Click here to load reader

AUDITORIA URBANÍSTICA Levantamento dos Pilotis dos ... fileAUDITORIA URBANÍSTICA Levantamento dos Pilotis dos edifícios de habitação coletiva em Superquadras e seu entorno Fase

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of AUDITORIA URBANÍSTICA Levantamento dos Pilotis dos ... fileAUDITORIA URBANÍSTICA...

AUDITORIA URBANSTICALevantamento dos Pilotis dos edifcios de habitao coletiva em

Superquadras e seu entorno

Fase I Asa Sul

Em 18 de fevereiro de 2016, foi assinada a Programao Fiscal n. 32, voltada para o Conjunto Urbanstico de Braslia (CUB) e demais bens tombados do Distrito Federal

O objetivo dessa programao fiscal a Fiscalizao para a conservao dos atributos do Patrimnio Tombado do Distrito Federal que garantiram a inscrio de Braslia na lista do Patrimnio Cultural da Humanidade, da Unesco

A AGEFIS integra o Grupo Tcnico Executivo GTE criado em funo do Acordo de Cooperao Tcnica n. 01/2015, celebrado entre o IPHAN e o GDF, visando estabelecer uma gesto compartilhada do CUB

Esta ao foi definida no mbito do Plano de Ao quadrienal estabelecido para o GTE

INTRODUO

A palavra pilotis vem do francs, onde significa, literalmente, palafitas, mas em portugus o termo foi adotado apenas para as estruturas arquitetnicas modernas

Pode se referir tanto ao pilar em si, quanto ao pavimento em que se encontra. Assim, a expresso "pavimento pilotis" usada como um sinnimo para "pavimento trreo

ANTECEDENTES

O arquiteto franco-suio Le Corbusier principal influncia na formao da Arquitetura Moderna Brasileira conceituou o pilotis como um dos 5 pontos da nova arquitetura, defendendo que o cho deveria ser livre

Essa soluo foi empregada pela primeira vez pelo arquiteto na Casa Savoye, em 1928,

tornando-se um cone da arquitetura mundial e influenciando toda uma gerao de arquitetos

ANTECEDENTES

Unidade habitacional de Marselha, Le Corbusier, 1947

Villa Savoye, Le Corbusier, 1948, Poissy - Frana

ANTECEDENTES na arquitetura moderna brasileira

Oscar Niemeyer

Affonso Eduardo Reidy, MAM e Pedregulho

Lucio Costa, Parque Guinle e Ministrio da Educao

ASPECTOS LEGAIS

Portaria n. 314/92 do IPHAN Instituiu o tombamento do Conjunto Urbanstico de Braslia:

ASPECTOS LEGAIS

NGB-11/89 Setores de Habitaes Coletivas Norte e Sul

ASPECTOS LEGAISCdigo de Obras e Edificaes 1989 NRA 002

ASPECTOS LEGAIS

Cdigo de Edificaes do DF 1998 Lei 2.105

Art. 64. O permetro do piloti de habitaes coletivas em projees localizadas na rea a que se refere o art. 4 da Portaria n 314/92 do IBPC no pode ser cercado, salvo nos trechos que apresentem situaes de risco por quedas, onde ser permitido o emprego de jardineiras ou elementos de proteo que apresentem permeabilidade ou transparncia visual, com altura mxima de um metro e vinte centmetros.

Cdigo de Edificaes do DF 1998 Decreto n. 19.915/98

Art. 57-D - Art. 57- D. O pilotis de habitaes coletivas em projees localizadas em superquadras e superquadras duplas atender ao seguinte:I - no ter seu permetro cercado, salvo nos trechos que apresentem risco de queda em decorrncia da localizao de rampas de acesso ao subsolo destinado garagem (...);II (...)III (...) 1 Caso ocorram desnveis naturais do terreno entre o entorno da edificao e o piso do

pilotis, esses desnveis sero atenuados e tratados por meio de taludes ou escalonamentos, sempre associados vegetao, de forma a evitar situaes de risco de queda. 2 Ser garantida a circulao de pedestres, nos sentidos transversal e longitudinal do pilotis, de forma contnua com os passeios de pedestres existentes e previstos.

ASPECTOS LEGAIS

Lei n. 2.046/98, alterada pela Lei n. 2.325/99

OBJETO:

Os edifcios de habitao coletiva situados em Superquadras no Conjunto Urbanstico de Braslia, englobando Asa Norte, Asa Sul e Sudoeste, e o seu entorno imediato

So aproximadamente 1.880 edifcios

OBJETIVOS:

Resguardar as caractersticas essenciais das Escalas Urbansticas de Braslia, particularmente da Escala Residencial

Eliminar barreiras ao livre trnsito de pedestres ao nvel do solo

Promover melhorias na acessibilidade universal

Coibir a privatizao de espaos pblicos

Promover a educao patrimonial

Promover a capacitao profissional dos agentes da AGEFIS para a proteo do Conjunto Urbanstico de Braslia e demais bens tombados

