Atmosfera Terrestre Camadas da atmosfera Tempo e Clima Elementos e Fatores Climáticos

  • View
    225

  • Download
    4

Embed Size (px)

Text of Atmosfera Terrestre Camadas da atmosfera Tempo e Clima Elementos e Fatores Climáticos

  • Atmosfera TerrestreCamadas da atmosferaTempo e ClimaElementos e Fatores Climticos

  • Atmosfera terrestreCamadas da atmosfera.

  • ClimaClima e tempo:Clima sucesso habitual dos tipos de tempo.Tempo estado mdio da atmosfera em um local e em um dado momento. Ex; tempo chuvoso, tempo nublado, frio, quente, mido, etc.Elementos climticos: temperatura, umidade e presso.

  • Fatores climticosTemperatura:

  • Maritimidade e continentalidadeOs fenmenos da maritimidade e continentalidade esto relacionados com a interferncia da proximidade ou distncia de um determinado local com relao s grandes quantidades de gua, tais como os oceanos ou mares.Maritimidade regies prximas ao mar apresentam amplitude trmica mais baixaContinentalidade regies interiores, mais distantes do mar apresentam amplitude trmica mais alta.

  • O caso da EuropaAmplitudes trmicas na Europa:

  • Amplitude trmicaCom base nas informaes do texto, na anlise do mapa e nos conhecimentos sobre os elementos e fatores geogrficos do clima,Com base nas informaes do texto, na anlise do mapa e nos conhecimentos sobre os elementos e fatores geogrficos do clima, a) calcule as amplitudes trmicas anuais das cidades de Amiens (Frana), Praga (Repblica Tcheca) e Kiev (Ucrnia), situadas em latitudes prximas; b) explique as causas das diferenas de amplitude trmica existentes entre essas cidades; c) identifique a zona climtica onde as referidas cidades esto situadas.

  • Correntes marinhasCorrentes friasSo mais oxigenadasRessurgncia de minerais;Proliferao de plncton marinho;So piscosas;Desertificam o litoralCorrentes quentes So menos oxigenadasMenos desenvolvimento de plncton;Menos piscosas;Promovem umidade litornea.

  • Correntes marinhas

  • UmidadeA UMIDADE ATMOSFRICA a presena de vapor de gua na atmosfera. Pode variar de um momento para o outro e em diferentes regies em decorrncia dos prprios fatores que condicionam o ciclo hidrolgico. Mesmo representando uma pequena quantidade da massa atmosfrica, o vapor de gua extremamente importante, pois: condiciona a condensao e determina a ocorrncia ou no de precipitaes de acordo com a sua quantidade; funciona como regulador trmico ao absorver o calor proveniente da radiao solar e da terra.Influi no bem estar da populao, pois quando a umidade est muito baixa, as mucosas do corpo humano se ressecam.

  • PrecipitaesPrecipitaes superficiais:A condensao do vapor de gua pode ocorrer junto superfcie terrestre, gerando as precipitaes superficiais, como orvalho, neblina e geadas

  • PrecipitaesPrecipitaes no-superficiaisprecipitaes no-superficiais, como chuvas, neve e granizo.Tipos de nuvens:

  • Tipos de chuva

    Chuva orogrfica, frontal e convectiva.

  • PressoAr quente: mais leveSobeForma rea de baixa presso ourea ciclonal:Receptora de massas de ar.Ar frio mais pesadoDesceForma rea de alta presso ourea anticiclonalEmissora de massas de ar.

  • Circulao geral da atmosfera.

  • Circulao sazonal - monesMones de inverno e de vero.

  • Brisas

    Durante o dia:A terra aquece mais que o mar;Forma rea de baixa presso na terra e alta presso no mar;No final do dia a brisa sopra do mar para a terra.Durante a noite a terra esfria e o mar libera calor; Forma alta presso sobre a terra e baixa presso sobre o mar.A brisa sopra da terra para o mar

  • Ventos peridicos ou dirios: Brisas

    As brisas so exemplos simples dos efeitos da temperatura no mar e na terra.

    Brisa Martima = durante o dia sopram dos oceanos para os continentes;Brisa Continental = durante a noite, sopram dos continentes para os oceanos.

    Ventos peridicos: brisas

  • Aquecimento global

  • UNICAMP 2012 Q-8aObserve o esquema abaixo, que indica a circulao atmosfrica sobre a superfcie terrestre, e indique a alternativa correta.

  • UNICAMP -2012 Q-8a) Os ventos alsios dirigem-se das reas tropicais para as equatoriais, em sentido horrio no hemisfrio norte e anti-horrio no hemisfrio sul, graas ao da Fora de Coriolis, associada movimentao da Terra. b) Os ventos alsios dirigem-se das reas de alta presso, caractersticas dos trpicos, em direo s reas de baixa presso, prximas ao equador, movimentando-se em sentido anti-horrio no hemisfrio norte e em sentido horrio no hemisfrio sul. c) Os ventos contra-alsios dirigem-se dos trpicos em direo ao equador, movimentando-se em sentido horrio no hemisfrio norte e anti-horrio no hemisfrio sul, graas ao da Fora de Coriolis. d) Os ventos contra-alsios dirigem-se da rea tropical em direo aos polos, provocando quedas bruscas de temperatura e eventualmente queda de neve, movimentando-se em sentido anti-horrio no hemisfrio sul e em sentido horrio no hemisfrio norte.

