Aconselhamento e Cuidados Pastorais

  • View
    24

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of Aconselhamento e Cuidados Pastorais

  • NOVEMBRO 2010 | Recursos Espirituais 1

    Tema desta edio: Aconselhamento e Cuidados Pastorais

    Jesus Nosso Modelo para o Ministrio | George Wood | p.03

    O Aconselhamento Cristo Cristocntrico | Richard Dobbins | p.08

    O Conselheiro Cristo Competente | Donald Lichi | p.15

    Uma Abordagem de Aconselhamento Pastoral para Aqueles com Dores e Doenas Crnicas | Doug Wiegand | p.19

    Abordagem Convencional, Complementar e Alternativa para Cura | Christina Powel | p.24

    Girolamo Savonarola O Profeta de Florena | William Farley | p.29

    Os Pecados da Maldio Hereditria | W. Nunnally | p.32

    www.enrichmentjournal.ag.org

    Novembro/2010

  • 2 Recursos Espirituais | NOVEMBRO 2010

    um prazer poder levar at voc a 4 edio darevista Recursos Espirituais, originalmentepublicada pelas Assembleias de Deus dos EUA,em ingls, sob o ttulo Enrichment Journal.

    Aps trabalho cuidadoso da equipe editorial,este nmero expe em nosso idioma artigossimplesmente imperdveis.

    Num momento em que vivenciamos na mdiauma discusso acirrada sobre inmeros assuntospolmicos, abarcando as mais diferentes reas davida, os autores trazem luz s necessidades dospastores, dos professores de seminrios e dosdemais obreiros da Igreja que ministram ao povode Deus, disponibilizando pesquisas relevantes eatuais, fortemente baseadas nas SagradasEscrituras.

    De igual modo, os estudantes de Teologiatambm so contemplados com uma rica coleode material que dar um suporte consistente suaincansvel e necessria busca pelo conhecimentosadio da Palavra de Deus.

    Em 30 anos envolvido com o meio teolgico,pude presenciar a publicao de inmeros artigosque dizendo-se cristos, na verdade, traziamsorrateiramente ideologias totalmente contrrias

    Agora voc pode acessar online Recursos Espirituais em 14 idiomas. Visite o website do Enrichment Journal e teclena opo desejada. Voc ser direcionado para um dos treze idiomas que selecionar: portugus, tcheco, espanhol,

    francs, alemo, russo, ucraniano, romeno, hngaro, croata, tmil, bengals, malaio ou hindi.Voc ter oportunidade para ler os peridicos online ou pode ainda transferir os arquivos, para sua convenincia.

    As informaes para contato encontram-se no site: www.enrichmentjournal.ag.org

    Equipe Editorial / Verso em PortugusTraduo: Nadja Matta e Bruno Ferrari

    Reviso de textos: Martha Jalkauskas e Rejane Eagleton

    Diagramao: MMDesign

    Reviso: Neide CarvalhoCoordenao Geral: Mrcio Matta

    Entre em contato conosco para obter informaes adicionais ou fazer perguntas atravs do e-maile[email protected]

    Life Publishers International Copyright Life Publishers 2010Publicado por Life Publishers, Springfield, Missouri (EUA)Todos os direitos reservados.

    s doutrina, promovendo desta forma prejuzosirreparveis na vida de muitos crentes.

    Assim, devido a necessidade de critriosrgidos para a escolha de uma boa literatura crist,esta publicao se apresenta como um subsdiovalioso para dirimir questionamentos e dvidasque surgem no dia-a-dia de nossa caminhadacrist.

    Os pontos de vista apresentados em cadaartigo, embora do contexto assembleiano norte-americano, levam o leitor a construir suas ideiasa partir de princpios bblicos e experinciaspessoais que o incentivam inspirao para suaprpria jornada espiritual.

    Tenho convico de que os artigos das reasministerial, aconselhamento pastoral, tica m-dica, histria e teologia, alm de serem agradvel leitura, sero uma verdadeira bno para voc.

    Aprecie sem moderao!

    mrciomattaeditor | verso em portugus

    Editorial

    2 Recursos Espirituais | NOVEMBRO 2010

  • NOVEMBRO 2010 | Recursos Espirituais 3

    Nosso Modelopara o Ministrio

    Por GEORGE O. WOOD

    Trs elementos essenciais do modelo de Jesus para oministrio servem de exemplo de cuidado pastoral para ns.

    Jesus

    NOVEMBRO 2010 | Recursos Espirituais 3

  • 4 Recursos Espirituais | NOVEMBRO 2010

    Livros e seminrios de lide-

    rana dominam a leitura pas-

    toral, e isso bom. A mxi-

    ma de que uma organizao

    ou igreja no cresce mais que seu lder

    verdadeira. Mas liderana e minist-

    rio so a mesma coisa? Creio que no.

    Ministrio inclui muito mais.

    Quando procuro um exemplo ou

    prottipo para o ministrio, primeiro

    olho para Jesus. Como era Seu minist-

    rio? Que tipo de ministro era Ele? Se

    Ele o Supremo Pastor e eu, um subal-

    terno, que tipo de pastor ou ministro

    devo ser? Se devo andar em Seus pas-

    sos, quais foram eles?

    Deixe-me extrair de Seu ministrio

    um breve momento que encapsula a

    preocupao pastoral de Jesus. No pre-

    tendo que esse percope represente a

    verdade total sobre Jesus como nosso

    modelo para o ministrio, mas encontro

    nele trs pontos essenciais que nos ser-

    vem como exemplo.O caso que examinaremos o da

    mulher com fluxo de sangue, relatadoem Marcos 5:21-34.

