Nutr­cias n12

  • View
    268

  • Download
    9

Embed Size (px)

DESCRIPTION

A revista da Associação Portuguesa dos Nutricionistas

Text of Nutr­cias n12

  • Ficha TcnicaRevista Nutrcias N.12 Abril 2012 | ISSN 1645-1198 | Depsito Legal 163637/01 | Revista da Associao Portuguesa dos Nutricionistas | Rua Joo das Regras, n. 284, r/c 3,

    4000-291 Porto | Tel.: +351 22 208 59 81 | Fax: +351 22 208 51 45 | Email: revistanutricias@apn.org.pt | Propriedade Associao Portuguesa dos Nutricionistas | Tiragem 3000

    exemplares | Periodicidade 4 nmeros/ano (1 edio em papel e 3 em formato digital): Janeiro-Maro; Abril-Junho; Julho-Setembro e Outubro-Dezembro | Concepo Grfica Muris - Grupo de Comunicao | Impresso Muris - Grupo de Comunicao | Notas Esta revista no foi escrita ao abrigo do novo acordo ortogrfico. Os artigos publicados so da exclusiva responsabilidade dos autores, no coincidindo necessariamente com a opinio da Associao Portuguesa dos Nutricionistas. permitida a reproduo dos artigos publicados

    para fins no comerciais, desde que indicada a fonte e informada a revista.

    Corpo

    EditorialDirectoraHelena vila M. | Associao Portuguesa dos Nutricionistas, Porto

    Coordenador Conselho CientficoNuno Borges | Associao Portuguesa dos Nutricionistas, Porto

    Coordenadora EditorialHelena Real | Associao Portuguesa dos Nutricionistas, Porto

    Conselho CientficoAda Rocha | Faculdade de Cincias da Nutrio e Alimentao da Uni-versidade do Porto, PortoAlejandro Santos | Faculdade de Cincias da Nutrio e Alimentao da Universidade do Porto, PortoAna Cristina Santos | Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, PortoAna Gomes | Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Catlica, Porto Ana Paula Vaz Fernandes | Universidade Aberta, LisboaAna Rito | Instituto Nacional de Sade Dr. Ricardo Jorge, LisboaAndreia Oliveira | Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, PortoBruno Lisandro Sousa | Regio Autnoma de Sade da Madeira, MadeiraCarla Lopes | Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, Porto Carla Pedrosa | Faculdade de Cincias da Nutrio e Alimentao da Uni-versidade do Porto, Porto Carmen Brs Silva | Faculdade de Cincias da Nutrio e Alimentao da Universidade do Porto, Porto Cludia Silva | Universidade Fernando Pessoa, PortoConceio Calhau | Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, Porto

    Duarte Torres | Faculdade de Cincias da Nutrio e Alimentao da Uni-versidade do Porto, Porto Elisabete Pinto | Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Catlica, PortoElisabete Ramos | Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, PortoFlora Correia | Faculdade de Cincias da Nutrio e Alimentao da Uni-versidade do Porto, PortoIsabel Monteiro | Centro de Sade de Aldoar, ARS Norte, PortoMaria Daniel Vaz de Almeida | Faculdade de Cincias da Nutrio e Ali-mentao da Universidade do Porto, Porto Nelson Tavares | Universidade Lusfona de Humanidades e Tecnolo-gias, LisboaNuno Borges | Faculdade de Cincias da Nutrio e Alimentao da Uni-versidade do Porto, Porto Olvia Pinho | Faculdade de Cincias da Nutrio e Alimentao da Uni-versidade do Porto, Porto Paula Ravasco | Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, Lis-boaPedro Graa | Direco-Geral da Sade, LisboaPedro Moreira | Faculdade de Cincias da Nutrio e Alimentao da Universidade do Porto, PortoRoxana Moreira | Instituto Superior de Cincias da Sade do Norte, PortoSandra Leal | Instituto Superior de Cincias da Sade do Norte, PortoSara Rodrigues | Faculdade de Cincias da Nutrio e Alimentao da Universidade do Porto, PortoTeresa Amaral | Faculdade de Cincias da Nutrio e Alimentao da Universidade do Porto, Porto Vitor Hugo Teixeira | Faculdade de Cincias da Nutrio e Alimentao da Universidade do Porto, Porto

    ndiceEDITORIALHelena vila M.

    CIENTIFICIDADES - ARTIGOS ORIGINAISContribuio para o Conhecimento do Perfil de Sade na Privao SocioeconmicaRui Valdiviesso, Teresa Amaral

    Avaliao do Risco de Desnutrio pelo Mtodo de Rastreio MUST no Hospital de Santa LuziaMaria Joo Cunha, Elisa Ruivo, Graa Ferro

    Avaliao dos Cadernos de Encargos dos Municpios Portugueses para o Fornecimento de Refeies EscolaresManuela Marinho, Ada Rocha, Helena vila M.

