of 8/8
ANO XI - N º 74 | JANEIRO a ABRIL de 2015 www.ccme.org.br ÓRGÃO INFORMATIVO DO CENTRO CULTURAL DO MOVIMENTO ESCOTEIRO MEMÓRIA ESCOTEIRA 1 Centro Cultural do Movimento Escoteiro | Rua Primeiro de Março, 112 . Centro . Rio de Janeiro/RJ | Tel.: (21) 2233-9338 | www.ccme.org.br No dia 06 de fevereiro, o Exmo Sr. Almirante-de-Esquadra, Eduardo Bacellar Leal Ferreira, assumiu o cargo de Comandante da Marinha, em substituição ao Exmo Sr. Almirante-de-Esquadra, Julio Soares de Moura Neto, em cerimônia realizada no Grupamento de Fuzileiros Navais de Brasília. A solenidade foi presidida pelo Ministro da Defesa, Jaques Wagner, e contou com a presença de diversas autoridades civis e militares, dentre elas os ex-Ministros da Marinha, Almirante-de-Esquadra Alfredo Karam e o Almirante-de-Esquadra Mauro Cesar Rodrigues Pereira. O novo Comandante da Marinha, em sua juventude, foi membro do 123º Grupo Escoteiro do Mar Almirante Saldanha, que tem sua sede no Clube Naval Piraquê desde 1962. Por ocasião da festividade de 50 anos do grupo em 2012, ele proferiu alocução em nome dos antigos escoteiros. Naquela oportunidade relembrou : aqui aprendi a velejar na década de 60, ficava na fila para as atividades náuticas do Chefe Gouveia da Costa. A vivência como Escoteiro do Mar contribuiu decisivamente para minha escolha profissional”. Ingressou na Marinha em 1971 e foi declarado Guarda-Marinha em 1974. Em seus 44 anos de carreira, recebeu diversas condecorações e desempenhou importantes cargos de comando e direção, sendo o último como Comandante da Escola Superior de Guerra. NOVO COMANDANTE DA MARINHA DO BRASIL O Presidente do Centro Cultural do Movimento Escoteiro (CCME), Andre Torricelli F. da Rosa, esteve presente à cerimônia de posse do Almirante Leal Ferreira, acompanhado dos Srs Lucas Cureau de Bessa Antunes e Bruce Rodrigues, representando o 123º GEMAR/RJ e do Sr. Lafaiete Junior, do COREMAR- Adjunto da Região escoteira do Distrito Federal. 10º GRUPO DE ESCOTEIROS DO MAR COMEMORA 100 ANOS COM SOLENIDADE E EXPOSIÇÃO NO MUSEU NAVAL.

Download [2.96 MB]

  • View
    233

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Download [2.96 MB]

  • ANO XI - N 74 | JANEIRO a ABRIL de 2015

    w w w.c c m e.o r g . b rRGO INFORMATIVO DO CENTRO CULTURAL DO MOVIMENTO ESCOTEIROMEMRIA ESCOTEIRA

    1Centro Cultural do Movimento Escoteiro | Rua Primeiro de Maro, 112 . Centro . Rio de Janeiro/RJ | Tel.: (21) 2233-9338 | www.ccme.org.br

    No dia 06 de fevereiro, o Exmo Sr. Almirante-de-Esquadra, Eduardo Bacellar Leal Ferreira, assumiu o cargo de Comandante da Marinha, em substituio ao Exmo Sr. Almirante-de-Esquadra, Julio Soares de Moura Neto, em cerimnia realizada no Grupamento de Fuzileiros Navais de Braslia. A solenidade foi presidida pelo Ministro da Defesa, Jaques Wagner, e contou com a presena de diversas autoridades civis e militares, dentre elas os ex-Ministros da Marinha, Almirante-de-Esquadra Alfredo Karam e o Almirante-de-Esquadra Mauro Cesar Rodrigues Pereira.

    O novo Comandante da Marinha, em sua juventude, foi membro do 123 Grupo Escoteiro do Mar Almirante Saldanha, que tem sua sede no Clube Naval Piraqu desde 1962. Por ocasio da festividade de 50 anos do grupo em 2012, ele proferiu alocuo em nome dos antigos escoteiros. Naquela oportunidade relembrou : aqui aprendi a velejar na dcada de 60, ficava na fila para as atividades nuticas do Chefe Gouveia da Costa. A vivncia como Escoteiro do Mar contribuiu decisivamente para minha escolha profissional. Ingressou na Marinha em 1971 e foi declarado Guarda-Marinha em 1974. Em seus 44 anos de carreira, recebeu diversas condecoraes e desempenhou importantes cargos de comando e direo, sendo o ltimo como Comandante da Escola Superior de Guerra.

