Conhe§a um pouco mais sobre desidrata§£o em bezerras_Ceva.pdf

  • View
    1.115

  • Download
    3

Embed Size (px)

DESCRIPTION

PDF sobre desidratação

Text of Conhe§a um pouco mais sobre desidrata§£o em bezerras_Ceva.pdf

  • 1. DIARREIA: O QUE E A QUE LEVAA diarreia uma doena do sistema digestivo, caracterizada pela eliminao de fezes aquosas e aumento da frequncia de evacuaes. Com a progresso da doena, devido ao elevado teor de gua nas fezes aparece o quadro de desidratao. Junto com a gua, o corpo perde eletrlitos (minerais), que so necessrios para manter importantes funes corporais.A perda de eletrlitos e as mudanas no metabolismo da bezerra(o) na tentativa de evitar essas perdas iro levar a uma condio chamada acidose metablica, que se no corrigida poder leva-lo a morte rapidamente.PRINCIPAIS AGENTES DAS DIARREIAS E QUANDO OCORREMVrios agentes esto relacionados ocorrncia de diarreia em bezerras(os). Podem ser bactrias, vrus ou mesmo parasitas, normalmente podem atacar o revestimento do intestino e causar leso seguida de perda de gua atravs da parede danificada.Os agentes mais comuns envolvidos nas diarreias das bezerras(os) so: Agentes Bacterianos: Escherichia coli e Salmonela so comuns em bezerras(os) recm-nascidos (geralmente com menos de 2 semanas de idade), embora Salmonela possa afetar bovinos de qualquer idade. Agentes Virais: Os vrus Rotavrus e Coronavrus, comumente afetam bezerras(os) em suas primeiras semanas de vida (normalmente 1 a 3 semanas).

