Click here to load reader

Boletim Regional do Banco Central do Brasil · PDF file 2016. 8. 8. · Boletim Regional do Banco Central do Brasil Publicação trimestral do Banco Central do Brasil/Departamento

  • View
    0

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Boletim Regional do Banco Central do Brasil · PDF file 2016. 8. 8. · Boletim...

  • Boletim Regional do Banco Central do Brasil

    ISSN 2175-9278

    Julho 2016

    Volume 10 | Número 3

  • Boletim Regional do Banco Central do Brasil Brasília v. 10 n. 3 jul. 2016 p. 1-131

    CGC 00.038.166/0001-05

  • Boletim Regional do Banco Central do Brasil Publicação trimestral do Banco Central do Brasil/Departamento Econômico.

    Os textos, as tabelas e os gráficos são de responsabilidade dos seguintes componentes do Departamento Econômico (Depec) (e-mail: [email protected]):

    Região Norte – Gerência Técnica de Estudos Econômicos em Belém (e-mail: [email protected]);

    Região Nordeste – Gerência Técnica de Estudos Econômicos em Fortaleza (e-mail: [email protected]), Gerência Técnica de Estudos Econômicos em Recife (e-mail: [email protected]), Gerência Técnica de Estudos Econômicos em Salvador (e-mail: [email protected]);

    Região Centro-Oeste – Gerência Técnica de Estudos Econômicos em Belo Horizonte (e-mail: [email protected]);

    Região Sudeste – Gerência Técnica de Estudos Econômicos em Belo Horizonte (e-mail: [email protected]), Gerência Técnica de Estudos Econômicos no Rio de Janeiro (e-mail: [email protected]), Gerência Técnica de Estudos Econômicos em São Paulo (e-mail: [email protected]);

    Região Sul – Gerência Técnica de Estudos Econômicos em Curitiba (e-mail: [email protected]), Gerência Técnica de Estudos Econômicos em Porto Alegre (e-mail: [email protected]).

    Informações sobre o Boletim Telefone: (61) 3414-1042 Fax: (61) 3414-2036

    É permitida a reprodução das matérias, desde que mencionada a fonte: Boletim Regional do Banco Central do Brasil, v. 10, n. 3.

    Controle Geral de Publicações

    Banco Central do Brasil Comun/Dipiv/Coivi SBS – Quadra 3 – Bloco B – Edifício-Sede – 2º subsolo Caixa Postal 8.670 70074-900 Brasília – DF Telefones: (61) 3414-3710 e 3414-3565 Fax: (61) 3414-1898 E-mail: [email protected]

    Convenções estatísticas

    ... dados desconhecidos. - dados nulos ou indicação de que a rubrica assinalada é inexistente. 0 ou 0,0 menor que a metade do último algarismo, à direita, assinalado. * dados preliminares.

    O hífen (-) entre anos (2004-2006) indica o total de anos, incluindo o primeiro e o último. A barra (/) utilizada entre anos (2004/2006) indica a média anual dos anos assinalados, incluindo o primeiro e o último, ou, se especificado no texto, ano-safra ou ano-convênio.

    Eventuais divergências entre dados e totais ou variações percentuais são provenientes de arredondamentos.

    Não são citadas as fontes dos quadros e gráficos de autoria exclusiva do Banco Central do Brasil.

    Central de Atendimento ao Cidadão

    Banco Central do Brasil Departamento de Atendimento Institucional (Deati) Divisão de Atendimento ao Cidadão (Diate) SBS – Quadra 3 – Bloco B – Edifício-Sede – 1º subsolo 70074-900 Brasília – DF Telefone: 145 (custo de ligação local) Internet: http//www.bcb.gov.br/?FALECONOSCO

  • Sumário

    Apresentação 5

    Sumário executivo 7

    Região Norte 9

    Região Nordeste 17

    Bahia __________________________________________________________________24 Ceará __________________________________________________________________30 Pernambuco _____________________________________________________________36

    Região Centro-Oeste 41

    Região Sudeste 49

    Minas Gerais ____________________________________________________________55 Rio de Janeiro ___________________________________________________________62 São Paulo _______________________________________________________________68

    Região Sul 75

    Paraná __________________________________________________________________82 Rio Grande do Sul ________________________________________________________89

    Inferências nacionais a partir dos indicadores regionais 97

    Boxes

    Economia Paranaense ____________________________________________________103 Comércio externo do agronegócio – Brasil e Regiões ____________________________ 113 Recuperação das Exportações de Produtos Industriais: uma análise nacional e regional _121

    Apêndice 125

  • Julho 2016 | Boletim Regional do Banco Central do Brasil | 5

    Apresentação

    O “Boletim Regional do Banco Central do Brasil” é uma publicação trimestral do Banco Central do Brasil que apresenta as condições da economia por regiões e por alguns estados do país. Sob o enfoque regional, enfatiza- se a evolução de indicadores que repercutem as decisões de política monetária – produção, vendas, emprego, preços, comércio exterior, entre outros. Nesse contexto, a publicação contribui para a avaliação do impacto das políticas da Autoridade Monetária sobre os diferentes entes da Federação, à luz das características econômicas locais e das gestões políticas regionais.

