Vasculariza§£o da face

  • View
    736

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of Vasculariza§£o da face

Perfil Epidemiolgico de trauma de Face no Servio de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial do

Vascularizao Sangunea da FaceFACULDADE CATLICA RAINHA DO SERTOCurso de odontologia

Setembro/2012Boa noite a todos. Prosseguindo o ciclo de seminrios promovido pela Lacom, eu, Priscila Freitas, acadmica do 8 perodo darei incio ao trabalho cujo ttulo vascularizao Sangunea da Face.1Vasos Sanguneos

DangeloAntes de falar sobre a irrigao sangunea da face, importante relembrarmos a funo dos vasos sanguneos. Os vasos sanguneos constituem uma rede fechada de tubos ou canais, pelos quais circula o sangue. Os vasos incluem as veias, artrias e os capilares sanguneos. As veias levam do corao o sangue vindo do corpo, ou seja, levam ao corao o sangue que j sofreu trocas com os tecidos, suas paredes so mais finas que a das artrias, e o sangue em seu interior circula com menos tenso. O nmero de veias superior ao nmero de artrias, no s porque frequentemente existem duas veias para cada artria, mas tambm pela existencia de veias superciais as quais no correspondem artrias. J as artrias levam o sangue do corao aos tecidos, elas possuem elasticidade, tem parede mais espessa, e apresentam maior tenso em seu interior. Os capilares so vasos microscpicos interpostos entre as artrias e veias, neles se processam as trocas de sangue entre os tecidos.2Vasos SanguneosVasos calibrosos que distribuem o sangue bombeado pelo coraoSo pulsteisSuas paredes aguentam grandes presses

Fluxo do sangue: artrias arterolas capilaresArtriasAntes de falar sobre a irrigao sangunea da face, importante relembrarmos a funo dos vasos sanguneos. Os vasos sanguneos constituem uma rede fechada de tubos ou canais, pelos quais circula o sangue. Os vasos incluem as veias, artrias e os capilares sanguneos. As veias levam do corao o sangue vindo do corpo, ou seja, levam ao corao o sangue que j sofreu trocas com os tecidos, suas paredes so mais finas que a das artrias, e o sangue em seu interior circula com menos tenso. O nmero de veias superior ao nmero de artrias, no s porque frequentemente existem duas veias para cada artria, mas tambm pela existencia de veias superciais as quais no correspondem artrias. J as artrias levam o sangue do corao aos tecidos, elas possuem elasticidade, tem parede mais espessa, e apresentam maior tenso em seu interior. Os capilares so vasos microscpicos interpostos entre as artrias e veias, neles se processam as trocas de sangue entre os tecidos.3Vasos SanguneosVeiasSo mais delgadas, trazendo o sangue venoso do corpo para o coraoNo pulsteisParede mais fina

Fluxo do sangue:capilares vnulas veias Antes de falar sobre a irrigao sangunea da face, importante relembrarmos a funo dos vasos sanguneos. Os vasos sanguneos constituem uma rede fechada de tubos ou canais, pelos quais circula o sangue. Os vasos incluem as veias, artrias e os capilares sanguneos. As veias levam do corao o sangue vindo do corpo, ou seja, levam ao corao o sangue que j sofreu trocas com os tecidos, suas paredes so mais finas que a das artrias, e o sangue em seu interior circula com menos tenso. O nmero de veias superior ao nmero de artrias, no s porque frequentemente existem duas veias para cada artria, mas tambm pela existencia de veias superciais as quais no correspondem artrias. J as artrias levam o sangue do corao aos tecidos, elas possuem elasticidade, tem parede mais espessa, e apresentam maior tenso em seu interior. Os capilares so vasos microscpicos interpostos entre as artrias e veias, neles se processam as trocas de sangue entre os tecidos.4

Sistema Arterial da Face5O sistema arterial da cabea e do pescoo deve-se as artrias cartida comum e vertebral.5t

A. CARTIDA COMUMA. VERTEBRALArtrias da faceSobottaO sistema arterial da cabea e do pescoo deve-se as artrias cartida comum e vertebral.A cartida comum sobe pelo pescoo bem protegida por msculos e pela bainha cartida. Ao nvel da cartilagem tireide se bifurca em artria cartida interna e artria cartida externa.6

ARTRIA CARTIDA EXTERNA ARTRIA CARTIDA COMUMVERTEBRAL

ARTRIA CARTIDA INTERNAArtrias da faceEste esquema evidencia as bifurcaes, a. vertebral, artria cartida comum que se bifurca em cartida externa e cartida interna.7

cartida internaa. vertebralNetterAs artrias vertebral e a cartida interna penetram no crnio para banhar o encfalo. A cartida interna no interior do crnio se divide em artria anterior e mdia do crebro.8