    NOVO COMANDANTE DA MARINHA DO BRASIL

    O Presidente do Centro Cultural do Movimento Escoteiro (CCME), Andre Torricelli F. da Rosa, esteve presente cerimnia de posse do Almirante Leal Ferreira, acompanhado dos Srs Lucas Cureau de Bessa Antunes e Bruce Rodrigues, representando o 123 GEMAR/RJ e do Sr. Lafaiete Junior, do COREMAR- Adjunto da Regio escoteira do Distrito Federal.

    10 GRUPO DE ESCOTEIROS DO MAR COMEMORA 100 ANOS COM SOLENIDADE

    E EXPOSIO NO MUSEU NAVAL.

  • ANO XI - N 74 | JANEIRO a ABRIL de 2015

    2Centro Cultural do Movimento Escoteiro | Rua Primeiro de Maro, 112 . Centro . Rio de Janeiro/RJ | Tel.: (21) 2233-9338 | www.ccme.org.br

    No dia em que o Rio de Janeiro comemorou 450 anos, outro evento abrilhantava esta data: a Solenidade de 100 anos do 10 Grupo de Escoteiros do Mar, realizada no Museu Naval, pertencente Diretoria do Patrimnio Histrico e Documentao da Marinha (DPHDM).

    A cerimnia contou com a presena de convidados civis e militares e de representantes de diversos Grupos de Escoteiros do Mar, como, por exemplo o 1 GE/RJ; 1 GE/SP; 2 GE/RJ; 4 GEMar/RJ; 7 GEMar/RJ; 11 GE/RJ; 12 GEMar/RJ; 15 GE/RJ; 31 GE/RJ; 49 GE/RJ; 50 GEMar/RJ; 75 GEAr/RJ; 90 GEMar/RJ; 116 GEMar/RJ; e 123 GEMar/RJ alm do prprio 10 GEMAR/RJ.

    Os seguintes convidados civis e militares fizeram parte da mesa diretora, a saber: Almirante-de-Esquadra Mauro Cesar Rodrigues Pereira (ex-Ministro da Marinha); Vice-Almirante (EN) Armando Senna Bittencourt( Diretor da DPHDM); Contra-Almirante Marcelo Francisco Campos (Comandante da Escola Naval); Sr. Jos Luis dos Santos Azevedo (Presidente do 10 Grupo); Sr. Luis Carlos Gabriel (Decano dos Escoteiros do Mar de So Paulo); Sr. Luiz Fernando Santos Reis (neto dos fundadores do 10 Grupo); e Sr. Andre Torricelli F. da Rosa (Coordenador Nacional dos Escoteiros do Mar e Presidente do CCME). A abertura da solenidade foi marcada pelo desfile das bandeiras do 10

    Grupo, da Modalidade do Mar e do Rio de Janeiro. O pavilho nacional j se encontrava hasteado.

    O Almirante-de-Esquadra Mauro Cesar, ex- Ministro da Marinha, abriu a cerimnia, relembrando histrias do escotismo do Mar e enfatizando a sua importncia para a sociedade brasileira.

    Em seguida, o Almirante Bittencourt ressaltou que, frequentemente, o Museu Naval recebe, com muita satisfao, a visita dos Escoteiros nos diversos eventos promovidos em sua sede, e, em especial, na abertura da exposio do 10 Grupo de Escoteiros do Mar alusiva ao evento em questo.

    A cerimnia de entrega do Certificado de Reconhecimento Histrico ao 10 Grupo de Escoteiros do Mar foi presidida pelo Presidente do Conselho Diretor do CCME, Contra-Almirante Marcelo Francisco Campos. O Sr. Andre Torricelli F. Rosa, Coordenador Nacional dos Escoteiros do Mar, ressaltou o apreo sempre demonstrado pelo falecido Almirante-de-Esquadra Valbert Lisieux Medeiros de Figueiredo, ex- Ministro Chefe das Foras Armadas, como antigo Escoteiro do 10 Grupo, e tambm pelo Comandante Carlos Borba, tambm ex-Escoteiro do Mar e, na oportunidade, realizou a entrega do Trofu Jequitib, conferido pela Direo Nacional da Unio dos Escoteiros do Brasil, em reconhecimento aos 100 anos de boas e ininterruptas atividades deste Grupo de Escoteiros.

    O Sr. Luiz Carlos Gabriel, Decano dos Escoteiros do Mar de So Paulo, ao parabenizar o 10 Grupo por essa marca histrica, destacou a importncia da defesa das tradies do Escotismo do Mar, por ele muito vivenciada.

