Jane austen - lady susan

  • Published on
    24-Jul-2016

  • View
    218

  • Download
    2

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Transcript

<ul><li><p>UM LIVRO DE JANE AUSTEN </p><p>Lady Susan Traduo de Bruna Tavares </p><p>http://descobrindojaneausten.blogspot.com </p></li><li><p>Lady Susan Jane Austen </p><p>1 </p><p>Carta 1 </p><p>De Lady Susan Vernon ao Sr. Vernon </p><p>Langford, dezembro. </p><p>Caro irmo: </p><p>No posso me privar do prazer de aceitar o amvel convite que me </p><p>fez a ltima vez que nos despedimos, de passar algumas semanas </p><p>com voc em Churchill e, portanto, se for conveniente para voc e a </p><p>Sra. Vernon me receberem no momento, espero dentro de poucos </p><p>dias, ser apresentada a essa irm que h tanto tempo desejo </p><p>conhecer. </p><p>Os bons amigos que tenho aqui imploram com muito carinho que eu </p><p>prolongue minha estadia com eles. Porm, seu carter hospitaleiro </p><p>e festivo, os faz levar uma vida social demasiado animada para a </p><p>situao que atravesso no momento e meu atual estado mental. </p><p>Espero com impacincia o momento em que serei admitida em sua </p><p>agradvel presena. Anseio ser apresentada aos seus queridos </p><p>filhos pequenos, em cujos coraes eu estou muito ansiosa para </p><p>garantir um interesse. </p><p>Em breve precisarei de toda a minha fora j que estou a ponto de </p><p>me separar de minha prpria filha. A longa enfermidade de seu </p><p>amado pai impediu-me de dar-lhe a ateno e afeto que lhe eram </p><p>de direito, e eu tenho muitas razes para temer que a governanta a </p><p>quem confiei sua educao no ser capaz de faz-lo. </p><p>Ento eu decidi envi-la a uma das melhores escolas particulares </p><p>da cidade, onde terei a oportunidade de deix-la quando estiver </p><p>indo ao seu encontro. </p><p>Estou decidida, como vs, a no permitir que me negues a entrada </p><p>em Churchill. Seria muito doloroso saber que ests impossibilitado </p><p>de me receber. </p><p>Sua agradecida e afetuosa irm. </p></li><li><p>Lady Susan Jane Austen </p><p>2 </p><p>S. Vernon </p><p>Carta 2 </p><p>De Lady Susan para Sra. Johnson </p><p>Langford </p><p>Voc estava enganada, minha querida Alcia, ao supor que eu </p><p>passaria o inverno inteiro aqui: entristece-me dizer o quanto estava </p><p>enganada, pois eu raramente passei trs meses mais agradveis do </p><p>que estes que passaram. </p><p>Agora tudo problema. As mulheres da famlia esto unidas contra </p><p>mim. Voc predisse que seria assim quando cheguei a Langford. </p><p>Mainwaring to extraordinariamente encantadora que eu no </p><p>podia deixar de me sentir apreensiva. Lembro-me de dizer a mim </p><p>mesma quando me dirigia para a casa: Eu gosto deste homem, </p><p>rezo aos cus para que isso no cause nenhum mal! Mas eu </p><p>estava determinada a ser discreta e o mais silenciosa possvel, </p><p>tendo em mente minha situao de viva apenas quatro meses, e </p><p>foi o que fiz minha querida criatura. No tenho aceitado as atenes </p><p>de ningum exceto as de Mainwaring. Eu tenho evitado todo o </p><p>flerte, no distinguindo ningum, exceto Sir James Martin, a quem </p><p>eu dei um pouco de ateno a fim de afast-lo da Sra. Mainwaring; </p><p>No entanto, se o mundo soubesse quais eram as minhas intenes, </p><p>teriam me elogiado. </p><p>Tenho sido acusada de ser uma me cruel e desatenta, mas foi o </p><p>impulso