P.s. vive melhor

  • View
    3.511

  • Download
    7

Embed Size (px)

Text of P.s. vive melhor

  • 1. P.S.: Vive Saudvel

2. Intervenientes
Escola E.B. 2-3 D. Paio Peres Correia 2009-10
Alunos da Turma Ado 8ano
Adriana Gonalves
Adriana Domingues
Adriana Baptista
Ana Sousa
Andr Fernandes
Cludia Rodrigues
Daniel Stantchev
Diogo Lage
Fbio Fernandes
Ftima Cereja
Guilherme Pereira
Joana Guerreiro
Joo Marques
JooNobre
Joo Jesus
Laura Gorro
Lara Thellier
Tiago Ferro
Professor Responsvel
Benjamim Lucas
3. Prefcio
Somos o que comemos este antigo ditado ainda hoje utilizado, tenta mostrar-nos que tudo o que ingerimos se reflecte no nosso interior e exterior.
A Natureza proporciona-nos produtos naturais e realmente eficazes para um bom funcionamento motor.Constantemente, impingem-nos, a toda a hora e em qualquer stio, publicidade enganosa que nos faz acreditar que qualquer produto pode ser benfico para a nossa sade.
Antigamente as pessoas confiavam mais no poder da Natureza e hoje esta fica escondida pelos produtos qumicos. Por muito que os produtos qumicos no possam ajudar, a Natureza proporciona-nos inmeras solues para qualquer problema.
Este livro trata de nos relembrar como a Me Natureza nos pode ser benfica.
8A
4. ndice
- Intervenientes. 2
- Prefcio .. 4
- ndice .. 6
- Introduo .. 8
- Frutos Regionais Algarvios ... 10
- Frutos Tropicais .. 50
- Leguminosas ... 68
- Produtos Hortcolas 82
- Plantas Medicinais 122
- Chs e Infuses ... 136
- Sntese Final 150
- Bibliografia. 152
5. Introduo
Este trabalho foi realizado por ns, a turma do 8A, da Escola E.B. 2-3 Dom Paio Peres Correia, de Tavira.
Este livro foi realizadocom o intuito de mostrar informao rigorosa e sintetizada sobre os seguintes contedos: leguminosas, ervas aromticas, chs e infuses, produtos hortcolas, frutos regionais e frutos tropicais. As informaes aqui disponibilizadas podero ser utilizadas para uma rpida, completa e til pesquisa sobre os temas abordados.
Para facilitar na pesquisa, organizao e realizao deste trabalho a turma foi dividida em grupos, onde cada um produziu o seu respectivo tpico referido anteriormente.
Esperemos que este trabalho esteja do seu agrado.
7
8
6. FRUTOS REGIONAIS ALGARVIOS
7. Escola E. B. 2,-3D. Paio Peres Correia 8A2009-10
Citrinos
Os citrinos surgem associados vegetao do sul da Pennsula Ibrica e mais algumas zonas mediterrnicas, a partir de finais do sculo XIII, atravs de povos estrangeiros, nomeadamente genoveses. .As variedades tpicas do Algarve so: Dalmau (Navelina), Newhall e Valencia, Clementina Fina, Clementina Setubalense, Tangera, Tangerina Nova (Clemenvilla) (pequenos citrinos); MarshSeedless, StarRuby (toranjas); Eureka, Lisboa, Lunrio (limes).
Estes citrinos possuem caractersticas organolpticasdiferenciadas devido s condies climticas, e de qualidade do terreno da regio.
Os Citrinos do Algarve devem ostentar a marca de certificao aposta pela respectiva entidade certificadora.
11
12
8. Escola E. B. 2,-3D. Paio Peres Correia 8A2009-10
Laranja
Limo
Alaranja uma fruta ctrica com sabor variando do doce para o levemente azedo.
um fruto rico em sais minerais como, por exemplo, fsforo, clcio e ferro.
Alm dos sais minerais, a laranja rica em vitamina C, possuindo tambm uma boa quantidade de vitaminas A e B.
uma fruta pouco calrica, possuindo aproximadamente 40 calorias por 100 gramas.
A rvore que produz este fruto chama-se laranjeira.
uma fruta hbrida, criada no passado, a partir do cruzamento da tangerina e do pomelo.
A origem desta fruta a ndia. A verso doce da fruta foi trazida para o Brasil pelos portugueses, que a conheceram na China.
uma fruta com muito sumo e quando est madura assume uma cor alaranjada ou, em algumas espcies, permanece verde.
muito utilizada para a produo de sumos e doces, aproveitando-se at mesmo a casca em algumas receitas.
O limo o fruto do limoeiro. Existem cerca de 70 variedades, como por exemplo o limo 'Eureka', o limo 'Lisboa', o limo Lunrio, 'galego', Taiti', limo siciliano (Brasil), etc. originrio da regio sudeste da sia. Desconhecido para os antigos gregos e romanos, a primeira referncia sobre este citrino encontra-se em meados do sculo III ou IV.
Trazido da Prsia pelos conquistadores rabes, disseminou-se na Europa. H relatos de limoeiros cultivados em Gnova em meados do sculo XV bem como referncias sua existncia nos Aores em 1494, sendo tambm muito vulgares no Algarve.
Sculos mais tarde, em 1742, os limes foram utilizados pela marinha britnica para combater o escorbuto, devido ao cido ascrbico ou vitamina C, na qual o limo proporciona em grande quantidade: o sumo do limo contm aproximadamente 500 miligramas de vitamina C e 50 gramas de cido ctrico, por litro.
13
9. Escola E. B. 2,-3D. Paio Peres Correia 8A2009-10
