Click here to load reader

Revolucao Francesa

  • View
    2.043

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Revolução Francesa e Império Napoleônico.

Text of Revolucao Francesa

  • Revoluo Francesa

  • As causas da Revoluo

  • Causas da Revoluo Francesa:

    - Sociedade estamental: Clero, Nobreza e Terceiro Estado (burguesia e o povo);

    Pouca mobilidade social, sociedade de privilgios = resqucios do feudalismo.

    - Nobreza e Clero isentas de impostos;

    - Exploso demogrfica;

    - Baixa produo agrcola: secas, inundaes e empecilhos feudais;

    - Absolutismo: a vontade do Rei a lei;

  • Clero, Nobreza e burguesia sobre o povo.

  • Causas da Revoluo Francesa:

    - Influncia das ideias iluministas (contra o absolutismo);

    - Crise financeira, administrativa e poltica (a aristocracia barrava as reformas);

    - Guerras (Guerra dos Sete Anos e Guerra de Independncia dos EUA);

    - Imposio de tributos e medidas fiscais para ampliar capacidade financeira do Estado francs; Esbanjamento da corte de Versalhes (Maria Antonieta);

    - Prticas mercantilistas que dificultam o desenvolvimento econmico da Frana (prejudicando a burguesia);

  • AssembleiaNacional

  • Assembleia Nacional

    - Os camponeses atacavam as propriedades privadas da nobreza e do clero no campo;

    - Em resposta a Assembleia dos Estados-Gerais (convocada pelo Rei) aboliu os privilgios feudais;

    - A Assembleia Nacional cria a Declarao Universal dos Direitos do Homem e do Cidado:

    ::: Igualdade de todos perante a lei;::: Direito propriedade privada;::: Direito de resistncia opresso.

    - Os bens dos padres foram confiscados e tornaram-se funcionrios pblicos;

  • Assembleia Nacional

    - 1791: Primeira Constituio da Frana Monarquia Constitucional;

    - Direito ao voto: ainda era censitrio;

    - Proibio de greves e da associao entre os trabalhadores;

    - Eliminava-se os privilgios feudais, mas se firmava o domnio da burguesia (que buscava se distinguir do povo);

    - As medidas no agradavam aos setores radicais da revoluo. A invaso da Frana pelos vizinhos e a formao de um exrcito popular abriram espao para a proclamao da Repblica.

  • Girondinos

    Representantes da alta burguesia. Eram assim chamados em referncia regio de Gironda, no sul e sudeste da Frana, de onde vinha a maioria de seus componentes. Setor moderado.

  • Jacobinos

    Representantes da mdia e baixa burguesia. Eram assim chamados em referncia ao convento de frades jacobinos (dominicanos), local de reunio dos revolucionrios. Setor radical.

  • Sans-culottes

    Pessoas que usavam calas compridas em vez dos cales at o joelho da gente rica. Durante a revoluo o termo passou a ser aplicado aos indivduos politicamente ativos dos pequenos comerciantes e assalariados das cidades. Foram a base social do perodo radical da Revoluo Francesa.

  • Conveno

  • Conveno Nacional (1792 - 1795)

    - Sentados direita estavam os Girondinos;

    - No centra estava a Plancie ou Pntano (burgueses sem posio definida);

    - Na esquerda, formando o partido da Montanha, estavam os jacobinos;

    - O Rei Lus XVI guilhotinado na Praa da Revoluo, em Paris (1793);

    - Conveno Montanhesa (1793): os jacobinos tomam a Conveno e prendem os lderes girondinos (comea o perodo de radicalizao);

  • RobespierreDantonMarat

  • Conveno Nacional (1792 - 1795)

    - Comit de Salvao Pblica: comandado por Danton;

    - Comit de Salvao Nacional e Tribunal Revolucionrio;

    - Perodo de Terror Vermelho: Robespierre comea a sobrepujar Danton no comando da Conveno Montanhesa perseguio e guilhotinamento de adversrios;

    - Medidas jacobinas:::: Lei do Preo Mximo;::: Abolio da escravido nas colnias francesas;::: Criao do ensino pblico e gratuito;::: Culto revolucionrio fundado na razo e na liberdade;::: Sufrgio universal e democratizao.

  • Conveno Nacional (1792 - 1795)

    - Diviso dos jacobinos em: radicais apoiavam a continuidade das execues; indulgentes desejavam conter a Revoluo e acabar com as execues;

    - O clima de perseguio e a crise econmica fazem Robespierre perder apoio popular;

    - Conveno Termidoriana ou Terror Branco: a alta burguesia volta ao poder. Medidas:::: Extino da Lei de Preo Mximo;::: Fim da supremacia do Comit de Salvao Pblica;::: Retorno do voto censitrio;::: Poder executivo exercido por um Diretrio (cinco membros eleitos pelos deputados).