    O Efeito da Codificao da Desnutrio no Financiamento HospitalarAlexandra Coelho, Ins Ferreira, Paula Alves, Lurdes Trigo, Teresa Amaral

    Programa de Promoo da Qualidade Nutricional das Refeies em Estabelecimentos de Educao do Algarve Avaliao FinalTeresa Sancho, Ana Candeias, Clia Mendes, Sara Andrade, Ceclia Santos, Laura Silvestre, Lisa Cartaxo, Joo Pelica

    Relevncia das Sobremesas Diet como Estratgia Nutricional na Alimentao ColectivaRute Henriques, Egdia Vasconcelos, Raquel Neto, Beatriz Oliveira

    3

    4

    4

    8

    12

    18

    20

    24

    CIENTIFICIDADES - ARTIGOS DE REVISO

    A Fragilidade e a Sarcopenia na Pessoa Idosa a Importncia da Interveno NutricionalHlia Barros, Joo Balinha

    Curvas de Crescimento na Paralisia Cerebral Quais as Mais Indicadas?Maria Antnia Campos

    Doena Celaca o Estado da ArteAna Pimenta Martins, Elisabete Pinto, Ana Gomes

    Utilizao do ndice Glicmico para Melhor Controlo da Glicemia e Peso CorporalCeclia Curto, Susana Sinde

    PROFISSIONALIDADES

    Nutricoaching Uma Nova Abordagem para Aumentar o Sucesso na Consulta de NutrioJoana Carvalho Costa

    Apostar no Treino em Competncias de Comunica-o dos Alunos EstagiriosAna Candeias

    OPORTUNAMENTE EMPREENDIRodrigo AbreuAndreia SantosMariana BessaHilrio JesusVanessa CandeiasFilomena Gomes

    NORMAS DE PUBLICAO

    30

    30

    34

    36

    40

    44

    44

    48

    52535455565758

    60

  • Editorial

    NutrciasChega hoje s suas mos o dcimo segundo exemplar da Revista Nutrcias. Para alm da relevncia que este facto comporta por si s, constitui tambm a celebrao do empenho, da insistncia e da vontade de ir mais longe de todos os que possibilitaram a edio dos exemplares anteriores. A todos, um sincero bem hajam.Os projectos que se intuem como indispensveis, carecem de dois atributos para se tornarem consistentes: serem suficientemente humildes para procurarem corresponder s pretenses dos que envolvem e satisfatoriamente arro-jados para persistirem no reconhecimento da sua importncia.Ora, este labor da eterna descoberta que, embora acarrete momentos de fragilidade e de dvida, possibilita que novos mundos ao mundo se vo mostrando e que o outro seja um pouco mais de mim mesmo.No poderemos, como tal, descurar opes pareceres diferenas disposies, mas sim assumir a capacidade de conectar o no conectado, de nada coarctar da criatividade e do engenho dos profissionais do mundo da nutrio e alimentao e de todos os que connosco se revem na tarefa de abrir e consolidar canais de comunicao que facilitem a partilha do conhecimento e das boas prticas que lhes esto associados.A sociedade contempornea tornou os recursos informao, conhecimento, experincia e ensaio primordiais na rea-lizao da maioria das actividades humanas, seja no processo de estudo-ensino-aprendizagem, no de investigao--inovao-empreendedorismo, seja no de prevenir-tratar-promover.Contudo, devido ao crescente volume de produo do conhecimento cientfico, tambm necessrio garantir o acesso e a pesquisa eficaz e vlida do patrimnio intelectual existente. Infere-se que, a jusante, se disponibilizem meios para que a produo cientfica seja publicada e devidamente comunicada, permitindo que se estabelea a interaco entre o consumidor e a prpria pesquisa.Como li algures, Its not about eating, its about feeding!.No panorama nacional, as revistas de produo cientfica na rea da nutrio e alimentao so escassas e real-mente necessrio que, em Portugal ou de Portugal, esse conhecimento criado seja continuamente actualizado e compartilhado, num processo dinmico e contnuo, o que depende de processos articulados e de pessoas capacitadas.Entendeu a Associao Portuguesa dos Nutricionistas que eram chegadas a necessidade e a capacidade de indexar a Revista Nutrcias, posicionando-a como veculo de comunicao referencial entre os nutricionistas e investigado-res de outras reas, as instituies de ensino e de criao do conhecimento, as empresas e entidades governativas e do estado.Tendo sido j iniciado este processo, percepcionar, neste novo nmero, mudanas tendentes a esse objectivo, nomeadamente no Conselho Cientfico, constitudo por elementos de incontestvel valor cientfico, e na publicao anual de quatro nmeros, no se alterando aspectos igualmente cruciais como a excelncia dos artigos publicados, a abrangncia dos assuntos que so abordados e a pertinncia dos temas inclusos.

    Fazemos votos que a sua leitura o entusiasme para os nmeros que se seguem.

    Helena vila M.Presidente da Direco da Associao Portuguesa dos NutricionistasDirectora da Revista Nutrcias

  • INTRODUO

    Tm sido consistentemente estabelecidas em Portu-gal associaes entre os baixos nveis sociais, educa-cionais e econmicos e um aumento da frequncia de sndrome metablica em mulheres em populaes urbanas (1) e o aumento da prevalncia da obesidade em amostras da populao urbana do Porto (2). Os al-tos nveis educacionais foram relacionados com uma diminuio do risco de doena coronria num estudo de caso-controlo no Porto (3) e tambm com menor prevalncia (4) e risco (5) de obesidade em Portugal. Para outros mbitos geogrficos, existe uma multi-plicidade de estudos que relacionam os baixos nveis de indicadores econmicos, sociais e educacionais com um aumento de prevalncia da obesidade (6-8), da hipertenso (9-11) e da diabetes Mellitus tipo 2 em pases desenvolvidos (6, 12). Por outro lado e nos pases em desenvolvimento tem-se assistido transio epidemiolgica de elevadas frequncias

    CIE

    NTI

    FIC

    IDA

    DES

    AR

    TIG

    OS

    OR

    IGIN

    AIS

    NU

    TR

    CIA

    S Contribuio para o Conhecimento do Perfil de Sade na Privao Socioeconmica

    RUI VALDIVIESSO1, TERESA AMARAL2

    RESUMO

    Objectivos: Avaliar a presena de factores de risco cardiovascular numa am