sagrado do amor materno que me estimulou. E se minha </p><p>filha no fosse a maior tola do mundo, meus esforos teriam sido </p><p>recompensados como deveriam. Sir James fez-me propostas para </p><p>Frederica, mas Frederica, que nasceu para ser o tormento da minha </p><p>vida, preferiu fixar-se to violentamente contra o plano, que eu </p><p>pensei ser melhor esquece-lo por enquanto. Arrependi-me de no </p><p>ter casado com ele eu mesma; se eu no fosse to </p><p>desprezivelmente fraca, eu o faria. Mas, me confesso bastante </p></li><li><p>Lady Susan Jane Austen </p><p>3 </p><p>romntica neste respeito e as riquezas por si s, j no me </p><p>satisfazem. </p><p>A consequncia de tudo isso : Sir James se foi, Maria est </p><p>altamente irritada e a Sra. Mainwaring insuportavelmente ciumenta. </p><p>Assim, tanta inveja e raiva de mim, que em um acesso de ira, no </p><p>me surpreenderia se recorresse ao seu guardio, caso tivesse </p><p>acesso livre a ele. Seu marido, porm, continua sendo meu amigo e </p><p>a ao mais gentil e bondosa de sua vida livr-la para sempre do </p><p>casamento. Meu nico pedido que mantenha seu ressentimento. </p><p>Agora estamos muito angustiados. A casa nunca havia visto tanta </p><p>alterao. A familia toda est em p de guerra e Mainwaring mal </p><p>ousa falar comigo. </p><p>Chegou a hora de eu partir e estou determinada a sair daqui. </p><p>Espero passar um dia agradvel com voc na cidade esta semana. </p><p>Se o Sr. Johnson continuar a mostrar to pouca simpatia para </p><p>comigo, como de costume, venha me visitar na rua wigmore nmero </p><p>10, mas espero que no seja o caso, pois o Sr. Johnson, apesar de </p><p>todos os seus defeitos, um homem a quem a palavra respeitvel </p><p> sempre aplicada, e sendo eu to ntima de sua esposa, seu </p><p>desprezo me estranho. </p><p>Passarei pela cidade em caminho para aquela insuportvel vila </p><p>rural, j que finalmente estou indo para Churchill. Perdoe-me minha </p><p>cara amiga, este meu ltimo recurso. Se houvesse na Inglaterra </p><p>outra casa aberta a mim, me seria prefervel. Tenho averso a </p><p>Charles Vernon, e medo de sua esposa. No entanto, devo </p><p>permanecer l at ter algo melhor em vista. Minha filha me </p><p>acompanhar at a cidade, onde a deixarei aos cuidados da </p><p>Srt.Summers, na rua Wigmore, at que ela tome um pouco mais de </p><p>juzo. L ela ter boas companhias, pois as meninas so todas das </p><p>melhores famlias. O preo muito alto, muito mais do que eu </p><p>posso pagar. </p><p>Adeus. Enviarei um bilhete assim que chegar cidade. </p><p>Sempre sua </p><p>S. Vernon </p></li><li><p>Lady Susan Jane Austen </p><p>4 </p><p>Carta 3 </p><p>Sra. Vernon Lady de Courcy </p><p>Churchill </p><p>Querida me: </p><p>Lamento dizer que no podemos cumprir a promessa de passar o </p><p>Natal com voc. O que impediu esta felicidade uma circunstncia </p><p>que temo, no nos servir de compensao. Lady Susan em uma </p><p>carta a seu cunhado, declarou sua inteno de visitar-nos, quase </p><p>imediatamente, e como tal uma visita apenas por questo de </p><p>convenincia, impossvel conjeturar seu comprimento. </p><p>Eu de modo algum estava preparada para isso. E no consigo </p><p>entender o comportamento de Lady Susan. Langford parecia ser o </p><p>lugar ideal para ela, tanto no estilo luxuoso e caro de vida como em </p><p>sua ligao particular com o Sr. Mainwaring, assim eu no