CARACTERÍSTICAS AFETIVO- MOTIVACIONAIS DO .Texto de Keith Oatley e Jennifer M. Jenkins ... mais

  • View
    214

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of CARACTERÍSTICAS AFETIVO- MOTIVACIONAIS DO .Texto de Keith Oatley e Jennifer M. Jenkins ... mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAO PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAO PDE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARAN

CARACTERSTICAS AFETIVO- MOTIVACIONAIS DO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM

Clia Regina Lemos KausLenira Pazinatto Matsuzava

Maria Aparecida Torres Cunico SchuertzSidneia Guimares Campos

Watfa A. Chami

Orientadora: Helga Loos

CURITIBA2008

SUMRIO

Apresentao................................................................................................ 01

Texto 1FUNES E EFEITOS DAS EMOES NA COGNIO E NA PERSUASO................................................................................................ 03Propostas de atividades............................................................................. 16- Pedagoga Clia Regina Lemos Kaus

Texto 2O DESAFIO DE MOTIVAR OS ALUNOS..................................................... 21Propostas de atividades............................................................................. 24- Pedagoga Lenira Pazinatto Matsuzava

Texto 3A TEORIA DE MASLOW E A MOTIVAO PARA A APRENDIZAGEM........................................................................................ 25 Propostas de atividades............................................................................ 31- Pedagoga Lenira Pazinatto Matsuzava

Texto 4AUTO-EFICCIA E A MOTIVAO PARA APRENDER .......................... 34Propostas de atividades............................................................................ 39 - Pedagoga Maria Aparecida Torres Cnico Schuertz

Texto 5CRENAS AUTO-REFERENCIADAS ...................................................... 41Propostas de atividades........................................................................... 48- Pedagoga M Aparecida Torres Cnico Schuertz

Texto 6AUTO-EFICCIA PROPOSTA POR BANDURA....................................... 51

2

Propostas de atividades........................................................................... 57- Pedagoga Watfa A. Chami Pereira

Texto 7CRENAS DE AUTO-EFICCIA.............................................................. 59Propostas de atividades.......................................................................... 72- Pedagoga Watfa A. Chami Pereira

Texto 8CAMINHOS DA PROFISSO E DA PROFISSIONALIDADE DOCENTE ................................................................................................ 76Propostas de atividades.......................................................................... 91- Pedagoga Sidnia Guimares Campos

Texto 9CORAO DE PROFESSOR.................................................................. 93Propostas de atividades....................................................................... 107- Pedagoga Sidnia Guimares Campos

3

APRESENTAO

CADERNO PEDAGGICO

O homem, como ser incompleto, inacabado e inconcluso que , s inicia seu processo de plenificao, de acabamento e de auto-concluso de sua humanidade no momento em que toma conscincia daquela incompletude. Paulo Freire

O presente trabalho - em verso preliminar - resultado de dedicado esforo e estudos intensos, dado o desafio terico e aprofundamento dos temas da rea cientfica escolhida a Psicologia. Apesar das dificuldades, o produto final fruto de um trabalho coletivo, amigo e parceiro das pedagogas-PDE da equipe orientada pela Prof Dra Helga Loos, do Departamento de Teoria e Fundamentos da Educao da Universidade Federal do Paran.

A equipe teve o objetivo, a preocupao e o interesse em compreender melhor os sujeitos protagonistas do processo pedaggico: Professor e Aluno, suas percepes, angstias, auto-estima e as implicaes destes fatores no processo de realizao pessoal, profissional e acadmica, resultando no (in)sucesso escolar. Para tanto, estudou as relaes e comprometimentos entre os fatores cognitivos e afetivo-motivacionais que permeiam a relao professor(a) x aluno(a), a motivao como instrumento de liberdade de ao quando o(a) professor(a) tambm possui entusiasmo pelo seu trabalho e proporciona aos(s) seus(as) alunos(as) tarefas significativas e desafiadoras, as crenas auto-referenciadas (auto-conhecimento, auto-estima e crenas de auto-eficcia) e sua influncia na motivao dos alunos para a aprendizagem, os fatores que formam o construto da identidade profissional do(a) professor(a), as crenas de auto-eficcia dos professores e suas conseqncias na aprendizagem dos alunos.

Houve inquietao quanto ao desafio de organizar um material til, interessante, dinmico e prtico, dadas as dificuldades que o(a) pedagogo(a) enfrenta no dia-a-dia escolar, j que no dispe de hora-atividade para planejar, estudar e preparar material para trabalhar com sua equipe. Entretanto, tal tarefa lhe exigida e deve execut-la, dentre tantas outras nas quais vive submerso.

