of 24/24
A Construção da Inglaterra Moderna 1- As mudanças na economia: 1.1- O rompimento com a Igreja Católica e a formação da Igreja Anglicana; 1.2 O confisco das terras da Igreja Católica, que foram vendidas para a gentry ( proprietários rurais ingleses); 1.3- As cartas de cercamento: a gentry passou a cercar as terras comuns, o que levou milhares de camponeses à falência. A- Camponeses eram forçados a vender suas terras; B- Revoltas urbanas e rurais; C- Mentalidade capitalista no campo; produção voltada para o mercado.

2014 revolução inglesa

  • View
    73

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of 2014 revolução inglesa

1. A Construo da Inglaterra Moderna 1- As mudanas na economia: 1.1- O rompimento com a Igreja Catlica e a formao da Igreja Anglicana; 1.2 O confisco das terras da Igreja Catlica, que foram vendidas para a gentry ( proprietrios rurais ingleses); 1.3- As cartas de cercamento: a gentry passou a cercar as terras comuns, o que levou milhares de camponeses falncia. A- Camponeses eram forados a vender suas terras; B- Revoltas urbanas e rurais; C- Mentalidade capitalista no campo; produo voltada para o mercado. 2. 2- A MONARQUIA INGLESA 2.1- A venda de ttulos nobilirquicos; 2.2- Aproximao entre os monarcas e a burguesia; 2.3- A vitria inglesa sob a Armada Espanhola; 2.4- O acmulo de capital com os corsrios, as companhias de comrcio e os monoplios; 2.5- As leis contra a vadiagem; 3. Jaime I Carlos I Carlos I 4. MOTIVAES PARA O INCIO DA GUERRA CIVIL/ REVOLUO INGLESA 1- O autoritarismo dos reis : Jaime I e Carlos I 2- Cobrana abusiva de impostos ; 3- Perseguio e represso aos calvinistas ( puritanos); 4- Emprstimos forados; 5- Fechamento do parlamento. 5. PARLAMENTOREI NOBREZA BURGUESIA MONOPOLISTA Igreja Anglicana BURGUESIA GENTRY CAMPONESES ARTESOS 6. AVANO DAS FORAS PARLAMENTARES VITRIA DO PARLAMENTO EXTINO DA MONARQUIA E FORMAO DA REPBLICA PURITANA OLIVER CROMWELL 7. A REPBLICA DE OLIVER CROMWELL (COMMONWEALTH REPBLICA PURITANA): 1- A busca da estabilidade e a aliana com parte dos antigos adversrios; 2- Focos de tenso: a- o exrcito devido a sua diversidade de componentes. b- a luta dos niveladores e dos escavadores; c- revolta na Irlanda: monarquistas catlicos vs. puritanismo Cromwell d- represso violenta aos movimentos 8. ATOS DE NAVEGAO - 1651 9. A RESTAURAO MONRQUICA: 1- O medo das agitaes e reivindicaes populares promoveu o retorno da monarquia. 2- Carlos II e o parlamento fortalecido: a- apoio da burguesia. b- instituiu o habeas-corpus. 3- A morte do rei e a coroao do seu irmo Jaime II: a- catlico convicto e a suposta conspirao com Lus XIV o rei Sol b- Oposio generalizada: Igreja Anglicana; Parlamento; burguesia;gentry. 10. A REVOLUO GLORIOSA: 1- Presso; ameaa de uma nova guerra civil; abdicao de Jaime II. 2- Coroao de Guilherme de Orange: protestante; holands; genro de Jaime II. 3- O novo rei assinou e respeitou o Bill of Rights Declarao de Direitos: a- Monarquia Constitucional Parlamentar. b- O rei reina, mas no governa. 6.4- O voto censitrio e a excluso das camadas populares. 6.5- A burguesia passou a participar das decises do Estado. 11. REVOLUO INDUSTRIAL. Incio: ING, sc XVIII. Fases: 1 REV. INDUSTRIAL 2 REV. INDUSTRIAL 1760 - 1860 1860 1914 ING, FRA e BEL ALE, ITA, RUS, EUA, JAP FERRO CARVO - VAPOR AO PETRLEO - ELETRICIDADE CAPITALISMO LIBERAL E INDUSTRIAL CAPITALISMO FINANCEIRO E MONOPOLISTA 12. REVOLUO INDUSTRIAL. Causas gerais da Revoluo Industrial: Revoluo Comercial (sc XV XVII) Descoberta de novos continentes e do caminho para as ndias. Formao de mercado mundial. Incremento do comrcio. Acumulao primitiva de capital. Entrada de produtos e riquezas de vrios pontos do planeta na Europa. 13. REVOLUO INDUSTRIAL. TEAR MECNICO MQUINAS A VAPOR Concorrncia e a criao das mquinas. Tear mecnico, mquina de fiar, mquina a vapor. Aumento da produtividade 14. Pioneirismo ingls na Revoluo IndustrialCapitais acumulados (colnias, acordos comerciais na Europa). Disponibilidade de mo-de-obra (cercamento dos campos enclosures e artesos falidos ). Matria prima disponvel (reservas de ferro e carvo e produo de l indstria txtil). Mercado consumidor (colnias, pases europeus e assalariados). Marinha mercante poderosa (Atos de Navegao Oliver Cromwell). Burguesia no poder (parlamento Revoluo Gloriosa 1688). tica protestante (estmulo ao lucro). 15. Conseqncias da Revoluo Industrial: a) Consolidao do capitalismo e do poder da burguesia. b) Desenvolvimento tecnolgico. c) Desenvolvimento dos transportes (barco a vapor, locomotiva) e das comunicaes (telgrafo e posteriormente o telefone). 16. d) Aumento da produtividade (reduo de preos). e) Esgotamento de recursos naturais. f) Urbanizao intensa. h) Formao do proletariado urbano (operrios). e) Surgimento do CAPITALISMO FINANCEIRO (2. Revoluo Industrial) grandes bancos controlando indstrias por meio de compra de aes ou dependncia financeira (emprstimos). 17. Aprimoramento da produo em srie: FORDISMO, TAYLORISMO 18. TAYLORISMO a) Racionalizao da produo. b) Economia de mo-de-obra. c) Aumento da produtividade no trabalho. d) Corte de gastos desnecessrios de energia e de comportamentos suprfluos por parte do trabalhador. e) Acabar com qualquer desperdcio de tempo. 19. A explorao de proletrios e as lutas operrias: Proletrios destitudos da posse de meios de produo e instrumentos de trabalho. Sujeitos a jornadas dirias de mais de 14 horas. Sem nenhum direito trabalhista. Explorao do trabalho feminino e infantil. Baixos salrios. 20. REVOLUO INDUSTRIAL.Desemprego (exrcito industrial de reserva) Cartismo (1832 1848) movimento de trabalhadores que redigiam reivindicaes trabalhistas ao parlamento britnico. Obteve alguns benefcios como a reduo da jornada de trabalho para 10 horas e regulamentao do trabalho infantil e feminino - Trade Unions associaes de trabalhadores que deram origem a sindicatos. 21. Ludismo: nome dado a um movimento ocorrido na Inglaterra entre os anos de 1811 e 1812, que reuniu alguns trabalhadores das indstrias contrrios aos avanos tecnolgicos em curso, proporcionadas pelo advento da primeira revoluo industrial. Os ludistas protestavam contra a substituio da mo-de-obra humana por mquinas.