Click here to load reader

Muitas vezes nos perguntamos: "Onde está Deus?" "Onde o podemos encontrar?" As Leituras de hoje têm duas cenas muito bonitas, que mostram como Deus

  • View
    108

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of Muitas vezes nos perguntamos: "Onde está Deus?" "Onde o podemos...

  • Slide 1
  • Slide 2
  • Slide 3
  • Muitas vezes nos perguntamos: "Onde est Deus?" "Onde o podemos encontrar?" As Leituras de hoje tm duas cenas muito bonitas, que mostram como Deus SE REVELA.
  • Slide 4
  • Na 1 Leitura, Deus se revela a Elias, na BRISA suave. (1Rs 19,9a.11-13) Cansado e perseguido de morte por Jesabel, Elias foge para o deserto, a caminho do Monte Horeb, onde Moiss se encontrara com Deus... - Elias o esperava no vento, no terremoto, no fogo, mas ele no estava l. Deus vai ao seu encontro de uma forma diferente: "no sopro suave de uma BRISA..." e ali lhe fala...
  • Slide 5
  • * Deus se manifesta na humildade, na simplicidade, na interioridade. Por isso, preciso calar o rudo excessivo, moderar a atividade desenfreada, encontrar tempo para consultar o corao, para interrogar a Palavra de Deus, para perceber a sua presena e as suas indicaes, nos sinais, quase sempre discretos, que ele deixa na histria e em nossa vida. Na 2 Leitura, Paulo fala que Deus se revelou, oferecendo a todos uma proposta de Salvao, mas o seu povo a rejeitou. (Rm 9,1-5)
  • Slide 6
  • No Evangelho, Deus se revela na TEMPESTADE. (Mt 14,22-33) - Jesus envia os discpulos em misso na outra margem do lago e, cansado, retira-se da multido... vai ao monte para rezar... - Enquanto isso, os apstolos navegam "de noite" preocupados, na barca agitada pelos ventos contrrios. - Jesus vai ao encontro deles, "caminhando sobre o MAR". - Eles o confundem: " um fantasma..." - E Jesus se identifica: "Coragem, SOU EU, no tenham MEDO".
  • Slide 7
  • - Pedro o desafia: "Se s Tu, manda-me caminhar sobre as guas". - Jesus aceita: "Vem!" - Pedro vai ao encontro de Jesus; mas, assustado pelo vento, comea a duvidar e afundar. Ento grita por socorro: "Salva-me, Senhor!". - Jesus antes estende a mo e depois o questiona: "Por que duvidaste, homem de pouca f?" - Jesus entra na Barca e a tempestade se acalma. - Ento todos se prostram em adorao diante de Jesus, dizendo: "Verdadeiramente Tu s o Filho de Deus".
  • Slide 8
  • * Deus se manifesta em meio s dificuldades, aos ventos... Enquanto Jesus est em dilogo com o Pai, os discpulos esto sozinhos, em viagem pelo lago. Essa viagem no fcil e serena de noite; o barco aoitado pelas ondas e navega com vento contrrio. Os discpulos esto inquietos e preocupados, pois Jesus no est com eles
  • Slide 9
  • A "noite" representa as trevas, a escurido, a confuso, a insegurana em que tantas vezes "navegam" atravs da histria os discpulos de Jesus, sem saberem que caminhos percorrer nem para onde ir As "ondas" representam a hostilidade do mundo, que bate contra o barco em que viajam os discpulos Os "ventos contrrios" representam as resistncias ao projeto de Jesus. Este BARCO a COMUNIDADE CRIST:
  • Slide 10
  • Os discpulos de Jesus se sentem perdidos, sozinhos, desanimados, desiludidos, incapazes de enfrentar as tempestades que as foras da morte e da opresso (o "mar") lanam contra eles a, que Jesus manifesta a sua PRESENA. Ele vai ao encontro dos discpulos "caminhando sobre o mar". Reflete a fragilidade da f dos discpulos, ao enfrentar as foras adversas, sem a presena de Jesus na barca.
  • Slide 11
  • mas se deixam abalar quando chegam as perseguies, os sofrimentos, as dificuldades Ento, comeam a afundar e a ser submergidos pelo "mar" da morte, da frustrao, do desnimo, da desiluso Jesus l est para lhes estender a mo e para os sustentar. Finalmente, a desconfiana dos discpulos transforma-se em f firme: "Tu s verdadeiramente o Filho de Deus". Os discpulos seguem a Jesus de forma decidida,
  • Slide 12
  • Esse texto uma CATEQUESE sobre a caminhada da Comunidade de Jesus, enviada "outra margem", para convidar todos para o banquete do Reino e a oferecer-lhes o alimento com que Deus mata a fome de vida e de felicidade dos seus filhos. - A caminhada no um caminho fcil.
  • Slide 13
  • A comunidade (o "barco") dos discpulos deve abrir caminho atravs de um mar de dificuldades, pela hostilidade dos adversrios do Reino e pela recusa do mundo em acolher os projetos de Jesus. - Os discpulos devem estar conscientes da presena de Jesus. O "fantasma" do MEDO desvanece e as crises de f so superadas, quando aceitamos a presena de Deus em nossa vida pessoal e comunitria. Ele continua a garantir: "Coragem! Sou Eu. No tenhais medo".
  • Slide 14
  • Pe. Antnio Geraldo Dalla Costa CS - 07.08.2011 + Dia do Padre: O padre tambm no est isento de "tempestades", que se formam dentro e fora da Comunidade. Nesse dia a ele consagrado, rezemos para que, nos momentos em que possa ter a sensao de afundar no mar da frustrao e do desnimo, possa perceber essa presena de Cristo, que vem ao seu encontro com palavras de esperana. "Coragem! Sou eu. No tenhas medo! Quando Cristo entra na BARCA, o vento e as ondas param... e volta a paz.
  • Slide 15
  • MEU DOMINGO Com a Palavra de Deus Meditada por: Pe. Antnio Geraldo Dalla Costa CS Ilustrao: Nelso Geraldo Ferronatto Msica: Nas asas do vento Pe. Zezinho CD: Cano para meu Deus Paulinas COMEP Acesse o Endereo: http://www.buscandonovasaguas.com