TermosTexteis_glossario

  • View
    262

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of TermosTexteis_glossario

Revista da Faculdade de Letras CINCIAS E TCNICAS DO PATRIMNIO Porto, 2004 I Srie vol. III, pp. 137-161

Glossrio de termos txteis e afinsMANUELA PINTO DA COSTA *

Abstract Portuguese glossary for technical and common terms related with textile items.

IntroduoA nossa actividade de inventariante, desenvolvida ao servio da conservao e preservao do Patrimnio Cultural, confrontou-nos, frequentemente, com nomenclaturas desconhecidas, constantes em testamentos, inventrios antigos e simples documentos contabilsticos. O estudo dos tecidos e dos txteis revelou-se muito rico em termos indicadores de tcnicas, suportes, produtos e instrumentos, alguns j cados em desuso, razo da sua difcil compreenso. A busca do significado dos vocbulos desconhecidos e da obteno dum fcil entendimento do seu sentido, ou funo, conduzram-nos elaborao de uma simples e diminuta relao de termos. Naquele momento, a anotao da fonte pareceunos de somenos importncia, to pronta e urgente se revelava a necessidade de obter uma resposta imediata. Contudo, o aumento e a riqueza das solues encontradas, a sua extenso e contedo, transformaram num Glossrio, uma simples listagem de nomes, de cuja interpretao estvamos carenciados. Consultado frequentemente, tornou-se assim, num instrumento da mxima utilidade, quando decidimos enveredar pela conservao de txteis. Nessa ocasio, j era impossvel reencontrar as primeiras fontes.

* Museloga/Conservadora.

Glossrio

de

ter mo

txteis

e

afins

138

Prosseguimos, ento, com uma busca maior e mais activa de significados, na tentativa de aumentar o esplio lingustico j consegudo e de recuperar alguma matria esquecida, ou perdida, capaz de completar e enriquecer os vocbulos j existentes, procurando, desta vez, dar-lhe uma organizao mais consentnea. O Glossrio agora apresentado resulta dessa investigao e da compilao dos numerosos e diversificados termos e expresses relacionados com tecidos e txteis, reunidos, ao longo de muitos anos. Decidimos, ainda, incluir terminologia estrangeira e/ou seus derivados assinalados em itlico e, sempre que possvel, procurmos referenciar os timos correspondentes. Para facilitar a consulta e sobretudo para reduzir espao, colocmos alguns nomes seguidos de outras designaes similares, pelas quais, tambm surgem ou so conhecidos e referenciados.

GlossrioA AAFRO (r.) (esp. carthamus tinctorius ou crocus sativus). Planta(s) tintureira(s), originria da sia e da frica, cujas folhas e estames servem para obter a cor amarela utilizada como corante ou pigmento. Tambm usada como condimento. ACEDROUCHADO Axadrezado. ACITARA Tapete, alcatifa, pano de rz, cobertor bordado; capa, manto de tela fina e preciosa. ADAMASCADO Arabesco; trabalho ou tecido semelhana do damasco. ALAMBEL Pano pintado para cobrir mesas, cadeiras, etc. ALCACHAZ, alcaixa, alcaxa Gola. ALCALA Pano de rz (?). ALCATIFA (r.) Cobertura txtil do cho. Pode ser de plo cortado (Axminster, Wilton, tuffed), de plo no-cortado, em argolas (Bruxelas) e sem plo (no-tecido, Tapisson). ALFMBAR (r.) Cobertor de l, peludo, correspondente ao actual cobertor de papa. Termo usado at ao sc. XV. ALFANEGE (r.) Plo branco. ALFOLA Antiga colcha mourisca. // Vesturio precioso de pano de Granada. ALFRES Galo, franja. ALGANS Espcie de cobertor. ALGODO (esp. gossypium herbaceum ou gossypium arboreum) Planta txtil, proveniente da ndia, do Egipto e da Espanha. ALIONADO Diz-se do tecido que tem a cor fulva do leo. ALJFAR (r.) Tipo de prolas irregulares de reduzidas dimenses, utilizadas na execuo de bordados. ALMA Fio de linho, seda ou qualquer outro material, em torno do qual se enrola um fio de metal ou lmina metlica. ALMADRAQUE (r.) Manta grossa ou cobertor dobrado onde se pode dormir. // Almofada, travesseiro ou cochim. // Goderim ou godrim. // Tipo de colcha indiana, estofada, acolchoada. // Ccedra. // Frouxel. ALMAFEGA, almffega (r.) Burel branco e grosseiro de que se fazia vesturio de luto. // Pano grosseiro produzido com a l de fraca qualidade, chamada l churra e que tambm era usada para fazer sacaria. // Burel branco, grosseiro.

