INSTALA‡•ES EL‰TRICAS EM ALTA TENSƒO .seguran§a s£o os fus­veis, os disjuntores e os rel©s

  • View
    214

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of INSTALA‡•ES EL‰TRICAS EM ALTA TENSƒO .seguran§a s£o os...

INSTALAES ELTRICAS EM ALTA TENSOProf. Pierre Vilar Dantas

Turma: 0042-A

Horrio: 2N

ENCONTRO DE 19/03/2018 1

Programa Sobrecorrentes e correntes de curto-circuito Disjuntores termomagnticos de BT Fusveis

Choques eltricos Contatos diretos Dispositivo residual diferencial

2

Objetivos principais desta aula1. Conhecer os fundamentos de

funcionamento e especificao dedisjuntores de baixa tenso

2. Aprender os procedimentos para proteocontra choques eltricos de contato direto.

3. Adquirir conhecimentos sobre osdispositivos de proteo contra choque decontato indireto.

3

Introduo Equipamentos e condutores, componentes deuma instalao eltrica so, frequentementesolicitados por tenses e correntes diferentesdos valores nominais.

Estas solicitaes aparecem normalmentecomo sobrecarga, curto-circuito, sobretensese subtenses.

4

Introduo As condies anormais de operao podemdanificar as instalaes, equipamentos e causaracidentes envolvendo indivduos presentes nainstalao.

5

Introduo As condies anormais de operao devem serlimitadas no tempo de durao e naamplitude. Os dispositivos de proteo nas instalaeseltricas devem desligar o circuito nascondies adversas.

Os principais dispositivos de proteo esegurana so os fusveis, os disjuntores e osrels trmicos.

6

Introduo A proteo em uma instalao eltrica envolvevrias etapas: Estratgia de proteo. Seleo dos dispositivos de atuao. Determinao dos valores de calibrao dosdispositivos.

7

Introduo A NBR 5410/2004 estabelece as prescriesfundamentais destinadas a garantir asegurana de pessoas, animais e bens contraos danos que possam resultar da utilizao dasinstalaes eltricas.

8

Proteo contra Sobrecargas e

Correntes de Curto-Circuito

9

Fusveis

10

FusveisDispositivo de proteo que, pela fuso de umaparte dimensionada para tal, interrompe acorrente eltrica quando esta excede um certovalor estabelecido, durante um tempodeterminado.

11

Fusveis

12

Fusvel

13

Disjuntor Termomagntico - DTM

14

DisjuntorEquipamento de proteo cuja finalidade conduzir a corrente de carga sob condiesnominais e interromper correntes anormais desobrecarga e de curto-circuito.

15

Disjuntores TermomagnticosAplicaes:

Proteo contra curto-circuito

Manobras

Proteo contra correntes de sobrecarga

Disjuntores devem SEMPRE ser ligados aoscondutores FASE.

16

Disjuntores Termomagnticos

Os DTMs cumprem 3 funes bsicas:

1. Abrir e fechar os circuitos (Manobra)

2. Proteger os condutores e equipamentoscontra sobrecarga (dispositivo trmico)

3. Proteger condutores contra as correntes decurto-circuito (dispositivo magntico).

17

DTMs Princpio de funcionamento

Disjuntores Termomagnticos atuam por: Efeito trmico com sobrecarga. Efeito eletromagntico com corrente de curto-

circuito.

18

DTM - Efeito Trmico Disparador trmico simples: Elemento bimetlico: duas lminas de metalsoldadas, com diferentes coeficientes de dilataotrmica.

Quando sensibilizadas por uma corrente superior aoestabelecido ambas dilatam, de maneira desigual,arqueando o conjunto e deslocando a barra dedisparo.

19

DTM - Efeito Trmico Disparador trmico simples

Posio Normal Posio de Disparo

20

DTM - Efeito Trmico Disparador trmico Compensado Compensa a elevao de temperatura do ambiente.

Posio normal Posio pr-disparo

21

Posio de disparo

DTM - Efeito Trmico

22

DTM - Efeito Eletromagntico Disparador magntico: Bobina que, quando conduz corrente acima do valor

estabelecido, atrai um mbolo ferromagnticoprocessando a abertura dos contatos do disjuntor.

23

DTM - Efeito Eletromagntico Disparador magntico

Posio normal Posio de disparo

24

Especificao de Disjuntores Os seguinte itens devem ser discriminados: Corrente nominal de operao Capacidade de interrupo Tenso nominal Frequncia nominal Tipo (trmico, magntico, termomagntico,

ajustvel,...)

25

Dimensionamento de Disjuntores

A NBR 5410-2004 estabelece condies quedevem ser cumpridas para que hajacoordenao entre os condutores de umcircuito e o dispositivo de proteo.