    O encerramento do evento foi marcado pelo discurso do Presidente do 10 Grupo, Sr. Z Lula, que agradeceu a participao de todos os presentes e enalteceu a memria dos antigos Escoteiros que fizeram parte dessa comovente histria. Por fim, convidou todos os presentes para uma foto oficial.

    Foram entregues medalhas especiais para os representantes da mesa diretora, uma para a Sra Karina Bez do 90 GEMAR/RJ, representando os Grupos de Mar da Regio do Rio de Janeiro e a oitava medalha foi oferecida ao Presidente Nacional da UEB, Sr. Marco Romeu Aurlio Fernandes, a ser entregue na prxima Assembleia Nacional em So Paulo.

    A exposio estar no Museu Naval at o dia 3 de maio, sendo que no dia 20 ser reinaugurada na sala de exposies do CCME.

    VISITAOSegunda a Sexta, 09h:00 s 18:00 | Sbados e Domingos: Agendamento Prvio

  • ANO XI - N 74 | JANEIRO a ABRIL de 2015

    3Centro Cultural do Movimento Escoteiro | Rua Primeiro de Maro, 112 . Centro . Rio de Janeiro/RJ | Tel.: (21) 2233-9338 | www.ccme.org.br

    O 10 Grupo de Escoteiros do Mar foi fundado em 1 de maro de 1915, nas dependncias da 4 Escola Masculina do 3 Distrito, centro do Rio de Janeiro, ento capital federal do Brasil, numa regio perigosa da cidade. O ento delegado de polcia Elysio de Arajo, que em suas memrias escreveu que a tropa foi constituda por meninos, em sua maioria, de uma zona pouco recomendvel pelos seus antecedentes policiais e elogia o trabalho admirvel dos fundadores. Desde o incio o patrono do 10 o heri Tiradentes, mrtir da independncia.

    FUNDADORES:

    O Almirante Amphiloquio Reis, nascido em 29/12/1877, se tornou aspirante a Guarda Marinha em 17/06/1895. Foi um dos oficiais do Encouraado Minas Gerais, que estiveram na Inglaterra durante o perodo de construo da frota brasileira (1909/1910). Presenciou a exploso do nascimento do escotismo em solo ingls e esteve a bordo na viagem que o trouxe para o Brasil.

    A bordo do Contra Torpedeiro Paran que estava

    atracado no Rio de Janeiro de fevereiro a abril de 1915, fundou a Tropa Tiradentes. Reformou-se em 12/08/1941;

    Thereza Maurity dos Santos Reis, esposa de Amphiloquio, era a diretora da 4 Escola Masculina, e de acordo com seu neto Luiz Fernando, foi fundadora de diversas escolas pblicas no Rio de Janeiro na qualidade de diretora. Foi profissional da educao, no incio do sculo passado, sem deixar de lado a famlia pela qual era bastante dedicada;

    CENTENRIO DO DCIMO GRUPO DE ESCOTEIROS DO MAR

    O sargento da marinha Gelmirez de Mello nasceu em 15/04/1894 e chamado pelo Almirante, realizou sua promessa escoteira em 15/03/1915. Veterano da 1 Guerra Mundial, aviador da Marinha, maom grau 33, catlico fervoroso, poeta, diretor do Olaria FC exerceu diversos cargos na FBEM e na UEB. Fez viagens, escreveu cartas, artigos, revistas, ofcios, organizou grandes eventos escoteiros, e dirigiu o dcimo como tropa modelo dos Escoteiros do Mar por exatos 50 anos. Foi aluno-instrutor do primeiro curso de Insgnia de Madeira do Brasil. Se reformou em 1922 e faleceu em 25/09/1965 ainda a frente do 10Grupo, deixando uma sede prpria que ele mesmo liderou a construo.

    SEDES:

    Com a organizao da Federao Brasileira de Escoteiros do Mar, a tropa deixa a sede na 4 Escola Masculina e passa a estar alocada junto a FBEM. A segunda sede foi em um andar no prdio do Ministrio da Pesca, na Praa XV, onde hoje se encontra o quadrado de gua abrigada entre a Capitania dos Portos e a Estao das Barcas. Com a perda desse espao, o dcimo chegou a ficar sem sede, realizando atividades na Praa XV como contava o Almirante Valbert Lisieux Medeiros, que participou do grupo nessa poca. J em 1938 as embarcaes se encontravam na Base Naval Oeste, no Porto de Maria Angu (Avenida Brasil), enquanto existia uma sede administrativa na Praa Marechal ncora (centro), onde o 10 Grupo cedeu espao Regio Escoteira do Rio de Janeiro. Gelmirez de Mello buscou um local definitivo para sede prpria tendo em vista que ocorreram conflitos com a administrao da Regio Escoteira junto a Base Naval Oeste, tendo assinado Termo de Parceria com o Iate Clube de Ramos em 1961. A construo da sede foi feita atravs de uma campanha financeira com a Carta Apelo direcionada a Todos os Chefes e Antigos Escoteiros do 10Grupo e, excepcionalmente, queles que merecem esse tratamento. Antes da comemorao dos cinquenta anos, em 1965, a sede estava construda e todos os bens levados para l. O grupo definitivamente estava instalado no Iate Clube de Ramos.

