Quinteto Sine Nomine

  • View
    1.262

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Apresentação do grupo de música de câmara Sine Nomine.

Text of Quinteto Sine Nomine

  • 1. Quinteto Sinenomine Sinenomine Apresentao

2. Formado em 1992 a partir de um ncleo de jovens instrumentistas provenientes da Escola Profissional de Msica de Almada, da Escola de Msica do Conservatrio Nacional de Lisboa, e da ARTAVE, o quinteto Sine Nomine um Quinteto de Sopros (Flauta, Obo, Clarinete, Trompa e Fagote) que tem por objectivo apresentar-se sob diversas vertentes: a Animao Musical, o Concerto, Cerimnias Matrimoniais (*)e inauguraes. Assim, o reportrio a executar muito variado, quer em termos de estilo quer em termos de durao, por forma a enquadrar-se nas caractersticas especficas de cada apresentao. Deste modo, contemplam-se compositores clssicos, como Danzi ou Reicha, at aos portugueses Joly Braga Santos e Jorge Salgueiro, podendo mesmo alargar o seu mbito com temas da msica ligeira actual arranjados especificamente paraestaformao. O Quinteto Sine Nomine tem vindo a frequentar vrias Masterclasses, para alm da sua participao em variadssimos concertos um pouco por todo o pas, em colaborao com Cmaras Municipais nos seus programas culturais. Destacam-se os concertos efectuados no Centro Cultural de Belm ena Expo 98. * Nesta situao includa no grupo uma cantora, cuja escolha est nossa responsabilidade. 3. Ultimamente a sua actividade tem-se desenvolvido mais na vertente pedaggica, atravs de concertos especialmente concebidos para o pblico infantil. Esta concepo de concerto adaptada consoante as faixas etrias, a temtica a abordar em que temos os concertos dedicados msica clssica, portuguesa, de Natal, Medieval, etc. e o espao fsico em que este realizado. Outra preocupao que o Sine Nomine tem vindo a ter nestes concertos a possibilidade do pblico jovem poder interagir com a obras que vo sendo executadas. A audio ocupa um lugar particularmente importante nas nossas vidas, por um lado, a prpria razo da existncia da msica, da qual sem ela est provado que seramos emocionalmente mais pobres, por outro, contribui decisivamente para o desenvolvimento musical do ser humano. humano. A audio activa um processo que implica o envolvimento do ouvinte e, para a qual so necessrias a experincia e a aprendizagem.aprendizagem. Acompanhar os msicos cantando suavemente as melodias tambm uma actividade interessante; interessante; quantas vezes no nos surpreendemos a cantarolar uma melodia conhecida da qual nos proporciona uma enorme satisfao e bem--estar? No isto uma prova debem que o ouvinte deseja de facto participar activamente? Para que tal acontea o quinteto de sopro Sine Nomine preparou um concerto didctico com obras de fcil preparao para realizar conjuntamente com as crianas, que proporciona uma experincia que parte da audio para a concretizao. Convidam aconcretizao. sentir, a interpretar, a exprimir, e tocar a msica atravs do corpo como expresso dos sentimentos, emoes e impresses que a mesma provoca. provoca. 