GRIPE SUNA INFLUENZA A (H1N1). GRIPE = INFLUENZA

  • View
    244

  • Download
    17

Embed Size (px)

Text of GRIPE SUNA INFLUENZA A (H1N1). GRIPE = INFLUENZA

  • GRIPE SUNAINFLUENZA A (H1N1)

  • GRIPE = INFLUENZA

  • Vrus Influenza

    Envoltrio lipdico recoberto de projees, as GLICOPROTENAS, que so duas: - Hemoaglutinina (H) 16 antgenos- Neuraminidase (N) 9 antgenos reconhecidos

  • MECANISMOS PARA ORIGEM DE UMA PANDEMIA DE INFLUENZAN. Engl. J. Med . 2005 , 353 , 2209 2211Mutaciones adaptativasRe asociaciones genticasBelshe , R. B. The origins of pandemic influenza-Lessons from the 1918 virus . N. Engl. J. Med . 2005 , 353 , 2209 2211

  • Nomenclatura do vrus InfluenzaH1 N1*Subtipo HA Subtipo NA Typo A A/Califrnia/4/2009Tipo de vrusLugar de isolamentoCdigo de Lab / NcultivoAno de identificao* Subtipos somente para o virus A Os subtipos so especficos para cada especie

  • Destination Cities and Corresponding Volumes of International Passengers Arriving from Mexico between March 1 and April 30, 2008 New England Journal of Medicine2009

  • INFLUENZA PANDMICA o inicio de uma mesma influenza em todo o planeta de maneira simultnea com a capacidade de provocar srias conseqncias

  • Que conseqncias teria uma pandemia de qualquer influenza?

    Grande nmero de pessoas doentesUma forte crise econmica e socialDecrscimo e inclusive paradas nos setores de trabalho, escolas, empresas, etc.Superlotao dos servios de sade pelo grande nmero de pacientes

  • J existiram pandemias de Influenza ?SIM (1) Osterholm MT. Preparing for the next pandemic N Eng J Med 2005; 352 (18): 1839-42

    AnoNomeVirusMortes1918GRIPE EspanholaVrus GRIPE tipo A (H1N1)50 milhes[1]1957GRIPE AsiticaVrus da GRIPE tipo A (H2N2)2 milhes1968GRIPE de Hong KongVrus da GRIPE tipo A (H3N2)1 milho

  • GRIPE ESPANHOLA

  • GRIPE sempre deve ser combatidaSAZONAL

  • Que a INFLUENZA SAZONAL? uma doena prpria do ser humano e se apresenta principalmente durante os meses de inverno ( sazonal ou estacional) transmitida quando o vrus da Influenza entra no organismo atravs dos olhos, nariz, e/ou a bocaSeus sintomas so similares aos do resfriado comum porm muito mais intensos

  • Quem pode ser mais afetado pela influenza sazonal? Tem a capacidade de afetar a todas as pessoas

    Mesmo assim so mais suscetveis de sofrer complicaes:Crianas menores de 5 anos.Adultos maiores de 65 anos.Pessoas com doenas crnicas como: diabetes, doena do corao, dos pulmes, etc.

  • Existe vacina para a influenza sazonal?SIM APLICADA ANUALMENTE

  • INFLUENZAFEBRE ALTATOSSEDOR DE GARGANTAMAL ESTAR GERAL MUITO CANSAODOR MUSCULARDOR NAS ARTICULAES

  • UMA DOENA RESPIRATRIA AGUDA INFLUENZA RESFRIADO

  • SINTOMASRESFRIADOINFLUENZAFEBRECriana 39Adultos pouco freqentePode elevar-se at 40dura de 3 a 4 diasDOR DE CABEARaras vezesIncio sbito e intensoDORES MUSCULARESLeve a moderadoGeralmente intensaCANSAO E DEBILIDADEPode durar de 2 a 3 semanasDECAIMENTOLeveIncio sbito e intenso

    CONGESTO NASALFreqenteAlgumas vezesARDOR E/OU DOR DE GARGANTATOSSELeve a moderadaQuase sempre

  • ABRIL DE 2009

  • GRIPE SUNAINFLUENZAA (H1N1)

  • CAUSADA POR UM VRUS NOVO Ningum no mundo tem imunidade

    - No se sabe qual vai ser o comportamento dele

    - Ele pode sofrer mutaes que so imprevisveis

  • NO EXISTE VACINANOSSA NICA PROTEO A PREVENO

  • TRANSMISSO DO VRUS

    90%GOTCULAS RESPIRATRIAS10%CONTATO COM SUPERFCIES CONTAMINADAS

  • INCUBAO

    1 a 5 dias apscontato com o vrusem mdia 2 diasTRANSMISSIBILIDADE

    1 dia antes dos sintomas at 7 dias apsTEMPOCRIANASat 12 dias

  • ETIQUETA DA TOSSE E DO ESPIRRO

  • 1,8m

  • PRECAUES PADROCDC - 2007Higiene das mosUso de EPIsHigiene respiratria (etiqueta da tosse)Alocao do pacienteMateriais assistenciaisCuidados com o ambienteManuseio da roupaPrticas seguras de injeo vascularSegurana nas punes lombaresLegislao para segurana do trabalhador

  • Evitar/bloquear a transmisso do Vrus

    Reduzir o nmero de portadores do Vrus H1N1

    Reduzir a quantidade de vrus H1N1 no ambiente (contaminao das superfcies)INFLUENZA A H1N1FINALIDADE DAS NORMAS DE PROTEOVRUS S NOS QUARTOS DE ISOLAMENTO !

