prova objetiva procurador

  • View
    221

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of prova objetiva procurador

  • 1

    PROCURADOR

    Caderno de Prova: Prova Objetiva Questes

    Lngua Portuguesa 01 a 10

    Conhecimentos Especficos 11 a 60

    INSTRUES No se comunique, em hiptese alguma, com outros candidatos.

    No permitida a consulta a apontamentos, livros ou dicionrios.

    Solicite a presena do fiscal em caso de necessidade.

    ANTES DE COMEAR A FAZER AS PROVAS:

    Confira se este caderno de questes o caderno correto do cargo para o qual voc se inscreveu.

    Verifique se este caderno contm uma prova, com total de 60 (sessenta) questes, sequencialmente numeradas de 01 a 60 e se o Caderno de Questes apresenta todas as folhas numeradas corretamente.

    Caso haja algum problema, solicite ao fiscal a substituio deste caderno, impreterivelmente, at 15 minutos aps o incio da prova.

    Qualquer questionamento sobre a prova dever ser encaminhado por via de recurso, de acordo com o edital do processo seletivo.

    AO RECEBER A FOLHA DE RESPOSTA (GABARITO):

    Confira seus dados e, havendo erro, solicite ao aplicador (a) a correo na Ata da Sala.

    Assine no espao indicado.

    Em nenhuma hiptese ser distribuda cpia do Carto-Resposta, que identificado eletronicamente.

    AO TRANSFERIR A MARCAO DAS ALTERNATIVAS PARA A FOLHA DE RESPOSTAS (GABARITO):

    Use caneta azul ou preta e aplique traos firmes dentro da rea reservada letra correspondente a cada resposta, conforme modelo:

    No sero consideradas as respostas que no forem transportadas para o Carto-Resposta ou se houver marcao de mais de uma alternativa.

    A folha de respostas no deve ser dobrada, amassada ou rasurada.

    AO TERMINAR A PROVA

    Aps uma hora do incio da prova, o candidato poder se retirar sem levar o caderno de questes. Para isso, voc dever chamar a ateno do aplicador levantando o brao. Ele ir at voc para recolher sua FOLHA DE RESPOSTAS (GABARITO)

    e este CADERNO DE PROVAS. A sada com o CADERNO DE PROVAS somente ocorrer aps trs horas e quarenta e cinco

    minutos do incio das provas.

    Recolha seus objetos, deixe a sala, e em seguida o prdio. A partir do momento em que voc sair da sala, e at sua sada do prdio, no lhe ser permitido o uso dos sanitrios.

    O candidato que, por qualquer motivo ou recusa, no permanecer em sala durante o perodo mnimo estabelecido, ter o fato consignado em ata e ser automaticamente eliminado do Concurso Pblico.

    Ter sua prova anulada e ser automaticamente eliminado do processo seletivo, o candidato que durante a sua realizao for surpreendido portando (mesmo que desligados) quaisquer aparelhos eletrnicos, tais como: bip, telefone celular e/ou

    smartphone, relgio de qualquer espcie, walkman, notebook, ipod, ipad, tablet, pendrive, gravador, mquina de calcular,

    mquina fotogrfica, chaves integradas com dispositivos eletrnicos, controle de alarme de carro e moto, controle de porto

    eletrnico etc., bem como quaisquer acessrios de chapelaria e ainda lpis, lapiseira/grafite, borracha, caneta em material no

    transparente, culos de sol (exceto com comprovao de prescrio mdica), qualquer tipo de carteira ou bolsa e armas.

    Durao total desta prova, incluindo o preenchimento da FOLHA DE RESPOSTAS (GABARITO): QUATRO HORAS

    Site: www.unirv.edu.br - @unirv - facebook.com/unirv

    http://www.unirv.edu.br/

  • 2

    LNGUA PORTUGUESA

    T E X T O

    Como a Folha era o nico veculo que mandava reprteres em So Paulo para todos os comcios e abria

    generosamente suas pginas para a cobertura da campanha das diretas, passei a fazer parte da trupe, dar

    palpites nos discursos, sugerir caminhos para as etapas seguintes. Viajava com os trs lderes da campanha

    em pequenos avies fretados, e, em alguns lugares, dr. Ulysses - era assim que se referiam a ele - fazia

    questo de anunciar minha presena no palanque. Eu sabia que, em outras circunstncias, essas coisas no

    pegariam bem para um reprter. quela altura, no entanto, no me importava mais com o limite entre as

    funes do profissional de imprensa e as do militante. Ficava at orgulhoso, para falar a verdade.

    Cevado pelas negociaes de bastidores no Parlamento, em que tudo devia estar acertado antes de a

    reunio comear, o incansvel Ulysses, que na Constituinte de l987 passaria horas presidindo a sesso sem

    levantar sequer para ir ao banheiro, transmudara-se num palanqueiro de primeira. Impunha logo respeito,

    eu at diria que ele era reverenciado aonde quer que chegasse. A campanha das Diretas no tinha dono, e

    por isso crescia a cada dia. Mas, embora ele no tivesse sido nomeado, todos sabiam quem era o

    comandante.

