SISTEMAS DE INFORMA‡•ES EM SADE Ana Cristina dos Santos Ana Cristina dos Santos

  • View
    214

  • Download
    2

Embed Size (px)

Text of SISTEMAS DE INFORMA‡•ES EM SADE Ana Cristina dos Santos Ana Cristina dos Santos

  • SISTEMAS DE INFORMAES EM SADEAna Cristina dos Santos

  • SISTEMA DE INFORMAO EM SADEA OMS define Sistema de Informao em Sade (SIS) como um mecanismo de coleta, processamento, anlise e transmisso da informao necessria para se planejar, organizar, operar e avaliar os servios de sade.

  • SISTEMAS DE INFORMAO EM SADEINFORMAOINSTRUMENTOS PARA DETECO DE PRIORIDADESPLANEJAMENTOAESTRANSFORMAO DARELIDADE

  • Sistema de Informao em Sade SISOrganizao Mundial da Sade mecanismo de coleta, processamento, anlise e transmisso da informao necessria para se planejar, organizar, operar e avaliar os servios de sade. SITUAO ATUALPROCESSO DE TRANSFORMAOSITUAO FUTURASISTEMA DE INFORMAO EM SADE

  • As informaes geradas pelos Sistemas de Informaes em Sade (SIS) representa uma ferramenta essencial nos processos de organizao, avaliao, planejamento e tomada de decises, fornecendo elementos de ajuste e de avaliao da execuo dos Planos e Aes do Setor Sade, fundamentados nas premissas do Sistema nico de Sade (ROSA, )

  • Alm dos grandes bancos de dados gerados por atividades de outros setores: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatstica-IBGE, Instituto de Pesquisa Econmica Aplicada-IPEA, etc, o SIS composto por diferentes Sub-sistemas, que produzem dados referentes atividades setoriais em sade,gerando grandes bancos de dados nacionais, dos quais se destacam: SISTEMA DE INFORMAO EM SADE

  • SISTEMA DE INFORMAO EM SADE Alm do SIAB, outros sistemas de informao em sade so importantes como o Sistema de Informao de Mortalidade (SIM) que contm informaes sobre bitos gerais e bitos fetais, o Sistema de Informaes sobre Nascidos Vivos SINASC que contm informaes sobre as caractersticas dos nascidos vivos, das mes, da gestao e do parto, o Sistema de Informaes de Agravos Notificveis SINAN que visa o controle de algumas doenas e agravos de notificao compulsria com base em informaes sobre o nmero de casos segundo semanas epidemiolgicas.

  • SISTEMA DE INFORMAO EM SADESistema de Informaes Hospitalares SIH que contm informaes sobre as internaes hospitalares, o Sistema de Informaes Ambulatorial SIA contm informaes que agilizam os procedimentos de pagamento dos servios produzidos e permitem analisar o perfil da oferta de servios ambulatoriais, o Sistema de Vigilncia Alimentar e Nutricional SISVAN que contm informaes sobre o estado nutricional de crianas de zero a 7 anos e gestantes, Avaliao do Programa de Imunizaes API que contm informaes referentes s doses de vacinas aplicadas (www.datasus.gov.br).

  • SISTEMA DE INFORMAO EM SADEO Sistema de Informao Laboratorial do Programa Nacional de Combate ao Cncer de Colo Uterino (SISCOLO) utilizado para a entrada dos dados constantes na ficha de requisio de exame citopatolgico e histopatolgico; o Sistema de Informao do Cncer de Mulher (SISCAM) que permite obter o quantitativo de exames citopatolgicos crvico-vaginais; sendo que estes dados compem os indicadores do PAB (www.saude.gov.br).

  • SISTEMA DE INFORMAO EM SADEO Sistema de cadastramento e acompanhamento dos portadores de hipertenso arterial e diabetes, SIS Hiperdia, uma ferramenta til para profissionais da rede bsica e para gestores do SUS no enfrentamento destas doenas. O SIS Pr-Natal tem como finalidade permitir o acompanhamento adequado para as gestantes inseridas no Programa de Humanizao no Pr-Natal e Nascimento (PHPN)

  • Sistema de Informao sobre Mortalidade (SIM)

    Criado em 1975, foi o primeiro Sistema de Informaes em Sade. Esse sistema informatizado utiliza registros de um instrumento legal, a Declarao de bito (DO) para gerar informaes sobre as causas dos bitos e as caractersticas demogrficas e sociais dos bitos registrados. O registro do bito em cartrios de Registro Civil obrigatrio em todo o pas, inclusive para bitos fetais, e nenhum sepultamento pode ser realizado sem a declarao (certido) correspondente. Apesar disso, estima-se que exista sub-registro de at 20%, principalmente nas regies Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

  • Sistema de Informao sobre Mortalidade (SIM)

    No sistema, so registradas as identificaes do cartrio e do falecido (nome, filiao, data de nascimento e do bito, sexo, idade, estado civil, ocupao, grau de instruo, naturalidade, raa, cor, local de residncia), a descrio das causas do bito e o local da sua ocorrncia. Os bitos fetais e os de pessoas com menos de um ano de idade merecem destaque. Nesse caso, so tambm anotadas as condies de nascimento. Caso o bito seja por causa externa, requeridos que se identifique a intencionalidade (homicdio, suicdio ou acidente) e que se descrevam as circunstncias em que o mesmo ocorreu.