  • HBITOS DE HIGIENE

  • NO USAR MAIS AS MOS PARA COBRIR A BOCA DURANTE A TOSSE

  • PRECAUES COM GOTICULASOS GERMES SAEM NAS GOTCULAS E PODEM SER INALADOS OU LEVADOS PELAS MOSAT AS VIAS RESPIRATRIAS

  • ESPIRRO OU TOSSE

  • CORIZA

  • OBRIGATRIOO BLOQUEIO DOS GERMES

  • ENSINAR AS CRIANAS

  • S VEZES CRIANAS FAZEM MELHOR QUE OS ADULTOS

  • BARREIRAS PARA A TOSSE E ESPIRRO

    LENOS DE PAPELPAPEL TOALHAPAPEL HIGINICOGUARDANAPODE PAPEL

  • DEPOIS QUE USARDESCARTAR NO LIXO COMUM

  • LIXO LIXONO QUALQUER LUGAR

  • S VEZES, SE NO TEM JEITO...CDC - 2007

  • TRABALHAMOS COM O INVISVELGERMES

  • HIGIENE DAS MOScontinua sendo uma das grandes formas de interrompera transmisso de germes especialmente nos Servios de Sade

  • A eficcia da lavagem das mos, depende da tcnica correta e do tempo de frico

  • COMO HIGIENIZAR ?

  • lcool 70% glicerinado ou gel Mos no visivelmente sujas

  • These images illustrate the critical importance of hand hygiene in caring for patients, including those not known to carry antibiotic-resistant pathogens.

  • CDC, 2001SOBREVIVNCIA DE ALGUNS VRUS EM SUPERFCIES

    VIRUSRHINOVIRUSVIRUSPARAINFLUENZAVIRUSSINCIALRESPIRATRIOPELE??30 minSUPERFCIESPOROSAS01 hora> 04 horas01 horaSUPERFCIES NOPOROSAS03 horas> 10 horas07 horas

  • PRECAUES DE CONTATO ACRESCIDAS PELO USO DA MSCARA

  • MSCARATipo cirrgica, trs camadasNunca usar pendurada no pescooSempre substituda quando ficar mida Sempre manuseada pelas tiras

    RESPIRADOR N 95 nas situaes que possam gerar aerossis(intubao endotraqueal, aspirao , ...)

  • MSCARA - RESPIRADOR

    Ajuste face, dobre o metal sobre o narize verifique se est bem vedada:

    - Inalando respirador deve colapsar- Exalando detectar vazamentosMscara protege boca e nariz Respirador protege as vias areas de partculas suspensas no arContra Indicao Uso:Presena de Barba

  • AS AMARRAS DEVEM SER FEITAS NA CABEA E NO NO PESCOORESPIRADOR N95 e PFF2

  • DESPARAMENTAOUSAR A TCNICA PRECONIZADA PARA NO OCORRER CONTAMINAO

  • AREJAR AMBIENTES

  • TRABALHO

  • NO HOSPITAL OU NO CONSULTRIOIdentificar o paciente tossidorEle deve receber uma mscara Se possvel, coloc-lo em ambiente separadoDar prioridade ao seu atendimentoIncentivar a etiqueta da tosse/higiene das mos Arejar ambientes

  • Cobrir o nariz e boca, de preferncia com leno descartvel, ao tossir ou espirrar

    Se no tem leno, utilizar a manga da blusa/camisa

    Lavar as mos depois de tossir ou espirrar

    Evitar cumprimentar: com a mo ou com beijo, quando estiver doente

    Evitar compartilhar copos, pratos, talheres, objetos pessoais, e/ou beber no copo de outros

    Evitar aglomeraes

    Manter-se longe de pessoa com gripe

    No tocar a boca, nariz e os olhos

    No cuspir no cho

    Manter o ambiente higienizado, com ventilao externa, mas evitando formar correntes de ar

    Usar sempre os EPIs necessrios

    NO SE AUTOMEDICAR

  • ROTINASEM ELABORAO (PARA TODAS AS REAS ENVOLVIDAS)CONSTANTE MUDANAS CONFORME OS ACONTECIMENTOS

  • GRIPE sempre deve ser combatidaSAZONAL

  • CUIDE DA SUA SADE

  • Se envolva, voc pode ser o diferencial entre a vida e a morte de um ser humano!

  • O mundo agradece!

    *Belshe , R. B. The origins of pandemic influenza Lessons from the 1918 virus . N. Engl. J. Med . 2005 , 353 , 2209 2211**Each influenza virus strain is named according to a convention that identifies:its typewhere it was first isolatedthe lab code/culture numberthe year of isolation. For example, the designation A/Singapore/6/86 refers to a strain of type A virus that was isolated in Singapore, strain number 6, in 1986. Type A viruses are also classified based on their HA and NA surface proteins, with 15 HA (H115) and 9 NA (N19) subtypes identified to date in human and animal isolates. For example, type A (H1N1) designates a type A virus that contains the H1 form of HA and the N1 form of NA.***********