ETAPA 1: Levantamento dos Pilotis dos edifcios de habitao coletiva em Superquadras e seu entorno

METODOLOGIA:

Levantamento cadastral das condies de ocupao por meio de vistorias presenciais

Consolidao dos dados em banco de dados apoiado em plataforma SIG, integrado base cartogrfica do SITURB

Tabulao dos dados e produo de mapas e relatrios temticos georreferenciados

Produo de um diagnstico nos moldes do Roteiro de Auditoria Urbanstica

ETAPA 1: Levantamento dos Pilotis dos edifcios de habitao coletiva em Superquadras e seu entorno

FORMULRIO DE VISTORIA

LEVANTAMENTO DOS PILOTIS

Cabealho

Os dados previamente informados devero ser inseridos no banco de dados exatamente como constam no formulrio, de maneira a preservar a integridade das informaes com a base do SITURB

LEVANTAMENTO DOS PILOTIS

Parte A ENTORNO DO EDIFCIO

LEVANTAMENTO DOS PILOTIS

Parte A ENTORNO DO EDIFCIO Piso regular e piso antiderrapante

Piso irregular

LEVANTAMENTO DOS PILOTIS

Parte A ENTORNO DO EDIFCIO Piso regular e piso antiderrapante

Piso irregular

LEVANTAMENTO DOS PILOTIS

Parte A ENTORNO DO EDIFCIO Piso regular e piso antiderrapante

Piso derrapante

LEVANTAMENTO DOS PILOTIS

Parte A ENTORNO DO EDIFCIO escadas e rampas

Rampa com sinalizao ttil Rampa com guarda-corpo

LEVANTAMENTO DOS PILOTIS

Parte A ENTORNO DO EDIFCIO escadas e rampas

Guia de balizamento

LEVANTAMENTO DOS PILOTIS

Parte A ENTORNO DO EDIFCIO barreiras no espao pblico

Edifcio na SQN 310 com privatizao de espao pblico com cercas vivas e outras barreiras

LEVANTAMENTO DOS PILOTIS

Parte A ENTORNO DO EDIFCIO barreiras no espao pblico

Edifcio na SQN 310 com privatizao de espao pblico com cercas vivas e outras barreiras

LEVANTAMENTO DOS PILOTIS

Parte A ENTORNO DO EDIFCIO barreiras no espao pblico

Medir a altura das barreiras identificadas no

espao pblico

LEVANTAMENTO DOS PILOTIS

Parte B ARQUITETURA DO EDIFCIO E PILOTIS

LEVANTAMENTO DOS PILOTIS

Parte B ARQUITETURA DO EDIFCIO E PILOTIS

LEVANTAMENTO DOS PILOTIS

Parte B ARQUITETURA DO EDIFCIO E PILOTIS

LEVANTAMENTO DOS PILOTIS

Parte B ARQUITETURA DO EDIFCIO E PILOTIS

LEVANTAMENTO DOS PILOTIS

Parte B ARQUITETURA DO EDIFCIO E PILOTIS

LEVANTAMENTO DOS PILOTIS

Parte B ARQUITETURA DO EDIFCIO E PILOTIS

Elementos vedando o permetro do pilotis (faixa de 80cm)

Guarda-corpo mureta

LEVANTAMENTO DOS PILOTIS

Parte B ARQUITETURA DO EDIFCIO E PILOTIS

Elementos vedando o permetro do pilotis (faixa de 80cm)

bancos

jardineira

LEVANTAMENTO DOS PILOTIS

Parte B ARQUITETURA DO EDIFCIO E PILOTIS

Elementos vedando o permetro do pilotis (faixa de 80cm)

Parede de vidro (salo de festas)

grade

LEVANTAMENTO DOS PILOTIS

Parte B ARQUITETURA DO EDIFCIO E PILOTIS

LEVANTAMENTO DOS PILOTIS

Parte B ARQUITETURA DO EDIFCIO E PILOTIS

LEVANTAMENTO DOS PILOTIS

Parte B ARQUITETURA DO EDIFCIO E PILOTIS

LEVANTAMENTO DOS PILOTIS

Parte B ARQUITETURA DO EDIFCIO E PILOTIS

H ocupaes no permetro do edifcio (80 cm)? H indcios de ocupao no pilotis superior a 40% da rea da projeo? H uma privatizao ostensiva de rea pblica por cerca viva? H cercas vivas de altura excessiva? H cerceamento/constrangimento da servido de passagem? H ocupaes na cobertura na faixa de 2,50 m do permetro? Outros...

LEVANTAMENTO DOS PILOTIS

Parte B ARQUITETURA DO EDIFCIO E PILOTIS

portariaportaria portaria portariasalo de festasguarita

BANCO DE DADOS

Os auditores responsveis pela vistoria sero, tambm, os responsveis pelo lanamento