O item 5.3.4 da norma diz que a corrente dodisjuntor deve interromper a corrente desobrecarga antes do aquecimento excessivodos condutores.

26

Dimensionamento de Disjuntores O item 5.3.4 estabelece que proteo deve

satisfazer as duas inequaes:

IB corrente de projeto IN corrente nominal do disjuntor IZ capacidade de conduo dos condutores vivos I2 corrente convencional de atuao do disjuntor

ou fusvel.

e

27

Dimensionamento de Disjuntores Condio para atuao sob sobrecarga

Deve atuar em no mximo 1h.

28

DTM - Curva de atuao

Ao do disparador trmico

Ao do disparador magntico

Mltiplo de IN

29

DTM - Curva de atuao Sendo a corrente

nominal do disjuntor 50A, estime o tempo deatuao para umacorrente de carga de150A e 300A.

30

Disjuntores

31

Importante sobre disjuntores Revisar!!!

Norma NBR 5410/2004, item 5.3.4

Dimensionamento

Itens de especificaes

32

Proteo Contra Choque EltricoProtees contra contato direto

Dispositivo corrente diferencial residual

33

Definio de choque eltrico

Perturbao de natureza e efeitos diversosque se manifesta no organismo humano ouanimal quando este percorrido por umacorrente eltrica.

G. Kindermann, Choque Eltrico, Ed. doAutor, Fpolis,2005.

34

Choques eltricos

A proteo contra choques eltricos regulamentada nas normas:

NBR 5410-2004 da ABNT;

NR-10 e NR-18 do Ministrio do Trabalho e Emprego.

35

Classificao do Choque Eltrico Contato direto Contato de pessoas e animais diretamente com

partes energizadas de uma instalao eltrica.

Contato indireto Contato de pessoas ou animais com estruturas

metlicas ou condutores que, acidentalmente,tornaram-se energizadas.

36

Efeito da Corrente Eltrica O efeito da corrente depende: Intensidade da corrente; Tempo de exposio; Percurso atravs do corpo humano; Condies orgnicas do indivduo.

37

Passagem da corrente pelo corpo

38

Efeitos da passagem de corrente

39

Efeitos da passagem de corrente

40

Proteo Contra Choque-Eltrico Medida prioritria: Interrupo do

fornecimento de energia.

41

Proteo contra contato direto A proteo deve ser assegurada por: Isolao das partes vivas; Barreiras ou invlucros; Obstculos Colocao fora de alcance.

42

Proteo contra contato direto Isolao das partes vivas: Deve impedir o contato com as partes vivas da

instalao atravs de uma isolao que somentepossa ser removida com a sua destruio.

43

Proteo contra contato direto Barreiras ou invlucros Visa impedir todo contato com as partes vivas da

instalao eltrica.

44

Proteo contra contato direto Obstculos Partes vivas so confinadas em compartimentos onde

s permitido acesso a pessoas autorizadas.

45

Proteo contra contato direto Colocao fora de alcance Consiste em instalar os condutores energizados a

uma altura/distncia fora de alcance das pessoas eanimais.

46

Proteo contra contato indireto Os dispositivos corrente diferencial-residual

(DR) constituem-se no meio mais eficaz deproteo das pessoas e animais contra choqueseltricos.

No dispensam o uso de disjuntores e fusveis.

DRs tambm diminuem consumo de energia.

47

Dispositivo DR Princpio de funcionamento

Atuam quando h uma correnteresidual (de fuga) circulando nainstalao.

Fonte: Mamede 48

Dispositivos DRs Dispositivos a DR podem ser: Interruptores DR Disjuntores de proteo Tomadas com interruptores DR incorporadas Blocos avulsos

49

Especificao de DRs Deve-se observar as caractersticas tcnicas: Corrente nominal Corrente diferencial residual nominal Tenso nominal Capacidade de interrupo Frequncia Nmero de plos

50

DRs e a NBR 5410

A norma exige DRs em: Tomadas em todo local molhado ou sujeito a

lavagem; Tomadas em reas externas; Tomadas internas que alimentam equipamentos na

rea externa da instalao;

Nesta aplicaes a NBR 5410 obriga o uso deDRs de alta sensibilidade (If >= 30 mA).

51

Resumo sobre utilizao das DRs Devem ser utilizados para proteo: De pessoas e animais contra contatos acidentais com

partes vivas da instalao eltrica; Contra perigos de incndio devido a faltas terra; Contra presena de faltas terra por equipamentos

em ms condies; Em locais de grande concentrao de umidade.

52

Importante sobre Proteo contra choques Revisar!!!

Norma regulamentadora 10 do MT.

Especificaes de DRs!

53

Exerccios

54

01

55

02

56

Gabarito

57

01 b

02 - d