    Meu maior problema, alm de arrumar um telefone para passar a matria a tempo de ser publicada, era

    o medo de avio. Fica calmo, meu caro jornalista, avio comigo no cai, procurava me tranquilizar Dr.

    Ulysses, com seu jeito formal de falar at em momentos descontrados. Muitos anos despois, ele morreria

    num acidente de helicptero, em Angra dos Reis, no Rio, e seu corpo desapareceria no mar para sempre.

    (Fragmento de Ricardo Kotscho. Do golpe ao Planalto: uma vida de reprter. So Paulo).

    QUESTO 1

    Eu sabia que, em outras circunstncias, essas coisas no pegariam bem para um reprter ( 1 pargrafo).

    Essa afirmao tem como pressuposto a exigncia que geralmente se faz a um reprter de:

    (a) distanciamento da participao poltica, ainda que por uma boa causa.

    (b) no envolvimento ou participao nos acontecimentos que est cobrindo.

    (c) no manifestar sua opinio pessoal a respeito dos acontecimentos que cobre.

    (d) manter uma absoluta imparcialidade diante dos fatos sobre os quais escreve. QUESTO 2

    A afirmao de que dr. Ulysses transmudara-se num palanqueiro de primeira (2 pargrafo) indica a sua transformao:

    (a) do parlamentar srio e respeitado ao poltico populista, que procurava manipular o pblico por

    meio de sua retrica.

    (b) de presidente Constituinte de 1987 ao poltico designado para liderar o movimento que ficou

    conhecido como Diretas j!

    (c) do negociador que se movimentava fora do alcance do pblico ao poltico que passou a se

    dirigir diretamente ao povo.

    (d) de um articulador que planejava cuidadosamente suas aes a algum que apenas se deixou

    levar pelos acontecimentos. QUESTO 3

    O segmento cujo sentido est adequadamente expresso em outras palavras :

    (a) limite entre as funes do profissional de imprensa e as do militante = fronteira entre os

    ofcios do jornalista e os do ativista.

    (b) passei a fazer parte da trupe = iniciei-me nos mistrios do grupo hermtico.

    (c) o nico veculo que mandava reprteres = o meio exclusivo de comunicao que determinava

    os jornalistas.

    (d) era reverenciado aonde quer que chegasse = era tratado com condescendncia nos lugares

    onde costumava aparecer.

  • 3

    QUESTO 4

    A substituio do elemento grifado pelo pronome correspondente, com os necessrios ajustes no

    segmento, foi realizada de modo INCORRETO em:

    (a) nico veculo que mandava reprteres = nico veculo que os mandava.

    (b) impunha logo respeito = impunha-o logo.

    (c) fazia questo de anunciar minha presena = fazia questo de anunci-la.

    (d) um telefone para passar a matria = um telefone para passar-lhe. QUESTO 5

    Mas, embora ele no tivesse sido nomeado, todos sabiam quem era o comandante.

    Em relao frase em que est inserido, o segmento grifado acima possui um sentido:

    (a) Condicional.

    (b) Causal.

    (c) Concessivo.

    (d) Comparativo. QUESTO 6

    Atente paras as afirmaes seguintes sobre a pontuao empregada nas frases transcritas:

    I. ...e, em alguns lugares, dr. Ulysses - era assim que se referiam a ele - fazia questo de anunciar minha

    presena no palanque.

    Os travesses isolam um segmento explicativo e, sem prejuzo para a correo e a lgica da frase,

    poderiam ser substitudos por parnteses.

    II ... o incansvel Ulysses, que na Constituinte de 1987 passaria horas presidindo a sesso sem levantar

    sequer para ir ao banheiro, transmudara-se num palanqueiro de primeira.

    A retirada simultnea das duas vrgulas no causaria prejuzo para a correo, a lgica e o sentido da frase.

    III. Fica calmo, meu caro jornalista, avio comigo no cai, procurava me tranquilizar dr. Ulysses, com

    seu jeito formal de falar at em momentos descontrados.

    As aspas poderiam ser dispensadas, pois seu emprego facultativo quando no h dvida de que o autor

    transcreve a fala de outrem.

    Est correto SOMENTE o que conta em:

    (a) I.

    (b) II.

    (c) I e III.

    (d) I e II. QUESTO 7

    As regras de concordncia esto plenamente respeitadas em:

    (a) A campanha das Diretas, de que os mais jovens participaram ativamente, tero sempre lugar

    especial nos registros de nossa histria recente, ao lado de episdios como o movimento caras-

    pintadas que, em 1992, levaram deposio de um presidente.

    (b) Por mais diferenas que houvesse entre eles e o incansvel dr.Ulysses, a maioria dos polticos

    que foram seus contemporneos no lhe demonstravam seno grande admirao e profundo

    respeito.

  • 4

    (c) A confuso entre as funes de jornalista e de militante, no caso de Ricardo Kotscho e de

    outros profissionais de nossa imprensa, tornaram possvel um registro muito mais vivaz de

    vrias personagens da campanha das Diretas.

    (d) Poucos episdios na histria mais recente do Brasil pode nos inspirar tanto orgulho quanto a

    campanha das Diretas, ao longo dos anos 1983 e 1984, ainda que as eleies diretas para

    presidente, sua principal reivindicao, s t