A ESTRUTURAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE UM LABORATÓRIO ?· bagagem sobre o assunto, pudéssemos catalogar…

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

  • Sociedade Brasileira de

    Educao Matemtica

    Educao Matemtica na Contemporaneidade: desafios e possibilidades So Paulo SP, 13 a 16 de julho de 2016

    RELATO DE EXPERINCIA

    1 XII Encontro Nacional de Educao Matemtica ISSN 2178-034X

    A ESTRUTURAO E ORGANIZAO DE UM LABORATRIO DE ENSINO E

    APRENDIZAGEM EM MATEMTICA CONTRIBUINDO PARA A FORMAO

    INICIAL DE GRADUANDOS EM MATEMTICA

    Wilma Pereira Santos Faria Universidade Federal de Uberlndia UFU/MG

    wilmasantosfaria@gmail.com

    Jeferson Junio Batista Silva Universidade Federal de Uberlndia UFU/MG

    jefersonjbs@mat.ufu.br

    Silene Rodolfo Cajuella Escola de Educao Bsica da UFU/MG - ESEBA

    silenecaju@yahoo.com.br

    Resumo:

    Este texto consiste em relatar as contribuies que a participao em um projeto de estruturao, organizao e funcionamento de um Laboratrio de Ensino e Aprendizagem em Matemtica (LEAM) na Escola de Educao Bsica (ESEBA) da Universidade Federal de Uberlndia ESEBA/UFU trouxe para a formao inicial de dois graduandos do curso de Licenciatura em Matemtica. O projeto est vinculado a um programa de bolsas da Pro Reitoria de graduao da UFU e foi idealizado por uma docente da rea de Matemtica da ESEBA. Durante a realizao do projeto, os graduandos tiveram a oportunidade de conhecer o LEAM, os materiais didticos e suas respectivas finalidades, a diviso de contedos proposta pelos Parmetros Curriculares Nacionais, acompanhar algumas prticas pedaggicas realizadas utilizando materiais do LEAM e ter contato com os alunos da educao bsica. Com a metodologia utilizada os graduandos adquiriram uma viso mais ampla e realista da sua futura profisso.

    Palavras-chave: Laboratrio de Ensino; Matemtica; Educao Bsica.

    1. Introduo

    O ensino da Matemtica no Brasil alvo de muitos estudos e esforos por parte de todos

    os seguimentos da educao. Mesmo assim os resultados das avaliaes oficiais promovidas

    pelo Poder Pblico continuam mostrando que temos muito a avanar. Segundo os PCNs

    (1997):

    (...) h problemas a serem enfrentados, tais como a necessidade de reverter um ensino centrado em procedimentos mecnicos desprovidos de significados para o aluno. H urgncia em reformular objetivos, rever contedos e buscar metodologias compatveis com a formao que hoje a sociedade reclama. (Brasil, 1997, p.15).

    Na busca deste significado para os contedos trabalhados em Matemtica na Educao

    Bsica, os recursos didticos surgem como apoio e instrumentos para promover a construo

  • Sociedade Brasileira de

    Educao Matemtica

    Educao Matemtica na Contemporaneidade: desafios e possibilidades So Paulo SP, 13 a 16 de julho de 2016

    RELATO DE EXPERINCIA

    2 XII Encontro Nacional de Educao Matemtica ISSN 2178-034X

    de conceitos; a compreenso de mtodos, regras e propriedades; a fixao e aplicao dos

    conceitos construdos na resoluo de situaes problema; dentre outros. De acordo com

    Lima (2007):

    Com a evoluo das mudanas no mundo atual, a escola deve adaptar seu ensino seja em contedos ou em metodologias, de forma acompanhar tais mudanas. Quando se fala de matemtica e da necessidade de sua compreenso, muito importante que o professor saiba como se deve ensinar e apresentar os contedos, para sua melhor compreenso e sua melhor utilidade para o futuro dos alunos (LIMA, 2007, p. 10)

    Com o intuito de dinamizar a utilizao dos recursos didticos do Laboratrio de

    Ensino e Aprendizagem em Matemtica (LEAM) da Escola de Educao Bsica da

    Universidade Federal de Uberlndia (ESEBA/UFU), o projeto de estruturao, organizao e

    funcionamento deste espao foi proposto. O manuseio dos materiais pedaggicos e a

    convivncia com colegas de profisso e alunos contribuiu na formao dos dois graduandos

    do curso de Matemtica que foram previamente selecionados para desenvolver o projeto. Este

    texto descreve as fases de organizao e estruturao do LEAM, os desafios e as

    possibilidades que foram encontrados no decorrer do processo.

    2. O Laboratrio de Ensino e Aprendizagem em Matemtica (LEAM)

    O Laboratrio de Ensino de Matemtica (LEM) abrange diferentes tipos de funes,

    como, eventualmente, de um arquivo de instrumentos didticos ou ainda como algo mais

    amplo, um local para criao e desenvolvimento de atividades e materiais (LORENZATO,

    2009).