  • Diretrio

  • O Diretrio (1795 - 1799)

    - Supremacia girondina, com oposio dos jacobinos e dos realistas (apoiadores da monarquia);

    - 1796: Conspirao dos Iguais: Franois Nel Babeauf, conhecido como Graco, liderando os sans-culottes, condenava a propriedade privada e lutava por uma ditadura dos humildes - defendia o fim de todas as desigualdades e o bem-estar para todos;

    - Golpe do 18 Brumrio: Napoleo e os girondinos dissolvem o Diretrio e instituem o Consulado (composto por trs membros);

    - Napoleo, o principal cnsul, comea a concentrar poderes polticos e militares em suas mos;

  • Consulado

  • O jovem e popular Napoleo Bonaparte transforma-se na alternativa da alta burguesia para conter a invaso estrangeira e o mpeto revolucionrio da populao pobre. Marx chamar esse fenmeno de bonapartismo: quando nenhuma das classes sociais consegue o consenso, surge uma figura carismtica e apresenta-se acima dos interesses parciais.O jovem Napoleo

  • O Consulado (1799 - 1804)

    - Napoleo conquistou o apoio popular distribuindo as terras da Igreja e da nobreza emigrada aos camponeses;

    - Napoleo contou com o apoio do exrcito, da alta burguesia e dos camponeses;

    - Criao do Banco da Frana e do Franco (moeda). A indstria e a produo agrcola foi incentivada por financiamentos;

    - Reatou relaes com a Igreja;

    - Nova Constitiuo: Napoleo tornou-se Primeiro-cnsul, acumulando o controle do Poder Executivo;

  • O Consulado (1799 - 1804)

    - Cdigo Civil Napolenico:::: Igualdade de todos perante a lei;::: Direito propriedade privada;::: Proibio dos sindicatos e greves;::: Restabeleceu a escravido nas colnias.

    - Reforma da educao, tornando-se responsabilidade do Estado;

    - Napoleo recebe o ttulo de imperador em 1804, concentrando os poderes nacionais em suas mos;

  • Imprio

    Napoleo I

  • O Imprio (1804 - 1815)

    - Os primeiros anos do Imprio foram de prosperidade, resultado das reformas econmicas de Napoleo I;

    - Guerras contra prussianos, russos, ingleses e austracos;

    - Extino do Sacro Imprio Romano-Germnico e, em seu lugar, a Confederao do Reno (vrios principados alemes sob a influncia de Napoleo);

    - Bloqueio Continental: a Frana, no conseguindo invadir a ilha inglesa, decretou em 1806 o bloqueio de todo o comrcio do continente com os ingleses;

    - O Cdigo Civil foi disseminado por todo o continente, destruindo as estruturas feudais;

  • O Imprio (1804 - 1815)

    - Portugal contraria o Bloqueio Continental: as tropas franceses invadem e D. Joo VI e a corte portuguesa fogem para o Brasil;

    - Lutas nacionalistas na Espanha (guerrilhas) e Rssia comeam a minar o poder de Napoleo;

    - A segunda brecha no Bloqueio ocorreu na Rssia. Napoleo marcha sobre o pas com 600 mil homens. Contudo, os russos usam a ttica da terra arrasada;

    - Sem a possibilidade do saque, com frio e fome, os franceses viram seu grande exrcito perecer;

    - Napoleo encontrou Moscou abandonada e incendiada;

  • Dom Joo VI se transfere para o Brasil, principal colnia de Portugal, e empreende diversas mudanas polticas, econmicas e estruturais. o primeiro passo para a futura independncia do Brasil em 1822.

  • O Imprio (1804 - 1815)

    - Portugal contraria o Bloqueio Continental: as tropas franceses invadem e D. Joo VI e a corte portuguesa fogem para o Brasil;

    - Lutas nacionalistas na Espanha (guerrilhas) e Rssia comeam a minar o poder de Napoleo;

    - A segunda brecha no Bloqueio ocorreu na Rssia. Napoleo marcha sobre o pas com 600 mil homens. Contudo, os russos usam a ttica da terra arrasada;

    - Sem a possibilidade do saque, com frio e fome, os franceses viram seu grande exrcito perecer;

    - Napoleo encontrou Moscou abandonada e incendiada;

  • O Imprio (1804 - 1815)

    - O exrcito francs recua com somente 100 mil soldados;

    - A Sexta Coligao de pases derrota Napoleo em 1813, que preso na Ilha de Elba;

    - Lus XVIII, irmo de Lus XVI (guilhotinado durante a Conveno) assume o poder na Frana;

    - Governo dos 100 dias: Napoleo foge e volta ao poder da Frana, sendo derrotado novamente na batalha de Waterloo;

    - Napoleo morreu em 1821.

  • A reorganizao da Europa

  • Congresso de Viena

    - Com a derrota definitiva de Napoleo, as principais potncias reuniram-se em congresso na cidade de Viena. Seus objetivos eram:

    ::: reorganizar as fronteiras dos pases europeus, modificadas pelas conquistas napolenicas;

    ::: manter ou restaurar as monarquias absolutistas;

    ::: deter os movimentos de independncia das colnias da Amrica;

    ::: deter movimentos revolucionrios que surgiam na Europa, influenciados pelas ideias liberais da Revoluo Francesa.

  • Santa Aliana

    - Objetivos:

    ::: pacto de mtua ajuda entre as monarquias absolutistas;

    ::: objetivava sufocar qualquer movimento revolucionrio que surgisse na Europa;

    ::: tambm reprimir as independncias das colnias europeias em outros continentes;

  • Bibliografia

    VICENTINO, Cludio. Histria geral e do Brasil. 1 edio, So Paulo: Scipione, 2010.