Regras Fifa Futebol

  • View
    102

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Regras Fifa Futebol

1. Confederao Brasileira de Futebol Edficio Jos Maria Marin Avenida Luiz Carlos Prestes, 130 Barra da Tijuca Rio de Janeiro, Brasil CEP 22775-055 Telefone: 00 55 (21) 3572 1900 Fax: 00 55 (21) 3572 1900 cbf@cbf.com.br 20142015 2015 ESPECIAL RBITRO 2015 ASP - FIFA RBITRO 2015 RBITRO 2015 DE ARBITRAGEM INSTRUTOR 2015 ESPECIAL RBITRA 2015 ASP - FIFA RBITRA 2015 RBITRA 2015 ESPECIAL ASSISTENTE 2015 ASP - FIFA ASSISTENTE 2015 ASSISTENTE 2015 DE ARBITRAGEM INSTRUTORA 2015 ESPECIAL ASSISTENTE 2015 ASP - FIFA ASSISTENTE 2015 ASSISTENTE 2014 2014 2015 ConexoBrasil(11)2994-4754 100 anos 2014 CONFEDERAO BRASILEIRA DE FUTEBOL Administrao - Jos Maria Marin ConexoBrasil(11)2994-4754 2. REGRAS DE FUTEBOL 2014/2015 Agosto 2014 Autorizadas pelo International Football Association Board Todos os direitos desta publicao so reservados. Reproduo ou traduo completa ou parcial, somente com autorizao expressa da FIFA. Traduo e publicao de responsabilidade da Confederao Brasileira de Futebol - CBF, com autorizao da FIFA. Anexos Portaria da Presidncia 06/2014 Manual dos Delegados,Tutores, Assessores e Assessores de Vdeo de Arbitragem Relao Nacional dos rbitros 2014-2015 Administrao Jos Maria Marin 3. 2014 2015 2 Presidente: Jos Maria Marin Vice-presidentes: Fbio Marcel Nogueira (Sul); Fernando Jos Macieira Sarney (Norte); Marcos Antonio de M. Ferreira (Nordeste); Weber Magalhes (Centro Oeste); e, Marco Polo Del Nero (Centro Sul) Secretaria Geral: Julio Cesar Avelleda Diretoria de Competies: Virglio Elsio da Costa Neto Diretoria Jurdica: Carlos Eugenio Lopes Diretoria de Marketing: Jos Carlos Salim Diretoria de Registro e Transferncia: Reynaldo Buzzoni de Oliveira Neto - Interino Diretoria de Assessoria Legislativa: Vandenbergue dos Santos S. Machado Comisso de Arbitragem CA Presidente: Srgio Corra da Silva Vice-Presidente: Nilson de Souza Mono Secretrio: Antnio Pereira da Silva Membro: Alicio Pena Jnior Departamento de Arbitragem - DA Srgio Corra da Silva Escola Nacional de Arbitragem de Futebol- ENAF Diretor-Presidente: Antnio Pereira da Silva Diretora-Secretria: Ana Paula da Silva Oliveira Coordenador da Instruo da Arbitragem Brasileira: Wilson Luiz Seneme Diretor Adjunto (Pilar Tcnico): Manoel Serapio Filho Diretores Adjuntos (Pilar Fsico): Paulo Roberto Rocha Camello e Dionsio Roberto Domingos Diretoras Adjuntas (Pilar Mdico - CNM): Andria Rossi Picano Pilar Mental: Marta Magalhes Sousa Corregedoria de Arbitragem Edson Rezende de Oliveira corregedoria.arbitragem@cbf.com.br Ouvidoria de Arbitragem Paulo Jorge Alves ouvidoria.arbitragem@cbf.com.br Ouvidor Geral das Competies Nacionais Roberto Sardinha ouvidoriacompeticoes.sardinha@cbf.com.br Administrativo - CA-CBF Claudio Luis Silva Freitas Traduo e Reviso Manoel Serapio Filho Marcio Verri Brando Srgio Corra da Silva Almir Alves de Mello Editorao Eletrnica Conexo Brasil Computao Grfica Tel.: (11) 2994-4754 - Tel/Fax: 2204-1095 Diretoria da CBF Uma justa homenagem Na foto ao lado, o trio brasileiro que atuou em trs partidas da Copa do Mundo FIFA 2014, agradece e rende homenagem ao Presidente da CBF Jos Maria Marin, Diretoria, Federaes e respectivos funcionrios, Instrutores nacionais e estaduais de todos os pilares. Na foto da esquerda-direita: Wilson Luiz Seneme, Dionsio Roberto Domingos, Emerson de Carvalho, Sandro Meira Ricci, Marcelo Van Gasse, Nilson de Souza Mono e Ednilson Corona. 