Anemias Nutricionais: Anemias ferropriva, talassemica e sideroblastica

  • View
    613

  • Download
    3

Embed Size (px)

Text of Anemias Nutricionais: Anemias ferropriva, talassemica e sideroblastica

  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte UFRNFaculdade de Cincias da Sade do Trairi FACISA

    Graduao em Nutrio

    Disciplina : Fisiopatologia da Nutrio

    Anemias Nutricionais

    Discentes: Anna Paula Mota

    Fharlley Lohann de Medeiros

    Iaponelma Islla Moreira

    Luis Henrique Dantas Mendes

    Renatha Celiana de Silva Brito

    Docente: Weskley Cesar Ribeiro

  • Anemia

    A anemia definida como sndrome caracterizada pordiminuio de massa eritrocitria total.

    Laboratorialmente, definimos anemia comohemoglobina menor que 12 g/dl em mulheres ou 13

    g/dl em homens.

  • Classificao

  • Anemias Microcticas

    So o resultado da deficincia da hemoglobinizaocaracterizada por hemcias pequenas (eritroblastos)

    com citoplasma escasso e descorado, que levaro a

    diminuio da Hemoglobina Corpuscular Mdia

    (HCM) e do Volume Corpuscular Mdio (VCM).

  • Anemia Ferropriva

    A deficincia de ferro o distrbio nutricional maisprevalente no mundo inteiro e afeta mais de um

    bilho de pessoas.

    Adultos: Absorvem 10% dos 10mg ingeridos na dietadiria e perdem 1mg de Ferro por descamao

    celular.

    O Ferro transportado no plasma pela transferrina.

  • Estoques no organismo:

    1.000 mg na ferritina dos macrfagos

    2.000 mg nos eritroblastos e na hemoglobina da

    hemcias

    No eritroblasto, o ferro se liga a protoporfirina para aproduo do heme da hemoglobina.

    Prevalncia

    Latentes (com dieta inadequada), crianas desnutridas

    ou com verminoses, mulheres com menstruao

    excessiva, adultos com sangramentos digestivos

    crnicos por doenas ppticas (gastrites e lceras),

    neoplasia (cncer gstrico e intestino grosso).

  • Fisiopatologia

    Reduo do transporte de Ferro para os eritroblastos

    Diminuio da produo

    de hemoglobina

    Diminuio at o esgotamento do estoque de

    Ferro dos macrfagos ANEMIA

    A falta de Ferro leva a:

  • Saturao da transferrina

    A saturao da transferrina corresponde a quantidadede Ferro que esta capaz de transportar.

    Normalmente a saturao de 30%, na anemia

    ferropriva est intensamente diminuda, girando em

    torno de 10%.

  • Diagnstico

    RDW ou Exame Microscpico: avalia a diferena detamanho/volume entre as hemcias, quando a

    concentrao de hemoglobina e os ndices

    hematimtricos esto aparentemente normais, porm

    tendendo ao limite inferior;

    Hipocromia: quando a diminuio do HCM noestiver mais sendo compensada pela diminuio do

    VCM, resultando na diminuio da CHCM.

  • Profilaxia

    Reposio oral de Ferro;

    Correo da causa da falta de Ferro;

    Aps a correo da anemia o Ferro administradopara reposio de estoque.

  • Talassemia

    Anemia de Cooley

    Americano Thomas Cooley que, em 1927, descreveu ossinais clssicos da doena grave (maior).

    uma doena gentica caracterizada pela diminuio navelocidade de produo (Eritropoiese) das cadeias

    globnicas ou .

    Cada hemcia circulante possui cerca de 300

    milhes de molculas de Hemoglobina. Cada

    uma destas molculas, em seu estado normal,

    formada por duas cadeias (alfa) conectadas a

    duas cadeias (beta) de globina (22).

  • Como ocorre

    Nos pacientes portadores, ocorre mutao de cromossomosespecficos;

    Em resposta, a medula ssea para de produzir ou produz demaneira insuficiente um dos tipos de cadeia de globina;

    Talassemia

    Cromossomo 16 (falta de cadeias )

    Talassemia

    Cromossomo 11 (falta de cadeias )

  • Alfa Beta

    Geralmente, os danos sobrando, sem sintomas de

    anemia e sem necessidade de

    tratamento;

    Possibilidades mais severas:

    Hemoglobina H

    Hydropsis fetalis

    So as mais frequentes no Brasil e no mundo;

    Classificadas em trs grupos bsicos:

    Talassemia Menor

    Talassemia Maior

    Talassemia Intermediria

    Cromossomos

    (16 e 11)Cadeia ( e )

    Hemoglobina

    - Hemcias -ANEMIA

  • Menor

    Tambm conhecida como trao talassmico;

    Na maioria dos casos, apresenta apenas anemia leve que perdura portoda a vida, mas no traz prejuzo significativo ao organismo nem

    requer tratamento;

    H exames oferecidos gratuitamente pelo SUS que apresentam ometabolismo do ferro no organismo, facilitando o diagnstico;

    H uma chance de 25% de que uma criana, filha de pai e meportadores dessa forma leve da doena, venha nascer com

    Talassemia Maior, mais severa e que requer tratamento logo nos

    primeiros meses de vida.

