PROVA OBJETIVA Prova Objetiva CONCURSO PBLICO .PROVA OBJETIVA Prova Objetiva. ... PORTUGUS Instru§£o:

  • View
    238

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of PROVA OBJETIVA Prova Objetiva CONCURSO PBLICO .PROVA OBJETIVA Prova Objetiva. ... PORTUGUS...

  • CONCURSO PBLICO EMATER-MG 001/2015 / PS-SUSPENSO

    Emprego Pblico

    Assistente Tcnico I - Administrao de Empresas

    PROVA OBJETIVA Prova Objetiva

  • PGINA EM BRANCO

  • 3EMATER-MG / Assistente Tcnico I Administrao

    PORTUGUS

    Instruo: Texto para as questes 01 e 02.

    A Revista VEJA, na sua edio de 25 de julho passado, publicou uma reportagem especial sobre a alimentao no Brasil, com a seguinte chamada: At a isso voltamos. Por que, depois de 26 anos de queda ininterrupta, a mortalidade infantil tornou a crescer.

    A esse respeito, leia um fragmento do texto a seguir, publicado nessa mesma revista, em Carta ao leitor, na pgina 8.

    A chaga ignorada

    Desigual - A subnutrio e a misria no pincel de Portinari (Cndido Portinari, Criana morta/MASP/Arte/Veja) e a reportagem: Alimentao: um desafio fenomenal. O equilbrio mesa no est s na quantidade.

    Desde 2013, mais de 50% dos brasileiros se encontram acima do peso, e, para piorar, os especialistas esto alarmados com o avano do problema na populao infantil. Mas h um aspecto que agrava esse quadro: o aumento da taxa de mortalidade infantil no Brasil, um indicador que vinha caindo nos ltimos 26 anos, sem falhar um nico ano. Agora, com a severidade da crise e o corte nos gastos sociais, ela voltou a subir. Hoje, de cada 1 000 crianas nascidas vivas, catorze morrem antes de completar 1 ano. um nmero que pode recolocar o Brasil no mapa da fome da ONU, do qual havamos sado, orgulhosamente, em 2014.

    Uma das principais causas da elevao da mortalidade infantil est na desnutrio, decorrncia direta do descalabro econmico que o pas vive. Uma parte das crianas brasileiras come menos do que deveria para ter uma vida minimamente saudvel. Subnutridas, elas ficam mais sujeitas a morrer de doenas (como a diarreia, por exemplo) que jamais abateriam uma criana saudvel.

    Como chegamos a esse ponto? Como o Brasil voltou a desnutrir suas crianas e desleixou-se tanto na qualidade da alimentao das que podem comer, tudo isso dentro de um territrio que produz alimento de boa qualidade, alis para parte relevante do planeta?

    EDITORA ABRIL, Veja, ano 51, n. 30, 25 jul. 2018, p. 8.

    01) O aumento da taxa de mortalidade infantil e a questo alimentar no pas tm provocado reflexes de toda ordem, como se comprova no texto apresentado.

    Todavia, um dado que resume a principal discusso travada nele e advm dessas ideias

    a) a contiguidade entre subnutridos e nutridos.b) a convivncia latente com a fome e seu oposto.c) o grau de desigualdade da sociedade brasileira.d) a alimentao profusa e o excesso de m alimentao.

  • EMATER-MG / Assistente Tcnico I Administrao

    4

    02) Observando-se, atentamente, as duas figuras que ilustram a seo e associando-as s ideias veiculadas no texto, s no possvel identificar entre elas

    a) a coexistncia de extremos.b) a meno a situaes dspares.c) o destaque a perspectivas destoantes.d) a ilogicidade como componente imagtico.

    Instruo: Texto para as questes 03 e 04.

    Em favor da vacinaCilene Pereira

    Desde 2011 observa-se no Brasil a queda na cobertura vacinal relativa a vrias enfermidades. A falta de adeso da populao em relao s vacinas no Brasil passa, entre outros aspectos, pela desinformao, que deve ser combatida e exige esforos extras.

    O controle das doenas por meio das vacinas, alcanado nas ltimas dcadas, levou sensao de que as enfermidades no representam mais ameaa. O fato de as doenas terem desaparecido fez com que muita gente ache que a vacina desnecessria, afirma a epidemiologista Carla Domingues, coordenadora do Programa Nacional de Imunizaes. Pensar assim um equvoco que pode fazer com que as enfermidades readquiram fora de transmisso.

    Os grupos que pregam contra os imunizantes e a falta de informao at entre profissionais da sade so fatores que trazem de volta ao Pas doenas que haviam desaparecido, como o sarampo e o risco da poliomielite. preciso impedir esse inaceitvel retrocesso na sade pblica. Os ativistas fazem barulho nas redes sociais, onde proliferam tolices como a ideia de que os imunizantes so ineficazes ou que apresentam risco maior do que os benefcios. mentira. Assim como tambm falsa a tese de que a vacina trplice viral (que imuniza contra sarampo, caxumba e rubola) est associada ao autismo. No h comprovao na literatura mdica.

    TRS EDITORIAL LTDA. Isto , ano 41, n 2535, 25 jul. 2018, p.42. Adaptado.

    03) Considere as informaes veiculadas no texto e informe se verdadeiro (V) ou falso (F) o que se afirma.