4. Vera Pereira - FlautaNasceu em Cesar, Oliveira de Azemis, em 1981. Iniciou os seus estudos Cesar, 1981. musicais aos 10 anos na Academia da Msica de So Joo da Madeira, onde estudou com Maurcio Dias Noites e Rui Paulo Sousa, com quem concluiu o 6 grau.grau. Fez o Curso de Instrumentista de Sopro na Artave Escola Profissional Artstica do Vale do Ave, na classe do Prof. Amrico Costa. Em Outubro de 1999 foiProf.Costa. convidada a tocar a solo com a Orquestra Sinfnica Artave, por ter sido a aluna comArtave, melhor mdia do Curso. Curso. Concluiu em 2004, a Licenciatura na Escola Superior de Msica de Lisboa,2004, com o prof. Nuno Ivo Cruz. Foi bolseira da Fundao Calouste Gulbenkian entre 1997 prof.Cruz. e 2003. Fez masterclasses com Vien Prats, Rien de Reed, Istvan Matuz, Michael 2003.Prats,Reed, Matuz, Hasel, Hasel, Flix Renggli entre outros.outros. Tem colaborado com inmeras orquestras tais como: Orquestra Gulbenkian, como: Orquestra Sinfnica Portuguesa, Orquestra Metropolitana de Lisboa, Orquestra de Cmara de Cascais e Oeiras e Orquestra Didctica da Foco Musical. Participou na Musical. Orquestra do Musical My Fair Lady de Filipe La Fria e nos espectculos dos Grandes Mestres do Musical Americano, no Teatro Municipal de S. Luiz. Luiz. Ganhou em Julho de 2004, o 3 prmio ex--aequo nvel superior de flauta do 2004,ex Concurso da RDP Prmio Jovens Msicos. Leccionou no Conservatrio Msicos. Metropolitano de Lisboa entre 2000 e 2004. 2004. , membro fundador do Quinteto de Sopros Sine Nomine e desde 2003, 2003, membro da Banda da Armada Portuguesa (flauta e piccolo) e professora de flauta na piccolo) Escola de Artes da Sociedade Artstica e Musical dos Pousos (Leiria).(Leiria). Actualmente encontra-se a frequentar o Mestrado em Msica (Performance)encontra- na Universidade de Aveiro.Aveiro. 5. Fausto Nobre OboIniciou os estudos musicais aos nove anos de idade na Banda da AssociaoHumanitria dos Bombeiros Voluntrios de Fanhes.Fanhes.Ingressa no Conservatrio Nacional de Msica de Lisboa trs anos mais tarde, naclasse de Obo do professor Jos Coutinho. Coutinho.Foi membro da Orquestra Sinfnica Juvenil (1992/97), ao servio da qual fez 1992/97),concertos em todas as capitais de distrito do pas. Ainda com a mesma Orquestra pas.participou nos estgios dos Aores (Faial, Pico e Terceira) em 1993, da Madeira (Porto 1993,Santo e Funchal) em 1994, dos Aores (Graciosa e S. Jorge) em 1995, da Madeira1994, 1995,(Funchal) em 1996 e dos Aores (S. Miguel) em 1997, sempre sob a orientao do(S.1997,Maestro e Compositor Christopher Bochmann.Bochmann.Gravou CDs pela Banda da Armada; participou numa temporada no CentroArmada;Cultural de Belm com a companhia Nacional da Bailado; participou na pera Bailado;Nabucco, no Teatro Nacional de S. Carlos; frequentou os Cursos de Vero paraNabucco,Carlos;jovens msicos organizados pelo Inatel em 1988 e 1989; frequentou o Curso de Vero1989;promovido pela Cmara Municipal de Loures, sob a orientao do professor RicardoLopes;Lopes; participou nos Concertos de Natal no Coliseu de Lisboa, com o Maestro eCompositor Jos Calvrio; gravou a msica do pavilho dos Aores para a Expo 98, Calvrio;98,gravou trs obras didcticas de Jorge Salgueiro para o projecto crescer com a msicada Foco Musical, assim como o CD demonstrativo dos instrumentos da Orquestra; Orquestra;fez o Curso pedagdico do professor Jos Wuytack; gravou um videoclip com Nuno Wuytack;Guerreiro;Guerreiro; fez parte do jri do XIII festival da cano de Estarreja; gravou diversos Estarreja;programas para a Televiso Portuguesa; gravou e fez alguns arranjos musicais para osPortuguesa;livros do 1 ciclo Da Escola ao Palco. Palco.Actualmente 1 obo solista da Banda da Armada (desde 1993), membro da1993),Orquestra Lusitnia, da Orquestra do Baixo Alentejo, do Quinteto de Sopros SineNomine (membro fundador), da Orquestra da Foco Musical (desde 1998), do 1998),Quinteto de Sopros da Foco Musical (desde 1998), 1 obo da Nova Orquestra1998),Sinfnica de Lisboa (desde a sua fundao), professor de Obo e de Iniciao Musicalda Foco Musical (desde o ano lectivo 1998/99) e membro efectivo da Orquestra de 1998/99)Nuno Feist. Feist. 