  • Tratamento:

    No terapia especfica;

    Deve-se ficar atento a situaes em que o organismo submetidoa um maior stress (como cirurgias, doenas severas, gravidez);

    Em alguns casos pode haver diminuio do nvel de folato, queleva estados similares ao da anemia megaloblstica, por isso

    pode ser necessria a suplementao temporria de cido flico;

    importante buscar a origem de todas as anemias, para evitardiagnsticos e tratamentos errados como portadores de anemia

    carencial, por no saber ser portador das mutaes desses genes.

  • Maior

    Tambm conhecida com anemia mediterrnea ou de Cooley; A severidade do estado anmico medida pela dosagem da

    hemoglobina no sangue que, em pessoas com talassemia, apresentanveis dessa protena abaixo de 8g/dL, enquanto em um adultonormal os valores variam de 11 a 16 g/dL;

    Causas no organismo: Hemcias mais frgeis e de menor durao, assim como de menor

    capacidade de carregamento do oxignio;

    Palidez, fadiga, fraqueza e sonolncia; Acmulo e depsito aumentado de cadeias alfa nas hemcias

    circulantes, destruindo-as (agrava a anemia e resulta no excesso debilirrubina, responsvel pela ictercia)

  • TRANSFUSO SANGUNEA + TERAPIA QUELANTE = VIDA NORMAL

    COM QUALIDADE

    Complicaes:

    Quanto mais adiado o tratamento, maiores as complicaes;

    Desenvolvimento de outros problemas... Medula ssea

    Bao e fgado

    Corao

    Sistema Gastrointestinal

    Tratamento:

    O paciente deve ser submetido a transfuses durante toda a vida,processo esse que controla a anemia severa e que, se iniciado

    logo que diagnosticado, remove os riscos e complicaes que

    podem afetar o bem-estar e expectativa de vida;

    Aproximadamente aps a dcima transfuso necessrio adotar aterapia de quelao.

  • Intermediria

    Como o prprio nome j sugere, sua gravidade est entre a menor emaior;

    Nveis diferenciados da doena, similares a um ou ao outro quadro;

    Pode requerer terapia transfusional;

    Diferena:

    Mesmo se uma anemia crnica discreta descarte o uso detransfuses, este paciente precisar de tratamento para uma vida

    saudvel, e em algum momento da vida dever requerer ao uso de

    terapia de quelao.

  • Complicaes:

    Quanto mais adiado o tratamento, maiores as complicaes;

    Desenvolvimento de outros problemas... Medula ssea

    Alteraes sseas

    Osteoporose

    Hiperatividade ou expanso da medula ssea e cido flico

    Clculo biliar

    lceras de membros inferiores

    Complicaes renais

    Thrombofilia

    Eritropoiese extramedular

    Complicaes cardacas e endcrinas

    Tratamento: Assim como na Talassemia Maior, necessrio a transfuso, pois apesar

    de mais discretas e silenciosas, pode apresentar as mesmas

    complicaes;

  • Diagnstico

    Exames

    Hemograma

    o primeiro exame solicitado e serve para checar se a crianatem anemia ou outra alterao de sangue.

    Obs: este exame no suficiente, pois o hemograma no especfico para a Talassemia, podendo ser til tambm para

    outras condies.

    Eletroforese de Hemoglobina

    Simples e eficiente, sendo o mais indicado para este diagnsticoem crianas suspeitas.

    Coletado de 3 a 5 mL de sangue em um processo utilizandoeletricidade que separa e identifica as hemoglobinas.

  • Biologia Molecular

    o exame mais moderno, e usa tcnicas avanadas paraidentificar com preciso o que causa a m formao da

    hemoglobina.

    possvel saber no apenas se uma pessoa tem Talassemia, mastambm qual o tipo.

    Advertncia: Nem todo laboratrio tem a tecnologia necessria oudisponibilizao gratuita.

    Obs: A ABRASTA em parceria com o Centro de Hematologia da

    UNICAMP proporciona a todos o acesso a todos os exames.

    Quando fazer estes exames:

    no terceiro ms de vida, particularmente

    se a criana j apresenta os sinais.

  • Doao de sangue

    A doao de sangue de extrema importncia j que pessoascom Talassemia Maior, por exemplo, precisam fazer

    transfuses de sangue a cada 20 dias, em mdia, por toda a

    vida, a fim de corrigir a anemia e garantir que os tecidos

    recebam uma quantidade normal de oxignio.

  • Estatsticas

    No Brasil, a forma maiscomum a Talassemia ;

    Cerca de 90% na formamenor, assintomtica e sem

    necessidade de tratamento;

  • Anemia Sideroblstica

    uma forma rara de anemia, decorrente de anomaliaprovocada por incapacidade da medula ssea em

    produzir adequadamente clulas da linha eritrocitria,

    apesar da disponibilidade normal ou aumentada de

    ferro.

    A produo de hemoglobina deficiente,observando-se na circulao a presena de

    sideroblastos em anel.

  • Sideroblastos em Anel

    Depsito de ferro se deposita anormalmente nasmitocndrias e se dispe em grnulos ao redor do

    ncleo do eritroblasto, formando os sideroblastos em

    anel.

    Alm dos sideroblastosem anel h

    presena de:

    Anemia hipocrmica

    concomitante, hiperferremia