esperava </p><p>tal distino, embora eu imaginasse por sua crescente amizade por </p><p>ns desde a morte do marido, que seriamos obrigados a receb-la. </p><p>Eu acho que o Sr. Vernon foi extremamente agradvel com ela </p><p>quando ela estava em Staffordshire. Seu comportamento com ele, </p><p>independentemente de seu carter geral, foi to </p><p>indesculpavelmente ardiloso e mesquinho desde o nosso </p><p>casamento, que qualquer pessoa um pouco menos benevolente e </p><p>indulgente que ele, no teria ignorado. Embora tenha sido correto </p><p>prestar-lhe ajuda financeira, j que viva de seu irmo e passava </p><p>por dificuldades, no posso deixar de considerar totalmente </p><p>desnecessrio convid-la to insistentemente a visitar-nos em </p><p>Churchill. </p><p>Enfim, como ele sempre est disposto a pensar bem de todo </p><p>mundo, a sua manifestao de pesar, suas expresses de </p><p>arrependimento e atitude geral de prudncia foram suficientes para </p><p>amolecer seu corao e fazer com que confiasse em sua </p><p>sinceridade. Porm, eu ainda no me convenci e, como j est </p><p>escrito, no posso mudar a minha opinio at saber o real motivo </p></li><li><p>Lady Susan Jane Austen </p><p>5 </p><p>de sua vinda para c. Portanto, voc pode imaginar minha cara </p><p>senhora, com que sentimentos estou aguardando sua chegada. Ela </p><p>ter a oportunidade de conquistar meu respeito com o poder de </p><p>atrao que todos elogiam e eu, tentarei proteger-me de sua </p><p>influncia caso no seja acompanhado de algo mais substancial. </p><p>Em sua carta, ela expressou um sincero desejo de se familiarizar </p><p>comigo e faz meno muito gentil de minhas crianas, mas no sou </p><p>ingnua a ponto de acreditar que algum que se comportou de </p><p>modo to desatento, seno at cruel, com sua prpria filha, possa </p><p>se apegar aos meus. A Srta. Vernon est para ser colocada em </p><p>uma escola em Londres antes que sua me venha para c. Estou </p><p>feliz por isso. A meu ver, uma vantagem ser separada da me. E </p><p>uma jovem de dezesseis anos com uma educao to miservel, </p><p>no poderia ser uma companhia desejvel aqui. Sei que Reginald </p><p>h muito deseja ver a cativante lady Susan e dependemos de sua </p><p>adeso a nossa festa em breve. </p><p>Fico feliz em saber que meu pai continua muito bem. Com amor. </p><p>Catherine Vernon </p><p>Carta 4 </p><p>Sr. De Courcy Sra. Vernon </p><p>Parklands. </p><p>Querida irm: </p><p>Quero parabenizar a voc e ao Sr. Vernon, por estarem prestes a </p><p>receber em sua famlia, a conquistadora mais realizada da </p><p>Inglaterra. Eu sempre fui ensinado a consider-la uma </p><p>conquistadora distinta, mas ultimamente tm cado aos meus </p><p>ouvidos, alguns pormenores de sua conduta em Langford, que </p><p>provam que ela no se confinou a esse tipo de flerte honesto que </p><p>satisfaa a maioria das pessoas, mas aspira a mais deliciosa </p><p>gratificao, de fazer toda uma famlia miservel. Seu </p><p>comportamento com relao au Sr. Mainwaring, semeou inveja e </p></li><li><p>Lady Susan Jane Austen </p><p>6 </p><p>infelicidade a sua esposa. E suas atenes a um jovem prometido </p><p>da irm do Sr. Mainwaring, privaram uma jovem amvel de seu </p><p>amante. </p><p>Fiquei sabendo disso por meio do Sr. Smith, que est no bairro, </p><p>(jantei com ele em Hurst e Wilford) e que chegou recentemente de </p><p>Langford, onde passou uma quinzena com