O material didtico que ora apresentamos vem a ser um Caderno Pedaggico, que traz uma coletnea de textos, propondo temticas para reflexo. Objetiva auxiliar, especialmente os pedagogos escolares, no trabalho com suas

4

equipes docentes frente s questes afetivo-motivacionais que entremeiam o contexto humano no espao escolar, pois acreditamos que a significativa sensibilizao dos educadores acontece em um processo subjetivo, portanto, bem particular e interno, ou seja, distinto em cada pessoa, podendo surtir ou no efeitos visveis ou no nos comportamentos de cada sujeito.

Tratam-se de temticas apaixonantes, que certamente despertaro o interesse de muitos(as) j a partir das primeiras leituras, pois mexem com o nosso eu, com o nosso ser como pessoa, como homens/mulheres, como profissionais do magistrio, como cidados(s) comprometidos(as) com uma escola de qualidade, voltada para o futuro, mas vivendo em sua plenitude o presente, aqui e agora, de forma subjetiva, alm de coletiva e social.

Da escolha dessa abordagem surgiram as cores, os cheiros, os gostos, os tons dos dilogos, que foram uma confluncia entre respeito, parceria e compromisso com o nosso papel de educadores(as) e o desejo de acertar e fazer o bem, o certo e o melhor possvel pela educao.

Em comum, o que somos e o que almejamos? Somos todos(as) humanos(as), imperfeitos(as) e inacabados(as), em busca permanente de nossa completude, idealizando e trabalhando por um futuro promissor, cientes de que nossa dedicao poder fazer a diferena e at melhor-lo, apesar das crticas e das dificuldades, sem jamais perder a esperana, queremos agir para transformar e emancipar a ns mesmos(as) e a quem influenciamos com nossa sabedoria e nossa prtica educativa.

Neste Caderno Pedaggico os textos esto organizados conforme o alcance e enredamento das temticas trabalhadas. Foram adaptados com base em produes originais de autores referenciados, que tm abordagens com consistncia terica importante e despertaram em ns o interesse necessrio para termos a motivao de continuarmos estudando, aprendendo e querendo cada vez mais buscar conhecimentos na rea. Os textos esto distribudos segundo as temticas abaixo relacionadas:

Texto 1

5

"Ensinar ? um exerc?cio de imortalidade, de alguma forma continuamos a viver naqueles cujos olhos aprenderam a ver o mundo pela magia da nossa palavra e o professor assim, n?o morre jamais". (ALVES, 2000, p.45.)

FUNES E EFEITOS DAS EMOES NA COGNIO E NA PERSUASO

Texto de Keith Oatley e Jennifer M. JenkinsAdaptado por Clia Regina Lemos Kaus

Pedagoga - PDE

INTRODUO

Prezado(a) Professor(a):

A temtica aqui proposta subsidia o Plano de Trabalho PDE que prope uma reflexo sobre a relao de afetividade e cognio dos alunos da 5 srie do EF, como fase de transio para crianas e jovens, de um trabalho extremamente desafiador para muitos(as) professores(as), que enfrentam srias dificuldades em lidar com tamanha gama de fatores intervenientes e limitaes. O texto intitulado Funes e efeitos das emoes na cognio e na persuaso, produzido por Keith Oatley e Jennifer M. Jenkins e aqui adaptado por Clia Regina Lemos Kaus, pretende propor ao() leitor(a) a oportunidade de refletir, conhecer e aprofundar noes sobre suas emoes e sobre as emoes de outrem, de modo contribuir para sua formao profissional e pessoal.

Entendendo que somos singulares em nossa subjetividade, entendemos que o(a) aluno(a) tambm o . E sendo nico(a), tem uma histria de vida, construda com a ajuda de muitas mos, mentes e coraes, inclusive com a participao direta ou indireta das nossas mos, (in)completas, (in)certas, com inmeras possibilidades e entraves, conduzindo-os(as) para o (in)sucesso em suas vidas pessoal e acadmica, que surtiro efeito num futuro o qual desconhecemos as conseqncias. Mas uma certeza temos que buscar: de ter feito sempre e incondicionalmente o melhor para e pelos(as) nossos(as) alunos(as), sem perder a ternura e a esperana que sustentam a utopia, a busca incansvel de construo de um mundo melhor, mais humano e feliz!

OBJETIVO

Proporcionar aos(s) professores(as), especialmente aos(s) que atuam junto s sries finais do Ensino Fundamental, o aprofundamento nos conhecimentos

6

que possibilitem a necessria reflexo acerca da indissociabilidade entre afetividade e cognio no processo de desenvolvimento da pessoa, como ser humano completo. Tal reflexo permitir repensar a sua prtica didtico-metodolgica, com vistas a aperfeio-la humanizando-a cada vez mais, e para tanto, dever estabelecer vnculo afetivo com seus(as) alunos(as), condio sine qua non para a felicidade e o conseqente sucesso de todos os protagonistas (professores/as