HIST“RIA DA MUSICOTERAPIA Ana Maria Caramujo Pires de Campos 2010 FMU

  • View
    221

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of HIST“RIA DA MUSICOTERAPIA Ana Maria Caramujo Pires de Campos 2010 FMU

  • HISTRIA DA MUSICOTERAPIAAna Maria Caramujo Pires de Campos

    2010FMU

  • ORIGEM DO COSMOCriao do Universo substncia acsticaOrigem = som emergido das profundezas do abismo = luz = matriaMarius Schneider.

    Essa materializao nunca foi total porque cada matria ou objeto continua retendo, em maior ou menor medida, parte dessa matria sonora originria.

    Benenzon, 1985

  • ORIGEM DO COSMO

    Na mitologia encontra-se muitas explicaes acerca da criao do universo, nas quais este teria surgido a partir do som.

    Smith (1999) faz a seguinte referncia: H muitas lendas sobre a criao do Universo, nas quais o som sempre desempenha um papel muito importante. Marius Schneider (1957) afirma que nas concepes filosficas, que derivam das cosmogonias persa e hind, o Universo teria sido criado de uma substncia acstica.

  • Segundo ele O mundo teria sido criado por um som inicial que, ao emergir do abismo, primeiro se fez luz e, pouco a pouco, partindo desta luz, se fez matria. Mas, esta materializao nunca foi totalmente completa, pois cada coisa material continuava conservando mais ou menos substncia sonora da qual foi criada (Alvin, 1967, p.14)

  • O HOMEM E A MSICAORIGEM DA MSICA

  • Os corpos, as mentes e o meio integram uma grande orquestra. Como instrumentos, instrumentistas e compositores tocando a Msica Maior, que a prpria existncia.

    (Oliveira,1996)

  • Origem da Msica

    A msica um dos principais elementos da nossa cultura. H indcios de que desde a pr-histria j se produzia msica, provavelmente como conseqncia da observao dos sons da natureza. de cerca do ano de 60.000 a.C. o vestgio de uma flauta de osso e de 3.000 a.C. a presena de liras e harpas na Mesopotmia.

  • Origem da Msica

    Nos compndios da histria da msica ehistria dos instrumentos musicais:primeiro foi o vento assobiando nos bambus.O homem passa a dominar o fogo e aprende a mant-lo aceso, soprando suavemente atravs de um canio.Pode ter sido essa a origem da primeira flauta do mundo

  • Origem da MsicaHomem da Pr-histria: usava o corpo como instrumento musical - batia os ps no cho, com cadncia, batia palmas, sacudia colares e braceletes de ossos, de semente ou de conchas, envolvendo-se completamente em sons, para falar com os deuses.

    Tirou sons dos materiais naturais: madeira, osso, rocha, entre outros.

  • Origem dos InstrumentosMuitas lendas originrias da frica, da sia ou da Amrica contam como os deuses inventaram os instrumentos e atravs de que magia eles criaram o mundo e todas as criaturas a partir de simples sons.

  • O Poder dos InstrumentosHoje ainda, para certas tribos, os instrumentos tm poderes sobrenaturais: para entrar em comunicao com os espritos de seus ancestrais e com deuses, os ndios do Xingu, da floresta amaznica, tocam suas flautas sagradas, que nenhuma mulher deve ver, sob pena de morrer.

  • O HOMEM E A MSICA

    No panteo grego, por exemplo, Apolo a divindade que rege as artes. Por isso vemos vrias representaes suas, nas quais ele porta uma lira. Vale lembrar que na Grcia Antiga apenas a msica e a poesia eram consideradas manifestaes artsticas da maneira como as compreendemos atualmente.

  • O HOMEM E A MSICA

    Msica uma palavra de origem grega - vem de musik tchne, a arte das musas - e se constitui, basicamente, de uma sucesso de sons, entremeados por curtos perodos de silncio, organizada ao longo de um determinado tempo.

  • O HOMEM E A MSICAINTRODUO

    Assim, uma combinao de elementos sonoros que so percebidos pela audio. Isso inclui variaes nas caractersticas do som, tais como durao, altura, intensidade e timbre, que podem ocorrer em diferentes ritmos, melodias ou harmonias.

  • O HOMEM E A MSICAINTRODUO

    Havia dana entre 20.000 e 40.000 A.C. mostrada em pinturas nas cavernas, e se havia dana tinha que ter msica ou pelo menos um ritmo, tempo, gritos, ou seja l o que for para estimular.

  • O HOMEM E A MSICA

    Desde os primrdios, o homem questiona e busca respostas a perguntas como estas: Quem sou eu? De onde vim? Para onde vou?

  • O HOMEM E A MSICAO que importa no so as respostas, mas para onde estes questionamentos direcionam o desenvolvimento biopsicossocial do homem.

  • O HOMEM E A MSICAO homem primitivo busca as respostas na natureza, e l que encontra suas divindades e tambm a cura e alvio para as suas dores.

    Nas tribos indgenas, o pag, com a ajuda da msica e da dana, quem cura os enfermos de seus males do corpo e da alma.

  • O HOMEM E A MSICA

    O homem da cultura oriental nos ensinou a crer na existncia de um mundo superior a este mundo material, e sua busca ating-lo atravs do aprimoramento espiritual.