  • UNICAMP-2012 Q-9bNo perodo das grandes navegaes, os marinheiros enfrentavam srios problemas quando as caravelas entravam em zonas de calmaria. Em relao ao tema, pode-se afirmar que: a) As caravelas possuam estoque alimentar suficiente para permanecer vrios meses estacionadas, para o caso de entrarem inadvertidamente em reas de calmaria, que correspondem a pores de baixa presso atmosfrica. b) As reas de calmaria correspondiam a pores de alta presso atmosfrica, tpicas das latitudes prximas aos trpicos e, consequentemente, as caravelas permaneciam estacionadas, agravando as condies de vida dos marinheiros. c) O oceano era conhecido como Mar Tenebroso, em razo da crena na existncia de monstros marinhos, mesmo sabendo-se que o mar era seguro nas reas de calmaria das pores equatoriais. d) A viagem atrasava meses quando se atingia uma rea de calmaria, pois as clulas de alta presso no se deslocam ao longo do ano, o que causava problemas de desabastecimento e doenas temidas pelos navegadores, como o escorbuto.

  • UNICAMP-2012O mapa abaixo indica a ocorrncia de queda de neve na Amrica do Sul. Observe o mapa e responda s questes. a) Que fatores climticos determinam a distribuio geogrfica da ocorrncia de queda de neve na Amrica do Sul? b) Quais so as condies momentneas de estado de tempo necessrias para a ocorrncia de precipitao em forma de neve?

  • UNESP-2012-q-32No mapa, esto indicadas as principais correntes martimas.

  • UNESP-2012 Q-32Explique a influncia da Corrente do Golfo no Atlntico Norte sobre a Europa Ocidental, e destaque os motivos das cidades de Londres e Paris terem invernos mais amenos do que Montreal e Nova Iorque.

  • FuracoO furaco uma tempestade que se forma nas reas tropicais, sobre os oceanos, provocando ventos de at 300Km/h. Normalmente, possui entre 450Km e 650Km de dimetro e a distribuio do vento e das nuvens ao seu redor igual. Em seu centro, conhecido por "olho da tempestade", em que predominam as baixas presses, no h chuva, os ventos so brandos e o cu praticamente limpo. Essa tempestade chamada de Furaco no oceano Atlntico e de Tufo, quando acontece no Pacfico.

  • Escala Saffir-SimpsonA escala Saffir-Simpson classifica os furaces em 5 categorias:Furaco de categoria 1 mais fracoFuraco de categorias 2,3,4 e 5, gradualmente ficam mais fortes, sendo que o de categoria 5 apresenta ventos que ultrapassam os 249 km/h, pode destruir tudo o que estiver pelo seu caminho.

  • Furaco Tufo - Ciclone

  • TornadoUmtornado um fenmeno meteorolgico, uma coluna de ar que gira de forma violenta e perigosa em contato com a superfcie terrestre e uma nuvem, ou mais excepcionalmente a base de uma nuvem.O que curioso nesse fenmeno que acontece majoritariamente nos Estados Unidos.Por que?Segundo os especialistas a maior incidncia de tornados nos Estados Unidos, especialmente na Alameda dos Tornados (Tornado Alley) deve-se coliso das grandes massas de ar frio que vm do norte com as massas de ar quente provenientes do Golfo do Mxico.O contraste entre essas duas massas com diferentes presses e temperaturas origina o aparecimento de super-clulas tempestuosas nas nuvens, o que leva ocorrncia desses fenmenos catastrficos

  • tornado

  • TornadosOs menores tornados so denominados mnimos e os maiores, de mximos. Um mnimo ir durar no mais do que alguns minutos, deslocar-se um quilmetro e meio e ter ventos com velocidade de at 160km/h. O chamado mximo pode deslocar-se 320 quilmetros ou mais, durar at trs horas e ter ventos com velocidade superior a 400km/h. Os cientistas ainda no conseguiram precisar a velocidade do vento dentro do funil.

  • Escala FujitaA Escala Fujita classifica o fenmeno de leve (F0), onde a velocidade do vento atinge o mximo de 110km/h, at fora de srie (F6), com ventos acima de 511km/h. Atualmente, existe uma nova verso da escala Fujita, a escala Fujita melhorada, que vai de F0 a F5, pois a F6 considerada hipottica.

    Classificao da velocidade do vento em Km/h:F0 ate 110 Leve F1 111-180 Moderado F2 181-250 Considervel F3 251-330 Severo F4 331-420 Devastador F5 421-510 Inacreditvel F6 511-610 Fora de Srie