IMPERIALISMO DO S‰CULO XIX - .IMPERIALISMO DO S‰CULO XIX. Colonialismo na ... industrializa§£o

  • View
    217

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of IMPERIALISMO DO S‰CULO XIX - .IMPERIALISMO DO S‰CULO XIX. Colonialismo na ......

  • IMPERIALISMO DO SCULO XIX

  • Colonialismo na

    Amrica.

    Se no sculo XVI

    objetivo de

    encontrar metais

    preciosos, mercados

    fornecedores de

    produtos tropicais e

    mercados

    consumidores de

    manufaturas

    europias.

  • A expanso imperialista do sculo

    XIX foi um novo passo no processo de

    mundializao da ordem capitalista,

    depois das cruzadas, da expanso

    ultramarina, da colonizao.

    As populaes africanas e asiticas

    foram tragadas e incorporadas a uma

    ordem essencialmente europia.

  • Como foram vistas e tratadas pelos

    europeus essas novas populaes da

    sia e da frica?

    Como o Ocidente absorveu o outro?

    Como os conquistados foram

    encarados pela Europa, eixo do

    desenvolvimento capitalista e suposto

    palco do desenvolvimento dos direitos

    humanos?

  • VEREMOS A SITUAO DOS PASES

    EUROPEUS.

  • Oficina do mundo.

    De 1760 a 1830, a

    Revoluo Industrial

    ficou limitada

    Inglaterra.

    INGLATERRA

  • Proibido exportar maquinrio e tecnologia.

    Produo de equipamento superou o

    mercado consumidor interno.

    Avano da Tecnologia mecanizao

    energia a vapor energia hidreltrica,

    energia nuclear.

    Crescimento da populao.

    Com a centralizao e concentrao de

    capital em1873 1898 tem incio a

    Grande depresso

    Revoluo industrial inglesa atingiu todas

    as partes do mundo.

  • *Primeiro da Europa a industrializa-se no sculo

    XIX.

    *Existncia de carvo e ferro.

    *Investimento e capital ingls.

    *Proximidade do mercado europeu.

    BLGICA

  • Unificao em 1870.

    Crescimento demogrfico.

    Casamento entre a indstria e bancos.

  • Produo de carvo.

    Avano da siderurgia.

    Desenvolvimento ferrovirio.

    Indstria txtil com as fibras sintticas e novos corantes.

    Indstria qumica, ligada a pesquisa cientfica.

    Energia eltrica.

  • Revoluo

    francesa retardou

    o desenvolvimento

    econmico do

    pas.

    A partir de 1848 com o impedimento da

    importao de produtos industrializados e o

    estmulo a exportao, tem incio a

    industrializao francesa.

  • A estrutura agrria de pequenas

    propriedades.

    Falta de carvo.

    Tradio na produo de artigos de

    luxo dificulta a grande concentrao

    industrial.

    Autofinanciamento das empresas

    mantendo o carter familiar

    limitado.

  • A Unificao

    poltica

    1880-1890.

    Produo de

    ferro e ao

    reservada

    para a

    indstria

    nacional.

  • Indstria mecnica.Construo naval e

    ferroviria.Mquinas txteis.

    Eletrificao motores e turbinas.

    A partir de 1905 indstria automobilstica.

  • NA AMRICA NASCE UMA POTNCIA.

  • ESTADOS UNIDOS

    Primeiro pas a se industrializar fora da

    Europa a partir de 1843.

    Guerra de Secesso entre 1860 e 1865, o

    Norte Capitalista financiou o governo,

    fornecendo provises aos exrcitos e

    desenvolvendo a indstria blica.

    Abolio da escravatura destrua a

    economia sulista (agrria e escravista).

  • O Protecionismo alfandegrio.

    A construo de estradas de ferro.

    A Legislao trabalhista garantiam a

    supremacia do norte industrial.

    A descoberta de ouro na Califrnia

    acelerou ainda mais a economia.

    O beneficiamento de produtos agrcolas

    foi a primeira grande indstria.

  • SALVADORES DA AMRICA

    A Doutrina Monroe A Amrica para os americanos

    Teoria do Destino Manifesto.

    Poltica do Big Stick(Devemos falar macio, mas carregar um

    grande porrete).

    Interveno em Cuba, em 1901 a Emenda Platt concede uma rea de 117km, hoje uma base militar em

    territrio cubano.

  • Interveno na

    Colmbia e

    Panam o

    movimento

    separatista dos

    panamenhos em

    relao a Colmbia

    foi estimulado

    pelos Estados

    Unidos , em 1903,

    recebeu o direito de

    construir o Canal

    de Panam.

  • Situao na sia

  • Revoluo Meiji em

    1868 (Luzes) o

    imperador passou a

    incorporar a tecnologia

    ocidental para

    modernizar o Japo.

    Aboliu o feudalismo,

    criou um exrcito de

    trabalhadores o que

    permitia uma poltica de

    preos baixos favorvel

    competio no

    mercado externo.