  • O HOMEM E A MSICAEm contra partida, o homem ocidental segue outro caminho de desenvolvimento abandonando sua sabedoria advinda da intuio , da sua sintonia com a natureza, da verdadeira sabedoria do corao, em prol do desenvolvimento mental. Intuio, aqui, aquela verdade que advm da essncia do SER e transmuta a razo.

  • O HOMEM E A MSICACom isto, afasta-se tambm da msica como recurso de cura, e como ligao com o Divino no seu interior mais profundo. Surge o pensamento cartesiano que, apesar de ter proporcionado um avano tecnolgico e da cincia neste ltimo sculo, muito influenciou para distanciar o homem do seu mundo interno.

  • O HOMEM E A MSICANa histria da humanidade, na filosofia, na mitologia encontraremos dados do quanto a msica sempre desempenhou um importante papel no desenvolvimento psquico e socio-poltico do homem, no plano individual e coletivo, interferindo no curso da sua prpria evoluo.

    O uso teraputico da msica conhecido desde o incio dos tempos.

  • O HOMEM E A MSICAA msica expressa e facilita as mais puras expresses dos sentimentos e da natureza. por meio dela, o homem capaz de se perceber e de sentir suas dores, suas emoes, seus sentimentos, criar imagens, e principalmente comungar com a natureza. a msica e os sons esto presentes em todos os momentos da vida.

  • O HOMEM E A MSICAao ouvir uma msica, um som, ou mesmo um rudo, o homem vivencia e revisita sua histria, suas lembranas, suas recordaes. a msica pode alegrar, entristecer, acalmar, agitar, revigorar, desenergizar, elevar, recolher, inspirar, reter, curar, adoecer, entre outros.

  • O HOMEM E A MSICASouzenelle,1984 - no livro Simbolismo do Corpo Humano, fala: ...os ps ouvem a terra, os rins ouvem as guas, os ouvidos ouvem o corao.... O corao s ouvido por aquele que, como o apstolo Joo no divino segredo, coloca a o seu ouvido. Pois o corao do labirinto tambm Cristo, o Verbo. Ele est presente em cada um de ns.

  • O HOMEM E A MSICAna histria da humanidade, na filosofia, na mitologia encontraremos dados do quanto a msica sempre desempenhou um importante papel no desenvolvimento psquico e scio-poltico do Homem, no plano individual e coletivo, interferindo no curso da sua prpria evoluo.

  • O HOMEM E A MSICAA msica sempre teve um importante papel no desenvolvimento da sociedade. Antiguidade era responsvel pela cura milagrosa dos males fsicos e psquicos. Idade Mdia ela sofre influncia da Igreja, destacando-se pela religiosidade. Renascimento passa a ser vista como a arte da cura.

  • O HOMEM E A MSICAPerodo Barroco - prevalece o gosto pelo ornamento. Romantismo - expressa o cume da emoo. Contemporaneidade - sua principal caracterstica o espao sonoro livre. (SMITH, 1999)

  • O HOMEM E A MSICA In principium erat verbum, enuncia So Joo no incio do primeiro captulo do seu evangelho, o que os tradutores traduzem diferentemente por No comeo era o Verbo, ou ... a Palavra, ou ainda ... o Vocbulo. Outros, porm, talvez mais avisados, pensam que a melhor traduo de verbum seria ... o som, ou ento ... o canto. Apiam a sua argumentao no fato de que, na tradio imemorial, o Criador era tido como sendo um canto infinito, e a Criao deveria ser considerada como uma cristalizao desse canto. Compreende-se, a partir da, o pensamento de Pitgoras, segundo o qual a estrutura da msica permitiria e bastaria para explicar a estrutura do Universo. O estudo da msica tornava-se, em consequncia, a chave do conhecimento do Cosmo.(Cotte, 1988)

  • O USO TERAPUTICO DA MSICAO uso teraputico da msica conhecido desde o incio dos tempos. Na mitologia vamos encontrar deuses e semideuses, que possuem a milagrosa habilidade musical, interferindo no curso do desenvolvimento psquico tanto no plano individual como coletivo. Entre eles, Orfeu com o seu canto submetia os animais selvagens, detinha o curso das ondas, fazia danarem as rvores e rochas.

  • O USO TERAPUTICO DA MSICA

    Papiros mdicos egpcios datados de cerca de 1550 a.C., encontrados pelo antroplogo francs Vlande Petkie no sculo XIX, atribuam msica influncia sobre a fertilidade da mulher (apud Correia,1997).

  • O USO TERAPUTICO DA MSICAHipcrates - pai da medicina (460 a.C.? 377 a.C.?) que cultuava a harmonia: equilbrio total do estado psicossomtico.Acreditava que a Natureza do homem era constituda por um conjunto de foras que dirige e regula todos os seres e todos os fenmenos existentes, postulava a doena como sendo a manifestao de uma crise da natureza, e atravs da Msica se mantinha ou se restabelecia a ordem, a harmonia, e o equilbrio (Smith, 1999).

  • O USO TERAPUTICO DA MSICA

    Na Bblia temos David tocando lira para acalmar a fria do Rei Saul. (I Samuel Cap. 16, Versculo 23)

  • O USO TERAPUTICO DA MSICANa Antiguidade seu uso teraputico conhecido com Plato e Aristteles entre outros. Plato recomendava msica para a mente e o corpo, e tambm para vencer fobias. Aristteles descrevia seus efeitos benficos na