Aula4 planimetria

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Text of Aula4 planimetria

  • 1. INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA SERGIPE CAMPUS ESTNCIA CURSO DE EDIFICAES CURSO DE TOPOGRAFIAPlanimetria:Planimetria: Medio de ngulos (Goniometria) (Goniometria) Profa. MSc Emiliana Guedes
  • 2. Planimetria: Planimetria: Medio de ngulos1.DEFINIO1. DEFINIO2. PROCESSOS DE MEDIO DIRETA 2.1 Leitura Simples 2.2 Leitura por Repetio 2.3 Leitura pelo Mtodo das Direes3. PROCESSO DE MEDIO INDIRETA4. CADERNETA DE CAMPO 2
  • 3. Planimetria: Planimetria: Medio de ngulos5. AZIMUTE E RUMO DE UM ALINHAMENTO 5.1 Crculo Topogrfico 5.2 Azimute de um Alinhamento 5.3 Rumo de um Alinhamento 5.4 Converso de Azimute em Rumo (e Vice-Cersa) Vice-Cersa) 3
  • 4. Planimetria: Planimetria: Medio de ngulos6. ESTUDO DO TEODOLITO 6.1 Classificao Quanto ao Tipo de Leitura 6.2 Classificao Quanto ao Desvio Padro 6.3 Constituio dos Teodolitos 6.4 Principais Operaes de Campo 6.5 Manuteno e Manuseio 4
  • 5. Planimetria: Planimetria: Medio de ngulos1.DEFINIO1. DEFINIO2. PROCESSOS DE MEDIO DIRETA 2.1 Leitura Simples 2.2 Leitura por Repetio 2.3 Leitura pelo Mtodo das Direes3. PROCESSO DE MEDIO INDIRETA4. CADERNETA DE CAMPO 5
  • 6. 1. DEFINIES Uma das operaes bsicas em Topografia a medio de ngulos horizontais e verticais. No caso dos ngulos horizontais, direes so medidas em campo, e a partir destas direes so calculados os ngulos. Para a realizao destas medies emprega-se um equipamento denominado de teodolito. 6
  • 7. 1. DEFINIES Leitura de direes 7
  • 8. 1. DEFINIES A) NGULO HORIZONTAL: ngulo formado por dois planos verticais que contm as direes formadas pelo ponto ocupado e os pontos visados. medido sempre na horizontal, razo pela qual o teodolito deve estar devidamente nivelado. 8
  • 9. 1. DEFINIES A) NGULO HORIZONTAL: O ngulo entre as direes AO-OB e CO-OD o mesmo, face que os pontos A e C esto no mesmo plano vertical e B e D no plano . 9
  • 10. 1. DEFINIES A) NGULO HORIZONTAL: Sempre que possvel a pontaria deve ser realizada o mais prximo possvel do ponto, para evitar erros na leitura, principalmente quando se est utilizando uma baliza, a qual deve estar perfeitamente na vertical. 10
  • 11. 1. DEFINIES A) NGULO HORIZONTAL: Pontaria para leitura de direes horizontais 11
  • 12. 1. DEFINIES B) NGULO VERTICAL: ngulo formado entre a linha do horizonte (plano horizontal) e a linha de visada, medido no plano vertical que contm os pontos. Varia de 0 a +90 (acima do horizonte) e 0 a -90 (abaixo do horizonte). 12
  • 13. 1. DEFINIES B) NGULO VERTICAL: 13
  • 14. 1. DEFINIESC) NGULO ZENITAL:ngulo formado entre a vertical do lugar(znite) e a linha de visada.Varia de 0 a 180, sendo a origem da contagemo znite.A relao entre o ngulo Zenital e Vertical dada por: Z + v = 90 14
  • 15. 1. DEFINIES C) NGULO ZENITAL: 15
  • 16. 1. DEFINIESILUSTRAO DOS NGULOS ZENITAL E VERTICAL: 16
  • 17. 1. DEFINIESILUSTRAO DOS NGULOS ZENITAL E VERTICAL: 17
  • 18. Planimetria: Planimetria: Medio de ngulos1.DEFINIO1. DEFINIO2. PROCESSOS DE MEDIO DIRETA 2.1 Leitura Simples 2.2 Leitura por Repetio 2.3 Leitura pelo Mtodo das Direes3. PROCESSO DE MEDIO INDIRETA4. CADERNETA DE CAMPO 18
  • 19. 2. PROCESSOS DE MEDIO DIRETA aquele em que a medida angular obtida em funo do ngulo de Flexo (ngulo entre dois alinhamentos consecutivos, no ponto comum). o ngulo efetivo entre dois alinhamentos 19
  • 20. 2. PROCESSOS DE MEDIO DIRETA Entre os processos diretos, destacam-se os seguintes mtodos: 2.1) Leitura simples; 2.2) Leitura por repetio; 2.3) Leitura pelo Mtodo das Direes ( Reiterao); 20
  • 21. Planimetria: Planimetria: Medio de ngulos1.DEFINIO1. DEFINIO2. PROCESSOS DE MEDIO DIRETA 2.1 Leitura Simples 2.2 Leitura por Repetio 2.3 Leitura pelo Mtodo das Direes3. PROCESSO DE MEDIO INDIRETA4. CADERNETA DE CAMPO 21
  • 22. 2.1 LEITURA SIMPLES Instala-se o teodolito em B, visa-se a estao A em Pontaria Direta, e anota-se LA. A seguir, visa-se a estao C e l-se Lc. O ngulo f ser: f = Lc - Lb 22
  • 23. Planimetria: Planimetria: Medio de ngulos1.DEFINIO1. DEFINIO2. PROCESSOS DE MEDIO DIRETA 2.1 Leitura Simples 2.2 Leitura por Repetio 2.3 Leitura pelo Mtodo das Direes3. PROCESSO DE MEDIO INDIRETA4. CADERNETA DE CAMPO 23
  • 24. 2.2 LEITURA POR REPETIO Consiste em medir o ngulo mais de uma vez. A medida angular final ser a mdia aritmtica das leituras: 24
  • 25. 2.2 LEITURA POR REPETIO Faz-se a leitura de direo inicial AO (leitura L0) e depois a leitura na outra direo BO (leitura L1). Fixa-se a leitura L1 e realiza-se a pontaria novamente na direo OA. Libera-se o movimento do equipamento e faz- se a pontaria em B novamente (leitura L2), fixa- se esta leitura e repete-se o procedimento. 25
  • 26. 2.2 LEITURA POR REPETIO EXEMPLO: Dadas as observaes representadas na figura abaixo, calcular o valor do ngulo AOB. 26
  • 27. Planimetria: Planimetria: Medio de ngulos1.DEFINIO1. DEFINIO2. PROCESSOS DE MEDIO DIRETA 2.1 Leitura Simples 2.2 Leitura por Repetio 2.3 Leitura pelo Mtodo das Direes3. PROCESSO DE MEDIO INDIRETA4. CADERNETA DE CAMPO