Apresentacao Formacao Ii

  • View
    2.202

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Apresentacao Formacao Ii

  • 1. Sandro Azevedo Carvalho Localizao Municpios limtrofes Caractersticas do municpio 29 42' 07" S 51 14' 31" O 29 42' 07" S 51 14' 31" O Distncia at a capital 37km

2. Caractersticas geogrficas rea 159,942km Populao 30.802hab. est.IBGE / 2009 [2] Densidade 178,7hab. / km Altitude 45m Indicadores IDH 0,831elevado PNUD / 2000 [3] PIB R$552.600 milIBGE / 2005 [4] PIB per capita R$19.810,00IBGE / 2005 [4] 3. 4.

  • A rede municipal de educao conta com 24 Escolas de Ensino Fundamental, sendo que quatro delas com ciclos finais de formaoe, destas, duas com stima e oitava sries.
  • Nmero de cursistas: 13
  • Andra Georgina Koch Calloni(Fraga - Professora)
  • ngela Maria Antoniazzi Mller(SEME Superviso)
  • Caren Verone Menge Kangberg(Gonalves Dias - Professora)
  • Carla Rosane Fadanni(Fraga - Professora)
  • Daiane Aparecida Flores Fritzen(Capela de Santana - Professora)
  • Erivelto Bauer de Matos(Fraga - Professor)
  • Geza Maria Klein(SEME - Supervisora)
  • Joo Rogrio Machado Pereira(Fraga Professor)
  • Luclia Maria Veloso Santiago(Mau Superviso)
  • Marcelo Palma de Oliveira(Mau Professor)
  • Mrcia Agliardi de Oliveira(So Jorge Superviso)
  • Maria Teresinha de O. Pereira(Fraga Prof. Substituta)
  • Silvana Karina Meirelles de Souza(So Jorge Professora)

5. RELATO DOS ENCONTROS (OFICINAS) GESTAR II MATEMTICA 18/05/2009 Reunio GeralEncontro, na EMEF Antnio Jos de Fraga, para apresentao do projeto. Contou com a presena da Sra. Secretria de Educao Adreane Arnecke, de professores de Lngua Portuguesa e de Matemtica, de professoras supervisoras da SEME e das escolas municipais e de diretoras de escolas. Aos participantes, foi apresentada a estrutura do projeto, destacando a necessidade de serem promovidas mudanas no ensino de Lngua Portuguesa e de Matemtica, com o objetivo de construirmos um programa que seja mais significativo aos alunos, baseado no desenvolvimento de habilidades e competncias, aspecto priorizado pelo Ministrio da Educao e constante em suas avaliaes (Prova Brasil e ENEM). Nesse encontro, os materiais foram distribudos aos cursistas e ficaram combinadas as atividades que os mesmos deveriam realizar para a primeira oficina. Destaca-se no encontro, a fala da Sra. Adreane Arnecke, a qual frisou a oportunidade mpar de os professores de Lngua Portuguesa e de Matemtica poderem reunir-se, dentro de seu horrio de trabalho, para discutir profundamente caminhos para a melhoria do ensino e aprendizagem dessas disciplinas escolares. 6. Iniciamos, nessa primeira oficina, com uma breve apresentao dos professores cursistas. Por sugesto de dois professores que trabalham no municpio no turno da noite e tm dificuldades para comparecer s oficinas, revimos as datas dos encontros presenciais. Combinamos, ento, de realizarmos duas oficinas noite e aumentarmos o nmero de oficinas s sextas feiras. Dessa forma, procuramos minimizar as ausncias dos cursistas a muitas oficinas. Aps a apresentao mais pormenorizada do programa de Matemtica do GESTAR II, formaram-se trs grupos de quatro componentes e comeamos a trabalhar o material do TP1 Unidade 1. A atividade realizada tratava da determinao do IMC (ndice de Massa Corporal) atravs da frmula onde a massa dada em quilogramas e a altura, em metros. Nessa atividade foi solicitado aos grupos que registrassem as estratgias utilizadas no clculo do IMC, com o que foram confeccionados cartazes para apresentao ao grande grupo.Durante as apresentaes, houve discusses em torno da possibilidade da aplicao de atividade semelhante com os alunos. Discutimos em que srie seria mais adequada tal atividade, levantou-se a possibilidade de realizar trabalho em conjunto com o professor de Cincias ou com o professor de Educao Fsica e tambm discutimos aspectos tericos dos conceitos envolvidos no tema. Conclumos que, dependendo o interesse do professor, tal atividade poderia ser realizada em qualquer uma das quatro sries finais do EF. O mais importante, contudo, foi a riqueza de aspectos tericos e metodolgicos que surgiram nas discusses, confirmando a necessidade fundamental de os professores encontrarem-se para discutir sua disciplina e seus alunos. Finalizando, realizamos a atividade sugerida na parte C da sesso coletiva 1 TP1 e foi solicitado aos professores cursistas o estudo das unidades 2 e 3 do TP1, assim como a tentativa de aplicao, em sala de aula, de alguma atividade sugerida nessas unidades. 21/05/2009 1 aoficina 7. Fotos da oficina 8. 04/06/2009 - 2 aoficina