    ( ) O ponto de vista da autora marcado por um alarmismo velado.( ) Os ativistas esto desprovidos de embasamento cientfico no que dizem.( ) A epidemiologista consultada suscita, com a sua fala, dedues contraditrias.( ) A prolixidade das palavras impede a compreenso do que se deseja informar ao leitor.( ) A aluso temporal constitui um dos recursos argumentativos para a defesa do ponto de vista.

    De acordo com as afirmaes a sequncia correta

    a) (V); (F); (V); (V); (F).b) (F); (F); (V); (V); (F).c) (F); (V); (F); (F); (V).d) (V); (V); (F); (F); (V).

    04) A frase ... o controle das doenas por meio das vacinas, alcanado nas ltimas dcadas, levou sensao de que as enfermidades no representam mais ameaa... deixa claro que a falta de adeso popular vacinao marcada por

    a) uma ironia.b) um paradoxo.c) uma redundncia. d) uma inverossimilhana.

  • 5EMATER-MG / Assistente Tcnico I Administrao

    05) Leia o texto a seguir.

    Disponvel em: . Acesso em: 25 jul. 2018.

    No infogrfico apresentado encontram-se algumas normas para se atingir um objetivo. Ele tem como pblico-alvo pessoas que desejam mudar seus hbitos alimentares.

    A esse respeito, correto afirmar que tal conjunto de regras

    a) desconstri esteretipos cristalizados.b) tergiversa sobre comportamentos volitivos.c) reverbera aes mltiplas, prescritivamente.d) prope aforismos deletrios como postulados.

    Instruo: Texto para as questes 06 e 07.

    Malala e seu lpis mgico

    Malala Yousafzai, a paquistanesa ganhadora do Prmio Nobel da Paz 2014, lutou pelo seu direito de estudar depois que as meninas de seu pas foram proibidas de frequentar a escola. Recentemente, apresentou seu primeiro livro destinado ao pblico leitor com uma narrativa que promete, antes de mais nada, inspirar a nova gerao a quebrar o silncio e a lutar pelos prprios direitos. Nesta obra, a proposta clara: a autora conta as memrias de uma menina que sonhava com um lpis mgico para desenhar um novo mundo, mas que tambm encontrou dentro de si as foras de que precisava para mudar a sociedade em que vivia. As ilustraes instigantes de Kerascot aproximam essa histria de uma regio to distante aos brasileiros.

    EDITORA ESCALA. Revista Conhecimento Prtico / Literatura. So Paulo: Ano 8, Edio 78, 2018, p. 59. Adaptado.

    06) Avalie as informaes acerca dos sinais de pontuao.

    I. Em "Nesta obra, a proposta clara: a autora conta as memrias de uma menina que sonhava com um lpis mgico...", os dois-pontos indicam uma consequncia do que foi enunciado.

    II. Na frase "As ilustraes instigantes de Kerascot", os travesses isolam a palavra "instigantes" e equivalem a reticncias.

    III. No perodo "Malala Yousafzai, a paquistanesa ganhadora do Prmio Nobel da Paz 2014, lutou pelo seu direito de estudar...", as vrgulas isolam elemento de valor explicativo.

    IV. Na orao "Recentemente, apresentou seu primeiro livro...", de regra usar a vrgula para dar realce ao adjunto adverbial, podendo ser dispensada, se consider-lo de pequeno corpo.

    V. Em "...depois que as meninas de seu pas foram proibidas de frequentar a escola..." a expresso "de seu pas" deveria ficar entre parnteses porque introduz um dado biogrfico importante.

    Est correto apenas o que se afirma em

    a) I, II e III.b) I, III e IV.c) II, IV e V.d) III, IV e V.

  • EMATER-MG / Assistente Tcnico I Administrao

    6

    07) No trecho [Malala] apresentou seu primeiro livro destinado ao pblico leitor com uma narrativa que promete, antes de mais nada, inspirar a nova gerao a quebrar o silncio e a lutar pelos prprios direitos, a expresso destacada enfatiza uma ideia, tal como se observa em

    a) Quando se percebe que o amor no posse, a alma fica mais tranquila, o corao mais leve e os dias mais coloridos, pois amor , sobretudo, um sentimento livre.b) muito importante que jovens e adultos at 29 anos no deixem de tomar a vacina contra hepatite B, uma vez que 20% dos portadores do vrus podero desenvolver, ao longo da vida, tumores hepticos ou cirrose.c) Droga tudo aquilo que fumado, inalado, engolido ou injetado provoca, continuamente, alteraes psquicas e fsicas, sentidas como agradveis, criando no usurio uma relao de dependncia, levando-o a se desinteressar pelas coisas normais da vida.d) Atletas de elite usam ferramentas matemticas sofisticadas para maximizar suas performances. Alm disso, como saber quem ganhou uma prova nas Olimpadas sem a tecnologia para definir os milsimos de segundos de diferena que um atleta estabelece sobre outro?

    Instruo: Texto para as questes 08 a 10.

    Mirian Goldenberg nega autoria de sexalescentes

    Circula pela Internet um texto assinado por mim com o ttulo Sexalescentes. Ele tem sido reproduzido e enviado por e-mail para inmeras pessoas. Existe at uma verso musical no Youtube. O texto diz que est surgindo uma nova faixa social, a dos sexalescentes, pessoas de mais de 60 anos que rejeitam a palavra sexagenrio. Envelhecer no est nos seus planos.

    verdade que algumas ideias so semelhantes s que tenho apresentado em meus artigos. Mas, ao contrrio do autor (ou autora?) de Sexalescentes, gosto da palavra velho e acho importante us-la justamente para combater o estigma que cerca a velhice. Tambm uso agel