sua senhoria e, portanto, </p><p>est qualificado para dar tais informaes. </p><p>Que mulher deve ser essa! Tenho o desejo de conhec-la, e </p><p>certamente aceitarei seu amvel convite, assim poderei formar uma </p><p>ideia desse seu feitio to poderoso, que capaz de atrair a </p><p>ateno, ao mesmo tempo e na mesma casa, de dois homens que </p><p>no estavam em condies de oferecer suas afeies livremente. E </p><p>tudo isso sem o charme da juventude! </p><p>Fico feliz que a Srta. Vernon no acompanhar a me at Churchill </p><p>j que no possui bons modos a serem recomendados e, segundo </p><p>o relato do Sr. Smith, igualmente maante e orgulhosa. Quando </p><p>orgulho e estupidez se unem, no podem ser anuladas pela astcia, </p><p>e a Srta. Vernon ser enviada ao mais completo desprezo. No </p><p>entanto, com tudo que se pode deduzir, Lady Susan possui um grau </p><p>de astcia que deve ser interessante de testemunhar. Estarei com </p><p>vocs em breve. </p><p>Seu carinhoso irmo: </p><p>R. de Courcy </p><p>Carta 5 </p><p>De Lady Susan Sra. Johnson. </p><p>Churchill </p><p>Recebi sua carta, minha querida Alicia, pouco antes de sair da </p><p>cidade, e alegro-me em ter certeza de que o Sr. Johnson no </p><p>suspeitou nem um pouco do seu engajamento na noite anterior, </p><p>sem dvida melhor para engan-lo inteiramente, e j que ele </p><p>teimoso, ele deve ser enganado. </p></li><li><p>Lady Susan Jane Austen </p><p>7 </p><p>Eu cheguei aqui em segurana, e no tenho nenhuma razo para </p><p>reclamar da minha recepo por parte do Sr. Vernon, mas confesso </p><p>no estar igualmente satisfeita com o comportamento da sua dama. </p><p>Ela perfeitamente bem-educada, de fato, e tem o ar de uma </p><p>mulher da moda, mas seus modos no podem convencer-me de </p><p>que ela estava predisposta a meu favor. Eu esperava que ela </p><p>ficasse feliz em me ver, fui to amvel quanto possvel na ocasio, </p><p>mas tudo em vo. Ela no gosta de mim. Obviamente, se levarmos </p><p>em conta os esforos que fiz para evitar que o irmo de meu marido </p><p>se casasse com ela, esta falta de cordialidade no de </p><p>surpreender. Ainda assim, mostra um esprito excessivamente </p><p>vingativo ao ressentir-se por um plano que me influenciou, h seis </p><p>anos, e que acabou fracassando. </p><p>s vezes quase me arrependo de no ter permitido que Charles </p><p>Vernon comprasse a manso Vernon quando tivemos de vend-la. </p><p>Porm foi uma situao difcil, especialmente porque a venda se </p><p>deu na mesma ocasio de seu casamento, todos deveriam suportar </p><p>a delicadeza de meus sentimentos, que no poderiam permitir que </p><p>a dignidade de meu marido fosse rebaixada pelo fato de seu irmo </p><p>mais novo ficar com as propriedades da famlia. </p><p>Se tivssemos chegado a um acordo que evitasse a obrigao de </p><p>deixar a manso, se pudssemos ter vivido com Charles sem que </p><p>ele tivesse se casado, eu jamais teria convencido meu marido a </p><p>vend-la a outro. Mas Charles estava decidido a casar-se com a </p><p>Srta. De Courcy e esse evento justificou-me. </p><p>Aqui h muitas crianas, e que vantagem teria sido para mim sua </p><p>compra por parte do Sr. Vernon? Ter evitado isso talvez tenha </p><p>causado uma m impresso em sua esposa, porm, quando h </p><p>uma predisposio a empatia, fcil encontrar uma razo. No que </p><p>diz respeito a questes de dinheiro, o acontecido nunca foi