Click here to load reader

Suplemento construcao civil

  • View
    540

  • Download
    3

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Manual Construção Civil - FIESP

Text of Suplemento construcao civil

  • 1. Dicas de Segurana no Canteiro de Obras INDSTRIA DA CONSTRUO CIVIL EDIFICAES Coleo Manuais | 2008

2. pgina1 DSST Diviso de Sade e Segurana no Trabalho Este suplemento parte integrante do Manual de Segurana e Sade no Trabalho: Indstria da Construo Civil Edificaes. So Paulo: SESI, 2008. As referncias deste trabalho podem ser consultadas no Centro de Documentao e Informao CDI Tel.: (11) 3834-0664 / (11) 3834-9102 e-mail:[email protected] [email protected] INSTALAES ELTRICAS O trabalho deve ser realizado por profissional qualificado e supervisionado por profissional legalmente habilitado; O quadro de fora principal, a distribuio, as tomadas e os comandos devem ter proteo contra intempries; A fiao eltrica enterrada deve ser protegida por placas de concreto ou eletrodutos, ter sinalizao de advertncia e ser mantida distncia mnima de 1,50m das escavaes; O fusvel, a chave e o disjuntor devem ser compatveis com o circuito. No substituir por dispositivo improvisado ou por fusvel de capacidade superior, sem a correspondente troca de fiao; Usar o conjunto plugue e tomada para ligar mquinas e equipamentos eltricos mveis; Aterrar estruturas e carcaas de equipamentos eltricos. | 3. pginas2e3 ALMOXARIFADO Deve ser instalado em local que facilite a recepo dos materiais e a distribuio pelo canteiro; Manter limpo, organizado e identificado, de modo a no prejudicar o trnsito de pessoas, a circulao de materiais e o acesso aos equipamentos de combate ao incndio; Manter os materiais com facilidade de acesso e manuseio; Os materiais txicos, corrosivos, inflamveis e explosivos, devem ser identificados e separados por compatibilidade qumica. Devem ser armazenados em local isolado e sinalizados. ORGANIZAO E LIMPEZA O canteiro organizado propicia: Otimizao dos trabalhos; Reduo das distncias entre estocagem e emprego do material; Reduo dos fatores de risco de acidentes. Para o bom aproveitamento da rea dos canteiros, importante: Manter materiais armazenados em locais pr-estabelecidos, demarcados e cobertos, quando necessrio; Desobstruir as vias de circulao, passagens e escadarias; Coletar e remover regularmente entulhos e sobras de material, inclusive das plataformas; Utilizar equipamentos mecnicos ou calhas fechadas, para a remoo de entulhos em diferentes nveis; Utilizar capacete, luvas, mscara descartvel e calado de segurana para a remoo de entulhos, sobra de materiais e limpeza do canteiro; Evitar poeira excessiva e riscos de acidentes durante a remoo. |manualdeseguranaesadenotrabalho|indstriadaconstruociviledificaes|SUPLEMENTO| 4. pginas4e5 CONCRETAGEM Verificar previamente, na operao do vibrador, a existncia da dupla isolao, instalaes eltricas adequadas potncia do equipamento, cabos protegidos contra choques mecnicos e cortes; Inspecionar o escoramento e a resistncia das formas, por profissional habilitado, antes de iniciar as atividades de lanamento e vibrao de concreto; Promover revezamentos freqentes de atividades entre os trabalhadores que transportam o mangote, com os demais trabalhadores envolvidos na tarefa de concretagem; Inspecionar as conexes dos dutos transportadores previamente utilizao. ESCAVAES DE VALAS E POOS Identificar previamente a existncia de galerias, canalizaes e cabos eltricos; bem como os eventuais riscos com emanaes de gases; Inspecionar diariamente o escoramento do talude; Delimitar as reas de escavaes com fitas zebradas e cavaletes, proibindo o trfego de veculos; Quando houver trnsito sobre a escavao, instalar passarelas de largura mnima de 0,60m, protegidas por guarda-corpos; Depositar os materiais retirados da escavao em distncia superior metade da profundidade medida a partir da borda do tubulo; Viabilizar ventilao mecnica, com ar filtrado, no local da escavao; Na interrupo do servio, manter cobertos os tubules, com material resistente; Tornar obrigatrio o uso de cinturo de segurana, dupla trava de segurana no sarilho e cabo de fibra sinttica para iamento do trabalhador, em caso de emergncia; Instalar escadas ou rampas para abandono rpido do local; Promover revezamento de atividades entre os poceiros a cada hora trabalhada; Elaborar procedimento para resgate, disponibilizar equipamentos e ministrar treinamento para todos os envolvidos, com simulao de emergncia. |manualdeseguranaesadenotrabalho|indstriadaconstruociviledificaes|SUPLEMENTO| 5. pginas6e7 PLATAFORMAS Instalar plataforma principal de proteo em todo o permetro, a partir da primeira laje, em edificaes com mais de quatro pavimentos; Instalar plataformas intermedirias a cada trs pavimentos, retirando somente aps o fechamento da periferia dos pavimentos; Instalar a tela entre as extremidades de duas plataformas de proteo consecutivas, retirando-a somente depois de concludo o fechamento da periferia at a plataforma imediatamente superior; Retirar periodicamente o entulho das plataformas; Restringir o comprimento