Click here to load reader

Futurismo katia vasconcelos

  • View
    30

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Futurismo katia vasconcelos

1. AcAdmicAs:AcAdmicAs: CarleaneFroesCarleaneFroes KtiaLimaKtiaLima KelianeMonteiroKelianeMonteiro LucieneMonteiroLucieneMonteiro LailmaLailma Marli SantosMarli Santos RitadeCssiaRitadeCssia 2. "vAnguArdAs EuropiAs sculo XX Futurismo 3. objEtivoobjEtivo A realizao deste trabalho tem como objetivo mostrar os fatos, ocorrncias, de um dos perodos da literatura, o Futurismo. Tentaremos mostrar claramente, com o melhor das intenes as caractersticas e seus principais representantes e suas referidas obras, buscando colher informaes satisfatrias para enriquecer o nosso conhecimento. 4. HistricoHistrico O Futurismo foi um movimento artstico surgido em 1909, com a publicao do Manifesto Futurista, espcie de artigo feito pelo poeta italiano Felippo Tomaso Marinetti (1879 e 1944) tal publicao impressa no jornal francs Le Figaro, em Paris, continha as idias que nortearam o desenvolvimento do movimento, como a valorizao da tecnologia e o rompimento com o passado arcaico, na viso dosfuturistas. No final do sec.XIX ao XX, a Europa sentiu os efeitos das transformaes gerais pela revoluo industrial. Foi baseado na velocidade do desenvolvimento tecnolgico que o Futurismo seoriginou. 5. ConCeitoConCeito Essa esttica celebrava os signos do novo mundo, a velocidade, mquina, a eletricidade, a industrializao. Apregoando a destruio do passado e dos meios tradicionais de expresso literria, o Futurismo (tendncia que mais influenciou a primeira fase do Modernismo). 6. CaraCterstiCasCaraCterstiCas Dinamicidade Valorizao do desenvolvimento industrial etecnolgico; Liberdadedeexpresso; Destruio dasintaxe; Abolio dapontuao; Uso desmbolosmatemticosemusicais; Desprezo ao adjetivo eadvrbio. 7. PrinCiPais rePresentantesPrinCiPais rePresentantes Felippo Tommaso Marinetti Umberto Boccioni, Giacomo Balla e Carlo Carr, autores do manifesto dos pintores Futuristas, 1910 (no mesmo ano, Boccioni redigiria o Manifesto tcnico da pintura futurista). Um ano depois aconteceria a primeira grande exposio futurista, que contaria com 50 obras desses artistas, as quais chamaram ateno mais pelo tema que pela linguagem, embora insistissem no fato de que a tecnologia e o progresso deveriam ser expressosem novaseaudaciosasformasdearte. 8. Umberto boCCione (1882-Umberto boCCione (1882- 1916).1916). Um dos principais tericos do Futurismo , retrata , em suas telas e esculturas, a vida moderna plena de movimentos, dinamismo e fora. Desejo pintar a novidade, o fruto da nossa idade industrial, anotou o artista em seu dirio. Na tela A Rua Penetra o Edifcio, as formas tornam-se transparentes, interiores e exteriores interpenetram-se, so pintadosem sobreposies simultneas , tal como os acontecimentos que se desenrolam no edifcio e na rua. O nervosismo febril da vida urbana, com seu ritmo alucinante, compe o cenrio tumultuoso da obra de Boccione. Obra: Rua Penetra o Edifcio 9. Giacomo BallaGiacomo Balla (1871-1958)(1871-1958) Em sua obra o pintor italiano tentou endeusar os novos avanos cientficos e tcnicos por meio de representaes totalmente desnaturalizadas, embora sem chegar a uma total abstrao. Mesmo assim, mostrou grande preocupao com o dinamismo das formas, com a situao da luz e a integrao do espectro cromtico. A formao acadmica de Balla restringiu-se a um cursonoturno de desenho, de dois meses de durao, na Academia Albertina de Turim, suacidadenatal. Obra: Velocidade do carro 10. carlo carrcarlo carr (1881-1966)(1881-1966) Nasceu em Quargnento, Itlia em 1881, foi um pintor Italiano do Futurismo. Na sua obra utilizava o mesmo repertorio de George Chirico, mas com tons e objetivos efetivamente diferente, utilizando a reao do dinamismo futurista e a adeso ao mundo imvel da metafsica que coincide com uma vocao pessoal. Morreu em Milo em 13 de abril de1966. 11. Futurismo emFuturismo em PortuGalPortuGal Em Portugal, notadamente entre 1910 e 1920, houve uma maior identidade entre os modernistas de primeira hora e o Futurismo. J nos primeiros nmeros da revista Orpheu (1915), encontramos textos futuristas de Mrio de S-Carneiro. Em 1917, em Lisboa, realizou-se um espetculo futurista e foi publicado o primeiro e nico nmero darevistaPo rtugalfuturista. 12. ode triunFalode triunFal (FraGmento)(FraGmento) dolorosa luz das grandes lmpadas eltricas [da fbrica Tenho febre e escrevo. Escrevo rangendo os dentes, fera para a beleza [disto, Para beleza disto totalmente desconhecida [dos antigos. rodas, engrenagens, r-r-r-r-r-r eterno ! Forte espasmo retido dos maquinismos em [fria! Em fria fora e dentro de mim, Por todos os meus nervos dissecados fora, Por todas as papilas fora de tudo com que eu [sinto! Tenho os lbios secos, grandes rudos [modernos, De vos ouvir demasiadamente de perto, E arde-me a cabea de voz querer cantar com [um excesso De expresso de todas as minhas sensaes, Com um excesso contemporneo de vs, [maquinas! lvaro de Cmpos, heternimo de Fernando Pessoa (Fernando Pessoa Obra potica. 3. ed. Rio de Janeiro: Jos Aguiar, 1969.) 13. Futurismo no BrasilFuturismo no Brasil Jos Oswaldo de Souza Andrade(1890-1954) Anita Malfatti (1889-1964) 14. reFernciasreFerncias BiBliogrFicasBiBliogrFicas Www.historiadaarte.com.br/linha/Futurismo.html acessado: 05/04/2015 www.inforescola.com.Literatura.html acessado:05/04/2015 www.suapesquisa.com/artes/literatura/artistas- Futuristas.html acessado : 05/04/2015 TERRA,Ernani.NICOLA,de.Jos.Portugus de olho no mundo do trabalho. So Paulo: Scipione,2014.p.444,445. 15. oBrigada pela ateno! N s queremos cantar o amo r ao perigo , o hbito energia e temeridade. Os elemento essencias de no ssa po esia sero a co ragem a audcia e a revo lta. N s queremo s cantar o ho mem que est na direo , cuja haste idealatravessa a terra arremessada so bre o circuito de sua rbita. (Fragmento do manifesto Futurista. Marinetti)