of 38/38
Revolução francesa Revolução francesa A Revolução Francesa é um dos A Revolução Francesa é um dos grandes acontecimentos históricos grandes acontecimentos históricos que marcaram a superação do que marcaram a superação do Feudalismo pelo Capitalismo e Feudalismo pelo Capitalismo e ascensão da burguesia no âmbito ascensão da burguesia no âmbito político francês. É político francês. É tradicionalmente utilizada para tradicionalmente utilizada para assinalar o inicio da Idade assinalar o inicio da Idade Contemporânea. Contemporânea.

Revolução francesa - HISTORIATIVA NET – Acompanhamento … · PPT file · Web view2010-07-31 · Revolução francesa A Revolução Francesa é um dos grandes acontecimentos

  • View
    214

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Revolução francesa - HISTORIATIVA NET – Acompanhamento … · PPT file · Web...

  • Revoluo francesa

    A Revoluo Francesa um dos grandes acontecimentos histricos que marcaram a superao do Feudalismo pelo Capitalismo e ascenso da burguesia no mbito poltico francs. tradicionalmente utilizada para assinalar o inicio da Idade Contempornea.

  • Causas da Revoluo

    No sculo XVIII, a Frana viveu um perodo de grande prosperidade, embora sua economia encontrasse predominantemente agrcola, a maior parte da populao vivia no campo.

    A prosperidade chegou ao fim por volta de 1778, quando uma crise comeou a tornar evidente a precariedade da organizao administrativa, poltica financeira, econmica e social do pas.
    Desde 1774 o pas era governado por Lus XVI, distante dos interesses da populao ele governava o pas bem distante, no palcio de Versalhes. Para manter o luxo do palcio e de seus membros eram cobrados vultosos impostos da populao mais pobre e assim a insatisfao era crescente.
  • As desigualdades sociais e polticas tinham como causa um conjunto de fatores. Primeiramente, a sociedade estava dividida em trs estados: o clero, a nobreza e o povo.

    Os dois primeiros mantinham privilgios da poca feudal como o direito de cobrar imposto. Alm disso, eram isentos do pagamento de diversos tributos, ao contrario do povo que no tinha direito algum.

    Outro fator muito importante era a dificuldade de romper com o a economia agrria e programar a economia industrial, por causa dos grandes dficits provocados pelos gastos excessivos.
  • Uma dvida que recorrente quando falamos em sociedade dividida em ordens como classificar o terceiro estado. Quais eram as pessoas que compunham esse Estado?O terceiro estado (povo) era formado pela a maioria da populao Francesa que reunia diferentes grupos sociais. Alta Burguesia : Formada por banqueiros, empresrios e poderosos comerciantes; Baixa Burguesia : Formada por profissionais liberais e mdios comerciantes;Sans-culotte : Camada social urbana composta por artesos,aprendizes de oficio,assalariados e desempregados marginalizados; Camponeses : Eram os trabalhadores livres e semi-livres e os servos presos s obrigaes feudais.
  • O Estado Francs encontrava-se economicamente endividado devido principalmente:A m administrao em relao as finanas do Estados durante o reinado de Luis XVO endividamento causado pela Guerra dos Sete anos, em que a Frana sai derrotada.E aos emprstimos cedidos s colnias britnicas da Amrica do Norte, durante a Guerra de Independncia.

  • Revolta da Aristocracia ou dos Notveis (1787-1789).

    Lus XVI tenta realizar uma reforma tributria visando a superao da crise economica vivida pela Frana e pelo Estado.Para tanto ele tenta, sem sucesso, estender os impostos a nobreza e o clero.Os nobres no aceitam as propostas da Coroa, provocando revoltas em reas que exerciam influncia.O novo ministro, Necker, convenceu o rei a convocar a Assemblia dos Estados Gerais, em 1789.

  • Estados Gerais

    Os Estados Gerais eram uma espcie de parlamento, desativado desde 1614. Era formado por nmeros iguais de representantes dos trs estados.

  • O 3 estado pretende a votao por cabea por cabea e no mais por mais por classe como o proposto pela nobreza e pelo clero.O empasse resolvido com o 3 estado retirando-se da sesso sob protesto.Tem-se nesse momento a causa imediata da revoluo. O povo sai marchando para as ruas para dar inicio ao processo revolucionrio.

  • Uma vitria obtido pelo 3 estado foi a possibilidade de ampliar sua votao que passaria a ser proporcional a quantidade de pessoas que cada estado possua, possibilitando uma melhor organizao, sobretudo da burguesia para defender seus ideais.

  • 1 Fase- Assemblia Nacional Constituinte

    A revoluo apenas estava comeando...Aps a impossibilidade de conciliar os interesses entre as ordens a burguesia articula dentro do 3 estado a autoproclamao da

    Assemblia Nacional

    Constituinte , com a

    inteno de dar a Frana

    uma nova constituio.