6. Paulo Ferreira - ClarineteNatural de Vila Franca de Xira, nasceu a 6 de Outubro de 1976. Aos 111976. anos iniciou os seus estudos musicais na Banda Filarmnica do Ateneu Artstico Vilafranquense, Vilafranquense, na classe de clarinete. clarinete. Fez o Curso de Clarinete na Escola Profissional de Msica de Almada onde foi aluno do professor Jorge Trindade.Trindade.Frequentou os 4 e 5 Cursos de Msica de Cmara de Loures, um Curso de Clarinete Clssico orientado pelo professor Lorenzo Copola no Conservatrio Nacional e ainda o III Curso de Vero para Jovens Msicos organizado pelo Conservatrio das Caldas da Rainha. Na rea do ensino da Iniciao Musical, Rainha. freqentou os 1 e 2 nveis do Curso de Pedagogia de Jos Wuytack. Wuytack.Colaborou com as seguintes orquestras: Sinfonia B (com a qual participouorquestras: na gravao de um CD - Os Sons da Expo98); Orquestra Sinfonieta, Nova Expo98);Sinfonieta, Orquestra Sinfnica de Lisboa e Orquestra de Cmara Lusitnia.Lusitnia. Foi membro, durante dois anos, do grupo de cmara de Torres Vedras Animato. Animato. Tambm leccionou clarinete na Sociedade Filarmnica Unio Samorense. Samorense.Actualmente membro da Banda da Armada desde 1996, do Quinteto de 1996, Sopros Sine Nomine, do Trio Three Under The Tree, do Quinteto de Sopros, Tree, Orquestra Didctica da Foco Musical, com a qual gravou a cantata O Conquistador de Jorge Salgueiro e do Quinteto de Sopros da Foco Musical.Musical. Tambm lecciona clarinete e saxofone na Banda Filarmnica de Ponte do Rol (Torres Vedras) e Iniciao Musical em diversos Jardins de Infncia. Infncia. 7. Orlando Caldeira - Trompa Orlando Nogueira Caldeira nasceu a 2 de Maro de 1971 na ento chamada Repblica Federal da Alemanha. Alemanha. Aos 8 anos de idade inicia os seus estudos musicais na Sociedade Filarmnica Operria Amorense onde 1 ano depois integra na banda da mesma.mesma. Em 1991 depois de prestar a devidas provas musicais ingressa na Banda da Armada Portuguesa onde actualmente desempenha as funes de 1 Trompista solista e coordenador de naipe das Trompas.Trompas. Nesse mesmo ano frequenta a Escola Profissional de Msica de Almada no curso de instrumento. instrumento. Em 1992 foi um dos fundadores do Quinteto de Sopros Sine Nomine.Nomine. tambm Professor e Trompista da Orquestra Didctica da Foco Musical desempenhando as mesmas funes anteriormente citadas. Em 1999 Gravou para esta citadas. mesma orquestra a Fbula Sinfnica, Opus 65 de Jorge Salgueiro intitulada de A Quinta da Amizade. Amizade. Colaborou vrias vezes com a Orquestra da Juventude Musical Portuguesa, Orquestra Sinfnica Juvenil e Orquestra Sinfnica Portuguesa onde com esta efectuou uma digresso Alemanha.Alemanha. Foi msico residente da Orquestra do programa televisivo de Herman Jos Herman 98 e 99. 99 Fez parte do Projecto musical denominado Popera com o Maestro Pedro Popera Osrio contando com as participaes dos cantores Rita Guerra, Beto e Helena Vieira. Vieira. Faz parte de vrios grupos d