um </p><p>empecilho para que ele me ajudasse. Na verdade tenho muita </p><p>considerao com ele. to fcil abusar dele! A casa muito boa, </p><p>os mveis todos na moda, e tudo anuncia abundncia e elegncia. </p><p>Charles muito rico tenho certeza, quando um homem consegue </p><p>ter seu nome em uma agncia bancria, porque tem rolos de </p><p>dinheiro. Mas eles no sabem o que fazer com ele, recebem </p></li><li><p>Lady Susan Jane Austen </p><p>8 </p><p>pouqussima visita, e nunca vo para Londres a negcios. Serei to </p><p>estpida quanto possvel, isto , para conquistar o corao de </p><p>minha cunhada por meio das crianas. Eu j sei os seus nomes e </p><p>estou ganhando o seu carinho com a maior sensibilidade, um em </p><p>especial, o jovem Frederic, que se senta em meu colo enquanto </p><p>suspiro por seu querido tio. </p><p>Pobre Manwaring! No preciso dizer o quanto eu sinto falta dele e </p><p>como est constantemente em minha mente. Encontrei uma carta </p><p>triste dele em minha chegada aqui, cheia de reclamaes de sua </p><p>esposa e irm, e lamentaes sobre a crueldade do seu destino. </p><p>Ele assinou a carta como sendo sua esposa. </p><p>E quando eu escrevo para ele, devo ser coberta por voc. </p><p>Sempre sua. </p><p>S. Vernon </p><p>Carta 6 </p><p>Sra. Vernon ao Sr. De Courcy </p><p>Churchill </p><p>Meu querido Reginald, conheci aquela perigosa criatura, e devo </p><p>dar-lhe uma descrio, mas espero que em breve sejas capaz de </p><p>formar seu prprio julgamento, ela realmente muito bonita, mas </p><p>voc talvez questione as sedues de uma mulher que j no </p><p>mais jovem, eu da minha parte, declaro que raramente vi uma </p><p>mulher to bonita como a senhora Susan. Ela delicadamente </p><p>loura, com seus olhos cinzentos e clios escuros. Por sua aparncia, </p><p>no parece ter mais de 25 anos, no entanto, deve ter uns dez a </p><p>mais. </p><p>Eu certamente no estava disposta a admir-la, embora sempre </p><p>tivesse ouvido que ela era bonita, porm, no posso evitar sentir </p><p>que ela possui uma rara combinao de brilho, simetria e elegncia. </p><p>Ela se dirigiu a mim com tanta bondade, abertura e at mesmo </p><p>amor, que se eu no soubesse o quanto desgostava de meu </p><p>casamento com o Sr. Vernon, eu a consideraria uma amiga ntima. </p></li><li><p>Lady Susan Jane Austen </p><p>9 </p><p>Costumamos associar a autoconfiana com o ar galanteador e </p><p>pretensioso, e espera-se que uma mente insolente, aja de maneira </p><p>insolente, pelo menos eu estava esperando de Lady Susan um grau </p><p>indevido de confiana, mas seu semblante doce e sua voz e </p><p>maneiras cativantes. Lamento que seja assim, pois o que mais seria </p><p>seno uma farsa? </p><p>Infelizmente, ns a conhecemos muito bem. Ela inteligente e </p><p>agradvel, tem tanto conhecimento do mundo, que comea uma </p><p>conversa fcilmente, e fala muito bem. Possui uma forma de </p><p>linguagem alegre, que muitas vezes utilizado, acredito eu, para </p><p>fazer o preto parecer branco. </p><p>Eu estava quase convencida de que ela sentia um afeto genuno </p><p>por sua filha, apesar de eu por tanto tempo, ter sido convencida do </p><p>contrrio. Ela fala dela com tanta ternura e ansiedade, e lamenta </p><p>to amargamente a negligncia de sua educao, embora afirme </p><p>ser totalmente inevitvel, que sou obrigada a lembrar-me de quo </p><p>sucessivamente ela passou...</p></li></ul>