gerdau perfis

  • View
    87

  • Download
    6

Embed Size (px)

Text of gerdau perfis

  • Flvio D'AlambertIvan Lippi

    TABELAS DEVOS E CARGAS

  • TABELAS DEVOS E CARGAS

    NDICE

    1. NOTAES E UNIDADES 4

    2. VIGAS SIMPLES CONTIDAS LATERALMENTE

    3. COLUNAS AXIALMENTE CARREGADAS

    4. TABELAS PR-DIMENSIONAMENTO DE VIGAS E COLUNAS

    5. EXEMPLOS

    2.1. ESCOPO 5

    2.2. AES 5

    2.3. VIGAS DE AO 5

    2.4. CARGAS ADMISSVEIS EM VIGAS 6

    2.5. TENSO ADMISSVEL PARA FLEXO EM X-X 6

    2.6. TENSO ADMISSVEL DE CISALHAMENTO 7

    2.7. CARGAS CONCENTRADAS EQUIVALENTES 8

    2.8. CARGAS ACIDENTAIS (SOBRECARGAS) 9

    2.9. FLECHAS 10

    3.1. ESCOPO 11

    3.2. AES 11

    3.3. COLUNAS DE AO 11

    4.1. TABELA TCPA 13

    4.2. TABELAS TVPA 1 A TVPA 4 13

    5.1. USO DAS TABELAS DE VIGASPERFIS GERDAU AOMINAS 14

    5.2. USO DA TABELA DE COLUNASPERFIS GERDAU AOMINAS 16

  • TABELAS DEVOS E CARGAS

    4

    1. NOTAES E UNIDADES

    1.1. Letras romanas maisculas

    1.2. Letras romanas minsculas

    A = rea da seo transversal, cm

    A = rea bruta, cmg

    A = rea da aba, cmf

    E = mdulo de elasticidade do ao, E = 2100 tf/cm

    F = limite de escoamento do ao do perfil, tf/cmy4I = em geral, momento de inrcia, cm

    K = fator de comprimento efetivo de flambagem

    L = comprimento, cm

    L = comprimento de um trecho sem conteno lateral, cmb

    N = fora normal, tf

    L = comprimento mximo sem conteno lateral da mesa comprimida, cm c2F = tenso admissvel de compresso, tf/cma

    b = largura, em geral, cm

    b = largura da aba, cmf

    d = altura da seo, cm

    f = tenso, em geral, cm

    h = altura em geral, distncia entre as faces internas das abas dos perfis I e H subtrada dos raios de concordncia entre a aba e a alma do perfil, cm

    r = raio de girao, cm

    t = espessura, em geral, cm

    t = espessura da aba, cmf

    t = espessura da alma, cmw

  • TABELAS DEVOS E CARGAS

    5

    2. VIGAS SIMPLES CONTIDAS LATERALMENTE

    2.1. ESCOPO

    2.2. AES

    2.3. VIGAS DE AO

    2.3.1. rea bruta

    2.3.2. Sees compactas, no-compactas e esbeltas

    Este trabalho foi elaborado conforme os requisitos da norma do AISC 9 Edio, baseado no mtodo das tenses admissveis para o dimensionamento de vigas uniformemente carregadas contidas lateralmente. As tabelas anexas foram preparadas especialmente para os PERFIS GERDAU AOMINAS, tipo I, duplamente simtricos, e no se aplicam a outros tipos de perfis.

    A determinao das aes e suas combinaes deve ser feita de acordo com o mtodo das tenses admissveis, onde as cargas so usadas sem coeficientes de majorao (cargas de servio).

    Para a resistncia a flexo, os dispositivos da presente especificao so aplicveis a rea bruta dos Perfis sem deduo de furos.

    Para a resistncia a fora cortante, aplicvel o que dispe o item F4 do AISC. Os valores listados nas tabelas no levam em conta recortes feitos na alma dos Perfis nem a existncia de furos.

    Os elementos comprimidos de ao so classificados em sees compactas, no-compactas e esbeltas de acordo com as relaes entre a largura e a espessura de cada elemento componente da seo. A relao entre largura e espessura (b/t) limite para aba e alma calculada de acordo com o indicado na Tabela B5.1 do AISC.

    Elementos fletidos so considerados compactos quando a seo pode atingir o momento de plastificao sem que haja flambagem local.

    Para a resistncia do momento fletor, consideramos apenas as vigas compactas e no compactas contidas lateralmente.

  • TABELAS DEVOS E CARGAS

    6

    2.3.3. Comprimento sem conteno lateral (flambagem lateral com toro)

    2.4. CARGAS ADMISSVEIS EM VIGAS

    2.5. TENSO ADMISSVEL PARA FLEXO EM X-X

    Elementos fletidos em torno do seu eixo de maior resistncia so classificados de acordo com o comprimento L entre pontos contraventados. Esses so pontos de suporte lateral que bimpedem a toro da seo conforme o item F1 do AISC.

    A flambagem lateral a tendncia da aba comprimida da viga de flambar por flexo-toro, isto , o perfil gira deslocando a aba comprimida lateralmente.

    Tal tendncia pode ser evitada se mantivermos o comprimento sem conteno lateral

  • TABELAS DEVOS E CARGAS

    7

    Compacta:

    No compacta:

    O valor de L igual ao menor dos valores:c

    A tenso admissvel de cisalhamento na alma do Perfil dada por F = 0,40 F e para Perfis v yonde a relao h/t for:w

    2.6. TENSO ADMISSVEL DE CISALHAMENTO

    Fy

    2517 b fFy2 t f

    20 b fFy

    ou1400

    FydA f

    Fy

    100t wh

    17b fFy2 t f

  • TABELAS DEVOS E CARGAS

    8

    2.7. CARGAS CONCENTRADAS EQUIVALENTES

    As tabelas so aplicveis aos casos de vigas simplesmente apoiadas, contidas lateralmente, sujeitas cargas concentradas. Exceto no caso de pequenos vos onde a carga admissvel controlada pela fora cortante, deve-se entrar na tabela de carga distribuda considerando a soma das cargas concentradas equivalentes mostradas na Tabela 1.