    Em 2015 o 10Grupo de Escoteiros do Mar completa seu primeiro centenrio de boas e ininterruptas atividades, desde sua fundao como Tropa de Terra e a incorporao pela Federao Brasileira dos Escoteiros do Mar em 1921. Cem anos de servio comunidade merecem ser destacado com toda a relevncia.

    *Andre Torricelli F. da Rosa.

  • ANO XI - N 74 | JANEIRO a ABRIL de 2015

    4Centro Cultural do Movimento Escoteiro | Rua Primeiro de Maro, 112 . Centro . Rio de Janeiro/RJ | Tel.: (21) 2233-9338 | www.ccme.org.br

    EVOLUO HISTRICA:

    Fundado em 1915 a Tropa Tiradentes era da modalidade de terra. A partir de 1919 a Misso Jos Bonifcio, realizada pela Marinha do Brasil, visou organizar as Colnias de Pesca na costa brasileira, e nelas criar escolas e grupos de escoteiros do mar como relata o prprio comandante da expedio, Frederico Villar. Em agosto de 1921 a Tropa Tiradentes se converteu em Tropa de Mar e junto com outras trs (Santos, Jequi e Cabo Frio), incorpora a Confederao Brasileira de Escoteiros do Mar.

    Em 1922, a figura jurdica foi modificada para Federao (FBEM), e dentro daquela nova estrutura recebe o nome de 10Grupo. Relata a Sr Lidya de Mello, filha do chefe Gelmirez, hoje com mais de 90 anos de idade, que a Tropa Tiradentes foi a dcima tropa da Capital, oriunda da iniciativa da Marinha com os Encouraados Minas Gerais e So Paulo em 1910, quando fundaram o Centro de Boys Scouts do Brazil. Por este motivo, em 1921 e 1922, Gelmirez fez questo de manter o nome 10Grupo, garantindo a tradio de ser a dcima tropa desde aquela iniciativa. Os demais grupos chamavam-se Associao, o dcimo era o nico com designao diferenciada de Grupo.

    Em algumas publicaes Gelmirez comemora aniversrios a partir de 1921 ou 1922, quando passou a utilizar a denominao 10Grupo. Porm se refere em outros textos, no mesmo perodo, ao 10 Antigo. Nas documentaes da FBEM e do 10Grupo, nota-se que aps dez ou quinze anos passados, que passam a se referir como

    a data de fundao da FBEM em 1921 e o Dcimo 1915, unindo todos os perodos e nomes histricos em um s entendimento, consolidando a compreenso. Esta situao jurdica tambm se explica pelas constantes interferncias governamentais no terceiro setor, com Leis, Cadastros e obrigatoriedade de modificao de nomes, designaes e nomenclaturas o escotismo de forma geral passou por estas obrigatoriedades, como tambm ocorreu com as Escolas de Samba no Rio de Janeiro. Com a criao da UEB em 1924, juntando as diversas Federaes, em 1956 os que usavam a denominao Associao Escoteira passam a ser nomeados por Grupo. Sendo que nesta consolidao de vocabulrio escoteiro, o dcimo no sofreu alterao.

    RELEVANTES ACONTECIMENTOS:

    Diversos acontecimentos contaram com a participao do 10Grupo, como os Desfiles para o Presidente da Repblica em 1916, 1917 e 1918, a participao nos Grandes Jogos Navais, Regatas ao redor da Ilha do Governador, Cruzeiros a Angra dos Reis, Regatas da Escola Naval e outros.

    As participaes internacionais relevantes da histria do 10 Grupo ocorreram com o Jamboree Mundial de 1929, na Inglaterra, onde o 10 foi representado por uma patrulha e em agosto de 2010, com os pioneiros Robson e Jackeline que representaram o Brasil na Copa Internacional dos Escoteiros do Mar, que organizada na Coast Guard Academy, New London (Connecticut), pela BSA. Em fevereiro de 2014 o 10 recebeu um dia de atividades do ENAMAR (encontro nacional de chefes do mar) que estava ocorrendo na Casa do Marinheiro.

