiológicas de plantios florestais submetidos ao desbaste ........................... 17

    JUSTIFICATIVA ................................................................................................................... 19

    OBJETIVOS ........................................................................................................................ 20

    Objetivo geral ...................................................................................................................... 20 Objetivos específicos ........................................................................................................... 20

    MATERIAL E MÉTODOS .................................................................................................... 21

    Área de estudo .................................................................................................................... 21 Localização e caracterização ............................................................................................... 21 Histórico da área .................................................................................................................. 21 O plantio .............................................................................................................................. 22 Instalação do experimento ................................................................................................... 22 Desbaste ............................................................................................................................. 23 Árvores-amostra .................................................................................................................. 24 Fluorescência da clorofila a ................................................................................................. 25 Trocas gasosas foliares ....................................................................................................... 26 Nutrientes foliares ................................................................................................................ 26 Potencial hídrico foliar .......................................................................................................... 26 Massa foliar por área (MFA) ................................................................................................ 27 Crescimento em DAP .......................................................................................................... 27 Delineamento experimental e análises estatísticas .............................................................. 27

    RESULTADOS .................................................................................................................... 28

    Fotossíntese ........................................................................................................................ 28 Teores de nutrientes foliares ................................................................................................ 31 Potencial hídrico foliar e eficiência no uso da água .............................................................. 32 Massa foliar por área (MFA) ................................................................................................ 33 Crescimento em diâmetro .................................................................................................... 34

    DISCUSSÃO ....................................................................................................................... 35

    CONCLUSÕES .................................................................................................................... 41

    REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ..................................................................................... 42

  • RESUMO

    O melhor entendimento dos efeitos do desbaste sobre os aspectos ecofisiológicos e o

    crescimento de Bertholletia excelsa, árvore amazônica com alto potencial madeireiro, pode

    auxiliar na definição de estratégias mais adequadas de manejo de plantações desta espécie.

    O objetivo deste estudo foi investigar os efeitos da aplicação do tratamento silvicultural de

    desbaste sobre as características ecofisiológicas e o crescimento de B. excelsa em pl