2. Agentes Parasitrios: Parasitas como as Eimerias (coccidiose) e Criptosporidium parvum, podem estar ligadas a diarreia em bezerras(os) jovens.DIARREIA E A PREVALNCIA DAS DOENAS QUE MAIS MATAM BEZERRASDiarreia afeta mais as bezerras(os) recm-nascidas. Esta categoria so mais propensas diarreia devido sua dieta lquida (leite), ao maior teor de gua em seus corpos (em comparao com bovinos adultos), e sua susceptibilidade a determinadas doenas infecciosas especficas do trato intestinal. Recente estudo americano informa as principais doenas causadoras de mortes em bezerras(os).COMO TUDO COMEAA Diarreia comea quando algum organismo causador de doena (bactrias, vrus, protozorios) se multiplica rapidamente no intestino delgado da bezerra(o).Muitas destas espcies podem ser encontradas em pequeno nmero no intestino delgado, e em nmero to 3. pequeno que no fazem mal algum. No entanto, quando encontram condies favorveis, se multiplicam rapidamente, atacam o revestimento do interior do intestino delgado e lesam a parede intestinal. A parede lesada no pode absorver os nutrientes do leite (ou sucedneo) de forma to eficiente como faz normalmente e dai comea uma serie de processos que se no atendido a tempo podero levar o animal a morte. O quadro mais caracterstico a eliminao constante de fezes liquidas que leva a uma rpida desidratao.COMO OCORRE O PROCESSO NORMAL DE ABSORO INTESTINALEm animais saudveis, grandes quantidade de gua regularmente secretada para dentro do intestino delgado para ajudar na digesto e absoro dos nutrientes. A maior parte desta gua recuperada junto com os nutrientes que so digeridos e absorvidos.O epitlio intestinal uma camada nica de clulas que reveste o intestino delgado e composta de vilosidades e criptas. As vilosidades (Villus) se projetam no espao aberto, ou lmen do intestino delgado e esto principalmente envolvidas na absoro de nutrientes. Os Entercitos so clulas de absoro que revestem as vilosidades. Cada vilosidade bem suprida por vasos sanguneos e linfticos que rapidamente movem os nutrientes absorvidos do trato digestivo para interior do corpo. As Clulas da Cripta, por sua vez, esto primariamente envolvidas na secreo de substncias, incluindo a gua, para dentro do lmen intestinal.O MOVIMENTO DA GUA PARA O INTESTINO DELGADOQuando os alimentos entram no intestino delgado, a gua prontamente "vaza" entre as clulas epiteliais do intestino delgado e flui para dentro do lmen. Durante a 4. digesto partculas grandes de nutrientes so quebradas em partculas menores para serem absorvidas, aumentando a concentrao destas partculas no interior do intestino.Esta concentrao cria uma presso osmtica que muito maior dentro do intestino do que no interior das clulas e fluidos do corpo em torno do trato digestivo. Como a gua flui em direo a reas de alta presso osmtica, nesta situao ela se move das clulas para o interior do intestino (lmen intestinal). Outra maneira da gua mover-se para o intestino atravs de uma ao especfica de clulas da cripta. Isso acontece atravs do bombeamento de ons Cloreto (Cl -) para o espao da cripta no intestino. As Clulas da Cripta ativamente puxam gua para dentro do intestino. Na figura ao lado, observa-se este processo onde os ons Cloro (Cl -) atraem os ons de Sdio (Na+), este por sua vez atravessam a camada celular e vo para o lmen intestinal, isso provoca aumento da presso osmtica local. Com aumento de presso osmtica, a gua puxada para dentro do intestino.Os aminocidos e carboidratos so transportados como o Sdio (Na+) para fora do lmen e depois para dentro das clulas da mucosa do intestino delgado. Uma vez dentro da clula o Sdio (Na+) rapidamente bombeado para o fluido extracelular que rodeia as clulas, longe do lmen intestinal. 5. Como resultado destes movimentos de nutrientes, uma srie de gradientes osmticos criada os quais movem a gua do lmen para a clula e desta para o fluido extracelular, como pode ser observado na figura anterior. O Sdio (Na+) e a gua nesta situao difundem-se depois para a corrente sangunea.Este o mecanismo pelo qual a E. coli promove a perda lquida, esta bactria produz e libera sua enterotoxina que ir provocar este mecanismo de bombeamento de Sdio (Na+) e que vai disparar uma hipersecreo de gua para dentro do intestino.REABSORO DE GUA A PARTIR DO INTESTINO DELGADO.A gua reabsorvida a partir do trato digestivo, como resultado da absoro de nutrientes, com o Sdio (Na+) desempenhando um importante papel neste processo. Como regra geral, a gua segue Sdio (Na+). O Sdio (Na+) livre para se mover atravs das membranas celulares epiteliais em resposta as diferenas osmticas, movendo-se de reas de maior presso osmtica para reas de menor presso osmtica.Embora essa difuso passiva de Sdio (Na+) resulte em movimento da gua para fora do trato digestivo, isso insuficiente para a reabsoro adequada de gua. Assim, o Sdio (Na+) tambm ativamente deslocado atravs da membrana das clulas epiteliais, juntamente com outros nutrientes.A habilidade de concentrar Sdio (Na+) no fluido extracelular, atraindo gua para fora do aparelho digestivo, aumenta medida que o alimento passa atravs do intestino delgado. No momento em que o produto chega ao intestino grosso, cerca de 80 % da gua j foi reabsorvido.Uma das funes primrias do epitlio intestinal o de proporcionar uma barreira entre o organismo animal e o ambiente dentro do intestino. Os fluidos corporais so retidos, mas as grandes partculas de alimentos, microrganismos e toxinas so excludas e eliminadas do corpo, assim, a gua e alguns solutos so regulados.Se a normalidade da funo epitelial quebrada, o volume de lquido no interior do lmen intestinal aumenta. Uma ampla variedade de fatores como nutrio, manejo e flora microbiana pode contribuir para a perda de gua atravs do aparelho digestivo. 6. TIPOS DE PERDA INTESTINAL DE GUA.Aumento da permeabilidade:Microrganismos (vrus, bactria protozorios) causam inflamao e danos ao epitlio intestinal, resultando no aumento do movimento da gua para dentro do intestino. Rotavrus e Coronavrus lesam os Entercitos, que so as clulas que revestem as vilosidades intestinais, levando a perda de gua e atrofia das vilosidades. Os Entercitos lesados prejudicam a digesto e isso conduz m absoro. A infeco por Rotavrus tambm altera a funo entre as clulas epiteliais intestinais, aumentando a permeabilidade. Um efeito secundrio da inflamao das clulas epiteliais do intestino que este processo pode levar a uma resposta imunitria do intestino delgado, que em ltima anlise desencadeia uma hipersecreo e diarreia inflamatria.HipersecreoEste tipo de perda de gua semelhante ao aumento da permeabilidade em que grandes quantidades de gua passam para o intestino, mas no h tecido lesado. As endotoxinas bacterianas estimulam as bombas celulares de ons nas Clulas da Cripta da mucosa intestinal a secretar grandes quantidades de ons no lmen intestinal. Esses ons puxam a gua para o dentro do intestino delgado. A hipersecreo resulta em grandes perdas de gua e eletrlitos, este o mecanismo pela qual a E. coli e a resposta imune inflamatria promovem a diarreia.M absoroLeso epitelial no intestino delgado reduz a absoro de nutrientes. Os vrus e protozorios danificam as vilosidades do intestino delgado levando atrofia das vilosidades, e podem danificar a mucosa do intestino grosso tambm. Quantidades normais de gua podem ser secretadas para dentro do trato digestivo, mas as leses do tecido resultam em pobre absoro de gua e de nutrientes.Esta situao de m absoro leva os nutrientes a passarem pelo intestino delgado. Estes nutrientes alcanam o intestino grosso, e podem causar supercrescimento bacteriano e produo excessiva de cidos graxos volteis (AGV). Como resultado, alteraes osmticas ocorrem e podem piorar ainda mais a perda de fluido. 7. M digesto (Diarreia Osmtica)Alteraes no manejo da alimentao podem levar a m digesto. A sbita mudana na alimentao, o uso de ingredientes de qualidade pobre, a presena de alergenos alimentares ou outros fatores prejudiciais para alimentao dos animais e distrbios digestivos podem levar a m digesto.A m digesto geralmente resulta em m absoro.DESIDRATAOA desidratao ocorre atravs de diferentes processos que envolvem tanto os compartimentos de gua intracelulares como os extracelulares. O fluido extracelular inclui o fluido do sangue e do espao entre as clulas e compreende cerca de 40% da gua do corpo. Os outros 60% so encontrados dentro de clulas. O plasma sanguneo responsvel apenas cerca de 1/6 da poro extracelular de fluidos do corpo e representa uma parcela muito pequena de gua corporal total.Assim como a gua, eletrlitos e outras substncias tambm so perdidos pelo organismo durante a desidratao, e a concentrao de nutrientes dos comp