  • ANO XI - N 74 | JANEIRO a ABRIL de 2015

    5Centro Cultural do Movimento Escoteiro | Rua Primeiro de Maro, 112 . Centro . Rio de Janeiro/RJ | Tel.: (21) 2233-9338 | www.ccme.org.br

    COMENDAS:

    A bandeira do 10 Grupo de Escoteiros do Mar j recebeu por duas vezes a segunda comenda mais alta do escotismo brasileiro, a Medalha Tiradentes. Estas deferncias ocorreram em 02/09/1935 e 13/03/2012. O 10 Grupo tambm recebeu moes pelo seu trabalho com a juventude da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro e da Cmara Municipal do Rio de Janeiro, em diversas oportunidades.

    O chefe Gemirez de Mello recebeu diversas comendas, sendo a mais alta o Tapir de Prata, que a maior comenda do escotismo brasileiro, em 1941, entregue pelas mos do Almirante Benjamin Sodr, o Velho Lobo.

    Em 12/05/2009 outro Chefe do 10 Grupo reconhecido com uma alta comenda, a Medalha Tiradentes da UEB, o chefe Jos Luiz Azevedo, que por trs dcadas dirige o 10 Grupo e d suporte para diversas atividades dos Escoteiros do Mar. No exato dia em que o grupo comemorou seu Centenrio, em 1 de maro de 2015, lhe foi conferido o Trofu Jequitib.

    PERSONALIDADE:

    O Almirante Valbert Lisieux Figueiredo nasceu em Tubaro (SC) em 07/10/1928. Veio para o Rio de Janeiro logo jovem e integrou o 10 Grupo na dcada de 30 e 40. Fervoroso defensor do Escotismo do

    Mar fez a oratria em homenagem ao Chefe Gelmirez na Assembleia Regional Escoteira que o homenageou em 1991 na cidade de Volta Redonda. Sua carreira na Marinha comeou em 1946 como Aspirante a Guarda-Marinha e chegou a Ministro Chefe do Estado Maior das Foras Armadas no perodo de 20/06/1988 a 05/01/1990. Do escotismo, recebeu duas vezes a Medalha de Gratido no grau Ouro, sendo que a segunda na comemorao do centenrio mundial do escotismo do mar em 2009. Retornou ao Grande Acampamento no Rio de Janeiro, em 18/03/2011. Foi o escoteiro mais famoso a ser formado nas fileiras do 10GEMAR, onde passou a infncia e adolescncia. #

    Passamos a destacar anualmente alguns temas que merecem grande considerao. Neste caso, para o ano de 2015 os temas em destaque sero: Centenrio do 10 Grupo; 30 anos do CCME; 90 anos do Guia do Velho Lobo.

    Ao longo do ano certamente outros temas sero abordados sendo que os trs referidos sero principais. O CCME participar organizando exposies, fazendo pesquisas elaboradas e destacando os assuntos com a maior relevncia possvel.

    Destacamos os cem anos de um grupo, que perfaz a essncia da prtica do escotismo. Os trinta anos de nosso centro cultural tambm constitui um captulo importante e que por conta desse esforo histrico que estamos hoje divulgando tais momentos.

    TEMAS EM DESTAQUE PARA 2015

    O famoso Guia do Velho Lobo que chegou aos noventa anos de publicao, foi reeditado pelo CCME e segue sua funo histria de primeiro manual escoteiro a circular pelo Brasil inteiro, influenciando geraes e geraes o nosso Escotismo para Rapazes brasileiro. Para comemorar o assunto tripartido, o CCME lanar uma cartela de insgnias para colecionadores onde os distintivos abordaro os temas.

    Mais dois temas so tidos de grande relevncia e contaro com o destaque necessrio, sendo estes os Centenrios do escotismo no Esprito Santo e em Minas Gerais - em especial na cidade de Juiz de Fora.

  • ANO XI - N 74 | JANEIRO a ABRIL de 2015

    6Centro Cultural do Movimento Escoteiro | Rua Primeiro de Maro, 112 . Centro . Rio de Janeiro/RJ | Tel.: (21) 2233-9338 | www.ccme.org.br

    Na noite de 27 de maro, uma sexta-feira, a Sala Almirante Benjamin Sodr foi palco da apresentao do novo e moderno Web Sitio do nosso Centro Cultural. A pgina foi construda pelo micro empresrio Frederico Renan Gauz que um antigo escoteiro do 123GEMAR Alte Saldanha em ao conjunta com o novo Presidente do CCME, Andre Torricelli. Frederico nos brindou com sua vasta experincia profissional disponibilizando as ferramentas e avaliaes da empresa que tambm se tornou conveniada do CCME.

