Click here to load reader

Sem Lugar Para Se Esconder - Glenn Greenwald

  • View
    227

  • Download
    2

Embed Size (px)

Text of Sem Lugar Para Se Esconder - Glenn Greenwald

  • 5/21/2018 Sem Lugar Para Se Esconder - Glenn Greenwald

    1/269

  • 5/21/2018 Sem Lugar Para Se Esconder - Glenn Greenwald

    2/269

    S E M L U G A R

    P A R A S E

    E S C O N D E R

  • 5/21/2018 Sem Lugar Para Se Esconder - Glenn Greenwald

    3/269

  • 5/21/2018 Sem Lugar Para Se Esconder - Glenn Greenwald

    4/269

    Ttulo original: No Place to Hide

    Copyright 2014 por Glenn GreenwaldCopyright da traduo 2014 por GMT Editores Ltda.Publicado mediante acordo com a Metropolitan Books,uma diviso da Henry Holt and Company, LLC, Nova York.

    Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste livro pode ser

    utilizada ou reproduzida sob quaisquer meios existentes sem autorizaopor escrito dos editores.

    TRADUO: Fernanda Abreu

    PREPARO DE ORIGINAIS: Tas Monteiro

    REVISO: Hermnia Totti e Luis Amrico Costa

    DIAGRAMAO: Ana Paula Daudt Brando

    CAPA: David Shoemaker

    ADAPTAO DA CAPA: Miriam LernerADAPTAO PARA EBOOK: Marcelo Morais

    CIP-BRASIL. CATALOGAO NA PUBLICAOSINDICATO NACIONAL DOS EDITORES DE LIVROS, RJ.

    G831sGreenwald, Glenn,1967-

    Sem lugar

    para se esconder[recursoeletrnico] /Glenn Greenwald

  • 5/21/2018 Sem Lugar Para Se Esconder - Glenn Greenwald

    5/269

    FernandaAbreu]; Rio de

    Janeiro: Sextante,2014.recurso digitalTraduo de: No

    place to hideFormato:

    ePub

    Requisitos dosistema: AdobeDigital Editions

    Modo de

    acesso: WorldWide Web

    ISBN 978-85-

    431-0096-8

  • 5/21/2018 Sem Lugar Para Se Esconder - Glenn Greenwald

    6/269

    eletrnico)1. Jornalismo.

    2. Reportagensinvestigativas. 3.Reportagens ereprteres.

    4.Espionagem. 5.Livroseletrnicos. I.

    Ttulo.

    14-11493CDD: 070.43CDU: 070.4

    Todos os direitos reservados, no Brasil, porGMT Editores Ltda.Rua Voluntrios da Ptria, 45 Gr. 1.404Botafogo 22270-000 Rio de Janeiro RJTel.: (21) 2538-4100 Fax: (21) 2286-9244E-mail: [email protected]

    http://www.sextante.com.br/mailto:[email protected]
  • 5/21/2018 Sem Lugar Para Se Esconder - Glenn Greenwald

    7/269

    O governo dos Estados Unidos aperfeioou uma capacidade tecnolgica que nos permite monas mensagens transmitidas pelo ar (...). A qualquer momento, ela pode ser voltada conpopulao, e a capacidade de vigiar tudo conversas telefnicas, telegramas, qualquer coistamanha que nenhum americano teria mais privacidade alguma. No haveria onde se esconder.

    Senador Frank Church, presiden

    Comit Especial do Senado para Estudar Operaes do Go

    Relacionadas a Atividades de Inteligncia,

  • 5/21/2018 Sem Lugar Para Se Esconder - Glenn Greenwald

    8/269

    Este livro dedicado a todos aqueles que tentaramexpor os sistemas secretos de vigilncia

    em massa do governo dos Estados Unidos,e principalmente aos corajosos delatores que arriscaram

    a prpria liberdade para faz-lo.

  • 5/21/2018 Sem Lugar Para Se Esconder - Glenn Greenwald

    9/269

    I N T R O D U O

    No outono de 2005, sem muitas expectativas grandiosas, decidi criar um blog sobre polticapoca, eu mal sabia quanto essa deciso acabaria mudando a minha vida. Minha prinmotivao foi uma apreenso crescente em relao s teorias de poder radicais e extremistas adopelo governo dos Estados Unidos aps o 11 de Setembro, e eu esperava que escrever sobre questes fosse me possibilitar um impacto maior do que o proporcionado por minha carreiadvogado especializado em direito constitucional e direitos civis.

    Apenas sete semanas depois de lanado o blog, o New York Timessoltou uma bomba: segjornal, em 2001 o governo Bush tinha dado uma ordem secreta NSA a Agncia de Segur

    Nacional para espionar as comunicaes eletrnicas dos norte-americanos sem obter os mandexigidos pela legislao criminal vigente. Quando revelada, a espionagem j durava quatro ativera como alvo, no mnimo, muitos milhares de cidados do pas.

    O tema era uma convergncia perfeita entre minhas paixes e minha especialidade. O govtentou justificar o programa secreto da NSA evocando exatamente o tipo de teoria extremista de pexecutivo que havia me motivado a comear a escrever: a ideia de que a ameaa do terrorismo ao presidente autoridade praticamente ilimitada para fazer qualquer coisa de modo a garansegurana da nao, inclusive violar a lei. O debate subsequente envolvia questes comprelacionadas ao direito constitucional e interpretao dos estatutos que minha formao jurdicpermitia abordar com conhecimento de causa.