4. 3 PALAVRA DO PRESIDENTE DA CBF Senhores desportistas, Cumprindo dever institucional, como tem ocorrido anualmente, apresentamos o livro de re- gras de futebol 2014/2015, revisado e atualizado, com o que damos mais um passo rumo atualiza- o, ao desenvolvimento e modernizao da ar- bitragem brasileira. Valemo-nos da oportunidade para mencionar alguns dos investimentos que realizamos no setor da arbitragem, desde que assumimos a presidn- cia da casa em 2012: adaptao da estrutura da arbitragem brasileira aos estatutos da FIFA, com criao do Departamento de Arbitragem, para dar suporte Comisso; criao da Corregedoria e da Ouvidoria de Arbitragem, com vistas a dar plena transparncia ao setor e analisar as reclamaes tcnicas dos clubes; criao da Escola Nacional de Arbitragem ENAF-CBF, para acompanhar as atua- es e promover o desenvolvimento dos rbitros da RENAF, alm de dar suporte s escolas estadu- ais de arbitragem; adoo para a srie A dos r- bitros Assistentes Adicionais - AAA; aquisio de 30 rdios comunicadores para facilitar o trabalho dos rbitros; suporte com envio de instrutores s 22 federaes que realizaram pr-temporadas pa- ra os rbitros que dirigiram seus campeonatos; rea lizao de pr-temporadas nas 27 federaes do pas, para atualizao dos rbitros da RENAF, em cujas oportunidades foram realizadas avaliaes fsicas, tericas e treinamentos prticos; realiza- o de Jornada Tcnica especial, aps a primeira fase das competies coordenadas pela CBF, pa- ra atualizar todos os rbitros do Brasil sobre os novos conceitos de tcnica de arbitragem e de in- terpretao de alguns lances pela FIFA; Reunies dos dirigentes da arbitragem da CBF com os Ins- trutores Internacionais e nacionais do Brasil, bem assim com os delegados de arbitragem e tutores, com vistas a traar diretrizes mais amplas para su- as atuaes e aumentar o nmero de jogos em que devem funcionar. Tambm por dever institucional e de justia, registramos que os rbitros brasileiros tm reve- lado incondicional compromisso com a funo e elevada lisura de conduta, alm de realizarem um trabalho eficiente e de boa qualidade, que se re- vela no exerccio da autoridade sem autoritaris- mo, no efetivo controle do jogo, na uniformida- de de critrios, no princpio da neutralidade, tudo que tem sido traduzido no aumento da credibilida- de de nosso futebol e, inclusive, na sensvel redu- o do nmero de faltas. Por consequncia, agradecemos, alm de aos rbitros, aos dirigentes dos nossos rgos de ar- bitragem Comisso Departamento Escola Na- cional , bem assim a todos os instrutores interna- cionais e nacionais, aos delegados e assessores, para todos os quais auguro boa temporada. Que este novo compndio continue sendo a mais eficaz ferramenta de trabalho para nossos rbitros, pois a base de toda deciso correta so as regras de jogo.Tambm espero que ele sirva de fonte de informao para o pblico em geral e pa- ra nossa imprensa especializada. Por fim, embora em outra vertente, gostara- mos de informar algumas das aes e obras que realizamos desde que assumimos a presidncia da Casa: reforma do Centro deTreinamentos Almi- rante Heleno Nunes (Granja Comary), que, hoje, aparelhada de equipamento necessrio para nos- sos atletas treinarem e alojamento com conforto