Click here to load reader

UNIVERSIDADE SO JUDAS TADEU (USJT) · PDF file Entre as muitas horas a fio decorando tabuadas e escrevendo em um caderno de caligrafia, exercício justificado inúmeras vezes pela

  • View
    1

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of UNIVERSIDADE SO JUDAS TADEU (USJT) · PDF file Entre as muitas horas a fio decorando tabuadas...

  • UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU (USJT)

    PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO-SENSU

    MESTRADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA

    EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR NO PERÍODO DA DITADURA MILITAR EM

    JUNDIAÍ- SP (1964-1985)

    AUTOR: WESLEY BATISTA ARAÚJO

    ORIENTADORA: PROFa. DRa. SHEILA AP. PEREIRA DOS SANTOS SILVA

    SÃO PAULO

    2011

    1

  • WESLEY BATISTA ARAÚJO

    EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR NO PERÍODO DA DITADURA MILITAR EM

    JUNDIAÍ- SP (1964-1985)

    Dissertação apresentada à banca examinadora

    como exigência parcial para obtenção do título de

    Mestre em Educação Física pela Universidade São

    Judas Tadeu, sob orientação da Profa. Dra. Sheila

    Aparecida Pereira dos Santos Silva.

    SÃO PAULO

    2011

    2

  • Araújo, Wesley Batista

    Educação física escolar no período da ditadura militar em Jundiaí-SP / Wesley Batista Araújo. - São Paulo, 2011.

    135 f. ; 30 cm

    Orientador: Sheila Aparecida Pereira dos Santos Silva Dissertação (mestrado) – Universidade São Judas Tadeu, São Paulo, 2011.

    1. Educação fisica para crianças. 2. Professores. 3. Ditadura e ditadores. I.

    Silva, Sheila Aparecida Pereira dos Santos. II. Universidade São Judas Tadeu, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação Física. III. Título CDD – 613.7042

    Ficha catalográfica: Elizangela L. de Almeida Ribeiro - CRB 8/6878

    3

  • AGRADECIMENTOS

    Agradeço aos professores que compartilharam comigo suas experiências

    pedagógicas e contribuíram muito para a concepção deste trabalho.

    Aos professores da Universidade São Judas que contribuíram para que os meus

    horizontes fossem ampliados.

    Ao professor Edivaldo que começou comigo esse estudo.

    Aos professores e professoras por mim entrevistados, que além do excelente

    acolhimento, compartilharam de forma intensa suas experiências do cotidiano

    pedagógico.

    Aos professores Hugo Lovisolo e Sheila Ap. Pereira dos Santos Silva pelas

    imensas contribuições no exame de qualificação.

    A minha professora-orientadora Sheila que soube como poucos administrar

    minhas angústias no final dessa caminhada e contribuir imensamente na construção

    deste trabalho.

    Aos meus colegas que estiveram comigo no curso. Sem dúvida as nuances deste

    trabalho não seriam possíveis sem as discussões, tensões e conflitos surgidos durante os

    estudos.

    À Roberta, amiga que fiz no mestrado e companheira de trabalho pedagógico no

    serviço público.

    À Simone, muito mais que amiga, uma incansável guerreira, que com sua

    incandescente sapiência soube partilhar conosco um pouco de suas experiências.

    Ao Hugo, meu grande parceiro intelectual. Graças a ele nossas refeições foram

    recheadas de muitas questões filosóficas.

    À minha querida amiga Carina, parceira incansável de luta por legitimidade da

    Educação Física escolar, pelo prazer das nossas discussões.

    Ao grande pai que tenho, que mesmo não sabendo ao certo do que se tratavam as

    minhas escolhas, apoiou com afinco aquilo que me propus a fazer. Sem dúvida este

    trabalho só foi possível graças a ele.

    Agradeço a minha amada mãe, sempre atenciosa e preocupada com tudo aquilo

    que me afligia, soube com sábias palavras, atitudes de carinho e respeito fazer dessa

    dura caminhada algo mais ameno. Tenho orgulho de ser seu filho minha mãe!

    Agradeço a minha eterna companheira Mariana, que soube como ninguém ouvir

    e confortar-me, mesmo quando discordava das minhas atitudes e pontos de vista ela

    4

  • soube com muita sutileza me indicar os caminhos a serem percorridos. Sou grato por tê-

    la conhecido!

    E por fim agradeço a minha princesinha Nicole, que em meados de 2010 veio a

    abrilhantar a família que tanto amo, e tudo devo.