Actualmente uma das frutas mais conhecidas e utilizas no mundo.
Popularizou-se durante a chamada Gripe Espanhola, quando atingiu preos elevados.
As suas aplicaes na vida domstica so variadas. Com o sumo, preparam-se refrigerantes, molhos e aperitivos, bem como remdios,xaropes e produtos de limpeza. Da casca, retira-se uma essncia aromtica usada em perfumaria e na preparao de licores e sabes.
Em Fito terapia, utilizado para diversas patologias, tais como reumtico, infeces e febres, aterosclerose, remove placas gordurosas das artrias, constipaes, dores de garganta, cicatrizaes, ajuda a manuteno de colagnio, hemoglobina, actua como anti-sptico entre outras.
CARACTERSTICAS
(Um limo 'taiti' maduro, pronto para ser colhido.)
Os limoeiros so rvores pequenas (no atingem mais de 6 metros), com espinhos, com muitos ramos, de caule e ramos castanho-claros; as folhas so elpticas, com pequenos pontos translcidos; as folhas no so caducas; as flores so brancasou violeta, em cacho. Reproduz-se por estacas de galhos, em solo arenoso e bem adubado, de preferncia em regies de clima quente ou temperado.
Propaga-se tambm por sementes, que requerem solo leve, frtil e bem arejado, em local com sol e protegido dos ventos. D frutodurante todo o ano. (apenas em algumas espcies isto no se verifica)
Os limes contm uma grande quantidade de cido ctrico, o que lhes confere um gosto cido, essa acidez chega a um pH de 2 a 3, em mdia.
Os limes e as limas servem-se regularmente como limonada, caipirinha ou como adorno para as bebidas alcolicas e/ou refrigerantes.
15
16
10. Escola E. B. 2,-3D. Paio Peres Correia 8A2009-10
Tangerinas
A vitamina C essencial para o sistema imunolgico. A vitamina A indispensvel para a sade dos olhos e da pele e aumenta a resistncia s infeces. As vitaminas do complexo B fortificam os nervos.
O ser humano precisa de magnsio, apresentando maior concentrao desse mineral nos ossos e msculos. Ele tem papel importante na sntese das protenas, na contractilidade muscular e na excitabilidade dos nervos.
laxativa, pois apresenta grande quantidade de fibras.
A riqueza de fibras da tangerina protege ainda de outras doenas como o cancro, diabetes, arteriosclerose, hipertenso e outras doenas cardiovasculares. O ch das folhas considerado popularmente como calmante.
Principais produtores
Dos frutos ctricos, em relao ao que produzido mundialmente sua produo corresponde a 16% da produo mundial anual (produo portuguesa).
Normalmente colhida entre os meses de Maio a Agosto.
A rvore de porte mdio, com espinhos nos galhos, como forma de proteco, com flores brancas e aromticas.
A casca possui concentraes elevadas de vitaminas A, B1, B2, Vitamina C, clcio e fsforo, podendo ser usada para fazer alguns doces e geleias.
Possui um formato arredondado mas achatada nos topos e, quando madura, apresenta uma casca de cor alaranjada.
A rvore que produz este fruto adapta-se em regies de climas tropical e subtropical, pois precisa de humidade para se desenvolver.
Possui um bom efeito diurtico, sendo bom tambm para o funcionamento do sistema digestivo.
17
18
11. Escola E. B. 2,-3D. Paio Peres Correia 8A2009-10
Noz
Frutos Secos
Fruto bastante nutritivo, rico em vitamina C e potssio. Quando so combinadas com leguminosas fornecem uma boa fonte de protenas. Pode comer-se como fruto de sobremesa ou ser preparada em doce.
Valor calrico: Cada 100 g contm 680 calorias.
Conservao e consumo: recomenda-se a sua compra em pequenas quantidades.
Provenincia no nosso pas: Centro litoral, Norte Alentejano e Algarve.
Desde tempos antigos que o valor nutritivo dos frutos secos como a amndoa, os figos, as nozes ou at as passas tem vindo a ter cada vez mais peso em dietas e em refeies equilibradas.
Amndoas, nozes, pinhes, amendoins, so apenas alguns dos mais concorridos frutos secos. So uma das melhores fontes de gorduras insaturadas e de sais minerais.
H que ter especial cuidado na conservao destes alimentos, dado criarem facilmente bolores, extremamente prejudiciais sade.
19
12. Escola E. B. 2,-3D. Paio Peres Correia 8A2009-10
Amndoas
A amendoeira assemelha-se ao pessegueiro, embora o seu porte o supere, e o tronco seja mais grosso. As flores so rseas e o fruto alongado, de casca dura e cor bege. A amndoa
No Algarve a Amendoeira encontrou condies climticas propcias ao seu desenvolvimento, encontrando-se no barrocal. So mltiplas as variedades cultivadas, desde a amndoa amarga a vrias amndoas doces, com diferentes graus de dureza de casca.A nossa amndoa, tal como acontece com outros frutos aqui produzidos tem um sabor muito especial, que levou desde sempre a que fosse a preferida dos mercados nacional e estrangeiro.
Os principais mercados importadores

Search related