    Tabela 1 - Cargas Concentradas Equivalentes

    P=ql

    P

    P P

    P PP

    n Carregamento Coef.

    abcdefg

    abcdefg

    abcdefg

    abcdefg

    TABELA DECARGAS ADMISSVEIS

    TVPA 1

    TVPA 2

    TVPA 3

    TVPA 4

    Viga SimplesmenteApoiada

    0,125****0,500****0,0131,0001,000

    0,250****0,500****0,0212,0000,800

    0,333****1,000****0,0362,6671,022

    0,500****1,500****0,0504,0000,950

    4

    3

    2

    Momento positivo mximo: . . . . . . aPLMomento mximo negativo: . . . . . bPLReao no apoio simples: . . . . . . . cPReao no apoio engastado: . . . . . dP

    3Flecha mxima: . . . . . . . . . . . . . . ePL /EI

    Carga uniforme equivalente: . . . . . . . . . . . . . . fPCoeficiente da flecha para cargauniforme equivalente: . . . . . . . . . . . . . . . . . . . gNmero de espaos iguais no vo da viga: . . . . nVo da viga:. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . L

  • TABELAS DEVOS E CARGAS

    9

    2.8 CARGAS ACIDENTAIS (SOBRECARGAS)

    As cargas acidentais ou sobrecargas so cargas de ocupao, definidas em funo de anlises estatsticas, cujos valores mnimos, distribudos, so estabelecidos conforme NBR 6120.

    A Tabela 2, mostra as ocupaes mais comuns em edifcios. Para outros locais e usos, consultar a referida norma.

    Tabela 2 - Cargas Acidentais conforme NBR 6120

    Tipo Valores Mnimos2kgf/mLocal

    150

    200

    300

    500

    200

    300

    250

    300

    300

    300

    200

    250

    400

    200

    300

    50

    Dormitrios, sala, copa,cozinha, banheiro

    Despensa, rea de servio e lavanderia

    Com acesso ao pblico

    Sem acesso ao pblico

    Salas de uso gerale banheiros

    Galerias de lojas

    Lojas com mezaninos

    Veculos de passageiros

    Salas de aula, corredores

    Outras salas

    Salas de leitura

    Depsito de livros

    Sem acesso a pessoas

    Sem acesso ao pblico

    Com acesso ao pblico

    Edifcios Residenciais

    Escadas

    Escritrios

    Lojas

    Restaurantes

    Garagens eEstacionamentos

    Escolas

    Bibliotecas

    Terraos

    Forros

  • TABELAS DEVOS E CARGAS

    10

    2.9. FLECHAS

    As flechas das vigas listadas podem ser calculadas pela frmula:

    onde:

    = flecha, cm

    e = coeficiente conforme Tabela 1

    P = carga conforme Tabela 1

    L = vo da viga , cm2E = mdulo de elasticidade = 2100 tf/cm

    4I = momento de inrcia do perfil, cm

    As flechas mximas devem ser inferiores a L/360 para vigas de piso que suportam elementos rgidos, para a ao de cargas acidentais, observando que dever ser dada contra-flecha para as cargas permanentes (peso prprio). Entretanto se a verificao for feita dentro do limite acima para a carga total, ser dispensada a execuo da contra-flecha.

    NOTA: Outros limites podero ser estabelecidos, para outras situaes de uso, por calculista habilitado.

    E I

    3e P L

  • TABELAS DEVOS E CARGAS

    11

    3. COLUNAS AXIALMENTE CARREGADAS

    3.1. ESCOPO

    3.2. AES

    3.3. COLUNAS DE AO

    3.3.1. Sees compactas, no-compactas e esbeltas

    3.3.2. Comprimento efetivo de flambagem e ndice de esbeltez

    3.3.3. Limites do ndice de esbeltez

    Trabalho elaborado conforme os requisitos da norma do AISC 9 Edio, baseado no mtodo das tenses admissveis e outras consideraes para o dimensionamento de elementos comprimidos. A tabela anexa foi preparada especialmente para os PERFIS GERDAU AOMINAS, tipo H, duplamente simtricos, e no se aplica a outros tipos de Perfis.

    A determinao das aes e suas combinaes deve ser feita de acordo com o mtodo das tenses admissveis onde as cargas so usadas sem coeficientes de majorao (cargas de servio).

    Os elementos comprimidos de ao so classificados em sees compactas, no-compactas e esbeltas, de acordo com as relaes entre a largura e a espessura dos componentes da seo. A relao entre a largura e a espessura (b/t) limite para aba e alma dada na Tabela B5.1 do AISC.

    A tabela aplicvel a colunas com sees compactas ou no compactas sujeitas compresso axial atravs do seu centro de gravidade.

    A determinao do comprimento efetivo de flambagem do elemento comprimido atravs do fator K deve ser feita de acordo com a seo C2 do AISC. Um estudo minucioso quanto ao valor de K deve ser efetuado para o dimensionamento das peas comprimidas. Para isso deve-se levar em conta o tipo de conexo entre os componentes e a rigidez das peas que compem a estrutura como um todo. Em algumas situaes, o valor de K pode ser bem maior do que 2. Na determinao do ndice de esbeltez de um elemento comprimido carregado axialmente deve ser levado em conta o comprimento efetivo KL e o correspondente raio de girao r da seo.

    Para el