    Tempo Toda pessoa engajada em ministrio ocupada. Todos os dias nossa agendaest cheia desde a manh at noite:orao, estudo, compromissos, telefone-mas, reunies e interrupes.

    medida que a igreja que eupastoreava crescia, descobri que pode-ria delegar cada vez mais. Isso permitiuque me tornasse mais focado em meusdons e reas de interesse. Gastava a mai-or parte do tempo administrando minhaprpria agenda. Minha lista de tarefasestava sempre cheia e o calendrio re-pleto. Eu permitia algumas interrup-es de grandes emergncias e de pes-soas que realmente precisavam falar co-migo, mas, caso contrrio, era dono do

    meu prprio tempo.Esse exemplo um bom sinal de

    liderana eficiente e eficaz delegarresponsabilidade e autoridade, e se con-centrar nos pontos fortes. o exemplode xodo 18 quando Jetro disse aMoiss que bons lderes no tentam fa-zer tudo, ou a instruo de Efsios 4:11,12 de que liderana ministerial implicaem ser o treinador de uma equipe emvez de ser a estrela.

    Deixei o pastorado e fui para lide-rana distrital como superintendente ad-junto. Das cerca de 30 pessoas que fazi-am parte de minha equipe de suporteda igreja, agora eram apenas eu e meusecretrio. Trouxe meu modelo pasto-ral para essa nova funo e chegava emmeu escritrio todos os dias com minhalista de coisas para fazer. Mas o telefonetocava continuamente. Muitas pessoasme procuravam.

    Fiquei frustrado. Eles estavam to-

    4 Recursos Espirituais | NOVEMBRO 2010

  • NOVEMBRO 2010 | Recursos Espirituais 5

    mando o tempo da minha agenda. Noconseguia terminar as coisas que haviaestabelecido. Comecei a me aborrecercom as interrupes.

    O que mudou a minha vida foi umdevocional dado por um amigo, T. RayRachels (superint. distrital). Ele fala queo ministrio de Jesus flua das interrup-es. Isso chamou minha ateno.

    Nenhum dos milagres de Jesus es-tava na lista de coisas para fazer. Ele nose levantava pela manh e dizia: Bom,hoje preciso curar 10 leprosos, 2 cegos,curar um paraltico e libertar vrias pes-soas possessas.

    O mesmo eraverdadeiro quantoaos Seus ensina-mentos. Sim, Ele fezum discurso siste-mtico no Sermo doMonte, nas parbo-las do Reino e no ser-mo do Monte dasOliveiras (Mt 5-7, 13,24, 25), porm obser-ve uma amostra do que ensinou comoresultado das respostas s interrupes.Um expert da Lei O testou quando dis-se: Quem o meu prximo? e assim re-cebemos a parbola do Bom Samaritano(Lc 10). Os fariseus e os mestres da Leimurmuraram contra Ele quando aco-lheu os pecadores e Ele respondeu comestrias da Ovelha Perdida, da MoedaPerdida e do Filho Prdigo (Lc 15).

    Teramos perdido o discipulado deMateus e de Zaqueu se Jesus no tives-se interrompido Seus compromissos.No teramos o ensinamento sobre onovo nascimento se Jesus no tivessepassado algum tempo com Nicodemos(Jo 3), ou ento o ensinamento sobreadorao se tivesse ignorado a mulhersamaritana (Jo 4).

    O melhor exemplo de Jesus tirandoum momento e respondendo s inter-rupes veio quando a mulher com flu-xo de sangue abordou-O a caminho dacasa de Jairo.

    Marcos observa que a filha de Jairotinha 12 anos e a mulher sofria, ha 12anos, de uma hemorragia.

    O pedido de Jairo foi uma interrup-o na agenda de Jesus. O Senhor che-gou do outro lado do lago e uma grandemultido veio recepcion-lO. Lideran-a exige que demos prioridade multi-do, mas o ministrio ordena prioridadeao necessitado. Ento Jesus afastou-seda multido e acompanhou Jairo.

    No caminho houve uma interrupo interrupo. A mulher passou pelamultido e tocou na barra de Suas ves-tes. Ele poderia ter continuado, mas no

    o fez. Por qu?Porque ministrio se faz com pesso-

    as uma de cada vez. A misso de Jesusinclua momentos no planejados quan-do respondia s necessidades dos indi-vduos.

    Um homem idoso caminhava pelapraia logo de manh recolhendo estre-las do mar e as jogava novamente nooceano. Ele sabia que, se no fossemdevolvidas gua, o sol as secaria e mor-reriam.

    Um jovem passou e disse: Ei, se-nhor! O que est fazendo? Existem mi-lhes de estrelas do mar na praia. O quevoc est fazendo no faz a mnima di-ferena. O homem respondeu, en-quanto jogava na gua mais uma estrelado mar: Faz diferena para esta aqui.

    Um amigo missionrio me contouque estava sentado no escritrio de JimCymbala em um domingo de manhantes do Natal. Pastor da Igreja BrooklynTabernacle, Jim ministra para milhares

    de pessoas em mltiplos cultos tododomingo. Entre um culto e outro umajovem me negra com seus quatro fi-lhos entrou no escritrio de Jim. Estavasem dinheiro e chorava porque seus fi-lhos no teriam nada de Natal. Jim dis-se: Carol e eu iremos ao seu apartamen-to na noite de Natal e levaremos umperu para o jantar. Jantaremos com vocse haver presentes para seus filhos.

    Meu amigo missionrio disse quechorou enquanto observava a conversa.Imagine que o pastor de uma das maio-res igrejas dos EUA teria

Search related