M A N U E L A

P I N T O

D A

C O S TA

139

ALMUCELA, almuzala, almuzela Cobertor mais leve que o alfmbar, s vezes feito de tecidos caros como seda e prpura. ALPACA Tecido feito com fibras ou plo de alpaca, animal semelhante ao lama. A fibra comprida, leve e sedosa, possui grande isolamento trmico. Usa-se em mistura com a l e tem cor castanha clara. ALQUIC, alquicel, alquicer (r) Capa ou cobrejo de l branca. // Manta de viagem. ALQUIME (r.) Composio qumica de cobre e zinco, de aspecto semelhante ao ouro e conhecida com metal-do-prncipe, ouro falso, ouropel, pechisbeque. // Alquimia. ALVEC, alveic (r. al - uaxi) Tecido de seda branca e fina. ANGUA Pano de mesa que desce at ao cho. // Pano branco prprio para saias interiores. // Saia interior. ANAFAIA Primeiros fios do bicho-da-seda, antes da formao dos casulos. ANELADO Efeito obtido pela criao de anis de fios de trama. // Fio de ouro laminado usado nas tramas de lavor, de forma a criar anis de fio elevados sobre o fundo dos tecidos, com diversos altos, dispersos ou em conjunto formando desenhos. ANGOR Plo de coelho ou l de cabra Angor, que se usa misturado com outras ls. ANIL (r.), glasto ou pastel Substncia corante, azul, de origem vegetal, utilizada em tinturaria, principalmente de tecidos ou fios. Produto azul, extrado de certas leguminosas ou de um gnero de rvores (anileira, anileiro) de cuja espcie apenas um grupo restrito fornece anil para tingir. // Cor azul. ANILINA (de anil) P muito fino, de gesso calcinado, que se emprega no fabrico de papel e no preparo de tecidos, bem como na falsificao de corantes. // Qumico-base incolor susceptvel de receber cores usado para depois tingir fios ou tecido, em meio aquoso, aromtico ou gorduroso. Originalmente, obtinha-se a partir do anil ou do ndigo, por destilao, em soda custica. O seu grande incremento e ponto alto de utilizao verificaram-se, no sculo XIX. ANTRE FINA, entrefina Que no grossa nem fina; me. ASPAS Tecidos provenientes de Aspen. (Pases Baixos) ATAMARADO Tecido tingido, com a cor da tmara seca. AURIFRIGIADO O m.q. aurifrigiato (lat.) AURIFRIGIATO Decorado ou orlado com borlas ou frajas de ouro. AURIFRGIO Banda ou orla franjada de ouro. // Tipo de bordado executado com fios de ouro, caracterstico da Frsia (sia Menor), o qual tornou afamados os seus bordadores. // Bordado aplicado em vestes episcopais ou abaciais, durante a Alta Idade Mdia. AVIAMENTOS Partes usadas na confeco de peas de vesturio com funo auxiliar e secundria: entretelas, forros, enchimentos. AXMINSTER (ing.) Tipo de cobertura txtil de cho, de plo cortado (tufos) com desenhos de vrias cores.

B BACASSI, bocassi, bocassim, bocaxi, bocaxim Antigo tecido de algodo de qualidade semelhante ao fusto e que servia para forrar trabalhos de tapearia e de divisrias de cortinados; tela engomada para servir de entretelas // Tarlatana. // Certo pano de linho, pisado, como pano de l, tingido de vrias cores. BAETA Tecido de l, grosseiro e felpudo. // Tecido grosso de algodo. BAETO Tecido de pano muito grosso, prprio para capotes e saias. // Cobertor de l. BAETILHA Baeta fina, ligeira, espcie de flanela. // Tecido felpudo de algodo. BALDREU (ant.) Pelica para luvas e sapatos. BARATHEA Tipo de debuxo com origem num cetim regular, mas que produz um efeito semelhante ao do natt, um derivado do tafet. O tecido resultante mais denso e consistente e usa-se em

Glossrio

de

ter mo

txteis

e

afins

140

tecidos, que necessitam de boa resistncia ao uso e frico. Utiliza normalmente, a seda ou l muito torcida e emprega-se em vesturio masculino. BARBILHO Cordo ou cadilho feito de anafaia dos casulos furados e da demais seda, que as fiandeiras no podem aproveitar. Cordo feito da seda no aproveitvel para a fiao fina. BARBIM Teia. BARRADO Tecido decorado com barras de cor diferente. BARRAGAM, barragana, barregana Tecido de l forte do qual se faz vesturio. // Tecido de l de plo de cabra, impermevel chuva. BATVIA sarja neutra, ou seja, em que a teia ou a trama se encontram na proporo de 50 /50 % em cada lado do tecido. A mais corrente a sarja de 4. BATIK (indon.) Termo indonsio que indica um mtodo de obteno de efeitos de tinturaria nos tecidos, por utilizao de reservas de certas reas, que so impregnadas com ceras, matrias gordas, colas ou barro. Estas reservas so posteriormente eliminadas por lavagem, aps o processo tintureiro. BATISTA Tecido fino de algodo, com tcnica de tafet. Usa-se para roupa interior, lenos ou roupa ligeira. BEDFORD, Cordes de (ing.) Tipo de debuxo, que produz no tecido um efeito de riscas verticais em relevo, sem plo. Os tecidos so resistentes e usam-se para vesturio e decorao (estofos). BENGALA Musselina para artigos de vesturio, proveniente da rea do Golfo de Bengala. BERTANGIL Tecido de algodo que se usava, antigamente, na frica e na sia. Pano de algodo, azul, preto ou vermelho, produzido pelos cafres. BELFA, bifa, biffa Espcie de tecido antigo, de l, enfeitado em ambas as faces. // Pano ou fazenda de l, proveniente de Bruges. // O nome bifa poder indicar tambm provenincia inglesa. BIRDSEYE (ing.) (olho de pssaro) Tcnica que utiliza de forma conjugada o efeito da cor em simultneo com a tecelagem, de maneira a criar uma padronagem pequena, constituda por minsculas e uniformes pintas. BOBINETE (fr. bobin). Nome antigo de certa espcie de tule. BOEHMRIA (esp. Boehmeria nvea). Fibra txtil de esparto. Urtiga Branca, Erva da China ou rami. BOLANTE, volante. - Tecido leve e transparente prprio para vus e outros enfeites. //Vu feito com esse tecido. BMBAX (lat. bombac-) (radical de bombyx = seda) (lat. med.) Tecido de algodo com aparncia de seda. BOMBAZINA Tecido de l ou algodo canelado, tambm chamado cotel (fr