    5

  • “DEDICO ESSES ESCRITOS AOS

    MILHARES DE PROFESSORES DAS

    ESCOLAS PÚBLICAS DESTE PAÍS, QUE

    LUTAM DENTRO DAQUILO QUE É

    POSSÍVEL, PARA MUDAR O CENÁRIO DA

    EDUCAÇÃO”

    6

  • RESUMO

    Diante das nossas experiências vividas e duma história contada pela literatura

    especializada, que concebe a Educação Física (EF) em diferentes momentos históricos

    como preponderante nos planos do Estado e da classe dominante na concepção de

    sociedade vislumbrada, nos propusemos a investigar as nuances dessa história que

    comumente ignora os professores de EF como agente do processo de construção desta

    área do conhecimento. A forma determinista como tal literatura aborda o período em

    questão, como se o modo de produção fosse capaz de determinar todas as ações

    daqueles indivíduos, enquadrando-os num sistema causa-efeito em que o sujeito pouco

    pode controlar os rumos de seus atos, nos levou a erigir uma hipótese alicerçada na

    vivencia pedagógica dos professores, ou seja, a EF, como área profissional,

    aproximava-se, e ao mesmo tempo, afastava-se da visão estatal. Suas posições eram

    determinadas não por forças exclusivas de um governo autoritário, mas também pela

    perspectiva individual dos professores pela mudança de cenário da Educação Física

    escolar (EFE). Diante disso, para alcançarmos o objetivo do estudo nos valemos da

    metodologia proposta pelo historiador Paul Thompson, a história oral. Além disso,

    também nos propusemos a analisar as leis e decretos promulgados na época, além do

    currículo formal da única Faculdade de EF criada no período na cidade de Jundiaí, haja

    vista o contexto das nossas investigações e o diálogo continuo que procuramos manter

    com a literatura especializada. Sendo assim, apoiamos a análise dos depoimentos no

    conceito de experiência de E.P. Thompson, e pudemos perceber o quanto a história é

    mais nuançada, e apesar de, o esporte ter sido conteúdo hegemônico dos professores por

    nós entrevistados, não podemos confirmar que isso se deu por uma imposição cultural

    que tinha a EFE o cerne das aspirações estatais. Isso porque como evidenciamos, os

    professores procuraram no fenômeno esportivo uma forma de legitimidade social. Além

    disso, as singularidades no trato pedagógico dado pelos professores nos mostraram

    como cada sujeito, a seu modo, lida com aquilo que lhe é determinado e às vezes age

    sobre a determinação, dentro de certos limites. Por fim, podemos afirmar que a prática

    pedagógica desses professores não foi determinada por um governo mancomunado com

    a classe dominante a fim de incutir os valores que os interessavam. Apesar de

    admitirmos as ações ideológicas no período, pensamos que o professor diante de seus

    condicionantes históricos agia perante aquilo que lhe foi proposto e foi ativo no

    processo de consolidação da EFE.

    Palavras chave: educação física escolar; professores; ditadura militar.

    7

  • ABSTRACT

    Given our past experiences and a story told by the specialized literature, which sees the

    Physical Education (PE) at different times as prevalent in the plans of state and ruling

    class of society envisioned in the design, we decided to investigate the nuances of the

    story that often ignores teachers PE as agents of the construction of this knowledge area.

    The deterministic manner such as literature deals with the period in question, as if the

    mode of production were able to determine all the actions of those individuals, fitting

    them into a system of cause and effect in which the little guy can control the direction of

    their acts, in led to erect a hypothesis based on teachers' educational experiences, or PE,

    as a professional area, approached, and at the same time, distanced himself from the

    view state. Their positions were not determined by unique strengths of an authoritarian

    government, but also from the viewpoint of individual teachers for the changing

    landscape of School Physical education (SPE). Before that, to achieve the goal of the

    study we use the methodology proposed by the historian Paul Thompson, oral history.

    In addition, we also proposed to examine the laws and decrees issued in the period

    beyond the formal curriculum of the School of PE only created in the period in Jundiaí,

    given the context of our investigations and we seek to maintain continuous dialogue

    with the literature. Therefore, we support the analysis of statements on the concept of

    experience of EP Thompson, and we could see how the story is more nuanced, and

    although the sport has been hegemonic content of teachers we interviewed, we can not

    confirm that this occurred by a cultural imposition that was in the heart of the

    aspirations SPE state. That's because as we noted, the professors looked at the

    phenomenon of sports a way of seeking social legitimacy. Moreover, the peculiarities in

    the pedagogic