do talabarte do cinturo de segurana tipo pra-quedista ao ponto de ancoragem, para no ultrapassar o limite da edificao (periferia); Instalar, conforme projeto, dispositivos destinados ancoragem e sustentao dos andaimes dos cabos de segurana para uso de proteo individual em edificaes com altura superior a 12m, a partir do trreo. RECORTE DE PAREDES E REVESTIMENTO CERMICO Realizar os recortes em local aberto, com o vento a favor do trabalhador; Priorizar cortes em via mida para evitar a propagao da poeira; Utilizar o riscador para recortes de revestimento cermico e/ou equipamento para aspirao de poeira em locais fechados; Realizar a operao de recorte das peas com serra mrmore ou riscador, apoiada na bancada, visando minimizar a adoo de posturas inadequadas e risco de acidentes. |manualdeseguranaesadenotrabalho|indstriadaconstruociviledificaes|SUPLEMENTO| 6. pginas8e9 POO DO ELEVADOR Manter as protees nas aberturas dos poos dos elevadores, mesmo durante a execuo das atividades nos vos; Proibir atividades prximas aos halls dos elevadores que possam provocar a queda de materiais nas aberturas dos poos dos elevadores; Instalar fechamento provisrio em material resistente e seguramente fixado estrutura nos vos de acesso ao poo dos elevadores. Orientaes para remoo das ferragens do poo do elevador: Iniciar a remoo das ferragens dos pavimentos superiores para os inferiores; Fornecer e tornar obrigatrio o uso do cinturo de segurana, fixado ao trava-queda, que dever estar preso ao cabo de fibra sinttica, afixado ao teto do poo do elevador; Utilizar capacete de segurana, culos de proteo ou protetor facial, respirador contra poeira, protetor auditivo e luvas de raspa no uso da esmerilhadeira; Instalar nas entradas dos poos dos elevadores cartazes para informar a existncia de trabalhadores realizando atividades no local. ANDAIME TUBULAR Instalar andaimes em montantes apoiados em sapatas sobre solo resistente, com guarda-corpo (1,20m) e rodap (0,20m), com toda a superfcie de trabalho isenta de salincias ou depresses, e com travamento que no permita seu deslocamento ou desencaixe; Providenciar a fixao e sustentao dos andaimes somente por profissional legalmente habilitado; Montar os andaimes com material antiderrapante, forrao completa e nivelada e fix-los de forma segura e resistente; Utilizar o andaime mvel somente em superfcies planas, com travas nos rodzios e somente desloc-lo sem pessoas ou materiais na plataforma; Utilizar o cinturo de segurana, tipo pra-quedista, em altura superior a 2 metros, preso ao trava-queda com cabo de fibra sinttica independente. |manualdeseguranaesadenotrabalho|indstriadaconstruociviledificaes|SUPLEMENTO| 7. pginas10e11 BATE ESTACA Manter o pilo no solo quando no estiver em operao; Usar cinturo de segurana, tipo pra-quedista, preso ao trava queda em cabo independente, ao posicionar a estaca no capacete do pilo; Isolar a rea de operao, durante o posicionamento da estaca no capacete; Utilizar protetor auditivo, luvas de raspa, bota de borracha ou de couro, vestimenta e, na operao de soldagem dos anis, usar mscara de solda, avental, luva e mangote de raspa. SERRA CIRCULAR Instalar coifa protetora com alavanca de regulagem, cutelo divisor, proteo no sistema de transmisso de fora e no dispositivo de acionamento; Disponibilizar caixa coletora de serragem e sistema de coleta de poeira de madeira; O trabalhador deve utilizar dispositivo empurrador para serrar peas de tamanho reduzido, de modo a afastar as mos do ponto de corte; Afixar na carpintaria a relao dos trabalhadores autorizados a operar a serra circular; O trabalhador dever utilizar capacete, protetor facial, protetor auditivo, luvas de raspa, respirador descartvel, avental e calado de segurana. |manualdeseguranaesadenotrabalho|indstriadaconstruociviledificaes|SUPLEMENTO| 8. pginas12e13 TRANSPORTE DE CARGA COM CARRINHOS MANUAIS A rampa porttil permite acesso do carrinho carroceria do caminho, evitando o transporte manual de carga. Os carrinhos para transporte de materiais devem ter rodas adequadas ao piso e sistema de trava a ser utilizado em piso desnivelado. Devem ser mantidos, preventivamente, com engraxe das roldanas e calibrao dos pneus. LEVANTAMENTO E TRANSPORTE DE CARGAS No levantamento manual, agachar prximo carga mantendo a coluna ereta, os ps afastados e a carga prxima ao tronco para que a fora seja realizada pelas pernas. Usar dois ou mais trabalhadores para transportar cargas com peso superior a 23kg. |manualdeseguranaesadenotrabalho|indstriadaconstruociviledificaes|SUPLEMENTO| 9. pginas14e15 EQUIPAMENTO DE PROTEO INDIVIDUAL Cabe empresa: Adquirir os EPI adequados a cada tarefa, com Certificado de Aprovao CA, expedido pelo Ministrio do Trabalho e Emprego MTE e fornecer gratuitamente aos trabalhadores; Orientar e treinar periodicamente os trabalhadores para o uso, guarda e conservao dos EPI; Substituir imediatamente quando estiverem desgastados, danificados ou extraviados. Cabe ao trabalhador: Utilizar os EPI necessrios de acordo com a tarefa a ser realizada; Zelar pela sua guarda, limpeza e conservao; Solici