    As análises e informações do “Boletim Regional” buscam oferecer à sociedade – em particular, a gestores de política econômica nas esferas subnacionais, pesquisadores e integrantes do meio acadêmico, empresários, investidores, e profissionais de imprensa – elementos que contribuam para identificar a forma e, especialmente, a magnitude de repercussão, no âmbito regional, das políticas implementadas. Ao mesmo tempo, a publicação contribui para dar à sociedade conhecimento dos critérios analíticos da Instituição.

    O “Boletim Regional” analisa as economias das regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul e dos estados da Bahia, Ceará, Pernambuco, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul. A disponibilidade de estatísticas econômicas, bem como a distribuição geográfica das representações do Banco Central, influenciou a escolha dos estados. Assim, para as regiões que possuem apenas uma representação institucional – Norte e Centro-Oeste –, optou-se pela análise agregada regionalmente. Para as regiões em que existem mais de uma representação, são apresentadas, além da análise regional, as análises para os estados nos quais se encontram as representações.

    Homogeneidade, abrangência e regularidade foram os principais critérios de escolha das estatísticas e das fontes. Dessa forma, em sua maior parte, os dados têm como origem

  • 6 | Boletim Regional do Banco Central do Brasil | Julho 2016

    os órgãos e os institutos de âmbito nacional, destacadamente o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e os entes da administração direta. Em alguns casos, foram utilizadas, complementarmente, informações de entidades regionais. Dados sem tratamento das fontes foram dessazonalizados pelo Departamento Econômico do Banco Central do Brasil (Depec).

  • Julho 2016 | Boletim Regional do Banco Central do Brasil | 7

    Sumário executivo

    A economia brasileira manteve-se, no primeiro semestre de 2016, na trajetória recessiva iniciada em 2014, processo associado em grande parte à crise de confiança dos agentes econômicos e aos impactos do ajuste macroeconômico em curso no país, com reflexos que abrangem os setores monetário, externo e fiscal.

    Ressalte-se que, nos meses mais recentes, os impactos negativos desse cenário sobre os gastos com investimentos e consumo apresentaram relativa acomodação, evidenciada na evolução dos principais indicadores econômicos. No mesmo sentido, o desempenho dos índices de confiança de consumidores e empresários, registaram recuperação importante no trimestre encerrado em maio – disseminada nas cinco regiões geográficas do país – que sugerem perspectivas mais favoráveis para a economia do país nos próximos trimestres.

    A trajetória das economias regionais repercute, além do cenário mencionado, as especificidades das respectivas cadeias produtivas. No Norte, a evolução da atividade econômica no trimestre encerrado em maio foi favorecida pela reação da indústria, que cresceu 4,6% em relação ao trimestre terminado em fevereiro, impulsionada pelos aumentos na produção de bebidas, no Polo Industrial de Manaus, e na extração de minério de ferro, no Pará. Nesse contexto, o Índice de Atividade Econômica Regional – Norte (IBCR-N) aumentou 1,1%, em relação ao trimestre findo em fevereiro, quando declinara 1,8%, no mesmo tipo de comparação, de acordo com dados dessazonalizados.

    As economias dos três principais estados do Nordeste – consideradas estimativas para os respectivos Produto Interno Bruto (PIB) – registaram desempenho negativo no primeiro trimestre do ano. Dados mais recentes, no entanto, indicaram arrefecimento do processo de retração atividade no trimestre finalizado em maio, quando o Índice de Atividade Econômica Regional – Nordeste (IBCR-NE) recuou 0,4%, em relação ao encerrado ao trimestre terminado

  • 8 | Boletim Regional do Banco Central do Brasil | Julho 2016

    em fevereiro, período em que havia recuado 1,4%, no mesmo tipo de comparação. Destacou-se, no trimestre, o aumento de 2,9% na produção industrial, impulsionada por expansões nas atividades produtos alimentícios e bebidas, e consistente com as melhoras nos indicadores de confiança dos empresários.

    O desempenho da economia do Centro-Oeste repercutiu, no trimestre encerrado em maio, os impactos negativos do encerramento da colheita da soja e da quebra da safra de milho, em virtude da estiagem durante a safra de

Search related