A. Cartida externaArtrias da faceSobottaA artria cartida externa de maior interesse em odontologia. Pois irriga a maior parte dos tecidos da face, incluindo msculos, glndulas salivares, dentes...9

tireidesuperiorlingualSchnkeO primeiro ramo emitido pela cartida externa a artria tireide superior que irriga a glndula tireide e a laringe. O segundo ramo, a arteria lingual, emitido no pice do corno maior do osso hiide e ela corre encostada ao msculo hioglosso e na lateral do genioglosso at o pice da lingua.10a. sublingual

ramo dorsais da lnguaRamos da a. lingualSchnkeA. LINGUALProfunda da lnguaA artria lingual tbm se ramifica, possui os ramos dorsais e termina no pice da lingua com a denominao de arteria profunda da lingua, na borda posterior do genioglosso sai a artria sublingual que irriga a regio e a glndula sublingu. A artria lingual fica mais prxima da margem do que do meio da lngua, com anastomose entre a artria direita e esquerda somente no pice. Isso significa que se uma inciso sagital mediana, mesmo que profunda for praticada na lngua, no seccionar artrias grandes e no causar hemorragia. J uma inciso transversal, lateral ou oblqua o resultado ser outro.11t

Artrias da faceA. FACIALSobottaJ vimos que o primeiro ramo da artria cartida externa a. tireide superior, o segundo ramo a a. lingual e suas ramificaes e agora estudaremos o terceiro ramo que a artria facial.12

A. FACIALa. palatina ascendenteramos glandularesa. submentuala. labial inferiora. labial superiora. angularArtria FacialSchnkeO terceiro ramo, a artria facial. Inicia-se perto do ngulo da mandbula, menos de 1cm acima da origem da artria lingual. Seus ramos so artria palatina ascendente que se dirige ao palato mole, outro ramo sulca a gl. Submandibular soltando seus ramos glandulares, ao cruzar a mandbula emite a artria submentoniana e a artrias labial inferior e labial superior, estas artrias se anastomosam ao redor da boca formando um crculo arterioso ao redor da rima bucal. O restante da artria acompanha o sulco nasolabial e termina no ngulo mesial do olho, com o nome de artria angular.13

Temporalsuperficiala. occiptalAuricular posteriorArtrias da faceSobottaOutros ramos emitidos pela carotida externa so a. occiptal, a auricular posterior, a temporal superficial esta com seus ramos frontal e parietal.14

maxilarArtrias da faceMadeiraO prximo ramo que estudaremos a a maxilar. Ela muito importante pq irriga todas as regies profundas da face e os dentes superiores e inferiores. Surge da cartida externa dentro da partida. Contorna por trs e por frente o colo da mandbula, sendo um risco haver injeo intravascular em anestesias tronculares altas.15

Menngea mdia

Artria maxilarSobottaSobottaA artria maxilar fornece ramos para o meato acstico externo, para orelha mdia e ainda da origem a artria menngea mdia que atravessa o forame espinhoso e penetra no crnio para irrigar a dura-mter e o gnglio trigemial.16

a. alveolar inferiorramo milo-hiideoArtria maxilara. mentualramos dentais e peridentaisNetterO ramo seguinte a artria alveolar inferior que penetra no forame da mandbula em companhia do nervo alveolar inferior, antes de penetrar na mandbula d origem ao ramo milo-hiideo que percorre a superfece do m miloohiodeo,. pequenos ramos saem da artria alveolar so os ramos dentais e peridentais. O grande ramo colateral da artria alveolar inferior a artria mentoniana que deixa o interior da mandbula pelo canal e forame mentoniano e irriga os tecidos moles do mento.17

a. temporal profunda posteriorramos pterigideosa. massetricaa. temporal profunda anterior a. bucalArtria maxilarSchnkeOs prximos ramos so todos musculares: artria temporal profunda anterior, artria profunda posterior, ramos pterigideos, artria massetrica e artria bucal.18

Artria maxilarAlveolar superior posteriorInfraorbitriaAlveolar superior anteriorMadeiraA artria alveolar superior posterior destaca-se junto a tuberosidade da maxila. Seus ramos vo irrigar os dentes, tecidos peridentais e osso alveolar. A artria infra-orbitaria emitida quase junto com a artria alveolar superiores anteriores que vascularizam dentes e tecidos perindentais.

19

a. Palatina descendentea. esfenopalatinaArtria maxilarSchnkeDentro da fossa pterigopalatina d origem a a. palatina descendente que d origem a arteria palatina maior e arteria palatina menor. Depois de emitir todos esses ramos colaterais, a artria maxilar muda de nome para artria esfenopalatina e vai para cavidade nasal.20Artria maxilar

a. palatina descendente a. palatina menor a. palatina maior NetterEm um vista por medial, observa-e a artria palatina descendente e seus ramos a artria palatina maior e artria palatina menor. Pra suprir a irrigao da parte posterior do palato duro e palato mole.21Artria maxilar

a. esfenopalatina a. esfenopalatina NetterE artria esfenopalatina depois de penetra no forame esfenopalatino indo para cavidade nasal, ela percorre o septo nasal e desce pelo forame incisivo para irriga a parte anterior do palato duro.22

Sistema Venoso da FaceO sangue que as artrias conduzem a cabea e ao pescoo tem seu retorno garantido por uma srie de vasos que podem ser assim agrupados:23Drenagem venosa Seios da dura-mterVeias cerebrais e cerebelaresVeias diplicas Veias emissrias Veias do couro cabeludoVeias superficiais e profundas da faceO sangue que as artrias conduzem a cabea e a