  • Tomada da Bastilha

    Dia 14 de Julho de 1789, o povo sai as ruas e toma a bastilha.A bastilha era uma priso poltica e representava a dureza do Absolutismo.Caiu assim um dos smbolos do Absolutismo.

  • As revoltas se generalizam em toda a Frana, com atuao tambm dos camponeses , gerando o Grande Medo...A Assemblia abole com direitos feudais ainda existentes.Criao da Guarda Nacional, chefiada por Lafayette.

  • Realizaes da Assemblia

    Publicao da Declarao dos Direitos do Homem e do Cidado sintetizados em trs princpios: "Libert, Egalit, Fraternit" Representou a sntese do pensamento iluminista liberal e burgus, que excluia a sociedade de ordens e baseava-se na igualdade de todos perante a lei.

  • Confisco dos bens materiais da Igreja, nacionalizados, como forma de atenuar as dividas do Estado.Publicao da Constituio Civil do Clero, separando Igreja e Estado e transformando os clrigos em assalariados do governo, a quem deviam obedincia.Adoo de uma monarquia constitucional, limitando (mas no excluindo) o poder real. Pressionado pela opinio pblica, Lus XVI deixou Versalhes, estabelecendo-se no Palcio das Tulherias, em Paris (outubro de 1789).

  • Constituio de 1791

    Uma importante conquista burguesa nesse perodo foi a constituio de 1791.Foi implantada uma monarquia constitucional, isto , o rei perdia os seus poderes absolutos. A carta estabelecia uma clara separao entre os poderes Legislativo, Executivo e Judicirio, baseado nas idias de Montesquieu Concedia direitos civis completos aos cidados.

  • Em agosto de 1791, aps a tentativa frustrada de fuga da famlia real para a ustria, os pases que at ento apoiavam a Frana lanaram a Declarao de Pillnitz, que afirmava (e apoiava) a restaurao da monarquia francesa como um projeto de interesse comum a todos os Estados europeus.

  • A nobreza conservadora e o alto clero abandonaram a Frana, refugiando-se nos pases absolutistas, de onde conspiraram contra a revoluo.

  • 2 Fase- Monarquia Constitucional - 1791 a 1792

    dissolvida a Assemblia Nacional Constituinte.Marcadas eleies, so eleitos e empossados os membros da Assemblia Legislativa. Como vigora o voto censitrio (o eleitor vota mediante uma renda mnima) os deputados so representantes da burguesia e de tendncia moderada Formam-se na Assemblia Legislativa as tendncias polticas.

  • Comuna Insurrecional de Paris

    Em 1792, a Assemblia Legislativa aprovou uma declarao de guerra contra a ustriaEnquanto para a burguesia a guerra seria breve e vitoriosa, para o rei e a aristocracia seria a esperana de retorno ao velho regime

  • Portanto, o rei e a aristocracia no vacilaram em trair a Frana revolucionria.Lus XVI e Maria Antonieta foram presos, acusados de traio ao pas por colaborarem com os invasoresSob o comando de Danton, Robespierre e Marat, foram distribudas armas ao povo e foi organizada a Comuna Insurrecional de ParisA 20 de Setembro, aconteceu aquilo que parecia impossvel: as tropas revolucionrias, famintas, mal vestidas, mas alimentadas pelo ardor revolucionrio, derrotaram, ao som da Marselhesa (o hino da revoluo), a coalizo anti-francesa na Batalha de Valmy.

  • 3 Fase- Conveno Nacional

    A Assemblia Legislativa substituida pela Conveno Nacional, eleita por sufrgio universal.Fim da Monarquia Constitucional e proclamao da republica na Frana.

  • Formao dos partidos polticos

    Girondinos (direita): representantes da alta e mdia burguesia republicana, que assumem posies conservadoras com o objetivo de garantir a liberdade econmica e suas propriedades.Jacobinos (esquerda ou Montanha): Representam a pequena burguesia, camadas populares e Sans Cullotes. Seus principais lderes foram Marat, Danton e Robespierre.Pntano (centro): Caracterizam-se por conter indivduos de diversos tipos e por no possuirem definio poltica.

  • .

  • 1 Etapa- 1792 a 1793: governo da gironda Identificao com alta burguesia. A alta burguesia coloca-se contrria execuo do rei por acreditar que tal fato incendiaria ainda mais o processo revolucionrio, satisfazendo s massas e ameaando o seu poder. A posio da burguesia torna-se ntida: manter-se no poder sem aderir aos anseios populares. Por isso, em 1793 destituda pelos jacobinos, de tendncias populares.

