Click here to load reader

Aula 01 Propriedades Periódicas.ppt

  • View
    843

  • Download
    3

Embed Size (px)

Text of Aula 01 Propriedades Periódicas.ppt

  • 1. Qumica Inorgnica

2. Periodicidade Qumica 3. Diagrama de Linus Pauling Nveis K 1 L 2 M 3 N 4 O 5 P 6 Q 71s 2s 3s 4s 5s 6s 7s 22p 3p 4p 5p 6p 7p3d 4d 5d 6d4f 5f6 10 14 Max. de e-e2 8 18 32 32 18 8 4. Distribuio Eletrnica - Linus Pauling Regras e princpios gerais para distribuio dos eltrons no tomo:1. Cada orbital poder conter no mximo 2 eltrons 2. O eltron, como qualquer sistema da natureza, tende a ocupar as posies de menor energia. 3. Princpios de Excluso de Pauling nenhum tomo pode conter eltrons com nmeros qunticos iguais. 4. Regra de Hund os orbitais so preenchidos parcialmente com eltrons do mesmo spin depois completados com eltrons de spins contrrios. 5. Orbitais e nmeros qunticos Os orbitais podem ser classificados em termos de energia para produzir um diagrama de Aufbau. 6. Orbitais pOrbital p 7. Orbitais d 8. Carga nuclear efetiva A carga nuclear efetiva a carga sofrida por um eltron em um tomo polieletrnico. menor que a carga nuclear Z, porque cada eltron externo est parcialmente protegido do ncleo pelos eltrons internos (Blindagem)Constante de Blindagem Depende do tipo de orbital: ef = SEltrons no mesmo nvel energtico so muito pouco protegidos pelos outros eltrons do mesmo nvel, porm so bastante protegidos pelos eltrons que se encontrem em nveis energticos inferiores. 9. Raio Atmico: o tamanho do tomo 10. Raio Atmico: o tamanho do tomo 11. Raio Atmico: o tamanho do tomo O efeito protetor ou a capacidade de blindagem dos eltrons seguem a seguinte ordem crescente de acordo com os orbitais ocupados: S p d f Devido a este fato os elementos de transio no possuem decrscimo to acentuado no raio, pois os eltrons ocupam os subnveis d e f e blindam muito mais.Nvel/Sub (n-1)dNvel/Sub (n-2)fContrao discreta do raio Contrao muito discreta do raio. Apenas 0,001nm de um tomo para outro. Contrao lantanidica. 12. Raio Inico Ctions nionsDiminuio do raio Aumento do raio 13. Raio Inico Hidratado Quanto menor for o on, maior ser o seu raio inico hidratado. formado quando o on atrai molculas de gua em torno de si.++Representao de uma molcula de gua (polar)Molcula de gua (polar)Ra Na > Ra Li Ri Na > Ri Li Rih Na < Rih Li 14. Raio Inico Hidratadoons metlicos ligados a molcula de gua so ditos hidratados. A energia para esse processo chamada de calor ou entalpia de hidratao. Para um caso de um solvente genrico, temos a entalpia de solvatao. 15. Energia de Ionizao a mnima energia necessria para remover um eltron de um tomo isolado no seu estado fundamental (gasoso). O processo um reao de ionizao:Fatores que influenciam: O tamanho do tomo A carga do ncleo Efeito de blindagem O tipo de eltron envolvido (s, p, d ou f) 16. Energia de Ionizao 17. Energia de Ionizao Variaes nas energias de ionizao sucessivas H um acentuado aumento na energia de ionizao quando um eltron mais interno removido. 18. Afinidade Eletrnica ou Eletroafinidade Energia liberada quando um tomo isolado, no estado gasoso, captura um eltron.Fatores que influenciam: O tamanho do tomo A carga nuclear efetiva 19. Ciclo de Born-Haber 20. Importncia da Energia Reticular Determinar a afinidade eletrnica atravs do ciclo de BornHaber Uma indicao da solubilidade do cristal Fornecer informaes sobre a natureza da ligao qumica 21. Clulas Galvnicas Clulas galvnicas (voltaica) Espontneaddp: tendncia dos ddp: tendncia dos eltrons fluirem do eltrons fluirem do nodo para o ctodo nodo para o ctodo1,10 V 1,10 Vddp >>00 ddp ponte salinanodoCtodo Superfcie porosaoxidao oxidaoreduo reduoEquao da reao:Notao simplificada:Zn(s)Zn2+(aq)Oxidao OxidaoCu2+(aq)Cu(s)Reduo Reduo 22. Eletrlise 23. Eletrlise gnea A substncia pura est no estado lquido (fundida) e no existe gua no sistema 24. Eletrlise em Meio Aquoso Deve-se considerar os ons provenientes do soluto e os ons provenientes da ionizao da gua 25. Eletrlise em Meio Aquoso 26. Eletrlise em Meio Aquoso

Search related