    Durante a cerimonia todos os novos recursos foram apresentados tais como a rea do Associado, Tour Virtual, informativo Memria Escoteira, espao para Artigos, Publicaes e Acervos em destaque, diversos outros itens que abrilhantaro nossa misso que promover a cultura e a memria do escotismo.

    LANAMENTO DO NOVO SITE DO CCME

    Com o lanamento do novo Site a diretoria espera que as mensagens do escotismo espalhem-se por todos os lados e que a essncia do escotismo no seja esquecida.

    O CCME agora possui uma pgina digna do que representa para o escotismo brasileiro e esperamos a colaborao de todos que desejarem, para tornar nosso espao cada vez mais til e interessante, fomentando o escotismo.

    A noite dessa sexta-feira, foi encerrada com um belssimo coquetel e contou com a presena do Almirante Marcelo Francisco Campos, presidente do Conselho Diretivo.

    A primeira semana de fevereiro abriu o calendrio de cursos e eventos do CCME com o j conhecido curso de primeiros socorros. O diretor do curso foi o Enfermeiro Hermes Berenhaud que instrutor ECSI, tendo na sua equipe o chefe escoteiro Jos Carlos Cardoso.

    CURSO DE PRIMEIROS SOCORROS

    A turma contou com cerca de 40 alunos, na maioria escoteiros, atendendo tambm pessoas da comunidade. Ao final do curso que somou 40 horas aula, houve uma visita tcnica ao Quartel Central do Corpo de Bombeiros. Puderam aprender na pratica como funciona a aparelhagem dos carros de bombeiros, materiais de resgate e salvamento, tal como a sala que recebe os chamados de socorro dentre vrias tcnicas de primeiros socorros que devem ser assimiladas pelos escoteiros. Outro curso j est previsto para o segundo semestre.

    O CCME montou um painel de divulgao durante o evento nacional dos escoteiros que professam a F catlica. A Chefe de Escoteiros do Mar, Karina Baez, conversou com diversos jovens e adultos explicando sobre o CCME e distribuiu folhetos de oraes escoteiras convidando-os a enviarem seus materiais histricos para a preservao da memria escoteira. Aps a celebrao da Missa, que foi dirigida pelo Bispo de Aparecida do Norte, Dom Raimundo Damasceno, e que contou com a participao do Capelo Nacional

    12 ROMARIA NACIONAL ESCOTEIRA EM APARECIDA DO NORTE (SP) 26/04/2015

    Escoteiro, Dom Maurcio Grotto, e do Capelo Mundial Escoteiro, Jacques Gagey, o Presidente do CCME teve a oportunidade de falar para o pblico convidando-os a conhecer o CCME e colaborar com sua misso de preservar a memria do escotismo. O painel de divulgao esteve colocado junto recepo dos peregrinos escoteiros, com grande destaque.

    SEJA SCIO!APROVEITE NOSSOS CURSOS E EVENTOS. AJUDE A MANTER A MEMRIA ESCOTEIRA.

    Entre em contato:[email protected]

  • ANO XI - N 74 | JANEIRO a ABRIL de 2015

    7Centro Cultural do Movimento Escoteiro | Rua Primeiro de Maro, 112 . Centro . Rio de Janeiro/RJ | Tel.: (21) 2233-9338 | www.ccme.org.br

    Pe. Joo Penha - Comissrio Regional do Rio Grande do Norte.

    possvel um vigrio organizar uma Tropa de Escoteiros?Isso pode parecer impossvel. E muitos vigrios tem boa vontade,

    at desanimam, quando pensam no imenso trabalho que iriam ter, no grande tempo que iriam dispender na organizao de uma Tropa de Escoteiros. Mas meu caro, quem lhe fala, quem j fez a experincia. Sim, possvel ao vigrio, apesar dos seus mltiplos afazeres paroquiais, dispender um tempinho na organizao de uma Tropa de Escoteiros.

    E, no s possvel, mas utilssimo ! Sabe por que ?

    Primeiro que tudo, meu caro, voc h de olhar a vida paroquial sobre um outro prisma.

    Voc no h de querer apenas ser o organizador dos seus escoteiros; voc procure ser escoteiro com eles

    h, como a vida paroquial lhe ser mais bela !

    h, como seus paroquianos o vero sempre risonho, alegre, satisfeito. voc mesmo saindo para o campo, com os seus escoteiros, ver como Deus grande ! E, tem conhecimentos teolgicos, sentirse- o mais escoteiros dentre os seus escoteiros.

    Voc sentir-se- mais Padre.