e dignidade, proporcionais importncia do futebol brasileiro, tanto que nossa seleo principal utili- zou suas instalaes durante a Copa do Mundo FI- FA 2014; aquisio de prdio para a sede da CBF, que, por deciso dos presidentes das entidades proporcionaram-me uma das maiores emoes, homenageando-me em vida ao dar o meu nome a nova sede em Assembleia Geral. Pois bem, com a realizao das reformas necessrias a nova se- de foi inaugurada em 4 de junho de 2014, com to- da estrutura necessria para levar adiante as suas atividades, alm de contar com o museu da sele- o canarinho, contando a histria vencedora nos ltimos 100 anos. Rio de Janeiro, agosto de 2014. Jos Maria Marin 5. 2014 2015 4 PALAVRA DO PRESIDENTE DA COMISSO DE ARBITRAGEM DA CBF Caros Companheiros da arbitragem de Futebol, Aps dois anos de afastamento, fomos, para nossa honra, reconduzidos presi- dncia da Comisso de Arbitragem da CBF CA-CBF, revelando a confiana da alta di- reo da Casa, particularmente do Presi- dente Jos Maria Marin, na fora de nos- so trabalho. Nosso retorno, portanto, nos impe, ao lado do rgio cumprimento dos naturais deveres do cargo, enfrentar e alcanar no- vos desafios e metas. Sendo assim, alm de almejar uma ar- bitragem tica, de alto nvel e padroni- zada, tambm procuraremos: incutir em nossos rbitros o profundo conhecimen- to da essncia do futebol, que ferra- menta indispensvel para a funo; con- solidar, cada vez mais, a conscincia de que o trabalho em equipe imprescind- vel; ampliar a sistemtica de arbitragem, de modo que os rbitros sempre estejam preparados para a ao seguinte e jamais sejam surpreendidos; difundir e democra- tizar mais intensamente em todo o Brasil os conhecimentos da arbitragem, tanto para aperfeioamento global, como pa- ra descoberta de novos e talentosos r- bitros; enfim, consolidar uma arbitragem centrada na tica plena, na eficincia, no princpio da neutralidade, da igualdade de critrios, no exerccio da autoridade sem autoritarismo, no efetivo controle do jogo e na uniformidade de intepretao, res- peitadas as particularidades de cada fato. Arbitragem de excelncia, afinal. De outro lado, informo que, para um futuro prximo, qui 2015, pretendemos introduzir uma valiosa e inovadora mun- dialmente ferramenta de treinamento, que consistir de um simulador, semelhana do que ocorre com os pilotos de avio, por meio do qual, treinaremos nossos rbitros em jogadas de todas as naturezas, que, ao serem analisadas, produziro a mesma sensao experimentada em campo, com o que todos A, AA e AAA podero se preparar para a situaes reais e enfrent- las com mais naturalidade, controle emo- cional e sem serem surpreendidos. Antes de encerrar, por insupervel de- ver cristo e de justia, independente- mente das homenagens e reconhecimen- to que lhe externamos em vida, queremos dizer ao mais notvel rbitro de futebol do Brasil, talvez do mundo, Sr. Armando Nunes Castanheira Rosa Marques (nas- cido em 6 de fevereiro de 1930, falecido em 17 de julho de 2014): Obrigado Dom Armando, o mundo do futebol o reconhe- ce como um dos mais competentes na ar- te de arbitrar com a mxima autoridade e o reverencia como o grande dique que se- parou a arbitragem, dentro das quatro li- nhas, em dois grandes momentos: ANTES E DEPOIS DE ARMANDO MARQUES. Des- canse em paz. Vamos, pois, ao trabalho senhores rbi- tros e valiosos e abnegados colaborad