    Passei os dois anos seguintes cobrindo todos os aspectos do escndalo da espionagemautorizada da NSA, tanto no meu blog quanto em um livro lanado em 2006, que se tornou um seller. Minha posio era clara: ao ordenar uma vigilncia ilegal, o presidente havia cometido cre deveria ser responsabilizado por eles. No clima poltico cada vez mais opressivo e impregnadpatriotismo fantico do pas, esta se revelou uma posio muito controversa.

    Foi esse histrico que, muitos anos mais tarde, levou Edward Snowden a me escolher comprimeiro contato para revelar abusos cometidos pela NSA em escala ainda mais monumenta

    disse que acreditava poder conar em mim para entender os perigos da vigilncia em massa sigilo excessivo do Estado, e tambm para no recuar ante presses do governo e de seus maliados na mdia e em outras reas.

    O volume impressionante de documentos ultrassecretos que Snowden me transmitiu, bem comfortes emoes dos acontecimentos relacionados sua pessoa, gerou um interesse mundial inditoameaa da vigilncia eletrnica em massa e pelo valor da privacidade na era digital. Os problsubjacentes, porm, j vinham se agravando havia muitos anos, quase sempre em segredo.

    A polmica atual em relao NSA tem, sem dvida, muitos aspectos singulares. A tecnolog

    hoje possibilita um tipo de vigilncia onipresente, antes restrita aos mais criativos autores de cientca. Alm disso, a venerao dos Estados Unidos pela segurana acima de tudo, iniciada a

  • 5/21/2018 Sem Lugar Para Se Esconder - Glenn Greenwald

    10/269

    11 de Setembro, criou um ambiente particularmente propcio aos abusos de poder. Graas corde Snowden e relativa facilidade de copiar informaes digitais, temos a possibilidade niobservar em primeira mo os detalhes de como o sistema de vigilncia de fato funciona.

    Apesar disso, as questes levantadas pelo caso da NSA remetem, sob muitos aspectos, a divepisdios histricos ocorridos em sculos passados. Na verdade, a oposio invaso da privacpelo governo foi um fator decisivo para a fundao dos prprios Estados Unidos, quando conorte-americanos protestaram contra leis que permitiam aos agentes do governo britnico saq

    qualquer casa que quisessem. Os colonos concordavam que fosse legtimo o Estado obter mandespeccos para revistar pessoas quando os indcios estabelecessem uma causa provvel parainfraes. Mas os mandados genricos a prtica de submeter a populao inteira a reindiscriminadas eram fundamentalmente ilegtimos.

    A Quarta Emenda constitucional entronizou essa ideia no direito norte-americano. Seus teso claros e sucintos: O direito dos cidados segurana de sua pessoa, de suas casas, dedocumentos e de seus bens contra revistas e conscos no fundamentados no ser violado, e s emitidos mandados mediante causa provvel, sustentados por juramento ou declarao, edescrevam em pormenores o local a ser revistado e as pessoas ou coisas a serem conscadasobjetivo da emenda, acima de tudo, era abolir para sempre no pas o poder do governo de submos cidados a uma vigilncia generalizada e sem suspeita prvia.

    O desacordo relacionado vigilncia no sculo XVIII girava em torno de revistas domicilmas, medida que a tecnologia evoluiu, a vigilncia tambm evoluiu. Em meados do sculocom a expanso das ferrovias permitindo uma entrega de correio rpida e barata , a abeilegtima de toda a correspondncia pelo governo britnico provocou um forte escndalo no RUnido. Nas primeiras dcadas do sculo XX, o Escritrio de Investigao dos Estados Unidprecursor do atual FBI utilizava grampos, alm de monitorar correspondncias e usar informa

    para controlar quem se opusesse s polticas nacionais.Sejam quais forem as tcnicas envolvidas, a vigilncia em massa apresentou vrias caracter

    constantes ao longo da histria. Em primeiro lugar, so sempre os dissidentes e marginalizadpas que suportam o peso maior dessa vigilncia, o que leva aqueles que apoiam o governo, oque so simplesmente apticos, crena equivocada de que esto imunes. E a histria mostra qsimples existncia de um aparato de vigilncia em massa, seja ele usado da forma que for, porj basta para sufocar a dissidncia. Uma populao consciente de estar sendo vigiada logo se obediente e temerosa.

    Em meados dos anos 1970, uma investigao da espionagem domstica conduzida pelo FBI chocante descoberta de que a agncia havia rotulado meio milho de cidados norte-americcomo subversivos em potencial e espionava pessoas regularmente com base apenas em suas crpolticas. (A lista de alvos ia de Martin Luther King a John Lennon, do Movimento de LibeFeminina anticomunista Sociedade John Birch.) Mas a praga do abuso da vigilncia est lonser uma exclusividade da histria dos Estados Unidos. Pelo contrrio: ela a tentao universqualquer poder inescrupuloso. E em todos os casos o motivo sempre o mesmo: elimdissidncias e garantir a submisso.

    Assim, a vigilncia une governos cujas doutrinas polticas so notavelmente divergentes em o

    temas. Na virada para o sculo XX, tanto o Imprio Britnico quanto o Imprio Francs cri

  • 5/21/2018 Sem Lugar Para Se Esconder - Glenn Greenwald

    11/269

    departamentos especializados em monitoramento para lidar com a ameaa dos movimanticolonialistas. Aps a Segunda Guerra Mundial, o Ministrio da Segurana Estatal da AlemOriental, conhecido como Stasi, to

Search related