    De baixo da abboda imensa do tempo, da natureza, voc sendo (simples como as crianas), sentir-se- mais perto de Deus.

    Procurando ser fiel doutrina do escotismo, voc ser fiel ao seu sacerdcio.

    Voc no ser um pessimista nem um derrotado, mas ser alegre nas dificuldades sempre desejoso de sofrer por amor de nosso Senhor. Sempre pronto para se lanar nas mais terrveis aventuras afim de ganhar almas para Deus.

    E os seus escoteiros?

    Eles pressentiro que h uma fora misteriosa que o impulsiona a dar estas arrancadas assombrosas, a fora da Graa Sacramental, e se entregaro, em suas mos.

    E que timos coadjutores no seu trabalho apostlico! Enquanto voc trata de plasmar neles os caracteres do homem de bem, de introduzir neles a vida crist perfeita, eles prprios se transformaro em apstolos, sempre alertas para o ajudar no que for preciso.

    Voc tendo uma boa tropa de escoteiros, ter resolvido o problema to srio dos coroinhas na sua Parquia.

    Escoteiro, cnscio do cumprimento do dever, se interessa a ajudar o SANTO SACRIFCIO, no s como obrigao; mas com satisfao se aproxima do altar, certo de que vai executar uma cerimonia de grande responsabilidade.

    O PROCO E O ESCOTISMOPublicado em 1960 pela Revista ALERTA

    Voc meu caro Proco, ter seu coro paroquial bem organizado e sem problemas, pois os meninos sentir-se-o alegres sabendo que esto fazendo alguma coisa de til. Todo movimento que quiser comear na sua Parquia, voc ter uma tropa de choque para lanar a primeira ofensiva.

    Voc gosta do movimento litrgico? Comece a Missa dialogada com os seus escoteiros. Quer rezar a prima do brevirio como orao da manh? Comece pelos escoteiros. Depois que eles aprenderem, deixe que eles se encarregaro do resto. Voc, finalmente, estar com a vida da Parquia em mos.

    Mas olhe o principal voc est preparando os futuros militantes da ao catlica masculina! Com jovens dessa tmpera, formados nessa escola, voc poder formar mais tarde, as suas equipes de Ao Catlica, no de nome, mas realidade.

    Voc sabe quo difcil tem sido at hoje o problema da Ao Catlica Masculina no Brasil.

    Foi porque ainda no quiseram o remdio. Sabemos que na Europa, a mocidade, antes de ingressar na Ao Catlica recebe o bafejo sadio dessa escola de vida que o escotismo.

    Primeiro que tudo, deve ler alguma coisa sobre o escotismo. No precisa muita coisa. Leia o Guia do Chefe de Baden-Powell, e o livro: Para ser Escoteiro. Pronto. Comece por a. Com o tempo, voc ir alimentando os seus conhecimentos. Voc tem formao. Estudou psicologia, tem alguns conhecimentos pedaggicos. Tudo vai lhe ser til.

    Se tiver na sua Parquia um rapaz viril e de bons costumes com o que voc possa contar, voc ser um fazendeiro. Mas voc mesmo ser o organizador da sua primeira patrulha. Seis meninos bons ! Escolha logo o monitor. V jogando o negcio para a cabea dos meninos. devem aprender o cdigo. Comece as excurses. Mas no se esquea: os pais ja devem estar a par do que se passa.

    Bem preparada a primeira patrulha, v pegando os meninos com jeito.

    Agora, todos os meninos querem ser escoteiros. Tenha cuidado ! Voc no deve desprezar os outros, mas no esquea: o essencial no o nmero ! Arranje uma bola, uma brincadeira qualquer. Os escoteiros mesmos lhe ajudaro nesta tarefa. E assim vai alimentando o contingente. Dentro de pouco tempo voc ver o resultado do seu esforo.

    Seja obediente aos princpios do escotismo.

    Procure fazer com que os meninos se sintam cnscios de sua responsabilidade, e satisfao em ver seus garbosos rapazes respeitados por todos, sempre prontos a servir de boa vontade.

    Experimente. No desanime.

  • ANO XI - N 74 | JANEIRO a ABRIL de 2015

    8Centro Cultural do Movimento Escoteiro | Rua Primeiro de Maro, 112 . Centro . Rio de Janeiro/RJ | Tel.: (21) 2233-9338 | www.ccme.org.br

    PRXIMOS CURSOS:

    6 de Maio: Bsico de Montanhismo

    9 de Maio: Canes Escoteiras brinquedo cantado

    11 de Junho: (ADM) Indicadores de Desempenho

    14 de Junho: Artes do Marinheiro, Ns e Voltas

    10 de Agosto: (ADM) Gesto de Pessoas

    *acesse nosso Site para verificar os prazos de inscrio.