  • Nessa oficina, houve pouca presena de professores cursistas. Os professores encontraram dificuldades para realizar as atividades, comentando que no estavam acostumados a ter que justificar genericamente os resultados matemticos. Assim sendo, nesse encontro ficamos a maior parte do tempo discutindo teoria matemtica: nmeros decimais e operaes, equao do primeiro grau e mtodos de resoluo, porcentagem e nmeros racionais.
  • Mesmo assim, discutimos, pode se dizer, filosoficamente, as concepes de Matemtica dos professores presentes e o quanto essas concepes contribuem para atuao dos professores em sala de aula.
  • A atividade sobre o Imposto de Renda prevista para esse encontro, a qual seria utilizada na discusso do conceito de porcentagem, ficou como atividade para ser realizada em casa pelos cursistas e ser entregue na prxima oficina.

9. 19/06/2009 - 3 aoficina

  • Nessa oficina, formamos trs grupos de quatro componentes. Trabalhamos a atividade 1 e 2 da sesso coletiva 3 (unidade 5) sobre a modelagem do corpo humano para o clculo da rea da pele que recobre nosso corpo. As estratgias e modelos foram registrados em cartazes e o valor encontrado para a rea da pele foi comparado com o mtodo utilizado por mdicos.
  • As estratgias e modelos foram apresentadas ao grande grupo, os quais fizeram comparaes e acrescentavam possibilidades e dificuldades de se realizar um trabalho desses com os alunos.
  • Um dos grupos tentou construir um modelo por demais detalhado, o que inviabilizou seu trabalho. Ainda assim, as discusses sobre sua tentativa foram bastante proveitosas para a formao, pois situaes desse tipo podem ocorrer em sala de aula (e, de fato, ocorrem).
  • Aps o intervalo, realizamos a atividade 2 da sesso coletiva 2 Unidade 3 do TP1. Trata-se de uma atividade ldica, mas envolvendo vrios conceitos matemticos (rea, fraes, geometria): a construo de um carto utilizando a idia defractal . Os professores apreciaram o efeito conseguido e comearam a discutir sobre possibilidades de trabalhar com esse material em sala de aula. Por exemplo, a confeco de bales ou mbiles com aquele tema.
  • Nessa oficina, foi sugerido pelos cursistas que fosse concedido um tempo para que, em grupos, os professores pudessem planejar atividades a serem aplicadas em sala de aula. Combinei que procuraria reestruturar as oficinas a fim acatar sua sugesto, deixando claro, ainda assim, a necessidade do estudo individual de cada professor, a fim de possibilitar um conhecimento maior do material, contribuindo para sua formao continuada.

10. Fotos da oficina 11. 30/06/2009 - 4 aoficina

  • Para essa oficina no solicitei aos professores cursistas que entregassem alguma atividade. Apenas insisti que estudassem as unidades 5 e 6 do TP2, as quais tratavam de assuntos de extrema importncia: proporcionalidade e geometria.
  • A oficina teve trs momentos bem distintos. Na primeira parte, os professores, em grupos, discutiram e planejaram atividades a serem realizadas em sala de aula com os alunos, baseadas nos TP1 (unidades 1, 2, 3 e 4) e TP2 (unidades 5 e 6). Ficou combinada, nesse momento, a estrutura do relatrio que cada professor dever entregar ao professor formador ao final da realizao das atividades com os alunos.
  • Os trs grupos formados escolheram assuntos distintos para trabalhar com seus alunos: Um grupo escolheu o tema da alimentao, vinculado ao clculo do IMC; outro grupo escolheu o tema da alimentao, mas vinculado idia de alimentao saudvel; o terceiro grupo escolheu o tema dos esportes, vinculado ao conceito de proporcionalidade.
  • Na segunda parte da oficina, os grupos trabalharam a atividade 3 e 4 da sesso coletiva 3 unidade 5 do TP2, a qual versa sobre o conceito de proporcionalidade. Durante esse trabalho, ficou clara a importncia da formao continuada quando os professores encontraram dificuldades com conceitos matemticos que pareciam bem consolidados, mas que, se mostraram confusos, aps serem levantadas questes desequilibradoras.
  • Na terceira parte, discutimos uma metodologia diferente da apresentada no programa para introduzirmos ou trabalharmos com o conceito de proporcionalidade.

12. 16/07/2009 - 5 aoficina

  • Nessa oficina os professores cursistas trouxeram os relatos de suas experincias em sala de aula com base nas atividades planejadas no encontro de 30/06. As experincias concentraram-se nas seguintes temticas: Matemtica na alimentao (proporo de ferro nos alimentos alimentao saudvel), Matemtica nos esportes (construo de maquete de campo de futebol) e IMC (clculo do IMC individual e mdio da turma).
  • De uma forma geral, os professores relataram sobre as dificuldades que surgem quando so propostas aos alunos atividades mais abertas dentro da filosofia de resoluo de problemas. Todos alegaram que os alunos ficaram bem mais agitados e barulhentos. Outra queixa dos professores foi da falta de responsabilidade para trazer os materiais ou realizar as pesquisas, fora da escola, solicitadas pelos profes