Click here to load reader

TABELA PERIÓDICA Propriedades Periódicas e Aperiódicas Prof. Alexandre Lima

  • View
    221

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of TABELA PERIÓDICA Propriedades Periódicas e Aperiódicas Prof. Alexandre Lima

  • TABELA PERIDICAPropriedades Peridicas e AperidicasProf. Alexandre Lima

  • Propriedades PeridicasSo propriedades que variam periodicamente e atingem valores mximos e mnimos em colunas bem determinadas. Por exemplo:Raio atmicoEnergia de ionizaoDensidade

  • Propriedades AperidicasSo aquelas que vo sempre aumentando ou diminuindo medida que crescem os nmeros atmicos.Por exemplo:A masssa atmicaO calor especficoA quantidade de raias no espectro de raios - X

  • Raio Atmico impossvel determinar o tamanho exato de um tomo isolado, um dos recursos medir atravs dos raios X, a distncia internuclear.

  • Raio Atmico

    Se o elemento um metal, o raio atmico a metade da distncia entre os centros de tomos vizinhos em uma amostra slida;Se o elemento um no metal ou um metalide, usa-se a distncia entre os ncleos de tomos unidos por uma ligao qumica raio covalente;Se o elemento um gs nobre usa-se o raio de Van der Waals, que a metade da distncia entre os centros de tomos vizinhos em uma amostra do gs slido;O raio de Van der Waals sempre muito maior do que o raio covalente.

  • Raio AtmicoPodemos prever o raio atmico apenas observando a posio dos elementos na tabela peridica:Elementos de uma mesma famlia tm seus elementos preenchendo maior nmero de camadas se observarmos de cima para baixo. Ora, quanto maior a quantidade de camadas, maior o raio atmico.

  • Raio Atmico

  • Raio Atmico

  • Raio Atmico

    Carga nuclear efetiva (Zef) Zef= Z onde:Z = carga nuclear real (noatmico) o efeito de blindagem

  • Raio Atmico

  • Raio Atmico

  • Raio Atmico

  • Raio inico

    Raio inico de um elemento a sua parte da distncia entre ons vizinhos em um slido inico. Em outras palavras, a distncia entre os centros de um ction e um nion vizinhos a soma dos dois raios inicos.

  • Raio inico

    Os raios inicos geralmente crescem com o valor de n em um grupo e decrescem da esquerda para a direita em um perodo. Os ctions so menores e os nions so maiores do que os tomos originais.

  • Raio inico

    Os ctions so menores que os tomos originais pois para form-lo, os tomos perdem um ou mais eltrons J o nion maior devido ao aumento da repulso eletrnica.

  • Energia de ionizao (I) a energia necessria para remover um eltron de um tomo na fase gasosa.

  • Energia de ionizao (I)

  • Energia de ionizao (I)

  • Energia de ionizao (I)

  • Energia de ionizao (I)

    A primeira energia de ionizao geralmente decresce em um grupo. Com poucas excees a primeira energia de ionizao aumenta da esquerda para a direita no perodo e cai para valores mais baixos no incio do perodo seguinte.

  • Energia de ionizao (I)

  • Energia de ionizao (I)

    O eltron mais externo mais facilmente removido ao descermos em um grupo. medida que o tomo aumenta, torna-se mais fcil remover um eltron do orbital mais volumoso.Geralmente a energia de ionizao aumenta ao longo do perodo. Ao longo de um perodo, Zef aumenta. Consequentemente, fica mais difcil remover um eltron.Existem duas excees: a remoo do primeiro eltron p e a remoo do quarto eltron p.

  • Excees da energia de ionizao

    Os eltrons s so mais eficazes na proteo do que os eltrons p. Conseqentemente, a formao de s2p0 se torna mais favorvel.Quando um segundo eltron colocado em um orbital p, aumenta a repulso eltron-eltron. Quando esse eltron removido, a configurao s2p3 resultante mais estvel do que a configurao inicial s2p4. Portanto, h uma diminuio na energia de ionizao.

  • Afinidade Eletrnica EaeDefinio Convencional: Eletroafinidade a energia liberada quando um eltron recebido por um tomo no estado gasoso e fundamental.X(g) + 1e- X- (g) H = Eletroafinidade (H < 0)Definio Moderna: Eletroafinidade a energiamnima necessria para remover um eltron de umnion monovalente no estado gasoso.X-(g) X(g) + 1e- H = Eletroafinidade ( H > 0)

  • Afinidade Eletrnica EaePara analisar a eletroafinidade, ser utilizada a definio atual desta propriedade, e assim quando quisermos avaliar a eletroafinidade de um elemento X deveremos medir a energia gasta na retirada de um eltron do nion X-.

  • Afinidade Eletrnica Eae

  • Afinidade Eletrnica EaePara a eletroafinidade ocorre uma anomalia no comportamento esperado, quando se comparam as eletroafinidades dos elementos do 2 perodo com os elementos do mesmo grupo, porm, do 3 perodo.O que ocorre que no segundo perodo os tomos so muito pequenos, e a acomodao de mais um eltron em sua eletrosfera no to fcil como nos do 3 perodo. A repulso intereletrnica para os tomos do 2 perodo to intensa que mesmo o ltimo eltron estando bem prximo do ncleo, sua retirada facilitada.

  • ELETRONEGATIVIDADE a medida da capacidade que um determinado tomo tem em atrair o eltron de outro tomo para sua eletrosfera quando participante de uma ligao qumica.Mede a atrao que o ncleo exerce sobre o par eletrnico de uma ligao qumica.Nota-se que quanto menor o raio atmico, maior ser esse poder de atrao. Essa caracterstica, "eletronegatividade", ser mais bem entendida quando do estudo das ligaes qumicas.

  • ELETRONEGATIVIDADE

  • Resumo

  • Relaes diagonais

    As relaes diagonais so semelhanas de propriedades entre vizinhos diagonais nos grupos principais da tabela peridica.

    A relao diagonal deve-se em parte s caractersticas de raio atmico e energia de ionizao desses elementos.

  • Relaes diagonais

    Exemplo de relao diagonal

    O boro (acima) e o silcio (abaixo), possuem uma relao diagonal. Ambos so slidos brilhantes, com alto ponto de fuso. Possuem ainda vrias semelhanas qumicas.

Search related