  • O Estado permitiu o acmulo de

    capitais, concedeu patentes e

    exclusividades e integrou os

    investimentos.

    Depois de desenvolvidas as

    indstrias, o Estado as transferia a

    particulares em condies de

    vantajosas de pagamento.

  • Permitindo a grandes concentraes industriais nas reas de :

    Indstria txtil. Indstria militar.

    Indstria de papel. Indstria Naval controlas por quatro famlias: Sumitomo, Mitsubishi, Yasuda

    e Mitsui.

    O Estado, assentado na burguesia mercantil e na classe dos proprietrios,

    tinha apoio dos militares, que pretendiam construir um grande Japo.

  • MUDANAS NA ESTRUTURA

    INDUSTRIAL.

    A partir de 1870 uma Segunda

    Revoluo Industrial

  • NOVAS FORMAS DE ENERGIA.

    Eletricidade.

    Petrleo.

    Grandes inventos:

    Motor a exploso.

    Telgrafo.

    Corantes sintticos.

  • A produo de ao estimulou a

    corrida armamentista, aumentando

    a tenso militar e poltica.

    Setor de transporte elegeu as

    ferrovias como maior investimentos.

    As ligaes transocenicas

    ganharam impulso em 1838 com a

    inveno da hlice.

  • Forte concentrao dos capitais, criando monoplios.

    Fuso do capital bancrio com o capital industrial.

    Exportao de capitais, que supera a exportao de mercadorias.

    Surgimento de monoplios internacionais que partilham o

    mundo entre si.

    Intensa concentrao industrial.

  • A Grande Depresso 1873 a 1896.

    CAUSAS

    Organizao dos trabalhadores (sindicatos), resultou em aumento real

    de salrios.

    Empresrios investem em tecnologia, para aumentar a produo com menos

    trabalhadores.

  • Fases da crise.

    Expanso aumenta a produo,

    diminui o emprego, crescem salrios e

    lucros, ampliam-se as instalaes e os

    empresrios tm atitudes otimistas.

    Recesso a empresa no usa sua

    capacidade produtiva, aumenta custos,

    provoca alta da taxa de juros, os

    empresrios temem investir em excesso.

  • Contrao (Reduo do nvel de atividade econmica de um pas)

    caem os investimentos, os empregados da

    indstria so demitidos, diminui o poder

    aquisitivo da populao, os bancos reduzem os

    emprstimos, os empresrios tomam cuidado

    com o custo da produo , tm postura

    pessimista.

    Revitalizao os preos baixam demais, os

    estoques esgotam, os preos tendem a subir,

    os industriais recuperam a confiana e

    retomam o investimento em instalaes.

  • As empresas se aglutinam:

    Holding Uma empresa central, detm o controle das aes de vrias outras

    empresas.

    Truste a expresso utilizada para designar as empresas ou grupos que, sob

    uma mesma orientao, mas sem perder a autonomia, se renem com o objetivo de

    dominar o mercado e suprimir a livre concorrncia.

    Cartel Empresas poderosas, combinam repartir o mercado e ditam os preos dos

    produtos que fabricam.

  • Qual a situao do continente europeu?

    De um lado, produo e lucros em alta, do outro, declinou a massa global de salrios

    pagos, determinando a recesso do mercado consumidor.

    Os capitais disponveis no poderiam ser investidos na Europa, pois a produo

    aumentaria e os preos cairiam.

    (Lei da oferta e da procura)

  • Sculo XIX pases europeus

    industrializados necessitavam de

    matria-prima ( carvo, ferro, petrleo).

    Mercado consumidores para os excedente

    industriais.

    Novas regies para investir os capitais

    disponveis.

    Produtos alimentcios que faltavam em

    suas terras.

    Some-se a tudo isso o crescimento

    populacional e a necessidade de terras

    para estabelecer-se.

  • No plano poltico cada Estado europeu

    preocupado em aumentar seu

    contingente militar para fortalecer sua

    posio entre as demais potencias.

    Possuindo mais colnias disporiam de

    mais recursos, mais homens para seus

    exrcitos, portos de escala e

    abastecimento de carvo para os navios

    mercantes e militares distribudos pelo

    planeta.

  • No plano intelectual os missionrios

    desejavam converter africanos e

    asiticos.

    Difundir a civilizao europeia entre

    os povos primitivos e atrasado.

    As ideologias racistas que, afirmavam

    a superioridade da raa branca.

  • Em 1885

    Conferncia

    Internacional

    de Berlim

    estabeleceu

    a partilha da

    frica para

    que no

    houvesse

    conflitos.

    E a frica

    ficou assim

    dividida.

  • RESISTNCIA

    A guerra dos Beres confrontos

    armados na frica do Sul que opuseram os

    colonos de origem holandesas e francesa ao

    exrcito britnico que pretendia apoderar-

    se das minas de diamantes recentemente

    encontradas naquele territrio.

    As tropas inglesas devastam e queimam

    propriedades durante a guerra.

    Os beres capturados so colocados em

    campos de