  • 2 Etapa: 1793 a 1794 -Repblica JacobinaJulgamento e morte de Luiz XVI, guilhotinado. Logo depois, o mesmo ocorre com sua esposa Maria Antonieta.Vrios pases europeus, como a ustria, Prssia, Holanda, Espanha e Inglaterra, indignados e temendo que o exemplo francs se refletisse em seus territrios, formaram a Primeira Coligao contra a Frana

  • Os membros da Gironda foram expulsos da conveno deixando uma triste herana: inflao, carestia e avano da contra-revoluo, tudo isso agravado pela guerra no plano externo. Marat, Hbert, Danton, Saint-Just e Robespierre assumiram o poder, dando incio ao perodo da Conveno Montanhesa.

  • O governo jacobino dirigia o pas por meio do Comit de Salvao Pblica, responsvel pela administrao e defesa externa do pas, de incio comandado por Danton, seu criador.Marat foi assassinado pela jovem Charlotte Corday, os nimos se exaltaram. Considerado excessivamente moderado, Danton foi substitudo por Robespierre e expulso do partido.Tinha incio o Grande Terror.

  • Os direitos individuais foram suspensos e, diariamente, realizavam-se, sob aplausos populares, execues pblicas e em massa.O resultado foi condenao morte de 35 mil a 40 mil pessoas. A Insurreio camponesa da Vendia foi esmagada.O exrcito francs comeou a ganhar terreno nos campos de batalha em 1794 e a coalizo antifrancesa foi derrotada.

  • As principais realizaes desse perodo foram:

    Abolio da escravido nas colnias francesas, talvez o maior feito social dos jacobinosReforma Agrria: confisco das terras da nobreza emigrada e da Igreja, que foram divididas em lotes menores e vendidas a baixo preo aos camponeses pobres. Os pagamentos foram divididos em 10 anos;

  • Lei do Mximo ou Lei do Preo Mximo, estabelecendo um teto mximo para preos e salriosElaborao da Constituio do Ano I (1793), que pregava uma ampla liberdade poltica e o sufrgio universal masculino. Essa Carta, inspirada nas idias de Rousseau, era uma das mais democrticas da histria; Criao do ensino pblico gratuitoFundao do Museu do Louvre, da Escola Politcnica e do Instituto da Frana.Elaborao de um novo sistema de medidas. Graas a essa idia, os cientistas franceses elaboraram o metro, bem como outras idias que no tiveram a mesma aceitao

  • Reao Termidoriana

    Muitos girondinos que sobreviveram ao terror, aliados aos deputados da plancie, articularam um golRobespierre e os dirigentes jacobinos foram guilhotinados sumariamenteA Comuna de Paris e o partido jacobino deixaram de existir. Era o golpe de 9 Termidor, que marcou a queda da pequena burguesia jacobina e a volta da grande burguesia girondina ao poder. O movimento popular entrou em franca decadncia.

  • Em 1795, a Conveno elaborou uma nova constituio - a Constituio do Ano III -, suprimindo o sufrgio universal e resgatando o voto censitrio para as eleies legislativas, marginalizando, assim, grande parcela da populaoNo final de 1795, de acordo com a nova Constituio, a Conveno cedeu lugar ao Diretrio, formado por cinco membros eleitos pelos deputados. Iniciou-se, assim, a Repblica do Diretrio.

  • 4 Fase- Diretrio

    O Diretrio (1794 a 1799) foi uma fase conservadora, marcada pelo retorno da Alta Burguesia ao poder e pelo aumento do prestgio do Exrcito apoiado nas vitrias obtidas nas Campanhas externas.Era a repblica dos proprietrios que enfrentavam uma grave crise financeira. Registra-se uma oposio interna ao governo devido crise econmica e anulao das conquistas sociais jacobinas.

  • Ocorre nesse periodo o movimento popular conhecido como Conjura dos Iguais, liderado por Graco Babeuf. Prope a tomada do poder fora e o fim da propriedade privada.Os chefes do movimento so presos e Babeuf morre na guilhotina.Externamente, entretanto, o exrcito acumulava vitrias contra as foras absolutistas de Espanha, Holanda, Prssia e reinos da Itlia, que, em 1799, formaram a Segunda Coligao contra a Frana revolucionria.

  • A figura que sobressai no fim do perodo a de Napoleo BonaparteEle renomado chefe do exercito e acumula vitrias nas tentativas de avanos anti-absolutistas no exterior.Napoleo abandonou seus soldados aps a mal sucedida Campanha do Egito, retornou Frana, onde, com apoio de dois diretores e de toda a grande burguesia, suprimiu o Diretrio e instaurou o Consulado, dando incio ao perodo napolenico em 18 de brumrio (10 de Novembro de 1799).