    O LEM deve ser o centro da vida matemtica da escola; mais que um depsito de materiais, sala de aula, biblioteca ou museu da matemtica, o LEM o lugar da escola onde os professores esto empenhados em tornar a matemtica mais compreensvel aos alunos. (LORENZATO, 2009, p.6-7)

    O laboratrio de prticas pedaggicas da ESEBA, assim como outros vinculados ao

    ensino fundamental e mdio, recebe o nome de Laboratrio de Ensino e Aprendizagem em

    Matemtica (LEAM) e difere dos LEMs presentes nas instituies de ensino superior por ser

    direcionado educao bsica e a formao inicial de professores.

    Na ESEBA, O LEAM utilizado por nove professores da rea de matemtica

    juntamente com bolsistas e estagirios, para a realizao de prticas pedaggicas

    desenvolvidas com alunos do quarto ao nono ano do Ensino Fundamental, alm da EJA. um

    espao destinado a: ensino, pesquisa, extenso e fruns de discusses sobre educao, mais

  • Sociedade Brasileira de

    Educao Matemtica

    Educao Matemtica na Contemporaneidade: desafios e possibilidades So Paulo SP, 13 a 16 de julho de 2016

    RELATO DE EXPERINCIA

    3 XII Encontro Nacional de Educao Matemtica ISSN 2178-034X

    especificamente, em educao matemtica. Tem por objetivos: a melhoria do ensino de

    Matemtica; estimular o interesse e a curiosidade cientifica; desenvolver o gosto e prazer no

    estudo de matemtica e a criatividade do professor e do aluno; disponibilizar materiais

    pedaggicos e manipulativos; realizar atividades extraclasse, cursos e reunies de carter

    pedaggico; desenvolver atividades com professores e alunos de outras escolas; pesquisar

    novas metodologias, trabalhar com alunos com dificuldades na aprendizagem e criar e

    confeccionar materiais pedaggicos artesanais.

    O LEAM, em questo, conta com espao fsico e mobilirio apropriados;

    equipamentos tecnolgicos como data show, computador e lousa digital; bibliografia: livros

    didticos, paradidticos, artigos e revistas; materiais didticos industrializados e, tambm,

    confeccionados por alunos e professores; instrumentos de medidas e ferramentas necessrias

    produo de materiais didticos artesanais.

    A escola no dispe de um funcionrio ou professor que atue exclusivamente no

    LEAM. Tambm no est previsto na carga horria do aluno um horrio especfico para

    utilizar o mesmo. Assim, cada professor dentro da sua dinmica e de acordo com as

    necessidades apresentadas pelos alunos e pelo contedo define o momento de utilizar os

    recursos didticos presentes no laboratrio.

    3. Consideraes iniciais sobre o LEAM

    No primeiro contato que tivemos com o LEAM, nossa reao foi de admirao. Como

    estudantes do ensino fundamental e mdio, no conhecamos um laboratrio especfico para a

    rea de Matemtica e tampouco os materiais didticos manipulveis que faziam parte do seu

    acervo.

    Apesar dessa estrutura, notamos que o LEAM estava com seu funcionamento

    prejudicado. Encontramos um excesso de bibliografia ali armazenada tais como: vrios

    volumes de um mesmo livro didtico, edies muito antigas e livros e apostilas que tratavam

    de assuntos administrativos da escola. Com relao ao restante do acervo, encontramos

    muitos materiais antigos e obsoletos, alm de jogos e materiais produzidos por alunos e

    professores sem as orientaes para sua devida utilizao. Todo o acervo encontrava-se

    guardado em prateleiras e armrios sem um critrio de organizao explcito, o que

    dificultava a localizao dos mesmos. No havia nenhum tipo de registro de quais e quantos

  • Sociedade Brasileira de

    Educao Matemtica

    Educao Matemtica na Contemporaneidade: desafios e possibilidades So Paulo SP, 13 a 16 de julho de 2016

    RELATO DE EXPERINCIA

    4 XII Encontro Nacional de Educao Matemtica ISSN 2178-034X

    materiais o laboratrio dispunha. Como o LEAM utilizado por diversas pessoas, cada

    usurio guardava o material utilizado em um local diferente.

    A partir dessa realidade, ns graduandos estabelecemos como primeira meta o

    processo de estruturao e organizao do LEAM, tendo como objetivo principal melhorar o

    funcionamento do laboratrio, contribuindo para que as prticas pedaggicas fossem

    realizadas com mais xito. Alm disso, tambm notamos que seria necessria a catalogao

    dos materiais que ali se encontravam, facilitando aos usurios, tomar conhecimento do acervo

    e da localizao do mesmo.

    Ao pesquisarmos sobre a existncia de outros laboratrios como o LEAM, nos

    deparamos com a ausncia de bibliografia a respeito da estrutura e funcionamento de LEAMs

    na educao bsica. O que se obtinha eram artigos e livros relacionados a laboratrios de

    Matemtica presentes em instituies de ensino superior. Assim, todos os mtodos utilizados

    na estruturao e organizao do LEAM partiram de ideias inovadoras por parte da

    coordenadora do projeto e de ns graduandos, tendo por base algumas bibliografias

    relacionadas educao Matemtica.

    4. A Estruturao e Organizao do LEAM

    Diante dessa realidade, iniciamos a seleo dos materiais que deveriam permanecer no

    LEAM e o descarte dos que no eram utilizados. Para isso, foram estabelecidos critrios para

    as escolhas, entre os quais, destacavam-se: aplicabilidade, contedos abordad