  • Sistema de Informaes sobre Nascidos Vivos (SINASC)

    O SINASC, implantado, de forma gradual, a partir de 1990, baseado na Declarao de Nascido Vivo (DN). A DN deve ser preenchida para todo nascido vivo no pas, entendido conforme o conceito da OMS como todo produto da concepo que, independentemente do tempo de gestao, depois de expulso ou extrado do corpo da me, respire ou apresente outro sinal de vida, tal como batimento cardaco, pulsao do cordo umbilical ou movimentos efetivos dos msculos de contrao voluntria, estando ou no desprendida a placenta.

    No caso de gravidez mltipla, devemos preencher uma DN para cada beb nascido vivo. O registro do nascimento em Cartrio de Registro Civil tambm obrigatrio em todo o territrio nacional.

  • Sistema de Informaes sobre Nascidos Vivos (SINASC)

    O sistema registra dados sobre as condies/caractersticas da criana ao nascimento (sexo, raa/cor, peso ao nascer, ndice de apagar), sobre a gestao (durao da gravidez, tipo de gravidez e nmero de consultas pr-natais) e o parto (data e hora do nascimento, tipo de parto), o local de nascimento (se domiciliar, hospitalar ou outro) e as caractersticas/situao da me (idade, escolaridade, nmero de filhos vivos/mortos). Apesar da tendncia de melhoria do preenchimento desse documento, existe ainda um elevado nmero de campos preenchidos como ignorado. Essas informaes so importantes para o planejamento e para as aes mais adequadas s necessidades da assistncia pr-natal, ao parto e ao recm-nascido

  • Sistema de Informao sobre Agravos de Notificao (SINAN)

    Criado em 1990 e implantado a partir de 1993 em todo o territrio nacional, tem como objetivo racionalizar o processo de coleta e transferncia de dados referentes a doenas e agravos de notificao compulsria. Assim como outros sistemas, tambm o SINAN possui carter universal e responde a uma imposio legal sobre a obrigatoriedade de notificao de algumas doenas e agravos.

  • Doenas de Notificao CompulsriaBotulismo Carbnculo ou Antraz Clera Coqueluche Dengue Difteria Doena de Creutzfeldt-Jacob Doena de Chagas (casos agudos) Doena Meningoccica e outras meningites Esquistossomose (em rea no endmica) Eventos Adversos Ps-Vacinao Febre Amarela Febre do Nilo Ocidental Febre Maculosa Febre Tifide Hansenase Hantaviroses Hepatites Virais

  • Doenas de Notificao CompulsriaInfeco pelo vrus da Imunodeficincia Adquirida Humana (HIV) em gestantes e crianas expostas ao risco de transmisso vertical Influenza Humana por novo subtipo (pandmico) Leishmaniose Tegumentar Americana Leishmaniose Visceral Leptospirose Malria Meningite por Haemophilus influenzae Peste Poliomielite Paralisia Flcida Aguda Raiva Humana Rubola Sarampo Sfilis Congnita Sfilis em gestante Sndrome da Rubola Congnita Sndrome da Imunodeficincia Adquirida (Aids) Sndrome Febril ctero-hemorrgica Aguda Sndrome Respiratria Aguda Grave Ttano Tularemia Tuberculose Varola

  • Sistema de Informaes Hospitalares do SUS (SIH/SUS)

    Em 1991, depois da promulgao da lei 8.080, o extinto Inamps implantou no mbito nacional o Sistema de Assistncia Mdico-Hospitalar da Previdncia Social e o seu documento principal de coleta de dados, a Autorizao de Internao Hospitalar (AIH) em todas as redes prprias, filantrpicas e privadas. O sistema, que tem o controle do faturamento como objetivo principal, passou a ser uma importante fonte de dados, com informaes sobre morbidade (enfermidades que requerem internao, codificadas atravs do Cdigo Internacional de Doenas (CID) disponvel no pas).Neste sistema so registradas informaes sobre o paciente (nome, endereo, data de nascimento e sexo); os procedimentos solicitados e autorizados (procedimentos clnicos, cirrgicos, obsttricos, diagnstico e teraputicos, alm de consultas mdicas); a data da internao; a data da sada; os diagnsticos principal e secundrio (causas de internao classificadas pelo CID) (e os dados sobre o hospital).

  • Sistema de Informaes Ambulatoriais do SUS (SIA/SUS)

    Implantado em todo territrio nacional em 1991, atravs da Norma Operacional Bsica 01/91, tem como principal finalidade o pagamento dos servios executada pela rede ambulatorial pblica e contratada vinculada ao SUS. Alm da finalidade financeira, o SIA/SUS permite avaliar a produo de servios de sade, o acompanhamento das programaes fsicas e oramentrias e das aes de sade produzidas, gerando instrumentos analticos de controle e avaliao do SUS. O sistema totalmente informatizado e tem acesso gil sua base de dados. No sistema, so registrados dados de identificao da unidade de sade e os procedimentos adotados (consulta, exames e especialidade mdica ou no-mdica).

  • SISTEMAS DE INFORMAO EM SADE - SIABO Sistema de Informao da Ateno Bsica (SIAB) foi implantado em 1998 e atualmente, para que o sistema se transforme, de fato, em um sistema que permita o monitoramento e favorea a avaliao da ateno bsica, o Departamento de Ateno Bsica/SAS em conjunto com o Departamento de Informao e Informtica do SUS/Datasus/SE vem investindo em sua reformulao, articulada com os demais sistemas de informao dos outros nveis de ateno.