Projeto poltico pedaggico

  • View
    361

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Projeto poltico pedaggico

  • Lanar adiante.

    Plano, intento, desgnio.

    Empresa, empreendimento.PROJETO vem do latim Projectu

  • Ao construrmos os projetos de nossas escolas, planejamos o que temos inteno de fazer, de realizar. Lanamo-nos para diante, com base no que temos, buscando o possvel. ANTEVER UM FUTURO DIFERENTE DO PRESENTE.O Projeto Poltico Pedaggico construdo e vivenciado em todos os momentos, por todos os envolvidos com o processo educativo da escola.

  • POLTICO por estar intimamente articulado ao compromisso sociopoltico com os interesses reais e coletivos da populao majoritria. POLTICO no sentido de compromisso com a formao do cidado para um tipo de sociedade.

  • PEDAGGICO porque na dimenso pedaggica reside a possibilidade da efetivao da intencionalidade da escola, que a formao do cidado participativo, responsvel, compromissado, crtico e criativo. PEDAGGICO, no sentido de definir as aes educativas e as caractersticas necessrias s escolas de cumprirem seus propsitos e sua intencionalidade.

  • COMO ORGANIZAO DA ESCOLA como um todo;

    COMO ORGANIZAO DA SALA DE AULA, inclundo sua relao com o contexto social imediato, procurando preservar a viso da totalidade.Os dois nveis do P.P.P.

  • Para que a construo do P.P.P. seja possvel NO necessrio convencer os professores, a equipe escolar e os funcionrios a trabalhar mais, ou mobiliz-los de forma espontnea, mas propiciar situaes que lhes permitam APRENDER A PENSAR e a REALIZAR O FAZER PEDAGGICO DE FORMA COERENTE.

  • Igualdade;Qualidade;Participao;Autonomia;Democracia.Princpios norteadores do P. P. P.

  • A concepo de educao;A misso da instituio;Organograma pensando nos sujeitos;Objetivos;Participao da comunidade (estratgias p/ participao)

    O que importante no P. P. P.

  • Das finalidades estabelecidas na legislao em vigor, o que a escola persegue, com maior ou menor nfaseComo perseguida sua finalidade cultural, ou seja, a de preparar culturalmente os indivduos para uma melhor compreenso da sociedade em que vivem?Como a escola procura atingir sua finalidade poltica e social, ao formar o indivduo para a participao poltica que implica direitos e deveres da cidadania?Como a escola atinge sua finalidade de formao profissional, ou melhor, como ela possibilita a compreenso do papel do trabalho profissional do aluno?Como a escola analisa sua finalidade humanstica, ao procurar promover o desenvolvimento integral da pessoa?Finalidades da escola

  • O que sabemos da estrutura pedaggica?Que tipo de gesto est sendo praticada?O que queremos e precisamos mudar na nossa escola?Qual o organograma previsto?Quem o constitui e qual a lgica interna?Quais as funes educativas predominantes?Como so vistas a constituio e a distribuio do poder?Quais os fundamentos regimentais?ESTRUTURA ORGANIZACIONAL

  • O CURRCULO NO um elemento NEUTRO;O CURRCULO NO pode ser separado do contexto social, uma vez que ele HISTRICAMENTE situado e CULTURALMENTE determinado;O CURRCULO INTEGRAO = Reduzir o isolamento entre as diferentes disciplinas curriculares, procurando agrup-las num todo mais amplo;O CONTROLE SOCIAL e o CURRCULO OCULTO

    CURRCULO

  • Calendrio escolar (incio e fim de ano, dias letivos, frias, perodos escolares, festas escolares, avaliaes);Horrio escolar (nmero de horas por semana, nmero de aulas por professor);Disciplinas e grade currcular.Quanto mais compartimentado for o tempo, mais hierarquizadas e ritualizadas sero as relaes sociais, reduzindo, tambm as possibilidades de se institucionalizar o currculo integrao que conduz a um ensino em extenso (Veiga, 2006, p. 30).TEMPO ESCOLAR

  • Requer uma reviso das atribuies especficas e gerais, bem como da distribuio do poder e da descentralizao do processo de deciso.H necessidade de se instalarem mecanismos institucionais visando a participao poltica de todos os envolvidos com o processo educativo da escola.PROCESSO DE DECISO

  • () As relaes de trabalho, no interior da escola, devero estar calcadas nas atitudes de solidariedade, de reciprocidade e de participao coletiva, em contraposio organizao regida pelos princpios da diviso do trabalho, da fragmentao e do controle hierrquico (Veiga, 2006, p. 31).() O processo de luta visto como uma forma de contrapor-se dominao, o que pode contribuir para a articulao de prticas emancipatrias (sublinhados meus); (Machado, 1989, p. 30).RELAES DE TRABALHO

  • A avaliao um ATO DINMICO que qualifica e oferece subsdios ao P. P. P.;A avaliao imprime uma direo s aes dos educadores e dos educandos.Envolve trs momentos:A descrio e a problematizao da realidade escolar;A compreenso crtica da realidade descrita e problematizada;A proposio de alternativas de ao, momento de criao coletiva.AVALIAO

  • A construo do P. P. P. requer continuidade das aes, descentralizao, democratizao do processo de tomada de decises e instalao de um processo coletivo de avaliao de cunho emancipatrio.O movimento de luta e resistncia dos educadores indispensvel para ampliar as possibilidades e apressar as mudanas que se fazem necesrias dentro e fora dos muros da escola.Finalizando

    *****************