    EXPEDIENTE:

    Comisses Diretivas:Presidente da Assembleia: Alte Mauro Cesar R. PereiraPresidente do Conselho: Alte Marcelo Francisco CamposPresidente da Comisso Fiscal: Karina Baez Freire de Andrade

    Diretoria:Presidente: Andre Torricelli F. da Rosa1 Vice Presidente: Andr Gustavo S. S2 Vice Presidente: Ana Cristina Lemos BastoDiretor de Acervo: Maria Ceclia M. RodriguesDiretor de Escotismo do Mar: Claudia Regina FerreiraDiretor Administrativo: Lucas O. Castelo BrancoDiretor Cultural: Marta Santos Caminha

    Projeto Grfico e Diagramao: Hayla de Deus www.liasoaresdg.com

    Reviso:Teresa de Leon da Luz Pinheiro - [email protected] Marcia Malta - Assessora de Relaes Pblicas - Escola Naval

    PRXIMOS EVENTOS:

    Abertura da Exposio - Centenrio do 10GEMAR-RJ20 de Maio s 19h - Sala Alte Benjamin Sodr

    Em 12 de abril Retornou ao Grande Acampamento o querido Chefe Fraga, referncia do escotismo alagoano e heri brasileiro na Segunda Guerra Mundial. Dentre seus feitos pelo Movimento Escoteiro destacamos a fundao da Associao dos Pais e Amigos do Grupo Escoteiro do Mar Alte. Soares Dutra (AGEMAR), a presidecia da Regio

    Escoteira de Alagoas e a aproximao com a Marinha do Brasil naquela regio. Recebeu as comendas escoteiras de Bons Servios, Gratido, a Cruz de So Jorge, a Medalha Tiradentes e duas placas de Prata de seu grupo. Foi um intenso colaborador que marcou muitos jovens e adultos escoteiros que consigo conviveram.Em 12 de abril Retornou ao Grande Acampamento o querido Chefe Fraga, referncia do escotismo alagoano e heri brasileiro na Segunda Guerra Mundial. Dentre seus feitos pelo Movimento Escoteiro destacamos a fundao da Associao dos Pais e Amigos do Grupo Escoteiro do Mar Alte. Soares Dutra (AGEMAR), a presidecia da Regio Escoteira de Alagoas e a aproximao com a Marinha do Brasil naquela regio. Recebeu as comendas escoteiras de Bons Servios, Gratido, a Cruz de So Jorge, a Medalha Tiradentes e duas placas de Prata de seu grupo. Foi um intenso colaborador que marcou muitos jovens e adultos escoteiros que consigo conviveram.

    RETORNOU AO GRANDE ACAMPAMENTOEstimados amigos com satisfao que informamos que a

    nossa nova equipe assumiu o CCME em primeiro de janeiro dando incio imediato s pesquisas histricas e aes necessrias para dar prosseguimento a este trabalho to importante.

    Os primeiros quatro meses da nova gesto foram bastante movimentados. Realizamos cursos, preparamos e lanamos nosso novo Web Site, apoiamos a exposio sobre o Centenrio do 10Grupo no Museu Naval e estivemos representados junto ao IBRAM (Instituto Brasileiro de Museus) do Ministrio da Cultura.

    Temos buscado cada vez mais contatos institucionais, convnios, cursos e parcerias para garantir que o CCME esteja permeando a sociedade com a cultura do movimento fundado por Baden-Powell. Podemos citar os contatos de aproximao com a BIBLIEX, a Federao de Bandeirantes do Brasil (FBB), o Governo do Estado do Rio de Janeiro, a Patrulha Jaguatirica de historiadores e diversos rgos da Marinha do Brasil que j nos apoia. Nossos diretores tambm participaram de reunies com a Diretoria Executiva Nacional da Unio dos Escoteiros do Brasil, no 21 Congresso Escoteiro Nacional em So Bernardo do Campo (SP), na 12 Romaria Nacional Escoteira em Aparecida do Norte (SP) onde montamos um painel de divulgao e da posse do novo Comandante da Marinha, o Alte Leal Ferreira, em Braslia. Especialmente, ressaltamos a grande movimentao de pessoas que a cada dia mais nos visitam, seja para apreciar a exposio, seja em virtude dos eventos que movimentam o CCME ou para tomar um caf e contar a sua histria escoteira.

    O importante que desejamos acolher ao melhor estilo. Sejam bem vindos!

    Andre Torricelli F. da Rosa Presidente

    MENSAGEM DO PRESIDENTE